PERSEGUIçãO E CASTIGO AOS "TRAlDORES" DO CRISTIANISMO
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Durante as perseguições de Diocleciano, um grande número de cristãos renegou a fé. Surgiu imediatamente uma violenta polêmica sobre o expurgo ou readmito desses lapsi ou traditores. Quando, em 312, se elegeu como bispo de Cartago um homem consagrado por um ex-apóstata, o partido local dos rigoristas opôs-se e escolheu um novo prelado. O líder do grupo, Donato conseguiu apoio da hierarquia, que igualmente se recusava a readmitir apostatas na Igreja e iniciou um movimento cismático, daí por diante chamado Donatismo. Como os sacramentos ministrados pelos supostos traditores não tinham validade, os cismáticos passaram a rebatizar os fiéis. O movimento estendeu-se rapidamente a grande número de igrejas africanas, onde hierarquias opostas disputavam entre si e a "igreja dos Santos" ou donatistas se opunham à dos cristãos ou traditores.
____O imperador Constantino suspendeu as subvenções e isenções fiscais aos cismáticos e promulgou uma lei exilando seus chefes e retirando-lhes as igrejas. Houve uma reação em cadeia, com desordens e repressões violentas que se prolongaram por quatro anos. Os motivos políticos e sociais de cisma se acentuaram no decorrer das contendas e o movimento donatista recebeu uma conotação revolucionária. Seus adeptos eram recrutados particularmente nas camadas mais pobres da sociedade e, por isso, menos romanizadas, aguçando um sentimento ant-romano na sua oposição. Organizaram-se tropas de choque donatistas, compostas de desempregados e camponeses arruinados pela economia estatal. Os revoltados passaram a exigir a abolição de dívidas, praticaram terrorismo contra os proprietários de terras, atacaram cristãos e clero ortodoxos.
____O Donatismo radicalizou-se também espiritualmente e rompeu com o mundo temporal, identificado ao monarca perseguidor e à igreja comprometida com os traditores. Seus adeptos julgavam-se soldados de Cristo, organizados em milícias contra o Mal. A veneração inflamada aos mártires, assim como a franca apologia do martírio, levaram os donatistas a aceitar a morte com alegria e a procurá-la em nome de Cristo. Nas lutas contra as autoridades ou os cristãos, houve mesmo casos de suicídio coletivo, quando grupos de "mártires" se lançaram de precipícios ou se atiraram em fogueiras. Nos primórdios do século V, o Estado romano privou os donatistas de direitos civis e proibiu suas reuniões sob pena de morte. Contudo, só a invasão da África pelos sarracenos conseguiu deter a seita.

RESUMO EXTRAIDO DA PUBLICAÇÃO DA ABRIL CULTURAL - "AS GRANDES RELIGIÕES "TERTULIANO : APOLOGIA

Translated by José Fernandes VIDAL & Luiz Fernando Karps PASQUOTTO

*