Tigróide
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

[72 - página 224]


____Os neurônios têm forma e tamanho variados de acordo com sua localização e função. Mostram em HE núcleo redondo, vesiculoso, com nucléolo nítido. O citoplasma é abundante e possui corpúsculos basófilos, os corpúsculos de Nissl ou substância tigróide, constituídos por retículo endoplásmico rugoso responsável por síntese protéica. Os neurônios sintetizam proteínas em abundância, sendo parte estruturais (constituintes de membranas e organelas) e parte enzimas necessárias, entre outras funções, à síntese e liberação de neurotransmissores. Quanto maior o corpo celular, mais nítidos são os corpúsculos de Nissl.

____Além do axônio, o corpo celular pode ter dendritos, que se ramificam já a curta distância. Sua função é ampliar a superfície da célula e receber contatos sinápticos. Corpúsculos de Nissl são encontrados na porção proximal dos dendritos, mas nunca no axônio. Há neurônios sem dendritos, p. ex., neurônios sensitivos nos gânglios de raiz posterior, cujo corpo celular tem forma globosa. Contudo não há neurônios sem axônio.

____Em suma, para reconhecimento dos neurônios baseamo-nos no núcleo redondo, com cromatina frouxa e nucléolo evidente e no citoplasma, basófilo e de limites nítidos. Os corpúsculos de Nissl são bem distintos só nos neurônios maiores.http://www.bioturmas.hpg.ig.com.br/neuropatologia.html

____
____Retículo Endoplasmático: Área em que ocorrem as reações bioquímicas.

  • O REgranular é responsável pelo transporte de material dentro da célula e participa da síntese de proteínas.
  • O REliso também tem por função permitir o transporte de substâncias, síntese de esteróides, inativação de certos hormônios, inativação de substâncias nocivas.
http://www.ufv.br/dbg/gbolhtm/gbol1.htm XXX

____A arquitetura celular do tecido nervoso mostra inúmeras particularidades. E o estudo destas particularidades é desenvolvido por técnicas de microscopia (óptica e eletrônica) que nos facultam visualizar a forma geral e os constituintes subcelulares da célula neuronal, para isto empregando diversos corantes, muitos deles seletivos para determinadas regiões do neurônio.Assim, por exemplo:

· a afinidade dos constituintes estruturais da célula neuronal pela PRATA permite observar o enquadramento estrutural complexo de corpos celulares e ramificações da membrana plasmática, conforme já constatado por GOLGI,

· ou a utilização do TETRÓXIDO DE ÓSMIO (marcador de lipídios) delineia a bainha de mielina.

· O método de coloração de NISSL, empregando corantes básicos de anilina, ainda é um dos principais no estudo do tecido nervoso.

____Uma nótula interessante refere–se à presença de verdadeiras condensações de neurotúbulos no citoplasma axonal, aparentemente ligados às funções de transporte entre o citoplasma somático (onde as estruturas tubulares são bem mais esparsas) e o axoplasma.
____Façamos também uma nótula sobre os corpúsculos de Nissl<, formados por substância cromofílica constituída principalmente de retículo endoplasmático granular (material ribossomal ligado à síntese protéica pelo RNA), destacando as importantes funções metabólicas de síntese enzimática levadas a cabo pela célula neuronal. Nota-se caracteristicamente à microscopia uma área de cromatólise em torno do núcleo, com redução da densidade dos corpúsculos.

____Legenda:

1 – Soma ou corpo celular, onde se vêem inúmeros corpúsculos de Nissl

2 – Núcleo, contendo material genético (DNA) necessário ao metabolismo

3 – Axônio (apontando para a membrana axonal)

4 – Axoplasma (citoplasma do axônio, ligado a mecanismos de transporte

5 – Bainha de mielina

6 – Nó ou nodo de Ranvier

7 – Dendritos somáticos

8 – Telodendro (e dendritos terminais ou telodêndricos)

9 – Região do cone de implantação

Prof. Bruno L. Galluzzi da S. Dalcin
Médico, Professor de Neuro Fisiologia do IBMR, da UERJ e da Universidade Santa Úrsula

http://www.existencialismo.org.br/jornalexistencial/brunomorfologiadosn.htm

____Há muito tempo vem nos angustiando o problema da explicação do tigróide dada por Fritz Kahn (1966) com relação à fadiga, mas a literatura sobre o assunto é ainda muito reduzida, face às poucas experiências nesse sentido. Ele diz: O combustível da célula nervosa denomina-se tigróide porque está distribuído por diversos compartimentos plasmáticos, que se destacam de acordo com a coloração da célula, como as malhas na pele de um tigre. O tigróide é uma mistura altamente complicada de proteínas, gorduras e carboidratos. Quer as combinações protéicas, quer as gorduras, são riquíssimas em fósforo. O cérebro possui tanto fósforo que este elemento foi descoberto nesse órgão. Um sábio do século XIX chegou a proclamar a famosa frase:sem fósforo não há p
ensamentos . Dentre as gorduras fosforadas, a mais conhecida é a lecitina, que se encontra no reino animal e vegetal, sempre que se desenrolam funções vitais particularmente nobres. Além das células nervosas, também são ricos em lecitina o ovo de galinha, o leite, a manteiga, o queijo. Todos, principalmente os preparados dietéticos, o encerram, como alimentos dos nervos.

____De manhã cedo, quando o indivíduo desperta, suas células nervosas estão abastecidas de tigróide, o combustível nervoso. O homem levanta-se da cama assim como uma locomotiva sai do seu depósito, na hora da partida, com o tênder transbordando de carvão. É graças a este carvão que o indivíduo revigora suas energias nervosas. A cada movimento, a cada emoção, a cada impressão dos sentidos e a cada pensamento, eis que um resquício do carvão que aciona os nervos é consumido nas células cerebrais, que com o correr do dia, vão se exaurindo gradativamente. À noite, como se diz, o indivíduo está esgotado. Durante o sono suas células se reabastecem; as substâncias nutrientes passam do sangue para o interior da célula, a qual com as mesmas recompõe o tigróide.

____“Segundo Franz Nissl – neurologista de Heidelberg (1860 e 1919), corpúsculos de Nissl são corpos granulados de proteínas que se impregnam com corantes básicos (método de Nissl), formando a substância do retículo citoplasmático das células nervosas.

____As nucleoribotropinas são o seu componente principal”, segundo nos relata o fisiologista brasileiro, Dr. Maurício Rocha. Ele diz ainda:

  • “Pesquisa mais correta foi feita por Dolley em 1909, em cães correndo em tapete rolante, sacrificados após esforços de duração diferentes, tornando possível diferenciar os eventos seqüenciais das alterações histológicas no cerebelo, relacionados a atividades físicas antes, no início da fadiga e na exaustão completa. Como resultado da atividade contínua:

    • há primeiro um aumento nítido do material cromático básico, primeiro a extranuclear (substância de Nissl) e depois intranuclear, ambas com aumento do tamanho da célula.
    • Finalmente, uma fase hipercromática é atingida, indicando a elaboração máxima de cromatinabásica que é considerada uma adaptação ao trabalho intenso.
    • Após esta fase, o conteúdo cromático baixa, primeiro no núcleo e depois se estendendo ao citoplasma. Esta etapa pode ser identificada como o início da fadiga e se associa e a uma notável diminuição do volume celular (mais no núcleo do que no citoplasma), crescendo assim as relações nucleocitoplasmáticas a favor do citoplasma e, posteriormente, ainda o núcleo se torna edematoso, edema este que se estende mais tarde ao citoplasma. Omaterial cromático continua a decrescer, passando além do aspecto de concentração normal e praticamente desaparecendo do citoplasma. Quanto ao núcleo onde a baixa do material cromático se iniciou nesta fase, o esvaziamento de suas últimas porções (Karisoma) para o interior do citoplasma leva também ao desaparecimento completo de cromatina básica (exaustão funcional).
  • O trabalho de Kulenkampf em ratos fixou vários parâmetros como idade, dieta, temperatura, iluminação, dimensões da gaiola, técnica de coloração, duração e hora da experiência, seleção de espécies, etc. além disso, para evitar erros subjetivos, a análise histológica foi feita por vários observadores. A observação foi de grandes dimensões, compreendendo a contagem de 110.000 células em animais fatigados e 44.000 em controles. Observou o mesmo que Dolley – uma significativa e dramática baixa progressiva dos corpúsculos de Nissl (corpúsculos cromáticos) com o desenvolvimento da fadiga. E que:

    • I – estas alterações no rato sob natação exaustiva eram reversíveis;
    • II – este animal, 4 horas não eram um tempo suficiente de recuperação;
    • III – a morte em exaustão neste animal se instalou antes do desaparecimento completo da substância de Nissl.
  • Já Pignat (1898) assinalava baixa na quota de substância cromática no protoplasma, inicialmente em conseqüência do estímulo elétrico e mais tarde (1901) confirmado em cães, após uma corrida de 64 a 93 km, o empobrecimento substancial ou até o desaparecimento completo da substância cromatófila no córtex cerebral ”.

____Ora, se a cromatinabásica é considerada uma adaptação ao trabalho intenso, e se com a atividade contínua há um aumento nítido do material cromático, chegamos à conclusão lógica de que:

  • “somente um trabalho contínuo beneficia os corpúsculos de Nissl, isto é, há elaboração máxima de cromatinabásica.
  • Também, se com o desenvolvimento da fadiga há uma significativa e dramática baixa progressiva dos corpúsculos de Nissl, e se na exaustão funcional há um completo desaparecimento da cromatina básica,
  • isso nos leva a concluir que não devemos submeter o nosso organismo a esforços extremos se não muito lenta e progressivamente no treinamento desportivo especializado. Herbert já pressentia isso quando alertava que se deveria fazer esforços extremos somente em casos de salvamento de vidas em perigo ...

____(Ver: Educação física)

____É de supor também que nos casos de esgotamento nervoso, em conseqüência de grandes angústias ou depressões, haja eliminação dos corpúsculos de Nissl, isto é, desaparecimento completo da cromatina básica no córtex cerebral.

____É pena que não haja experiências maiores nesse sentido nos animais, de vez que no homem só se podem faze-las depois de morto, na ocasião de “ stress”.

____Á muitas outras evidências, comprovadas por experiências, de que o trabalho contínuo é o que produz melhores efeitos sobre a circulação, respiração, metabolismo, etc., que não podem ser citadas neste trabalho para não torna-lo demasiado extenso, mas que os interessados poderão procurar nas fontes bibliográficas citadas no final do mesmo, conforme já afirmamos acima.

Prof. Jacintho F. Targa (falecido)

R. Coronel André Belo, 603 - 90050 – Porto Alegre – RS

http://www.crefsc.org.br/artigos/artigo8.doc

CONSELHO REGIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA SANTA CATARINA: http://www.crefsc.org.br

Cromatólise central

____A secção do axônio pode causar no neurônio alterações conhecidas como cromatólise central ou reação axonal: o corpo celular sofre tumefação, com desaparecimento dos corpúsculos de Nissl na porção central da célula e deslocamento do núcleo para a periferia. Estas alterações são geralmente reversíveis e interpretadas como um estado de metabolismo aumentado para favorecer a regeneração do axônio. Alteração semelhante pode ser observada em certas lesões crônicas do neurônio como, por exemplo, na pelagra.

http://www.bioturmas.hpg.ig.com.br/neuropatologia.html


Neurônios que sofreram lesão de seu axônio podem apresentar dissolução dos corpúsculos de Nissl e deslocamento do núcleo para a periferia (seta).

http://www.fcm.unicamp.br/departamentos/anatomia/bineuhistogeral.html

Neurônios motores do corno anterior da medula espinal corados por HE. Notar núcleo vesiculoso com cromatina frouxa e nucléolo evidente, citoplasma abundante com corpúsculos de Nissl (pequenas manchas roxas)

Neurônios motores do corno anterior da medula espinal, com coloração por cresil violeta para os corpúsculos de Nissl e luxol fast blue para as bainhas de mielina. Os corpúsculos de Nissl são formados por retículo endoplásmico rugoso e responsáveis pela síntese protéica do neurônio.

http://www.fcm.unicamp.br/departamentos/anatomia/bineuhistogeral.html
  • A substância cromidial no citoplasma é chamada de substância de Nissl .
  • Os axônios não possuem substância cromidial.
  • Os dendritos das células multipolares são curtos e ramificados e contêm substância de Nissl e mitocôndrias
  • Nos dendritos mais espessos encontra-se corpúsculo de Nissl.
http://www.biociencia.org/morfologia/neuronioneuroglia.htm

Ver também:
*