Elizabeth d'Espérance
página acima: Biografias
-


Médium de efeitos físicos
; sua autobiografia está no livro No País das Sombras, publicado pela FEB.

Trecho do último capítulo do seu livro "No País das Sombras": "Os que vierem depois de mim talvez venham a sofrer quanto eu tenho sofrido pela ignorância das leis de Deus. Quando o mundo for mais sábio do que no passado, é possível que os que tomarem as tarefas na nova geração não tenham que lutar, como lutei, contra o fanatismo estreito e os julgamentos duros dos adversários.".

____A Famosa Médium Inglesa Elisabeth D"Espérance nasceu em Edimburgo, na Escócia, no ano de 1849, um ano depois dos fenômenos de Hydesville, e desencarnou em 1918. Foi médium de grande projeção, tendo servido de instrumento para as pesquisas encetadas por muitos sábios da época.

____D’Espérance é o pseudônimo de uma das mais notáveis médiuns não profissionais, do século XIX e princípio do XX. O seu real nome de família é Hope, que em inglês também significa esperança

____Quando ainda mocinha, apareceu em público, através da apresentação de T. P. Barkas, membro da Sociedade de Geologia de New Castle. Barkas organizou uma extensa lista de perguntas referentes aos mais variados setores da ciência, que foram respondidas, rapidamente, pela médium, em inglês, alemão e até mesmo em latim.

Madame d’Esperance, que possuía educação de classe média, quando caía em transe mediúnico, externava admiráveis conhecimentos científicos, muitas vezes abordando assuntos completamente desconhecidos daqueles que a interrogavam. Nesse estado, desenhava na mais completa escuridão. Mr. Barkas, referindo-se às sessões realizadas com ela, disse: "Deve ser geralmente admitido que ninguém pode, por um esforço normal, responder com detalhes, a perguntas críticas ou obscuras em muitos setores difíceis da Ciência com que se não é familiarizado. Além disso, deve admitir-se que ninguém pode ver normalmente e desenharcom minuciosa precisão em completa obscuridade; que ninguém pode, por meios normais de visão, ler o conteúdo de uma carta fechada, no escuro; que ninguém, que ignore a língua alemã, possa escrever com rapidez e exatidão longas comunicações em alemão. Entretanto, todos esses fenômenos foram verificados com essa médium e são tão acreditados quanto as ocorrências normais da vida diária.". (Ver: Poligota - Xenoglossia)

____Alexandre Aksakoff, no seu livro Um Caso de Desmaterialização Parcial, descreve que, em uma sessão realizada com essa médium, viu seu corpo desmaterializar-se, parcialmente.

____Foram também obtidos, graças à preciosa faculdade dessa médium, moldagens_em_parafina, de mãos e pés, com punhos e tornozelos que, dada a estreiteza dessas partes, não podiam permitir a saída dos membros, a não ser por sua desmaterialização.

____O Conselheiro Imperial russo ao Czar e pesquisador psíquico Alexander Aksakow (1832-1903) escreveu que toda a materialização envolve desmaterialização, ou o uso aparente da matéria do corpo do médium (Aksakow, 1894-1895/1896). Aksakow acreditava que havia três etapas nas materializações.

  • A primeiro consistia no movimento de objetos, e toques causados por uma força invisível.
  • A segunda consistia em formas visíveis e tangíveis, mas incompletas tais como mãos, cabeças e bustos.
  • Finalmente, a terceira seriam as materializações completas, com a produção de corpos inteiros.

____Estas etapas – na visão de Aksakow – foram relacionadas a uma força vinda do corpo do médium, um ponto que ele ilustrou no seu livro com o caso da desmaterialização parcial do corpo da médium Elizabeth D'Esperance (1855-1919). A suposição era que a força psíquica do médium era transformada na matéria necessária para as materializações. (Ver: Ectoplasmia)

http://br.geocities.com/existem_espiritos/forca

LINKs:

Ver também:
*