Questões para pesquisas científicas
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

“O espiritismo é a novaciência que veio revelar aos homens, com provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corporal.”

Allan Kardec
"O Evangelho Segundo o Espiritismo"

  • "O fim providencial das manifestações é de convencer os incrédulos de que tudo não_termina_para_o_homem_com_a_vida_terrestre, e de dar aos crentes ideias mais justas sobre o futuro. Os bons_Espíritos vêm nos instruir para nossa melhoria e nosso progresso, e não para nos revelar o que não devemos ainda saber, ou aquilo que não devemos aprender senão pelo nosso trabalho. Se bastasse interrogar os Espíritos para obter a solução de todas as dificuldades científicas, ou para fazer descobertas ou invenções lucrativas, todo ignorante poderia tornar-se sábio gratuitamente, e todo preguiçoso poderia se enriquecer sem trabalhar; é o que Deus não quer. Os Espíritos ajudam o homem de gênio pela inspiração oculta, mas não o isentam do trabalho e da pesquisa, a fim de deixar-lhe o mérito deles".
  • "As manifestações não estão, pois, destinadas a servir aos interesses materiais; sua utilidade está nas conseqüências morais que delas decorrem. Todavia, não tivessem elas por resultados senão fazer conhecer uma nova lei da Natureza, demonstrar materialmente a existência da alma e sua sobrevivência, isso já seria muito, porque seria um largo e novo caminho aberto à filosofia".
  • "Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina Filosófica.

    • Como ciência prática, ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os Espíritos;
    • como filosofia, compreende todas as conseqüências morais que dimanam dessas mesmas relações".

Allan Kardec
"O que é o Espiritismo"

____Alguns dos espíritas, ao acessarem esta página , certamente por não terem compreendido o propósito desta questão, manifestaram suas opiniões contrárias por acreditarem estarmos propondo novas pesquisas com as tradicionais manifestações_físicas. Em função disto, efetuamos pequenas alterações na redação desta proposta e estamos solicitando para que inicialmente imaginem uma experiência muito simples: se dormirmos sobre uma balança, no instante em que ocorrer a emancipação_da_alma, com o desprendimento do perispírito, uma pequena porção de ectoplasma deve se desprender do corpo físico, momentamente (Se o processo é semelhante à Exp. 41 , pode ultrapassar a 3kg).
Portanto, com base nas experiências do Dr. William_Jackson_Crawford - Doutor em Ciências, Professor de Mecânica Aplicada do Instituto Técnico e da Universidade de Belfast - realizadas no período de 1914 a 1920, relatadas através do livro “MECÂNICA PSÍQUICA” (traduzido por Haydée de Magalhães), editado pela LAKE – Livraria Allan Kardec Editora – 2ª Edição – 1975, em particular a experiência_de_nº_41, e nas informações psicografadas por Chico_Xavier, ditada por André_Luiz, descrita na página Desdobramento_em_serviço, propomos:

____Realização de pesquisas científicas, mediante a pesagem do corpo físico, visando obter o peso do ectoplasma (ver: citoplasma ) que deve se desprender juntamente com o perispírito, bem como a apropriação dos instantes exatos de cada ocorrência, conforme segue:

  • Em primeiro estágio pretendemos a apropriação da diminuição momentânea no peso do corpo físico no instante da emancipação_da_alma, durante o sono_ natural ou magnético, e nos casos de sonambulismo.
  • Posterior ou simultaneamente, se possível, nas seguintes situações:

____Essas experiências, com os atuais recursos disponíveis, significaria um grande avanço na comprovação do Duplo_Etérico. E, consegüentemente, avanço científico nas questões espíritas ou um grande desafio para a ciência no sentido de explicar essa ocorrência física, que pode ser detectada através de uma simples balança.
____Durante as experiências não podemos desprezar as informações contidas nas demais experiências do Dr. W. J. Crawford, em especial no que diz respeito à reação dessa substância psíquica à luz branca e, também, não esquecermos que a substância que reveste o perispírito, no instante que se desliga do corpo_físico, não permanece por muito tempo junto ao perispírito, retornando ao corpo físico, apesar do perispírito permanecer afastado.
____Acreditamos que a quantidade de ectoplasma a ser desprendido, para a formação do Duplo Etérico, pode variar de acordo com a estrutura orgânica, grau de mediunidade de efeitos físicos, idade, saúde, sexo ou grau evolutivo.
____O nosso principal propósito com estas colocações, que não se tratam de manifestações_efeitos_físicos, é a de alcançar novos meios para o fortalecimento da , como fez Jesus materializando-se perante aos seus discípulos, após a crucificação. Assim como os dicípulos naquele instante, a grande maioria ainda necessita desses reforços.

[0] - 05/09/2010

(Antes, porém, ver: Amor e Conhecimento ; Futuro dos fenômenos e Paixão do fenômeno)

-------------------------------===///|||\\\===-------------------------------

Experiência já realizada: Exp. 41 . — " tentativa de pesagem do corpo psíquico do médium ".
Instituição: Dr. William_Jackson_Crawford Data: 1914 a 1920
e-mail para contato:
Texto: "Tentei então pesar o corpo psíquico de meu médium. Pedi aos operadores que o exteriorizassem, isto é, que o separassem do corpo físico que ficaria sobre a báscula. Quando os operadores avisaram, por meio de tres pequenos raps, que haviam executado o que eu lhes havia pedido, constatei que o peso do médium havia diminuido 3 quilos 600. Entretanto, esse peso pouco a pouco tornou-se normal ainda que os operadores afirmassem estar o corpo astral sempre separado do corpo físico.
____Pensei, naquela época, que a experiência tivesse malogrado. Refleti mais tarde que talvez os operadores não possam dissociar o corpo astral em si, mas são obrigados a arrastar com ele uma matéria_mais_grosseira que em seguida o abandona gradualmente para novamente entrar no corpo do médium e deixar a forma psíquica cada vez mais pura".


Anotações e questionamentos para experiências futuras, com base na
Exp. 41
Autor/Fonte: www.guia.heu.nom.br
____Data: 01/10/2010 ____Contato: trabalho@guia.heu.nom.br

01)- Em novas Exp._41, utililando-se de equipamentos modernos, registrar o tempo de retorno do ectoplasma ao corpo físico. Inclusive, com representação gráfica.

02)- No desdobramento_no_sono_artificial, "quem possa observar além do campo físico, reparará, à medida se afirme a ordem do hipnotizador, que se escapa abundantemente do tórax do «sujet», caído em transe, um vapor_branquicento que, em se condensando qual nuvem inesperada, se converte, habitualmente à esquerda do corpo_carnal, numa duplicata_dele_próprio, quase sempre em proporções ligeiramente dilatadas".

03)- De acordo com as observações acima, no desobramento no sono artificial ocorre situação semelhante à descrita na página desdobramento_em_serviço e certamente ao que ocorre na Exp._41.

04)- Na Apometria o processo é semelhante ao do desdobramento no sono artificial, por exigir condições particulares das pessoas sujeitas a estes processos?

05)- Os meios para se obter o desdobramento no sono artificial e apometria, são os que apresentam condições ideais para experiências semelhantes à Exp. 41?

06)- Além do médium de efeitos físicos ou médium teleguiado, qual tipo de médium pode contribuir com experiências semelhantes à Exp. 41?

07)- Sendo possível a Exp. 41 com outros tipos de médiuns, seria importante para estudos futuros a verificação da diminuição de peso em cada tipo de mediunidade?

08)- A Exp._41 seria o meio mais fácil para a confirmação da diminuição do peso do corpo físico, no instante do desdobramento?

09)- O sujeito pode ser induzido ao desdobramento magneticamente ou hipnoticamente, apresentando-se mui tênues, na verdade, as diferenças entre os dois processos, facilmente confundíveis, aliás, e não sendo raro, até, que ambos sejam empregados conjugadamente numa mesma operação. A indução magnética é normalmente aplicada pelos Espíritos, em tarefa de ajuda aos médiuns, especialmente para que consigam desprender-se e, se for o caso, desdobrar-se, facilitando aos comunicantes o uso de seu equipamento_físico para o trabalho psicofônico e psicográfico, entre outros. ( [1 - página 140] )

10)- No sono natural, a criatura, "atreita ao narcisismo, tão logo demande o sono, quase sempre se detém justaposta ao veículo físico, como acontece ao condutor que repousa ao pé do carro que dirige, entregando-se à volúpia mental com que alimenta os próprios impulsos afetivos, enquanto a máquina se refaz". (Ver página : desdobramento_no_sono_natural).

11)- Considerando a observação acima, a respeito do , entendemos que neste caso as condições não se apresentam tão favoráveis quanto ao . Parece exigir muita persistência, realização de experiências com diversos graus de mediunidade, até mesmo muitas experiências com uma mesma pessoa, para se obter os resultados desejados.

12)- Em mecanismo_da_hipnoterapia verificamos que "enquanto adormecido, a própria onda_mental do paciente, em movimento renovador e guardando consigo as sugestões benéficas recebidas, atua sobre as células do veículo fisiopsicossomático, anulando, tanto quanto possível, as inibições funcionais existentes". Portanto, são essas atuações sobre as células que proporcionam melhores condições para o desdobramento no sono artificial. Isto é, reações de substâncias magnetoeletroquímicas, conforme impulsos_
determinantes_da_mente?

13)- Em que estágio do sono ocorre o desdobramento? (Ver resposta abaixo)

14)- Todos estamos aptos ao desdobramento_no_sono_natural ou depende da estrutura orgânica de cada um, assim como a descompensação_vibratória e propriedades descritas em ferromagnetismo_e_mediunidade?

15)- Para os que são aptos à realização do desdobramento no sono natural, a diminuição de peso, isto é, o desprendimento de ectoplasma é proporcional ao grau de mediunidade de ectoplasmia, de efeitos físicos?

16)- E, no instante do desprendimento do perispírito na emancipação_da_Alma, pela lógica, também deve ocorrer desprendimento momentâneo de ectoplasma. Mas, a quantidade é menor?

17)- Tendo em vista a substância_orgânica, ponderável, que escapa do médium nas experiências com desdobramento no sono artificial, considerar que "o ambiente para a materialização de entidade do plano invisível aos olhos dos homens requer elevado teor de ozônio a fim de que todas as larvas e expressões microscópicas de atividade inferior sejam exterminadas. A relativa ozonização da paisagem interior é necessária como trabalho bactericida". (Ver estas observações na página : Preparativos para materialização)

18)- Segundo André_Luiz, no livro "Libertação" - página 80, "A determinadas horas da noite, três quartas partes da população de cada um dos hemisférios da Crosta_Terrestre se acham nas zonas de contacto com o plano espiritual". Através destas experiências de pasagem do corpo físico, no instante da emancipação da Alma, poderíamos descobrir quais são estas "determinadas horas da noite", isto é, em qual estágio do sono que ocorre a emancipação?

____19)- "Os homens, contudo, em sentido geral, não sabem, por enquanto, compreender a essência divina de tais demonstrações e, quase sempre, acorrem a elas com o raciocínio acima do sentimento. Pelas inquietudes da investigação, perdem, muitas vezes, os valores da cooperação, e os resultados são negativos. No dia, porém, em que conseguirem trazer o coração iluminado, receberão alegrias iguais àquela que desceu sobre os discípulos de Jesus, quando, de portas cerradas, em sublime comunhão de amor e , receberam a visita do Mestre, perfeitamente materializado, depois da ressurreição, em casa humilde de Jerusalém, de conformidade com a narrativa dos Evangelhos". ( [16a - página 102] - André Luiz )

20)- "A ciência humana, porém, caminha na direção do porvir.

  • A nós, os Espíritos desencarnados, interessa, no plano_extrafísico, mais ampla sublimação, para que façamos ajustamento de determinados princípios mentais, com respeito à execução de tarefas específicas.
  • E aos encarnados interessa a existência em plano moral mais alto para que definam, com exatidão e propriedade, a substância ectoplasmática, analisando-lhe os componentes e protegendo-lhe as manifestações, de modo a oferecerem às Inteligências Superiores mais seguros cabedais de trabalho, equacionando-se, com os homens e para os homens, a prova inconteste da imortalidade".

____( [29 - página 126] - André Luiz )

21)- Ver: Ciência do porvir (importante)

22)- "Há casos de desencarnação estando_o_Espírito_desdobrado, por exemplo, nas zonas_umbralinas e o corpo em estado comatoso.Isso pode acontecer perfeitamente, do ponto de vista da exteriorização do pensamento, porque céu e inferno, exprimindo equilíbrio e perturbação, alegria e dor, começam invariavelmente em nós mesmos".( [56_-_página _207] - André Luiz )

23)- Não ocorrendo o desencarne, enquanto o corpo permanece em estado comatoso o que ocorre com o Espírito, nesta questão de desdobramento? O Espírito permanece ligado ao corpo físico, como no sono natural, sem desdobramento ou ocorrendo o desdobramento necessita ou é compelido a retornar ao corpo físico? Pode o Espirito permanecer neste processo de desdobramento e retorno ao corpo físico por longo período? Estando o Espírito junto ao corpo físico, poderiamos solicitar o seu afastamento assim com na Exp._41? Verificando-se a variação momentânea no peso do corpo físico, no início do desdobramento do Espírito, certamente icentivaria novos questionamentos e estudos, assim como trabalho de doutrinação e atendimento espiritual.

24)- No estado de coma , se o Espírito está mais para a situação de sono_natural do que EQM, não podemos esquecer que "raros Espíritos encarnados conseguem absoluto domínio de si próprios, em romagens à orientação pelo corpo físico, ante qualquer surpresa menos agradável, na esfera de fenômenos inabituais, procuram instintivamente o retorno ao vaso_carnal, à maneira do molusco que se refugia na própria concha, diante de qualquer impressão em desacordo com os seus movimentos rotineiros". ( [28a - página 102 ] - André Luiz )

25)- Também, não podemos esquecer a questão do efeito da luz branca sobre o ectoplasma no instante das experiências.

Autor/Fonte: http://www.icefaovivo.com.br/artigos.html Data: 12/10/2010
____Contato:Dr. Ricardo Di Bernardi - rhdb11@terra.com.br

A Jornada................: Por que ocorre esse desligamento do corpo durante o sono?
Ricardo Di Bernardi:
Ocorre naturalmente, como fenômeno ligado a fisiologia de todo ser humano reencarnado.
A Jornada................: Como?
Ricardo Di Bernardi: Por ocasião de expansões da consciência. Por exemplo:

uso de anestésico,
uso de drogas como LSD mescalina,
uso do chá do Dime,
orações,
exercícios de Yoga,
meditações transcendentais,
exercícios paranormais ou mediúnicos,
estados intermediários entre sono e vigília (ao acordar-se ou ao iniciar o sono ) etc...

A Jornada................: Todas as pessoas conseguem se desdobrar?
Ricardo Di Bernardi: Conscientemente não. Inconscientemente quase todas.

Autor/Fonte: www.guia.heu.nom.br
____Data: 18/10/2010
____Contato: trabalho@guia.heu.nom.br

____O duplo_etérico ainda deve ser mais bem estudado, mas há evidências de que sua ação pode ser muito mais ampla do que hoje se admite. Por exemplo, já por constituir, basicamente, um aglomerado de energia neuropsiquica, no dizer de ANDRÉ_LUIZ, tudo indica que seja de fundamental importância o seu papel nos fenômenos de exteriorização_da_sensibilidade, como agente condutor de estímulos em direção ao sistema nervoso.
____Nessa linha, pode também ser lembrado o fenômeno da insensibilização causada pelos anestésicos químicos ou provocada por meios outros, como os empregados nas cirurgias espirituais, na acupuntura e nos próprios processos hipnóticos. A insensibilidade resultaria de um bloqueio induzido fisicamente, parcial ou não, localizado ou não, na passagem da energia do duplo etérico para o corpo, com a possibilidade, até, de um afrouxamento dos próprios liames perispiríticos, que, no caso de anestesia geral, poderia até favorecer o seu desprendimento.

[ 1 - página 170]

Autor/Fonte:
____Data:
____Contato:

----------------------------------===///|||\\\===----------------------------------


Experiência já realizada: Transientes de ganho de peso inexplicável no Momento da Morte de Animais.
Instituição:
Colaboração de Ademir Xavier (físico espírita)
Data: 30/09/2010
e-mail para contato: xavnet2@gmail.com Texto:

Texto original

Journal of Scientific Exploration, Vol. 15, Nº 4, páginas. 495–500, 2001
0892-3310/01
© 2001 Society for Scientific Exploration
Unexplained Weight Gain Transients at the Moment of Death
LEWIS E. HOLLANDER, JR.
P.O. Box 100, Redmond, OR 97756,

lewis@bendnet.com

____Abstract —Twelve animals (one ram, seven ewes, three lambs and one goat) were studied. At the moment of death an unexplained weight gain transient of 18 to 780 grams for 1 to 6 seconds was observed with seven adult sheep but not with the lambs or goat. The transients occurred in a quiet time at the moment of death when all breathing and movement had ceased. These transient gains are anomalous in that there is no compensating weight loss as required by Newton’s Third Law. There was no permanent weight change at death. Dynamic weight measurements may present a fruitful area of investigation.

Keywords
: weight change at death — death — transient weight gains — sheep Introduction The question of a change in body weight at death has been considered for almost a century. The experiment reported here is the first to use a sensitive, one part in 20,000, electronic scale with a response time of 0.2 seconds. Previous measurements have all been made with beam balance scales.
Almost every parameter of the physiology of humans and animals has been accurately measured at the time of death, except weight. It is always assumed to be a constant except for respiration, medical aids or excreted losses. In this study, however, an anomalous transient gain at the moment of death has been consistently observed with adult sheep. The existence of such transients would open an interesting area of investigation and provide a tool to determine the moment of death (Hollander, 1998). In a concurrent study on humans during sleep (dreaming) and meditation similar transient weight gains have been observed but thus far the effect is unpredictable. During levitation experiments on humans, Hasted et al. reported that “four sharply peaked weight-increase signals were recorded in otherwise quiet sessions”, and that a second subject exhibited “two sudden 5 second weight increase signals of about one kilogram” (Hasted et al., 1983). These values are consistent in both magnitude and duration with the transients observed in sheep at the moment of death and are the only other reported weight measurements done with an electronic scale.

____Experimental Procedure

____The experiments reported here used a platform 215 cm by 92 cm, placed on a steel frame, which in turn was supported on four load cells of 45 kg capacity each. The ambient temperature was controlled to reduce any temperature dependence.
A Toledo model 8132 Electronic Digital Indicator received the output of the load cells and fed the data to a computer for storage and analysis. The measured response time of the system was 0.2 seconds. The full-scale capacity of the system was 100 kg, with a sensitivity of - 5 gm. The animals were all destined to be destroyed, and the experiments were under veterinarian supervision with maximum concern for the well-being of the animals. Of the sheep, there were one ram, three lambs, and seven ewes. In addition one goat was studied.
These were sedated with Rompun (xylazine from Haver-Lockhardt Lab.), wrapped in plastic, and then placed on the scale. The wrapping contained any voiding and fluid losses but was not air tight and permitted evaporation. Death was induced by asphyxiation. A plastic bag was placed over the animal’s head.
The heart rate was measured by affixing two electrodes and the output read by a Parks, Model 510-C heart monitor. Movement and respiration were observed visually. The weight measurement sample rate was 2 times per second except for ewes 11 and 12 which were sampled at a rate of 21 times per second. The normal electrical heart signal would be rhythmic in the order of 70 beats per minute in the early stages, then elevate to 120 or more and then become erratic for several minutes before cessation. During the erratic period there could be periods of 30 seconds or more with no signal. Breathing would start shallow and rhythmic and become erratic and deep. There was usually one large muscle contraction prior to death which could be visually ascertained. Careful notes were taken throughout the entire process and all movements were noted, so they could be accounted for later. During all these experiments there was a loss of water vapor from respiration and evaporation. It is of the order of 50 to 200 mg/second. The loss slows to 30 to 40 mg/second near death.

Results

____The results for the twelve animals tested are summarized in Table 1. A meaningful transient was observed during a quiet time after the last deep breath at the estimated time of death in sheep numbers 1, 2, 3, 4, 6, 7 and 8.
Sheep 3, shown in Figure 1, is a typical example of a transient occurring after the last deep breath and during a period of calm, free of any movement. The transient can occur anytime between 10 seconds and 200 seconds after the last deep breath. For sheep 3 in Figure 1 the time was 195 seconds after the last breath and in this case it coincided with termination of the heart signal. A weight gain transient of 74 gm for 6 seconds was observed. The graph for sheep 7, as shown in Figure 2, was included because it exhibited an unusually large pulse of 780 grams which occurred 11 seconds after the last breath and was followed by a damped oscillation which was not visually observed. This is unusual because it is 10 times greater in magnitude than the others and the damped oscillation had not been seen in any other experiments. It does however come 11 seconds after the last breath and has little or no compensating weight loss. The electrical heart signal was erratic during this time. A plot of sheep 8 as shown in Figure 3 was included because of the two identical, 30 gram pulses and a third smaller pulse spaced 17 seconds apart after the last breath and during a period of no movement.
The heart rate measurement is only an indication of electrical activity in the heart and probably does not result in the heart actually pumping blood. Since the heart muscle is oxygen starved it cannot respond to the electrical signal of the pacemaker. Each test subject had its own unique characteristics.

TABLE 1
Summary of Results

Type of animal Initial weight (kg)Magnitude (grams ) and duration (seconds) of
weight gain transient observed at the moment of death
01. Mature ram
02. Mature ewe
03. Mature ewe
04. Mature ewe
05. Mature ewe
06. Mature ewe
07. Mature ewe (C)
08. Mature ewe (C)
09. Lamb, castrated
10. Lamb, female
11. Lamb, buck
12. Mature goat
91.6
99.8
88.9
69.4
87.0
83.0
70.2
92.2
56.6
61.6
53.5
52.2

36
18
74
145
(B)
220
780
30
---
---
---
---

(A)
4.0
6.3
1.0
(B)
1.5
4.0
4.0
---
---
---
---

(A)Measurement was recorded manually and time was not accurate.
(B) Movement occurred at the estimated time of death and no meaningful weight transient was discerned.
(C) Sheep numbers 7 and 8 were measured with a Panther model Toledo scale at 21 samples per second.

Discussion

____Every effort was made to ascertain the origin of weight variations, which result from inertial dynamics such as movement and breathing. The normal breathing appears as a rhythmic series of inertial weight gains followed by corresponding losses. The same is true for movement, for every inertial change there is a balancing change in the opposite direction in compliance with Newton’s Third Law. The observed transients at the moment of death are anomalous because there is no compensating loss following the transient weight increase.
An external force of equal magnitude to the observed weight transient would be required to produce the observed results.
The moment of death is difficult to determine. The body attempts to maintain essential functions. The criteria used were movement, breathing and heart rate. There is a characteristic last deep breath, erratic electrical heart signal and a major muscle contraction. These precede a period of calm with some continuing sporadic electrical signals from the heart. The time of the last breath is accurately determined from the weight data and can be visually observed. The anomalous transient is observed anywhere from 5 to 200 seconds after the last breath. There is usually no movement after the last breath.


Fig. 1. Weight versus time for sheep 3 near death.

____Experiments were conducted to try to simulate possible fluid movements within the body, which could account for the observed transients. If sufficient mass were located in the upper part of the animals body and allowed to drop or flow a transient pulse would be observed. This requires a movement of several liters of fluid flowing relatively unobstructed to achieve a 50 to 100 gram transient pulse. Such a large movement of the animal’s anatomy would be readily observable visually.
The results of the weight experiments reported here are very preliminary but do suggest that there is a transient gain in weight at death. The pulse reported here occurred in over half of the animals tested and all of the mature sheep.
The pulse may well have existed for the others too but was obscured by movement or other factors and not observed.
Duncan MacDougall, in 1906, weighed six humans at the moment of death using a beam balance scale. He reported an abrupt and permanent weight loss at death of 11 to 21 grams (MacDougall, 1907a,b). He also measured 15 dogs with a beam balance scale and found no change in weight. MacDougall describes a violent and abrupt weight change. He had to readjust his beam balance scale to compensate for the change. From his accounts the reader can be sure something dramatic occurred at the moment of death. It is suggested here that there may have been a weight transient that violently disturbed the beam balance. Twining also used a beam balance to weigh 30 mice at death and found no measurable change (Twining, 1979). Donald Carpenter has also considered the weight question. He has suggested that the energy required for a ghost to function is limited to around 60 Joules based on anecdotal reports (Carpenter, 1984). He further proposes a new unit “The Mac” named in honor of Dr. MacDougall and hypothesized that the Mac is quantized in units of 20 to 30 Joules, based on the sheep data reported here and on MacDougall’s human data. The data in Figure 3 may support this quantum hypothesis (Carpenter, 1998). The energy required to produce the observed weight-gain transients reported here is of the same magnitude as proposed by Carpenter.


Fig. 2. Weight versus time for sheep 7 near death.

Human Weight Measurements

____Through the kind hospitality of Dr. Karlis Osis and Donna McCormick at the American Psychical Laboratory in New York, two mediums were weighed while attempting to levitate and go out of body. During the experiments on the first subject three slight transient weight changes were observed, but they were very small. With the second medium no transient weight changes were observed.
More recent measurements with Dr. Angela Thompson during remote viewing sessions did not yield any unusual weight changes. Spontaneous transients have been observed during dreams and meditation. Attempts to induce these transients with audio and visual stimulation have not, thus far, been reproducible.
____Children seem to be the best subjects. A fruitful area may be highly stressed persons as reported by Dr. Blasband who found increased effects on Random Event Generator output while the subjects were under stress (Blasband, 2000).


Fig. 3. Weight versus time for sheep 8 near death.

Conclusion

____There is no long-term weight change, at death, in the animals tested, within the limits of the equipment and procedure used. However, a 5 second transient weight gain of 18 to 780 grams was observed. Dynamic weight measurements maybe a fruitful area for further investigation. Although the weight gain transients have been observed spontaneously in humans, thus far they have not been reproducible. In contrast, all the adult sheep exhibited a transient gain at the moment of death. These transients may be an artifact of the equipment used or may have a physiological explanation.

References

Blasband, A. (2000). The ordering of random events by emotional expression. Journal of Scientific Exploration, 14, 195–216.
____Carpenter, D. (1980). The physics of haunting. Analog C, 10, 44–53.
____Carpenter, D. (1984). Weighing the soul at death: Some methodological and theoretical considerations.
Theta, Journal of Psychical Research 12, 14–16.
____Carpenter, D. (1998). Physically Weighing the Soul, electronic book, http://www.1stbooks.com.
Hasted, J. B., Robertson, D., & Spenelli, E. (1983). Research in Parapsychology, Roll, Beloff, &
White (Eds.). Scarecrow Press, 105–106.
Hollander, L. (1998, May). Unexplained weight gain transients. Paper presented at The Society for
Scientific Exploration, 17th Annual Meeting, May.
MacDougall, D. (1907a). Hypothesis concerning soul substance together with experimental evidence
____Of the existence of such substance. American Medicine, April, Vol. II, 240–243.
MacDougall, D. (1907b). Hypothesis concerning soul substance. American Medicine, July, Vol.
II, 395–397.
Twining, H. L. (1979) The physical theory of the soul. In Christopher, M., & Crowell, T. Y. (Eds.),
The Search for the Soul (pp. 38–40). New York.
Texto traduzido pelo Google

Jornal de Exploração Científica, vol. <15, N º 4, páginas. 495-500, 2001
0892-3310/01
© 2001 Sociedade de Exploração Científica
Transientes de ganho de peso inexplicável no Momento da Morte
LEWIS HOLLANDER E., JR.
Edifício dos correios Box 100, Redmond, OR 97756,
lewis@bendnet.com

____Resumo-Doze animais (um carneiro, sete ovelhas, três cordeiros e um bode) foram estudados. No momento da morte de um ganho de peso inexplicável transitória de 18 a 780 gramas por 1-6 segundos foi observada em sete carneiros adultos, mas não com os cordeiros ou de cabra. Os transientes ocorreu em um momento de silêncio no momento da morte, quando todos os respiração e movimento tinha cessado. Estes ganhos são transitórios anômala em que não há perda de peso compensatório como exigido pela Terceira Lei de Newton. Não houve alteração de peso permanente na morte. Pesagem dinâmica pode apresentar uma área frutífera de investigação.
Palavras-chave: mudança de peso na hora da morte - a morte - os ganhos de peso transitória - Introdução ovelhas. A questão de uma mudança no peso do corpo na morte tem sido considerada por quase um século. O experimento aqui relatado é o primeiro a usar um sensível, uma parte em 20.000, balança eletrônica, com um tempo de resposta de 0,2 segundos. Medições anteriores foram todos feitos com escalas de equilíbrio da viga.
Quase todos os parâmetros da fisiologia dos seres humanos e animais tem sido medido com precisão no momento da morte, exceto no peso. Presume-se sempre a ser uma constante, exceto para a respiração, ajuda médica ou perdas excretado. Neste estudo, entretanto, um ganho anormal passageiro no momento da morte tem sido observado de forma consistente com a ovelha adulta. A existência de tais transientes abriria uma interessante área de investigação e proporcionar uma ferramenta para determinar o momento da morte (Hollander, 1998). Em um estudo simultâneo em seres humanos durante o sono (sonho) e semelhantes meditação_transitória , ganhos de peso tem sido observada, mas, até agora, o efeito é imprevisível. Durante os experimentos de levitação em seres humanos, Hasted et al. informou que "quatro sinais atingiu fortemente o aumento de peso, foram gravadas em sessões de outra forma tranquila", e que um segundo tema apresentou "duas súbitas 5 sinais de peso segundo aumento de cerca de um quilograma" (Hasted et al., 1983). Esses valores são consistentes, tanto em magnitude e duração com os transientes observados em ovinos no momento da morte e são as únicas outras medidas referidas de peso feito com uma balança eletrônica.

Procedimento Experimental

____Os experimentos relatados aqui utilizada uma plataforma de 215 centímetros por 92 cm, colocado sobre uma armação de aço, que por sua vez foi apoiado sobre quatro células de carga de 45 kg de capacidade cada. A temperatura ambiente era controlada para reduzir uma dependência de temperatura.
Um modelo de Toledo 8132 Electronic Digital Indicador recebeu a saída das células de carga e alimentados os dados para um computador para armazenamento e análise. O tempo de resposta do sistema medido foi de 0,2 segundos. A capacidade em larga escala do sistema foi de 100 kg, com uma sensibilidade de - 5 gm. Os animais foram todos destinados a ser destruídos, e os experimentos foram sob a supervisão de médico veterinário, com máxima preocupação com o bem-estar dos animais. Das ovelhas, houve um carneiro e três cordeiros, e sete ovelhas. Além disso, uma cabra foi estudada.
Estes foram sedados com Rompun (xilazina do Haver-Lockhardt Laboratório.), Embaladas em plástico, e, em seguida, colocado na balança. O embrulho continha qualquer miccional e perdas de líquidos, mas não foi a evaporação do ar apertado e permitido. A morte foi induzida por asfixia. Um saco de plástico foi colocada sobre a cabeça do animal.
A freqüência cardíaca foi medida através da aposição de dois eletrodos e a saída lido por um monitor cardíaco Parks, modelo 510-C. Movimento e respiração foram observados visualmente. A taxa de amostragem de medição de peso foi de 2 vezes por segundo, exceto para as ovelhas 11 e 12, que foram amostrados a uma taxa de 21 vezes por segundo. O sinal eléctrico do coração seria rítmica na ordem dos 70 batimentos por minuto nas primeiras fases, em seguida, elevar para 120 ou mais e depois tornam-se erráticos durante vários minutos antes da cessação. Durante o período irregular pode haver períodos de 30 segundos ou mais sem sinal. Respirar começaria rasas e rítmica e tornar-se errático e profunda. Havia geralmente uma contração do músculo grande antes da morte que poderia ser visualmente verificada. Cuidado notas foram tomadas em todo o processo e todos os movimentos foram observados, para que pudessem ser contabilizadas para mais tarde. Durante todos esses experimentos, houve uma perda de vapor d'água da respiração e evaporação. É da ordem de 50 a 200 mg / segundo. A perda diminui para 30 a 40 mg / perto da morte segundo.

Resultados

____Os resultados para os doze animais testados, estão resumidas no Quadro 1. Um passageiro significativo foi observada durante um tempo de silêncio após o último suspiro profundo no momento estimado da morte do número de ovinos 1, 2, 3, 4, 6, 7 e 8.
Ovino 3, mostrado na Figura 1, é um exemplo típico de uma ocorrência passageira que ocorrem após o último suspiro profundo e durante um período de calma gratuitamente, de qualquer movimento. A ocorrência passageira pode ocorrer a qualquer momento entre 10 segundos e 200 segundos após o último suspiro profundo. Para o ovino 3 na Figura 1, o tempo foi de 195 segundos após o último suspiro e, neste caso, coincidiu com a interrupção do sinal de coração. Um ganho de peso transitório de 74 gm por 6 segundos foi observada. O gráfico do ovino 7, como mostrado na Figura 2, foi incluída porque ele exibiu uma pulsação anormalmente grande de 780 gramas, que ocorreu 11 segundos após o último suspiro e foi seguido por uma oscilação amortecida, que não foi observada visualmente. Isso é incomum, pois é 10 vezes maior em magnitude do que os outros e a oscilação amortecida não tinha sido visto em qualquer outras experiências. Isto, contudo, veio 11 segundos após o último suspiro e perda de peso tem pouca ou nenhuma compensação. O sinal elétrico cardíaco era irregular durante este tempo. Um lote de ovino 8 como mostrado na Figura 3 foi incluída por causa dos dois pulsos idênticos, 30 gramas e um terceiro pulso menor espaçamento 17 segundo distante após o último suspiro, e durante um período de nenhum movimento.
A medição da frequência cardíaca é apenas uma indicação da atividade elétrica do coração e, provavelmente, não resulta no coração de bombear sangue, na verdade. Uma vez que o músculo cardíaco de oxigênio é fome não pode responder aos sinais eléctricos do pacemaker. Cada cobaia tinha suas próprias características únicas.

QUADRO 1
Resumo dos resultados

Tipo de animalPeso inicial (kg)Magnitude (gramas) e duração (segundos) ganho de peso transitória observada no momento da morte
01. Carneiro maduro
02. Ovelha madura
03. Ovelha madura
04. Ovelha madura
05. Ovelha madura
06. Ovelha madura
07. Ovelha madura (C)
08. Ovelha madura (C)
09. Cordeiro, castrado
10. Cordeiro, do sexo feminino
11. Cordeiro, macho
12. Bode maduro
91.6
99.8
88.9
69.4
87.0
83.0
70.2
92.2
56.6
61.6
53.5
52.2

36
18
74
145
(B)
220
780
30
---
---
---
---

(A)
4.0
6.3
1.0
(B)
1.5
4.0
4.0
---
---
---
---

____(A)Medição foi registrado manualmente e o tempo não era exato.
(B) Movimento ocorrido no tempo estimado de morte e não tem peso significativo transitória foi discernida.
(C) Os números dos ovinos 7 e 8 foram medidos com uma escala Panther modelo de Toledo, 21 amostras por segundo.

Discussões

____Todo esforço foi feito para apurar a origem das variações de peso, que resultam da dinâmica inercial como o movimento e a respiração. A respiração normal aparece como uma série ritmada de ganho de peso inercial, seguido de perdas correspondentes. O mesmo é verdadeiro para o movimento, a cada mudança de inércia não é uma mudança de equilíbrio na direção oposta, em conformidade com a Terceira Lei de Newton. Os transientes observados no momento da morte é atípico, pois não há perda de compensação na sequência do aumento de peso transitória.
A força externa de magnitude igual ao peso observado transitória seria necessária para produzir os resultados observados.
O momento da morte é difícil de determinar. O corpo tenta manter as funções essenciais. Os critérios utilizados foram movimento, respiração e freqüência cardíaca. Há um último suspiro profundo característico, o sinal elétrico cardíaco irregular e uma contração do músculo do major. Estas precedem um período de calma com alguns esporádicos continuando os sinais elétricos do coração. O tempo do último suspiro é determinado com precisão a partir dos dados de peso e podem ser observados visualmente. A passageira anômalo é observado em qualquer lugar 5-200 segundos após o último suspiro. Normalmente não há movimento após o último suspiro.

Fig.1.Peso em função do tempo para o ovino 3, perto da morte.

____Os experimentos foram conduzidos para tentar simular os movimentos de fluidos no corpo, o que poderia explicar a transientes observados. Se a massa suficiente estavam localizados na parte superior do corpo dos animais e permitiu a queda ou o fluxo de um pulso transiente seria observado. Isso requer um movimento de vários litros de líquido fluindo relativamente livre para alcançar um pulso 50-100 gramas transitória. Tal movimento grande de anatomia do animal seriam facilmente observáveis visualmente.
Os resultados dos experimentos peso relatado aqui são muito preliminares, mas sugerem que há um ganho temporário de peso na hora da morte. O pulso aqui relatados ocorreram em mais da metade dos animais testados, e todas as ovelhas maduras.
O pulso pode muito bem ter existido para os outros também, mas foi obscurecida pelo movimento ou de outros fatores e não observados.
Duncan MacDougall, em 1906, pesava seis seres humanos no momento da morte utilizando uma balança de vara. Ele relatou uma perda de peso abrupta e permanente com a morte de 11 a 21 gramas (MacDougall, 1907a, b). Ele também mediu 15 cães com uma balança de vara e não encontraram nenhuma alteração no peso. MacDougall descreve uma mudança de peso violenta e abrupta. Ele teve que reajustar sua balança de vara para compensar a mudança. De seus relatos, o leitor pode ser algo com certeza dramático ocorreu no momento da morte. Sugere-se aqui que pode ter havido um peso transitória, que violentamente perturbado o equilíbrio do feixe. Twining também utilizada uma balança para pesar feixe de 30 camundongos com a morte e não encontrou nenhuma mudança mensurável (Twining, 1979). Donald Carpenter também analisou a questão do peso. Ele sugeriu que a energia necessária para um fantasma a função é limitada a cerca de 60 Joules baseado em relatos de casos (Carpenter, 1984). Ele propõe ainda uma nova unidade "The Mac" nomeado em honra do Dr. MacDougall ea hipótese de que o Mac é quantizado em unidades de 20 a 30 Joules, com base nos dados relatados aqui e ovinos em dados humanos MacDougall. Os dados da Figura 3 pode apoiar esta hipótese quântica (Carpenter, 1998). A energia necessária para produzir os transeuntes observaram ganho de peso relatado aqui é da mesma magnitude, tal como proposto por Carpenter.


Fig.2.Peso em função do tempo para o ovino 7, perto da morte.
Peso Medidas do Homem

____Através da generosa hospitalidade do Dr. Karlis Osis e Donna McCormick no Psychical American Laboratory, em Nova York, dois meios foram pesados ao tentar levitar e sair_do_corpo. Durante os experimentos sobre o primeiro tema três ligeiras alterações de peso transitória foram observadas, mas eram muito pequenos. Com o segundo meio sem mudanças de peso transitória foi observada.
Medições mais recentes, com a Dra. Angela Thompson durante sessões de visualização_remota não produziram qualquer alteração de peso fora do comum. Transientes espontânea foram observados durante os sonhos e meditação. Tentativas de induzir esses transientes com estimulação auditiva e visual não tem, até agora, reprodutíveis sido.
As crianças parecem ser os melhores temas. A área frutífera pode ser altamente estressado pessoas conforme relatado pelo Dr. Blasband que encontraram aumento de efeitos aleatórios na saída do gerador de eventos, enquanto os sujeitos estavam sob estresse (Blasband, 2000).


Fig.3.Peso em função do tempo de morte do ovino 8, perto da morte.Conclusão

____Não há nenhuma alteração de peso a longo prazo, na morte, nos animais testados, dentro dos limites dos equipamentos e procedimentos utilizados. No entanto, o ganho de peso de 5 segundos transitória de 18 a 780 gramas foi observada. pesagem dinâmica, talvez uma área fértil para investigação. Embora o ganho de peso transitórios têm sido observadas de forma espontânea em seres humanos, até agora eles não foram reprodutíveis. Em contraste, todos os ovinos adultos apresentaram um ganho transitória no momento da morte. Estes transientes podem ser um artefato do equipamento utilizado ou pode ter uma explicação fisiológica.

Referências

____Blasband, A. (2000). The ordering of random events by emotional expression. Journal of Scientific Exploration, 14, 195–216.
____Carpenter, D. (1980). The physics of haunting. Analog C, 10, 44–53.
____Carpenter, D. (1984). Weighing the soul at death: Some methodological and theoretical considerations.
Theta, Journal of Psychical Research 12, 14–16.
____Carpenter, D. (1998). Physically Weighing the Soul, electronic book, http://www.1stbooks.com.
Hasted, J. B., Robertson, D., & Spenelli, E. (1983). Research in Parapsychology, Roll, Beloff, &
White (Eds.). Scarecrow Press, 105–106.
Hollander, L. (1998, May). Unexplained weight gain transients. Paper presented at The Society for
Scientific Exploration, 17th Annual Meeting, May.
MacDougall, D. (1907a). Hypothesis concerning soul substance together with experimental evidence
____Of the existence of such substance. American Medicine, April, Vol. II, 240–243.
MacDougall, D. (1907b). Hypothesis concerning soul substance. American Medicine, July, Vol.
II, 395–397.
Twining, H. L. (1979) The physical theory of the soul. In Christopher, M., & Crowell, T. Y. (Eds.),
The Search for the Soul (pp. 38–40). New York.



____Comentários a respeito da experiência supracitada
Autor/Fonte: www.guia.heu.nom.br
____Data: 01/10/2010 ____Contato: trabalho@guia.heu.nom.br

01)- Os animais encontram-se aquém da histogênese_espiritual, inabilitados a mais amplo equilíbrio que lhes asseguraria ascensão a novo plano de consciência. Caem, quase sempre de imediato à morte do corpo carnal, em pesada letargia, semelhante_à_hibernação. (Ver em: Alma dos animais)

02)- Foi verificado que Não há nenhuma alteração de peso a longo prazo, na morte, nos animais testados.

03)- O ganho anormal e passageiro no momento da morte dos animais seria proveniente da operação de resgate, pelo plano espiritual? (É uma boa pergunta a ser feita aos Espíritos)

04)- Os resultados das experiências em animais, no instante da morte, não equivalem aos resultados de experiências com humanos. Para os humanos devemos considerar as informações da página contidas na histogênese espirutual.

05)- Nesta experiência vimos que "Em um estudo simultâneo em seres humanos durante o sono (sonho) e semelhante meditação_transitória, ganhos de peso tem sido observada, mas, até agora, o efeito é imprevisível".

06)- Necessitamos de mais informações a respeito dos estágios dos sono que foram pesquisados e as quantificações apropriadas. Esta questão será acompanhada em "Anotações para experiências futuras, com base na Exp. 41"

08)- O ganho de peso durante o sono, anunciado na experiência supracitada, se foi verificado ganho permanente, seria proveniente do " alimento_psíquico, haurido pelo corpo espiritual no laboratório da vida_cósmica, através da respiração, durante o repouso_físico para a restauração das células fatigadas e insubstituíveis", conforme podemos ver na página fator_de_fixação?

09)- No fundo, o ectoplasma é a energia plástica da mente que a acumula em si mesma, tomando-a ao fluido_universal em que todas as correntes da vida se banham e se refazem, nos mais diversos reinos da natureza, dentro do Universo. Cada ser vivo é um transformador dessa força, segundo o potencial receptivo e irradiante que lhe diz respeito. ( [96 - página 144] - André Luiz )

10)- Duncan MacDougall, em 1906, pesava seis seres humanos no momento da morte, utilizando uma balança de vara.Ele relatou uma perda de peso abrupta e permanente com a morte, de 11 a 21 gramas (MacDougall, 1907a, b).

11)- Experiências com seres humanos é muito mais complexa, devendo ser considerado, além da histogênese espirutual, os diversos fatores físicos e mentais.

12)- "A_Alma_do_homem_se_desprende_gradualmente, não se escapa como um pássaro cativo a indivíduos. Estes laços se desatam, não se quebram.

____Durante a vida, o Espírito se acha preso ao corpo pelo seu envoltório_semimaterial ou perispírito.

  • Em uns, o desprendimento é bastante rápido, podendo dizer-se que o momento da morte é mais ou menos o da libertação.
  • Em outros, naqueles sobretudo cuja vida toda material e sensual, o desprendimento é muito menos rápido, durando algumas vezes dias, semanas e até meses, o que não implica existir, no corpo, a menor vitalidade, nem a possibilidade de volver à vida, mas uma simples afinidade com o Espírito, afinidade que guarda sempre proporção com a preponderância que, durante a vida, o Espírito deu à matéria.(Nestes casos ocorre diminuição no peso do corpo físico?)

____É, com efeito, racional conceber-se que, quanto mais o Espírito se haja identificado com a matéria, tanto mais penoso lhe seja separar-se dela; ao passo que a atividade intelectual e moral, a elevação dos pensamentos operam um começo de desprendimento, mesmo durante a vida do corpo, de modo que, em chegando a morte, ele é quase instantâneo.

____Essas observações ainda provam que a afinidade, persiste entre a alma e o corpo, em certos indivíduos, é, às vezes, muito penosa, porquanto o Espírito pode experimentar o horror da decomposição. Este caso, porém, é excepcional e peculiar a certos gêneros de vida e a certos gêneros de morte. Verifica-se com alguns suicidas". ( [9a_-_página _114_questão_155] )

13)- Ver: Cremação

Autor/Fonte: www.guia.heu.nom.br
____Data: 18/10/2010 ____Contato: trabalho@guia.heu.nom.br

Registre-se que os pesquisadores da antiga União Soviética trabalharam muitas vezes com o momento da morte.

"Por ocasião da morte do corpo físico de uma planta ou de um animal, os russos viram fagulhas e clarões do corpo bioplasmático arremessando-se, pouco a pouco, ao espaço, nadando para longe e desaparecendo. Gradativamente se dissipava toda e qualquer luminescência proveniente da planta ou do animal mortos. Entrementes, detectores a distância do campo biológico continuavam a detectar campos de força pulsantes do corpo morto.” (OSTRANDER. S. SCHRCOEDER. L. "Experiências Psíquicas além da Cortina de Ferro”, ed. cit. CULTRIX, p 239).

Esses resultados obtidos pelos cientistas soviéticos guardam relação com os alcançados pelos suecos, a partir de 1972. Relata, a propósito, Carlos de Brito IMBASSAHY, fato constatado por uma equipe sueca, em um desses aparentes acasos que abrem novas portas para o Conhecimento:

"Trabalhava com um moribundo no qual havia instalado um espectrógrafo com um dispositivo de dinamômetro acoplado a um osciloscópio, para as devidas leituras.

O osciloscópio registra as variações do campo orgânico, idêntico ao que as UTI e CII dispõem, a fim de localizar a vida do paciente; o dinamômetro mede a variação do peso do campo gravitacional, no caso, o da pessoa em quem se tenha instalado a aparelhagem.

Examinando os registros, o que se pôde notar é que, exatamente, no momento do trespasse, o paciente perdeu um campocujo peso correspondia a 2,2 dam (decagrama-força), contudo, o campo bioenergético declinante que estava sendo detectado pelo osciloscópio, continuava se mostrando ativo no cadáver".

[1 - página 181]

LINKs

Os resultado das experiências e pesquisas realizadas, questionamentos, sugestões, recomendações, comentários, críticas ou colaborações , enviar para o endereço: trabalho@guia.heu.nom.br

Ver também:
*