página acima: O papel dos médiuns
Sistemas médiuns inertes
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*
  • Entre os diferentes sistemas, que se hão concebido para explicar os fenômenos espíritas, há um que proclama estar a verdadeira mediunidade num corpo completamente inerte, na cesta, ou no papelão, por exemplo, que serve de instrumento; que o Espírito manifestante se identifica com esse objeto e o toma, além de vivo, inteligente, donde o nome de médiuns inertes dado a esses objetos.
    Se o Espírito transmitisse inteligência ao papelão, ao mesmo tempo que a vida, aquele escreveria sozinho, sem o concurso do médium.
  • Um fenômeno bem conhecido poderia abonar a opinião de que nos corpos inertes animados há mais do que a vida: o dás mesas, cestas, etc. que, pelos seus movimentos, exprimem a cólera, ou a afeição.
    ____Entretanto, quando um homem agita colérico um pau, não é o pau que está preso de cólera, nem mesmo a mão que o segura, mas o pensamento que dirige a mão. As mesas e as cestas não são mais inteligentes do que o pau, nenhum sentimento inteligente apresentam; apenas obedecem a uma inteligência. O Espírito não se transforma em cesta, nem nela se domicilia.
  • Desde que não é racional atribuir-se inteligência a esses objetos, poder-se-á considerá-los como uma categoria de médiuns, dando-se-lhes o nome de médiuns inertes.

[17b - página 271 item 223]

Ver também:
*