página acima: Desobsessão
Técnica de desobsessão
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Alguns estudiosos do Espiritismo afirmaram que não existem técnicas para se tratar da obsessão e chegaram a depositar nas mãos dos Espíritos ou do tempo, a solução de casos, que se classificavam desde os mais comuns, até os mais graves na patologia obsessiva. Como veremos, as coisas não são tão simples assim. Existem fatores e providências que precisam ser observados nesse procedimento terapêutico, para que se consiga libertar definitivamente uma pessoa obsedada do seu obsessor. A isso denominamos técnicas de desobsessão.

____A desobsessão envolve uma série de condutas tendo em vista livrar o obsidiado de sua prisão mental.

____A técnica básica do tratamento da obsessão fundamenta-se na doutrinação dos Espíritos envolvidos, encarnados e desencarnados. Doutrinar, significa instruir em uma doutrina. É isso que se vai fazer com o paciente, com sua família, se necessário, e com o Espírito que lhe atormenta. Atualmente o termo "doutrinar" vem sendo mudado por "esclarecer", que na verdade é a mesma coisa. Tudo uma questão de forma.

  • Doutrinação do obsidiado (indireta e direta):
    Allan Kardec afirma que a pessoa obsedada precisa trabalhar para seu melhoramento moral e, diz textualmente, que a cura de quase todos os casos de obsessão têm solução através desse esforço. Portanto, a equipe de desobsessão deverá ajudá-la nesse procedimento de auto-melhoramento. Para isso se valerá da instrução direta e indireta do paciente. Veremos em outra parte do trabalho, que existem vários procedimentos (denominados coadjuvantes), que poderão ajudar o paciente nesse processo de libertação. Nessa parte do trabalho, porém, vamos falar somente da instrução considerada fundamental:

    • A orientação na sala de entrevistas:

      Para o tratamento da maioria dos casos de obsessão, a instrução dada na sala de entrevista não será necessária. Basta que o paciente seja submetido às orientações vindas por meio das palestras doutrinárias ( doutrinação indireta), realizadas nas reuniões públicas da casa. Associa-se a esse trabalho orientador, um ou dois métodos coadjuvantes e o resultado não demorará a aparecer.

      É importante salientar que as reuniões de palestras públicas são as que se revestem de maior gravidade, justamente porque encarrega-se de despertar um novo homem cristão, sábio, bom e justo.

    • O esclarecimento através das palestras:

      Nos casos de obsessão grave, que envolvam processos em degeneração, subjugação ou fascinação, será fundamental que o paciente tenha instrução semanal na sala de entrevistas ( doutrinação direta).

      São situações em que a pessoa enferma está sem condições de agir pela sua vontade ou tomar decisões a respeito de sua conduta. É nesse ponto que deverá entrar a orientação moral da Doutrina Espírita, ministrada por pessoa convenientemente preparada.

  • Doutrinação da família do obsidiado.
  • Doutrinação do Espírito obsessor :

    ____O codificador do Espiritismo, Allan Kardec, se expressa nos seguintes termos, a respeito da necessidade de se doutrinar Espíritos obsessores: "Nos casos de obsessão grave... Faz-se também necessário, e acima de tudo, agir sobre o ser inteligente, com o qual se deve falar com autoridade, sendo que essa autoridade só é dada pela superioridade moral. Quanto maior for essa, tanto maior será a autoridade. E ainda não é tudo, pois para assegurar a libertação, é preciso convencer o Espírito perverso a renunciar aos seus maus intentos; despertar-lhe o arrependimento e o desejo do bem, através de instruções habilmente dirigidas com a ajuda de evocações particulares, feitas no interesse de sua educação moral" – (Capítulo 28:81).

    ____Está claro que não se pode extinguir as obsessões graves se não houver um trabalho feito junto do Espírito obsessor, para convencê-lo a deixar de perturbar o obsidiado. Isso só poderá ser feito por meio de sessões mediúnicas realizadas exclusivamente para esse fim (o paciente nunca deve estar presente). Através de evocações particulares, pode-se conseguir contato com o Espírito perturbador, obter dele informações dos motivos da perseguição e instruí-lo para que abandone seus intentos.

    ____Todos os fatos narrados nessas comunicações mediúnicas são de caráter íntimo e não deverão ser revelados nem para o paciente, nem para outros membros do Centro Espírita que não façam parte da equipe que cuida dessa tarefa.

    ____Pode-se dizer a uma pessoa que ela tem um problema espiritual e que será ajudada pela casa espírita, sem que se tenha de tratar de detalhes com ela. Dizer a alguém que está perturbado, que ele foi um carrasco ou um suicida numa outra encarnação, só vai complicar sua situação mental e deixá-lo mais desequilibrado ainda.

    ____Ressaltamos que as condições morais elevadas do doutrinador e dos médiuns que vão tratar das evocações e instrução de obsessores são essenciais para o sucesso da tarefa libertadora nos procedimentos desobsessivos.

http://www.espirito.org.br/portal/artigos/gebm/tecnicas-de-desobsessao.html
José Queid Tufaile Huaixan

É necessário reduzir, tanto quanto possível, a heterogeneidade vibratória do ambiente, o que compete à direção da casa a limitar o número de encarnados nos serviços de benefício espiritual.

[16a - página 275] - André Luiz

PEQUENAS  REGRAS  DE  DESOBSESSÃO

Procure:

  • mais do que saber - dominar-se;
  • mais do que agir - elevar;
  • mais do que estudar - aprender;
  • mais do que pensar - discernir;
  • mais do que falar - educar;
  • mais do que aconselhar - servir;
  • mais do que escutar - compreender;
  • mais do que perdoar - amparar;
  • mais do que sofrer - resignar-se;
  • mais do que amar - sublimar.

Quando nos expressamos, usando o modo imperativo do verbo, não queremos dizer que nós outros, - os amigos domiciliados no Mais Além,  estejamos a cavaleiro dos obstáculos e dificuldades que oneram os companheiros do mundo.

Todos estamos ainda vinculados à Terra. E, na Terra, ...

  • tanto adoece o cientista que cria o remédio, em favor dos enfermos, quanto os clientes que lhe desfrutam os recursos da inteligência;
  • tanto carrega problemas o professor que ensina, quanto o aprendiz que se lhe beneficia do apoio cultural.

Assim também na desobsessão. Todos os apontamentos que se relacionam com o assunto tanto se dirigem aos outros quanto a nós.

[136 - capítulo 2] - Francisco Cândido Xavier - Espírito André Luiz

DECÁLOGO DA DESOBSESSÃO

  • Não permita que ressentimento ou azedume lhe penetrem o coração.
  • Abençõe quantos lhe censuram a estrada sem criticar a ninguém.
  • Jamais obrigue essa ou aquela pessoa a lhe partilhar os pontos de vista.
  • Habitue-se a esperar pela realização dos seus ideais, trabalhando e construindo para o bem de todos.
  • Abstenha-se de sobrecarregar os seus problemas como pêso inútil da ansiedade.
  • Cesse todas as queixas ou procure reduzí-las ao mínimo.
  • Louve, - mas louve com sinceridade, - o merecimento dos outros.
  • Conserve o otimismo e o desprendimento da posse.
  • Nunca se sinta incapaz de estudar e aprender, sejam quais forem as circunstâncias.
  • Esqueçamo-nos para servir.

[136 - capítulo 10] - Francisco Cândido Xavier - Espírito André Luiz

Zulmira, obsidiada por Odila.

____Hilário e eu, instintivamente abeiramo-nos de Odila para afastá-la com a presteza Possível, mas o instrutor generoso deteve­nos com um gesto, advertindo:
____— A violência não ajuda. As duas se encontram ligadas uma a outra. Separá-las à força seria a dilaceração de consequências imprevisíveis. A exasperação da mulher desencarnada pesaria demasiado sobre os centros cerebrais de Zulmira e a lipotimia poderia acarretar a paralisia ou mesmo a morte do corpo.
____— Mas, então — clamou Hilário, contrafeito —, como extinguir essa união indébita? Não será justo afastar o algoz da vítima?
____O instrutor Clarêncio sorriu e ponderou:
____— Aqui, o quadro é diverso. Na esfera carnal, a cápsula_física é precioso isolante das energias desequilibradas de nossa mente, entretanto, em nosso plano de ação, no problema que observamos, essas forças desbordam ameaçadoras sobre a infortunada mulher, cujo corpo pode ser comparado a uma lâmpada de fraca receptividade, sobre a qual seria perigoso arremessar uma corrente superior à capacidade de resistência a que se enquadra. A inutilização seria completa.
____— Que poderíamos fazer? — indagou Hilário, desapontado.
____— Precisamos atuar na elaboração dos pensamentos da infortunada irmã que tomou a iniciativa da perseguição. É imprescindível dar outro rumo à vontade dela, deslocando-lhe o centro mental e conferindo-lhe outros interesses e diferentes aspirações.
____— E não podemos começar, exortando-a?
____O Ministro, sereno, obtemperou sem alterar-se:
____— Talvez, assim de momento, não pudéssemos ou não soubéssemos. A preparação é indispensável.
____— Nada custa uma conversação de censura... — alegou meu companheiro, admirado.
____— Sim, uma doutrinação pura e simples seria cabível, contudo, não podemos esquecer que a organização cerebral da vítima permanece excessivamente martelada. Nossa intervenção no campo espiritual de Odila deve ser envolvente e segura para evitar choques e contrachoques, que repercutiriam desastrosamente sobre a outra.

  • Nem doçura prejudicial,
  • nem energia contundente...

____O instrutor dirigiu piedoso olhar às duas mulheres e prosseguiu:
____— A questão nesta casa surge realmente melindrosa. É necessário buscar alguém que já tenha amealhado na alma bastante amor e bastante entendimento para conversar com o poder criador da renovação.
____Refletiu alguns instantes e aduziu:
____— Contamos em nossas relações com a irmã Clara. Rogaremos o concurso dela. Modificará Odila com o seu verbo coroado de luz, inclinando-a ao serviço da conversão própria. Por agora, de nossa parte, somente nos é possível a dispensação de algum alívio e nada mais.

[4 - página 26/8] - André Luiz

Ver também:
*