página acima: Lei de conservação
Necessário e supérfluo
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Criando novas necessidades, a civilização constitui uma fonte de novas aflições.

____Os_males deste mundo estão na razão das necessidades factícias que vos criais. A muitos desenganos se poupa nesta vida aquele que sabe restringir seus desejos e olha sem inveja para o que esteja acima de si. O que menos necessidades tem, esse o mais rico.

____Invejais os gozos dos que vos parecem os felizes do mundo. Sabeis, porventura, o que lhes está reservado? Se os seus gozos são todos pessoais, pertencem eles ao número dos egoístas: o reverso então virá. Deveis, de preferência, lastimá-los. Deus algumas vezes permite que o mau prospere, mas a sua felicidade não é de causar inveja, porque com lágrimas amargas a pagará. Quando um justo éinfeliz, isso representa uma prova que lhe será levada em conta, se a suportar com coragem.

____Lembrai-vos destas palavras de Jesus: Bem-aventurados os que sofrem , pois que serão consolados.

[9a - página 429 questão 926]

____Verdadeiramente infeliz o homem só o é quando sofre a falta do necessário à vida e à saúde do corpo. Todavia, pode acontecer que essa privação seja de sua culpa. Então, só tem que se queixar de si mesmo. Se for ocasionada por outrem, a responsabilidade recairá sobre aquele que lhe houver dado causa.

[9a - página 429 questão 927]

____O que para um é supérfluo representa para outro o necessário e, reciprocamente, de acordo com as posições respectivas.

____Conforme às vossas ideias materiais, aos vossos preconceitos, à vossa ambição e às vossas ridículas extravagâncias, a que o futuro fará justiça, quando compreenderdes a verdade.

____Não há dúvida de que aquele que tinha cinqüenta mil libras de renda, vendo-se reduzido a só ter dez mil, se considera muito desgraçado, por não mais poder fazer a mesma figura, conservar o que chama a sua posição, satisfazer a todas as paixões, etc. Acredita que lhe falta o necessário. Mas, francamente, achas que seja digno de lástima, quando ao seu lado muitos há, morrendo de fome e frio, sem um abrigo onde repousem a cabeça?

____O homem criterioso, a fim de ser feliz, olha sempre para baixo e não para cima, a não ser para elevar sua alma ao infinito.

[9a - página 428 questão 923]

Aquele que é ponderado conhece o limite do necessário, por intuição. Muitos só chegam a conhecê-lo por experiência e à sua própria custa.

[9a - página 341 questão 715]

Mediante a organização que nos deu, a Natureza traçou o limite das nossas necessidades. Mas o homem é insaciável. Os vícios lhe alteraram a constituição e lhe criaram necessidades que não são reais.

[9a - página 342 questão 716]

____Aqueles que açambarcam os bens da Terra para se proporcionarem o supérfluo, com prejuízo daqueles a quem falta o necessário, olvidam a lei de Deus e terão que responder pela privações que houverem causado aos outros.

____Nada tem de absoluto o limite entre o necessário e o supérfluo. A Civilização criou necessidades que o selvagem desconhece e os Espíritos que ditaram os preceitos acima não pretendem que o homem civilizado deva viver como o selvagem. Tudo é relativo, cabendo à razão regrar as coisas. A Civilização desenvolve o senso moral e, ao mesmo tempo, o sentimento de caridade, que leva os homens a se prestarem mútuo apoio. Os que vivem à custa das privações dos outros exploram, em seu proveito, os benefícios da Civilização. Desta têm apenas o verniz, como muitos há que da religião só têm a máscara.

[9a - página 342 questão 717]

O dinheiro ou a necessidade material, a doença e a saúde do corpo são condições educativas de imenso valor para os que saibam aproveitar o ensejo de elevação em sua essência legítima.

EMMANUEL - (Caminho, Verdade e Vida) [55 - página 51]

Ver também:
*