página acima: Biografias
Allan Kardec
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

Hippolyte Léon Denizarde Rivail

Allan Kardec -(1804-1869)

____"O nosso papel pessoal, no grande movimento de ideias que se prepara pelo Espiritismo e que começa a operar-se, é o de um observador atento, que estuda os fatos para lhes descobrir a causa e tirar-lhes as conseqüências.

  • Confrontamos todos os que nos têm sido possível reunir, comparamos e comentamos as instruções dadas pelos Espíritos em todos os pontos do globo e depois coordenamos metodicamente o conjunto
  • em suma, estudamos e demos ao público o fruto das nossas indagações, sem atribuirmos aos nossos trabalhos valor maior do que o de uma obra filosófica deduzida da observação e da experiência, sem nunca nos considerarmos chefe da doutrina, nem procurarmos impor as nossas ideias a quem quer que seja.
    • Publicando-as, usamos de um direito comum e aqueles que as aceitaram o fizeram livremente.
    • Se essas ideias acharam numerosas simpatias, é porque tiveram a vantagem de corresponder às aspirações de avultado número de criaturas, mas disso não colhemos vaidade alguma, dado que a sua origem não nos pertence.

____O nosso maior mérito é a perseverança e a dedicação à causa_que_abraçamos. Em tudo isso, fizemos o que outro qualquer poderia ter feito como nós, razão pela qual nunca tivemos a pretensão de nos julgarmos profeta ou messias, nem, ainda menos, de nos apresentarmos como tal".

Allan Kardec

(Ver em: Caracteres da Revelação Espírita )

____A ação de Napoleão Bonaparte, invadindo as searas alheias com o seu movimento de transformação e conquistas, fugindo à finalidade de missionário da reorganização do povo francês, compeliu o mundo espiritual a tomar enérgicas providências contra o seu despotismo e vaidade orgulhosa.

____Aproximavam-se os tempos em que Jesus deveria enviar ao mundo o Consolador, de acordo com as suas auspiciosas promessas.

____Apelos ardentes são dirigidos ao Divino Mestre, pelos gênios tutelares dos povos terrestres. Assembléias numerosas se reúnem e confraternizam nos espaços, nas esferas_mais próximas_da_Terra. Um dos mais lúcidos discípulos do Cristo baixa ao planeta, compenetrado de sua missão consoladora, e, dois meses antes de Napoleão Bonaparte sagrar-se imperador, obrigando o papa Pio VII a coroá-lo na igreja de Notre Dame, em Paris, nascia Allan Kardec, aos 3 de outubro de 1804, com a sagrada missão de abrir caminho ao Espiritismo, a grande voz do Consolador_prometido ao mundo pela misericórdia de Jesus-Cristo.

[52 - página 193]

Espírito protetor de Allan Kardec
11 DE DEZEMBRO DE 1855
(Em casa do sr. Baudin, méd. srta. Baudin.)

  • Pergunta ao Espírito Z. – No mundo dos Espíritos, há um deles que seja para mim um bom gênio?
    • Resposta. Sim
  • Perg. É o Espírito de um parente ou de um amigo?
    • - Resp. Nem um nem outro.
  • Perg. Quem foi sobre a Terra?
    • – Resp.Um homem justo e sábio.
  • Perg. Que devo fazer para granjear a sua benevolência?
    • – Resp. O mais de bem possível.
  • Perg. Por quais sinais poderei reconhecer a sua intervenção?
    • Resp. Pela satisfação que sentirás.
  • - Perg. Há um meio de evocá-lo, e qual?
    • – Resp. ter uma fé viva e pedir com empenho.
  • Perg. Depois de minha morte o reconhecerei no mundo dos Espíritos?
    • Resp. Isso não é duvidoso; será ele que virá te felicitar, se cumprires bem a tua tarefa.

      • Nota.– Vê-se, por essas perguntas, que eu estava ainda bem novato sobre as coisas do mundo espiritual.
  • - Perg. – O Espírito de minha mãe vem algumas vezes me visitar?
    • – Resp. Sim, e ela te protege tanto quanto isso seja possível.
  • – Perg. Freqüentemente eu a vejo em sonho; é isso uma lembrança e um efeito de minha imaginação?
    • - Resp. Não; é bem ela que te aparece, tu deves compreendê-lo pela emoção que sentes.

      • Nota. – Isto é perfeitamente exato; quando minha mãe me aparecia em sonho, eu sentia uma emoção indescritível, o que o médium não poderia saber.
  • - Perg. Quando, há algum tempo, evocamos S, e lhe perguntamos se poderia ser o gênio protetor de um de nós, ele respondeu: "Que um de vós se mostre digno e eu estarei com ele: Z vos dirá" crês-me capaz desse favor?
    • – Resp. Se tu o queres.
  • Perg. Que é preciso fazer para isso?
    • - Resp. Fazer todo o bem que encontrares por fazer e suportar as penas da vida com coragem.
  • - Perg. Estou apto, pela natureza de minha inteligência, para penetrar, tanto quanto é permitido ao homem fazê-lo, as grandes verdades de nossa destinação futura?
    • – Resp.Sim, tens a aptidão necessária, mas o resultado dependerá da perseverança no trabalho.
  • Perg. Posso concorrer para a propagação dessas verdades?
    • – Resp. Sem dúvida.
  • Perg. Por quais meios?
    • Resp. Sabê-lo-ás mais tarde; à espera, trabalha.

[15 - Segunda Parte] - Allan Kardec

____Em 31 de março de 1869, Allan Kardec estava de mudança. O contrato de arrendamento do local onde funcionava a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, na Passage Sainte Anne, estava chegando ao fim, e ele queria levar os pertences para seu próprio apartamento, na Villa Ségur. Pela manhã, porém, no meio dos preparativos, foi surpreendido pela ruptura de um aneurisma. Entregava um número da Revista Espírita a um caixeiro de livraria quando subitamente curvou-se sobre si mesmo, e sem dizer uma única palavra, desencarnou, aos 65 anos.

____Amélie Boudet tinha, na época, 74 anos. Continuou os trabalhos do marido na Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e sobreviveu até 1883, quando desencarnou sem herdeiros diretos, deixando todo o seu patrimônio para a Sociedade.

____No enterro de Allan Kardec, em 2 de abril, Camille_Flammarion faz belo discurso, em que diz: "Encontrar-nos-emos num mundo melhor, e no céu imenso, onde usaremos das nossas mais preciosas faculdades, continuaremos os estudos para cujo desenvolvimento a Terra_é_teatro_por_demais_acanhado. É -nos mais grato saber esta verdade do que acreditar que jazes todo inteiro nesse cadáver e que tua alma se haja aniquilado com a cessação do funcionamento de um órgão. A imortalidade é a luz da vida, como este refulgente sol é a luz da natureza. Até breve, meu caro Allan Kardec, até breve!"

http://www.ceace.org.br/kardec.htm

Cronologia de Hippolyte Léon Denizarde Rivail

(1804-1869)

PROJETO RELER - INFORMAÇÕES ESPÍRITAS E CULTURAIS

http://www.panoramaespirita.com.br/arquivo_espirita/artigos/cronologia_hipolyte.html

AMELIE GABRIELLE BOUDET


http://www.youtube.com/watch?v=dRJ41xA5Hlw
Ver também:
*