página acima: Casos de obsessão
-
Obsessão - Caso 1
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*
Personagens do texto abaixo:

  • André Luiz - Espírito que ditou o texto abaixo, por intermédio do médium Chico Xavier.
  • Calderaro - Espírito orientador de André Luiz, no plano espiritual.

____..."penetrei vasto hospital, detendo-nos diante do leito de certo enfermo, que o Assistente deveria socorrer. Abatido e pálido, mantinha-se ele unido a deplorável entidade de nosso plano (plano_espiritual), em míseras condições de inferioridade e de sofrimento. O doente, embora quase imóvel, acusava forte tensão de nervos, sem perceber, com os olhos físicos, a presença do companheiro de sinistro_aspecto. Pareciam visceralmente jungidos um ao outro, tal a abundância de fios tenuíssimos que mutuamente os entrelaçavam, desde o tórax à cabeça, pelo que se me afiguravam dois prisioneiros de uma rede fluídica.

  • Pensamentos de um deles com certeza viveriam no cérebro do outro.
  • Comoções e sentimentos seriam permutados entre ambos com matemática precisão.
  • Espiritualmente, estariam, de continuo, perfeitamente identificados entre si.
  • Observava-lhes, admirado, o fluxo de comuns vibrações mentais."

____...Já despendia alguns minutos na contemplação das células_nervosas, quando o Assistente me aconselhou: Examinaste o cérebro do companheiro que ainda se prende ao veículo denso; observa, agora, o mesmo órgão no amigo desencarnado que o influencia de modo direto.

____A entidade, que não se dava conta de nossa presença, em virtude do círculo de vibrações grosseiras em que se mantinha, fixava toda a atenção no doente, lembrando a sagacidade de um felino vigiando a presa.

____Observei-lhe estranha ferida na região torácica, e dispunha-me a investigar-lhe a causa, sondando os pulmões, quando Calderaro me corrigiu sem afetação: Trataremos da chaga no trabalho de assistência. Concentra as possibilidades da visão no cérebro.

____Decorridos alguns momentos, concluí que, à parte a configuração das peças e o ritmo vibratório, tinha sob os olhos dois cérebros quase idênticos. Diferia o campo mental do desencarnado, revelando alguma superioridade no terreno da substância, que, no corpo_perispiritual, era mais leve e menos obscura. Tive a impressão de que, se lavássemos, por dentro, o cérebro do amigo estirado no leito, escoimando-o de certos corpúsculos mais pesados, seria ele quase igual, em essência, ao da entidade que eu mantinha sob exame. As divisões luminosas, porém, eram em tudo análogas.

[25 - páginas. 42; 44] - André Luiz

Ver também:
*