Vórtice
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____O átomo é um vórtice; vórtice são o elétron e o núcleo; vórtice são os centros e os satélites contidos no núcleo, e assim ao infinito.
____Quando imaginais uma partícula mínima, animada de velocidade, nunca tendes aí um corpo, no sentido comum, qual o figurais; é sempre um vértice imaterial de velocidade. E a decomposição dos vórtice, em que rodopiam unidades vertiginosas, menores, prolonga-se ao infinito. Assim, na substância não existe matéria, no sentido em que a compreendeis; apenas há movimento.E a diferença entre matéria e energia consiste apenas na diversidade de direção do movimento;

  • rotatório, fechado em si mesmo, na matéria
  • Ondulatório, de ciclo aberto e lançado no espaço, na energia.

[45 p. 39]

As âncoras cósmicas(Folha de S.Paulo)

____Existe uma belíssima hierarquia no Universo, de padrões que se repetem a distâncias variando de um planeta e sua lua até aglomerados contendo milhares de galáxias. São objetos girando em torno de outros, os de menor massa em torno dos de maior, em uma coreografia controlada pela gravidade:

  • a Lua gira em torno da Terra, assim como outras luas em torno de outros planetas.
  • Os planetas giram em torno do Sol,
  • e o Sol em torno do centro da Via Láctea, juntamente com bilhões de outras estrelas.
  • E a Via Láctea gira em torno de aproximadamente 20 outras galáxias, pertencentes ao "grupo local".

____Mais precisamente, objetos giram em torno do chamado centro de massa do sistema. O centro de massa é a âncora gravitacional do sistema, o ponto em torno do qual tudo gira.

____Se o Sol, a âncora gravitacional do sistema solar, gira em torno do centro da galáxia, então o centro de massa da galáxia, a sua âncora, deve estar bem próximo de seu centro. Até pouco tempo atrás, não se sabia o que se escondia por lá: telescópios terrestres não eram capazes de enxergar através da confusão de estrelas e gás incandescente que existem na região central da Via Láctea ou de qualquer outra galáxia. A solução foi utilizar uma combinação de telescópios que vêem não a luz visível, mas outros tipos de radiação eletromagnética, as ondas de rádio e a radiação infravermelha.
____Após anos de estudos detalhados, astrônomos descobriram algo de surpreendente: no coração da Via Láctea reside um gigantesco buraco negro, com uma massa equivalente à de milhões de sóis. Essa conclusão baseia-se em vários argumentos:

  • primeiro, nuvens de gás girando em torno do centro galáctico têm uma forma toroidal (como uma rosca), emitindo quantidades enormes de radiação.
  • Segundo, bilhões de estrelas também giram em torno dessa região, a altíssimas velocidades.
  • Terceiro, a região central, a âncora gravitacional dessa atividade toda, é extremamente pequena. Apenas buracos negros podem causar tanto alvoroço em tão pouco espaço.

____ essa descoberta não se limita à Via Láctea: todas as outras galáxias, desde as de forma espiral (o caso desta galáxia) até as elípticas, contêm um buraco negro em seu centro. O interessante é que, em todas as galáxias estudadas até agora, o buraco negro central tem em torno de 0,5% (1/ 200) da massa total da galáxia. Resultados como esse não são uma coincidência: eles expressam algo de universal na formação e no crescimento das galáxias, uma relação entre a âncora gravitacional e a sua corte de estrelas e gás.

____Aqui reaparece a hierarquia dos padrões cósmicos:o Sistema Solar nasceu devido ao colapso de uma gigantesca nuvem de gás, rica em hidrogênio, há aproximadamente 5 bilhões de anos. A própria gravidade da nuvem, aliada à sua rotação, fez com que ela assumisse a forma de uma pizza durante o seu colapso, com a maioria da massa concentrada em seu centro. Essa massa central gerou o Sol, enquanto que aglomerados menores girando à sua volta produziram os planetas. Ao menos aproximadamente, a nossa galáxia repetiu esse mesmo processo de formação, 7 bilhões de anos antes do Sol. Mas a concentração de massa em seu centro era tão gigantesca que ela não pôde suportar o próprio peso e entrou em colapso, terminado com um buraco negro. (Ver: Evolução da matéria)
____Recentemente, um outro ramo dessa hierarquia cósmica foi descoberto. Aglomerados globulares contêm milhões de estrelas, entre elas as mais velhas do Universo, com 12 bilhões de anos. O Telescópio Espacial Hubble detectou buracos negros no centro de dois aglomerados, cada um contendo também 0,5% da massa de seu aglomerado, a mesma proporção das galáxias. Resta desvendar a função das âncoras cósmicas no processo de formação de galáxias, sejam elas pequenas ou grandes.

Marcelo Gleiser

Professor de física teórica do Dartmouth College, em Hanover (EUA), e autor do livro "O Fim da Terra e do Céu"

http://www.geocities.com/fisicademais/noti/Frame31.htm
*