página acima: Provação
Provações escolhidas pelo Espírito
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Várias vezes já têm sido repetidos os ensinamentos que estou transmitindo sobre as provações terrenas de cada indivíduo.

____Muito antes da encarnação,

  • O Espírito faz o cômputo de suas possibilidades,
  • estuda o caminho que melhor se lhe afigura na luta da perfectibilidade e,
  • de acordo com as suas vocações e segundo o grau de evolução já alcançado, escolhe, em plena posse de sua consciência, a estrada que se lhe desenha no porvir, fecunda de progressos espirituais.

____Dentro do infinito do Universo e com as faculdades integrais do seu próprio “eu”, reconhece a alma que somente a luta lhe oferta inúmeras possibilidades de evolução, em todos os setores da atividade humana; e, daí, a preferência pelos ambientes de dor_e_privação, abençoados corretivos que a Providência lhe oferece para a redenção do passado ou para o desenvolvimento das suas forças latentes e imprecisas; cada Espírito, voluntariamente, escolhe as suas sendas futuras, conforme o seu progresso e de acordo com os desígnios superiores.

[71 - página 166] - EMMANUEL - 1938

____Quando errante, pouco importa ao Espírito encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher. O que o guia na escolha são as prova por que haja de passar. Os Espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo. Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, lhes proporciona provações e deveres especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência. Aquele que só como homem encarnasse só saberia o que sabem os homens.

[9a - página 135 questão 202]

(Ver: Sexo no Espírito)

____Nas provações por que lhe cumpre passar para atingir a perfeição, o Espírito não tem que sofrer tentações de todas as naturezas e nem tem que se achar em todas as circunstâncias que possam excitar-lhe o orgulho, a inveja, a avareza, a sensualidade, etc.

____Pois bem sabeis haver Espíritos que desde o começo tomam um caminho que os exime de muitas provas. Aquele, porém, que se deixa arrastar para o mau caminho, corre todos os perigos que o inçam. Pode um Espírito, por exemplo, pedir a riqueza e ser-lhe esta concedida. Então, conforme o seu caráter,

____Daí não se segue, entretanto, que haja de forçosamente passar por todas estas tendências.

[9a - página 172 questão 161]

(Ver: Prova da riqueza e miséria)

____O Espírito escolhe provas que queira sofrer, de acordo com a natureza de suas faltas, as que o levem à expiação destas e a progredir mais depressa.

  • Uns, portanto, impõem a si mesmos uma vida de misérias e privações, objetivando suportá-las com coragem;
  • Outros preferem experimentar as tentações da riqueza e do poder, muito mais perigosas, pelos abusos e má aplicação a que podem dar lugar, pelas paixões inferiores que uma e outros desenvolvem;
  • muitos, finalmente, se decidem a experimentar suas forças nas lutas que terão de sustentar em contacto com o vício.

[9a - página 174 questão 264]

Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, o Espírito tem Ele próprio a escolha do gênero de prova por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio.

[9a - página 171 questão 258]

____Nem todas as tribulações que experimentamos na vida nós as previmos e buscamos, porque não escolhemos e previmos tudo o que nos sucede no mundo, até às mínimas coisas. Escolhemos apenas o gênero das provações. As particularidades correm por conta da posição em que nos acharmos; são, muitas vezes, conseqüências das nossas próprias ações. Escolhendo, por exemplo, nascer entre malfeitores, sabia o Espírito a que arrastamentos se expunha; ignorava, porém, quais os atos que viria a praticar. Esses atos resultam do exercício da sua vontade, ou do seu livre-arbítrio.

  • Sabe o Espírito que, escolhendo tal caminho, terá que sustentar lutas de determinada espécie
  • sabe, portanto, de que natureza serão as vicissitudes que se lhe depararão, mas ignora se se verificará este ou aquele êxito.

____Os acontecimentos secundários se originam das circunstâncias e da força mesma das coisas. Previstos só são os fatos principais, os que influem no destino. Se tomares uma estrada cheia de sulcos profundos, sabes que terás de andar cautelosamente, porque há muitas probabilidades de caíres; ignoras, contudo, em que ponto cairás e bem pode suceder que não caias, se fores bastante prudente. Se, ao percorreres uma rua, uma telha te cair na cabeça, não creias que estava escrito, segundo vulgarmente se diz.

[9a - página 171 questão 259]

A nós (encarnados) pode parece natural que se escolham as provas menos dolorosas, ao Espírito, não. Logo que este se desliga da matéria, cessa toda ilusão e sua maneira de pensar passa a ser outra. Sob a influência das ideias carnais, o homem, na Terra, só vê das provas o lado penoso.

[9a - página 174 questão 266]

____O Espírito pode enganar-se quanto à eficiência da prova que escolheu.

  • Pode escolher uma que esteja acima de suas forças e sucumbir.
  • Pode também escolher alguma que nada lhe aproveite, como sucederá se buscar vida ociosa e inútil.

____Mas, então, voltando ao mundo dos Espíritos, verifica que nada ganhou e pede outra que lhe faculte recuperar o tempo perdido.

[9a - página 177 questão 269]

____O Espírito pode apressar ou retardar o momento da sua reencarnação.

  • Pode apressá-lo, atraindo-o por um desejo ardente.
  • Pode igualmente distanciá-lo, recuando diante da Enganando-se quanto à eficiência da prova que escolheu., pois entre os Espíritos também há covardes e indiferentes.

____Nenhum, porém assim procede impunemente, visto que sofre por isso, como aquele que recusa o remédio capaz de curá-lo.

[9a - página 195 questão 332]

____O Espírito, além do gênero de vida que lhe sirva de prova,

  • pode também escolher o corpo, porquanto as imperfeições que este apresente ainda serão, para o Espírito, provas que lhe auxiliarão o progresso, se vencer os obstáculos que lhe oponha.
  • Nem sempre, porém, lhe é permitida a escolha do seu invólucro corpóreo; mas, simplesmente, a faculdade de pedir que seja tal ou qual.

[9a - página 196 questão 335]

O Espírito poderia recusar, à última hora, tomar o corpo por ele escolhido. Mas, sofreria muito mais do que aquele que não tentasse provas alguma.

[9a - página 196 questão 335]

Escolha das provas - Livro Dos Espiritos

https://www.youtube.com/watch?v=KochH41JtNw

Ver também:
*