página acima: Simpatia e Antipatia
Matrimônio e Divórcio
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____O divórcio é lei humana que vem unicamente confirmar uma situação que já existe e, se calamidades da alma pendem sobre a casa, não se dispõe de outra providência mais razoável para recomendar, além dessa.

____Entretanto, se te vês nos problemas da união_enferma e, principalmente, se tens crianças a proteger, tanto quanto se te faça possível, mantém o lar que edificaste com as melhores forças do espírito.

____Realmente, os casamentos_de_amor jamais adoecem, mas nos enlaces de provação redentora, os cônjuges solicitaram, antes do berço terrestre, determinadas tarefas em regime de compromisso perante a Vida Infinita. E, ante a Vida Infinita, convém lembrar sempre que os nossos débitos não precisam de resgate a longo prazo, pela contabilidade dos séculos, desde que nos empenhemos a solvê-los em tempo curto, pelo crediário da paciência, a serviço do amor.

EMMANUEL

Trabalho de João Gonçalves Filho - (CASAMENTO - 400)

____O Poder Divino não nos aproxima uns dos outros sem fins justos. No matrimônio, no lar ou no círculo de serviço, somos procurados por nossas afinidades, de modo a satisfazer aos imperativos da Lei de Amor, seja na ampliação do bem, ou no resgate_de_nossas_dívidas, resultantes do nosso deliberado contacto com o mal.

____Num_caso_de_obsessão : A esposa sofre os efeitos do parricídio a que se entregou pelo anseio de desfrutar prazeres que lhe desajustaram o plano consciencial, em encarnação passada, e o marido que lhe inspirou a ação deplorável é agora chamado a ajudá-la na restauração imprescindível.

____Decerto, o companheiro na atualidade não se sente feliz. Recapitulando a antiga fome de sensações, abeirou-se da mulher que desposou, procurando instintivamente a sócia de aventura passional do pretérito, mas encontrou a irmã doente que o obriga a meditar e a sofrer.

[28a - página 94] - André Luiz

(Ver: Alienados mentais )

____Nas esferas elevadas, as almas superiores identificam motivo de honra no serviço de amparo aos companheiros menos evolvidos que estagiam nos planos inferiores.
____Não podemos olvidar que, na Terra, o matrimônio pode assumir aspectos variados, objetivando múltiplos fins. Em razão disso, acidentalmente, o homem ou a mulher encarnados podem experimentar o casamentoterrestre diversas vezes, sem encontrar a companhia das almas_afins com as quais realizariam a união ideal. Isso porque, comumente, é preciso resgatar essa ou aquela dívida que contraímos com a energia sexual, aplicada de maneira infeliz ante os princípios de causa e efeito.
____ entretanto, se o matrimônio expiatório ocorre em núpcias secundárias, o cônjuge liberado da veste_física, quando se ajuste à afeição nobre, freqüentemente se coloca a serviço da companheira ou do companheiro na retaguarda, no que exercita a compreensão e o amor_puro. Quanto à reunião no Plano_Espiritual, é razoável se mantenha aquela em que prevaleça a conjunção dos semelhantes, no grau mais elevado da escala de afinidades eletivas. Se os viúvos e as viúvas das núpcias efetuadas em grau menor de afinidade demonstram sadia condição de entendimento, são habitualmente conduzidos, depois_da_morte, ao convívio do casal restituído à comunhão, desfrutando posição análoga à dos filhos queridos junto dos pais terrenos, que por eles se submetem aos mais eloqüentes e multifários testemunhos de carinho e sacrifício pessoal para que atendam, dignamente, à articulação dos próprios destinos.
____Contudo, se a desesperação do ciúme ou a nuvem do despeito enceguecem esse ou aquele membro da equipe fraterna os cônjuges reassociados no plano superior amparam-lhe a reencarnação, à maneira de benfeitores ocultos, interpretando-lhes a rebelião por sintoma enfermiço, sem lhes retirar o apoio amigo, até que se reajustem no tempo.
____Ninguém veja nisso inovação ou desrespeito ao sentimento alheio, porquanto o lar terrestre enobrecido, se analisado sem preconceitos, permanece estruturado nessas mesmas bases essenciais, de vez que os pais humanos recebem, muitas vezes, no instituto doméstico, por filhos e filhas, aqueles mesmos laços do passado, com os quais atendem ao resgate de antigas contas, purificando emoções, renovando impulsos, partilhando compromissos ou aprimorando relações afetivas de alma para alma. E nessa condição que em muitas circunstâncias surgem nas entidades renascentes sem que o véu da reencarnação lhes esconda de todo a memória, as psiconeuroses e fixações infanto-juvenis, cuja importância na conduta sexual da personalidade é exagerada em excesso pelos sexólogos e psicanalistas da atualidade, carentes de mais amplo contato com as realidades do Espírito e da reencarnação, que lhes permitiriam ministrar aos seus pacientes mais efetivo socorro de ordem moral.(Ver: Sexo)

____Quanto ao divórcio, segundo os nossos conhecimentos no Plano Espiritual, somos de parecer não deva ser facilitado ou estimulado entre os homens, porque não existem na Terra uniões conjugais, legalizadas ou não, sem vínculos graves no princípio da responsabilidade assumida em comum.
____Mal saídos do regime poligâmico, os homens e as mulheres sofrem-lhe ainda as sugestões animalizantes e, por isso mesmo, nas primeiras dificuldades da tarefa a que foram chamados, costumam desertar dos postos de serviço em que a vida os situa, alegando imaginárias incompatibilidades e supostos embaraços, quase sempre simplesmente atribuíveis ao desregrado narcisismo de que são portadores. E com isso exercem viciosa tirania sobre o sistema psíquico do companheiro ou da companheira mutilados ou doentes, necessitados ou ignorantes, após explorar-lhes o mundo emotivo, quando não se internam pelas aventuras do homicídio ou do suicídio, espetaculares, com a fuga voluntária de obrigações preciosas.
____É imperioso, assim, que a sociedade humana estabeleça regulamentos severos a benefício dos nossos irmãos contumazes na infidelidade aos compromissos assumidos consigo próprios, a benefício deles, para que se não agreguem a maior desgoverno, e a benefício de si mesma, a fim de que não regresse à promiscuidade aviltante das tabas obscuras, em que o princípio e a dignidade da família ainda são plenamente desconhecidos.
____Entretanto, é imprescindível que o sentimento de humanidade interfira nos casos especiais, em que o divórcio é o mal menor que possa surgir entre os grandes males pendentes sobre a fronte do casal, sabendo-se, porém, que os devedores de hoje voltarão amanhã ao acerto das próprias contas.

[56 - página 179] - Pedro Leopoldo-MG, 18/5/1958

____o matrimônio na Terra é sempre uma resultante de determinadas resoluções, tomadas na vida do Infinito, antes_da_reencarnação_dos_Espíritos, seja por orientação dos mentores mais elevados, quando a entidade não possui a indispensável educação para manejar as suas próprias faculdades, ou em conseqüência de compromissos livremente assumidos pelas almas, antes de suas novas experiências no mundo; razão pela qual os consórcios humanos estão previstos na existência dos indivíduos, no quadro escuro das provas expiatórias, ou no acervo de valores das missões que regeneram e santificam.

[41a - página 109] - EMMANUEL - 1940

____Onde não prevalecem as afinidades do sentimento, o matrimônio terrestre é um serviço redentor e nada mais. Na maioria das situações, a morte_do_corpo somente ratifica uma separação que já existia na experiência vulgar. Nesses casos, o cônjuge que abandona o envoltório_físico se retira da prova a que se submeteu, à maneira do devedor que atingiu a paz do resgate. Todavia, quando os laços da alma sobre-pairam às emoções da jornada humana, ainda mesmo que surja o segundo casamento para o cônjuge que se demora no mundo, a comunhão espiritual continua, sublime, em doce e constante permuta de vibrações e pensamentos.

____A travessia pelo túmulo impõe efetivamente ao Espírito singulares modificações ... Cada viajor em sua estrada, cada coração com seu problema ...Bem-aventurados os que se renovam para o bem!

____O verdadeiro_amor é a sublimação em marcha, através da renúncia. Quem não puder ceder, a favor da alegria da criatura amada, sem dúvida saberá querer com entusiasmo e carinho, mas não saberá coroar-se com a glória do amor puro. Depois_da_morte, habitualmente aprendemos, no sacrifício dos próprios sonhos, a ciência de amar, não segundo nossos desejos, mas de conformidade com a Lei do Senhor:

  • mães obrigadas a entregar os filhinhos a provas de que necessitam,
  • pais que se vêem compelidos a renovar projetos de proteção à família,
  • esposas constrangidas a entregar os maridos a outras almas irmãs,
  • esposos que são impelidos a aceitar a colaboração das segundas núpcias, no lar de que foram desalojados ...

____Tudo isso encontramos na vizinhança da Terra. A morte é uma intimação ao entendimento fraternal ... E quando lhe não aceitamos o desafio, o sofrimento é o nosso quinhão ...

____Quando o amor não sabe dividir-se, a felicidade não consegue multiplicar-se.

[28a - página 130 ] - André Luiz

____Há nas anotações do Apóstolo Mateus (*) certa passagem, na qual afirma Jesus que o divórcio na Terra é permitido a nós outros pela dureza dos nossos corações. Aqui, a medida deve ser facultada à maneira de medicação violenta em casos desesperadores de desarmonia orgânica.

  • Na febre alta ou no tumor maligno, por exemplo, a intervenção exige métodos drásticos, a fim de que a crise de sofrimento não culmine com a loucura ou com a morte extemporânea.
  • Nos problemas matrimoniais, agravados pela defecção de um dos cônjuges ou mesmo pela deserção de ambos do dever a cumprir, o divórcio é compreensível como providência contra o crime, seja ele o assassínio ou o suicídio...

____Entretanto, assim como o choque operatório para o tumor e a quinina para certas febres são recursos de emergência, sem capacidade de liqüidar as causas profundas da enfermidade, as quais prosseguem reclamando tratamento longo e laborioso, o divórcio não soluciona o problema da redenção, porque ninguém se reúne no casamento humano ou nos empreendimentos de elevação espiritual, no mundo, sem o vínculo do passado, e esse vínculo, quase sempre, significa débito_no_Espírito ou compromisso vivo e delongado no tempo. O homem ou a mulher, desse modo, podem provocar o divórcio e obtê-lo, como sendo o menor dos piores males que lhes possam acontecer... Ainda assim, não se liberam da dívida em que se acham incursos, cabendo- lhes voltar ao pagamento respectivo, tão logo seja oportuno.

[83 - página 195] - André Luiz

____.

____(*) - Nota do autor espiritual.

____MATEUS [19]

____7 Responderam-lhe: Então por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la?

____8 Disse-lhes ele: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio.

____9 Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; [e o que casar com a repudiada também comete adultério.]

____Senhor_Jesus, abençoa os teus servos que se consagram hoje um ao outro em sublime união!... ilumina-lhes, cada vez mais, os anseios transfigurados para o teu reino, através da abnegação com que souberam esquecer dificuldades e agravos para se deterem tão-somente no auxílio aos companheiros de caminhada, ainda mesmo quando esses companheiros lhes apunhalassem os corações!... Ensina-lhes, oh! Mestre, que a felicidade é uma obra de construção progressiva no tempo e que o matrimônio deve ser realizado, de novo, todos os dias, na intimidade do lar, de maneira que os nossos defeitos se extingam, nas fontes da tolerância recíproca, a fim de que as nossas almas encontrem a perfeita fusão, diante de ti, aos clarões do amor eterno!...

[73 - página 243] - André Luiz

NÃO SEPAREIS O QUE DEUS JUNTOUCap. XXII do Evangelho Segundo o Espiritismo(Mateus, Cap. XIX, v. 3 a 9).

____Qualquer que seja o compromisso, firmado sobre ilibada moral, caso seja desfeito, resulta responsabilidade para as partes.

____Não se trata, portanto, de perguntar se é ou não é permitido acabar com o compromisso. O homem, através de seu livre_arbítrio, segundo a sua moralidade e dentro dos seus limites, tudo pode. O que devemos deixar bem claro é que, todos os atos do ser humano são susceptíveis de serem premiados ou expiados segundo as leis de DEUS.

____No caso do casamento e divórcio de um casal, explicamos:

  • Ao se casarem, o homem e a mulher, firmaram compromisso de se respeitarem mutuamente, de se ajudarem na saúde e na doença, de educarem os filhos, etc.
  • Ao se divorciarem, seja lá qual for o motivo, serão responsabilizados pela falência do casamento, na exata medida da contribuição de cada um para que isso acontecesse, segundo as Leis de DEUS.

____No entanto, não devemos olvidar, que, seja qual for o peso desta responsabilidade, na maioria dos casos, a continuidade do casamento poderia se desdobrar em desentendimentos mais acentuados e que poderiam gerar responsabilidades maiores perante as Leis de DEUS.

____Sob a visão espírita o ser humano, cujo estágio de pureza espiritual é concernente ao comum do Planeta, só está propenso a renúncias neste mesmo valor. Sabemos da existência de abençoadas exceções que são exemplos a serem seguidos, no entanto, são poucos.

____Concluímos que todos devemos, a partir do problema posto, agir, através do nosso livre arbítrio, acrescido da maior dose de renúncia que conseguirmos reunir.

____Seja qual for a nossa decisão, devemos cuidar para não perdermos a noção de que devemos amar a todos os nossos irmãos como a nós mesmos, conforme nos ensinou o querido JESUS DE NAZARÉ.

Vernil Eliseu vernil@linkway.com.br

APOSTILA COM SUBSÍDIO PARA ESTUDO

Centro Espírita Nosso Lar - Jacutinga - SP
(distribuição gratuita)

Download da apostila: http://www.matrimoniodivorcio.com.br ou neste site

Indicação de Samuel Lima- slm763@hotmail.com

Ver também:
*