página acima: Sistema de Capela
As raças adâmicas
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

FIXAÇÃO DOS CARACTERES RACIAIS

____Com o auxílio desses Espíritos degredados, naquelas eras remotíssimas, as falanges do Cristo operavam ainda as últimas experiências sobre os fluidos_renovadores_da_vida, aperfeiçoando os caracteres biológicos das raças humanas. A Natureza ainda era, para os trabalhadores da espiritualidade, um campo vasto de experiências infinitas; tanto assim que, se as observações do mendelismo fossem transferidas àqueles milênios distantes, não se encontraria nenhuma equação definitiva nos seus estudos de biologia. A moderna genética não poderia fixar, como hoje, as expressões dos "genes", porquanto, no laboratório das forças invisíveis, as células ainda sofriam longos processos de acrisolamento, imprimindo-se-lhes elementos de astralidade, consolidando-se-lhes as expressões definitivas, com vistas às organizações do porvir.

____Se a gênese do planeta se processara com a cooperação dos milênios, a gênese das raças humanas requeria a contribuição do tempo, até que se abandonasse a penosa e longa tarefa da sua fixação.

ORIGEM DAS RAÇAS BRANCAS

____Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram, proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes dos "primatas", a que nos referimos ainda há pouco.

____Com a sua reencarnação no mundo terreno, estabeleciam-se fatores definitivos na história etnológica dos seres.

____Um grande acontecimento se verificara no planeta. É que, com essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças brancas.

____Em sua maioria, estabeleceram-se na Ásia, de onde atravessaram o istmo de Suez para a África, na região do Egito, encaminhando-se igualmente para a longínqua Atlântida, de que várias regiões da América guardam assinalados vestígios.

____Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do Cristo, os homens brancos olvidaram os seus sagrados compromissos.

____Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de muitos séculos de sofrimentos_expiatórios; outros, porém, infelizes e retrógrados, permanecem ainda na Terra, nos dias que correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado passivo de débitos clamorosos.

QUATRO GRANDES POVOS

____As raças adâmicas guardavam vaga lembrança da sua situação pregressa, tecendo o hino sagrado das reminiscências.

____As tradições do paraíso perdido passaram de gerações a gerações, até que ficassem arquivadas nas páginas da Bíblia.

____Aqueles seres decaídos e degradados, a maneira de suas vidas passadas no mundo distante da Capela, com o transcurso dos anos reuniram-se em quatro grandes grupos que se fixaram depois nos povos mais antigos, obedecendo às afinidades sentimentais e lingüísticas que os associavam na constelação_do_Cocheiro. Unidos, novamente, na esteira do Tempo, formaram desse modo:

  • O grupo dos árias,
  • a civilização do Egito,
  • O povo de Israel
  • e as castas da Índia.

____Dos árias descende a maioria dos povos brancos da família indo-européia nessa descendência, porém, é necessário incluir os latinos, os celtas e os gregos, além dos germanos e dos eslavos.

____As quatro grandes massas de degredados formaram os pródromos de toda a organização das civilizações futuras, introduzindo os mais largos benefícios no seio da raça amarela e da raça negra, que já existiam.

____É de grande interesse o estudo de sua movimentação no curso da História. Através dessa análise, é possível examinarem-se os defeitos e virtudes que trouxeram do seu paraíso longínquo, bem como os antagonismos e idiossincrasias peculiares a cada qual.

AS PROMESSAS DO CRISTO

____Tendo ouvido a palavra do Divino Mestre antes de se estabelecerem no mundo, as raças adâmicas, nos seus grupos insulados, guardaram a reminiscência das promessas do Cristo, que, por sua vez, as fortaleceu no seio das massas, enviando-lhes periodicamente os seus missionários e mensageiros.

____Eis por que as epopéias do Evangelho foram previstas e cantadas alguns milênios antes da vinda do Sublime Emissário.
____

  • Os enviados do Infinito falaram, na China milenária, da celeste figura do Salvador, muitos séculos antes do advento de Jesus.
  • Os iniciados do Egito esperavam-no com as suas profecias.
  • Na Pérsia, idealizaram a sua trajetória, antevendo-lhe os passos nos caminhos do porvir;
  • na Índia védica, era conhecida quase toda a história evangélica, que o sol dos milênios futuros iluminaria na região escabrosa da Palestina,
  • e o povo de Israel, durante muitos séculos, cantou-lhe as glórias divinas, na exaltação do amor e da resignação, da piedade e do martírio, através da palavra de seus profetas mais eminentes.

____Uma secreta intuição iluminava o espírito divinatório das massas populares.

____Todos os povos O esperavam em seu seio acolhedor; todos O queriam, localizando em seus caminhos a sua expressão sublime e divinizada. Todavia, apesar de surgir um dia no mundo, como Alegria de todos os tristes e Providência de todos os infortunados, à sombra do trono de Jessé, o Filho de Deus em todas as circunstâncias seria o Verbo de Luz e de Amor do Princípio, cuja genealogia se confunde na poeira dos sóis que rolam no Infinito.

(Ver: nota de EMMANUEL)

[52 - página 36]

____Criação polêmica: apesar de a ciência não ter mais dúvidas de que humanos e macacos tiveram um mesmo ancestral, algumas escolas ensinam uma teoria diferente sobre a criação. Chamada de “desenho inteligente”, ela propõe que a origem do Universo é explicada pela existência de um agente criador. É uma forma de encontrar as digitais de Deus e deixar de escanteio a teoria evolucionista de Charles Darwin

http://www.terra.com.br/istoe/1889/ciencia/1889_as_razoes_da_fe.htm

____Jesus reunira nos espaços infinitos os seres proscritos que_se_exilaram_na_Terra, antes de sua reencarnação geral na vizinhança dos planaltos do Irã e do Pamir.

____Obedecendo às determinações superiores do mundo espiritual, eles nunca puderam esquecer a palavra salvadora do Messias e as suas divinas promessas. As belezas do espaço, aliadas à paisagem mirífica do plano que foram obrigados a abandonar, viviam no cerne das suas recordações mais queridas. As exortações confortadoras do Cristo, nas vésperas de sua dolorosa imersão nos fluidos pesados do planeta terrestre, cantavam-lhes no íntimo os mais formosos hosanas de alegria e de esperança. Era por isso que aquelas civilizações antigas possuíam mais fé, colocando a intuição divina acima da razão puramente humana. A crença, como íntima e sagrada aquisição de suas almas, era a força motora de todas as realizações, e todos os mais santos entusiasmos do coração, falaram dEle e da sua infinita misericórdia Suas vozes enchem todo o âmbito das civilizações que passaram no pentagrama dos séculos sem-fim e, apresentado com mil nomes, segundo as mais variadas épocas, o Cordeiro de Deus foi guardado pela compreensão e pela memória do mundo, com todas as suas expressões divinas ou, aliás, como a própria face de Deus, segundo as modalidades dos mistérios religiosos.

[52 - página 82]

____ Ultimato se reuniu em Campinas, SP, com o físico Ross Alan Douglas e com o biblista Willian Lacy Lane para programar a presente entrevista. Ross Douglas, canadense naturalizado brasileiro, 66 anos, PhD em física pela Universidade de Winsconsin, é professor aposentado da UNICAMP e vice-presidente da Aliança Bíblia Universitária (ABU). Willian Lane, brasileiro descendente de missionários americanos, 36 anos, mestre em teologia pelo Calvin Theological Seminary (especialização em Antigo Testamento), é professor de hebraico e diretor do Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas.

  • Ultimato - Como nome próprio, Adão é mencionado em Gênesis (3.17 e 21, 4.25, 5.1-5), na genealogia de Jesus (Lc 3.23-38), nas Epístolas de Paulo aos Romanos (5.14), aos Coríntios (1 Co 15.22 e 45) e a Timóteo (2 Tm 2.13 e 14), na Epístola de Judas (14) e em outros livros da Bíblia (1 Cr 1.1, Jó 31.33 e Os 6.7). Esse Adão foi o primeiro ser humano?
  • Douglas - Há especulações entre evangélicos de uns cem anos atrás sobre a possibilidade de uma raça pré-adâmica. Po sua vez, os arqueólogos evolucionistas têm procurado uma "Lucy", que seria a mãe da humanidade. O Novo Testamento afirma claramente que Adão é o cabeça da humanidade, como Cristo é o cabeça da igreja. Uma boa discussão sobre este ponto é apresentada por Derek Kidner em seu comentário sobre Gênesis (Editoras Mundo Cristão e Vida Nova).
  • Lane - A Bíblia o diz que sim. Mas como Adão (palavra adam) significa "homem, ser humano" e, como tal, ocorre em Gênesis 1.26-27 e em outros versículos do capítulo 2, há quem diga que esse adam é nome simbólico para a humanidade. De fato, em Gn 1.27 inclui tanto o homem como a mulher: "à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou" (RC). Em alguns casos, inclusive, as versões bíblicas parecem não concordar quando se deve traduzir Adão e quando se deve traduzir homem para o termo adam. Uma comparação entre as versões Corrigida e Atualizada em Gênesis 2.19-23 mostra esta dificuldade. A Corrigida optou por traduzir adam, na maioria dos casos, Adão, enquanto que a Atualizada optou por homem.

    • O versículo 21 na Corrigida, por exemplo, ficou: "Então, o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão".
    • Na Atualizada ficou: "Então, o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre o homem".
    Esta diferença se dá pelo fato de não haver letras maiúsculas no hebraico para distinguir uma forma da outra. Mas há um outro fator fundamental. Para o leitor antigo, a questão da historicidade do personagem bíblico era irrelevante. Tanto judeus como cristãos consideram Gênesis parte do Pentateuco (ou Torah), que é a instrução de Deus para seu povo. Como instrução, usa bastante linguagem da sabedoria e muitas formas poéticas cujo tema principal é a vida humana e seu relacionamento com Deus. Quando lemos outras partes da Bíblia, não perguntamos sobre a veracidade dos fatos. Assim também deveríamos fazer com relação à historicidade de Adão. Quando lemos a parábola do Bom Samaritano, por exemplo, não ficamos nos perguntando se aquele personagem de fato existiu, mas extraímos o ensinamento da passagem. Entendo que qualquer discussão que se enverede por estabelecer a historicidade de Adão ou da criação afasta de nós o foco principal da instrução dada no texto. Não é dizer que não são fatos históricos, mas é dizer que estamos traindo o texto ao nos atermos em estabelecer as verdades históricas, como se a Bíblia só fosse aceita como Palavra de Deus se todos os fatos ali registrados tivessem que ser comprovados historicamente. Se a ciência quer provar o contrário, em nada fere o ensino bíblico.
http://www.cacp.org.br/criacao%20e%20evolucao.htm

Exilados da Capela: http://www.ceallankardec.org.br/exilados.htm

Ver também:
*