página acima: Amor
Amor - Fonte da vida
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Na Terra, o amor gera o impulso de um ser para outro ser. Podemos surpreender essa energia em todas as coisas, ...

  • percebendo, na poeira cósmica, as atrações magnéticas profundas; as precipitações nos corpos simples da química;
  • as trocas que perpetuam a vida nos reino vegetal;
  • as expressões que podem ir da violência à ternura no reino animal;
  • o amor presidindo as atividades da família e da sociedade, no caminho dos homens;
  • a experiência do amor divino edificado pela renúncia e pelo trabalho santificante entre os seres angélicos.

____O amor conjugal, o amor materno, o amor filial, o amor fraterno, o amor à pátria ou à raça, todos são raios refratados do Amor Divino. Todos eles se expressam ainda muito mais por sensações, porque a Humanidade se acha presa aos ditames da matéria. Predomina, entre os seres humanos, a natureza_animal. Há um longo caminho a percorrer, para que venhamos a dar preponderância à natureza espiritual em nossas relações afetivas.
____O amor conjugal ainda muito identificado com o instinto sexual e, expressando-se predominantemente no campo das sensações, é, não obstante, representação do Amor em expansão na Terra. O sexo é sagrado em si mesmo, pois suas manifestações obedecem ao plano geral de multiplicação da vida traçado por Deus, mas vive o homem um momento evolutivo ainda muito próximo das experiências sexuais herdadas na passagem pelo reino animal e, por isso mesmo, está sob o domínio das paixões, às quais não aprendeu a controlar. As perversões sexuais nascem de nós mesmos, da nossa inferioridade. Devemos ao sexo a formação dos tesouros afetivos do lar e compete-nos honrar os compromissos de natureza sexual, com todas as forças da alma, mesmo porque é por ele que, não só efetuamos a continuidade da espécie no mundo, como também recebemos forças dinâmicas que nos podem sustentar a vida espiritual e física, na execução do trabalho a que fomos trazidos à Terra (1).
____"Deus não extermina as paixões dos homens, mas fá-las evoluir" (2), convertendo-as pela dor em sagrados patrimônios da alma, competindo às criaturas dominar o coração, guiar os impulsos, orientar as tendências, na evolução sublime dos seus sentimentos. O predomínio da materialidade não tem permitido aos homens perceberem os elevados objetivos do sexo. Fala-se em "fazer" amor. Difunde-se "amor livre", mas temos que reconhecer, com Chico Xavier que "se é livre não pode ser amor, pois amor é com responsabilidade". Ninguém lesa os sentimentos dos outros, sem lesar a si mesmo.
____As desilusões amorosas têm sua origem na falta de compreensão das questões espirituais. Escolhemos nosso(a) parceiro(a) para a vida afetiva movidos pelo encantamento do período do namoro e do noivado, para percebermos, depois do casamento, que o encanto se desfaz na rudeza dos atritos sensoriais. O amor dos sentidos deve se transformar, no processo da união, em amor verdadeiro, amadurecendo em amor espiritual, porquanto, sem isso, os atritos contínuos acabarão determinando o rompimento e a frustração. A proximidade e a convivência extinguem o encantamento, porque estávamos presos às ilusões sensoriais. A experiência da vida produz o desgaste das sensações ilusórias e, se nos permitirmos transcender a realidade material, vamos descobrir que o encantamento que nos aproximou da criatura escolhida tem um componente mais profundo, porque nos fala de compromissos anteriormente assumidos, de laços a serem trabalhados.
____Allan_Kardec estudou com os Espíritos reveladores as questões pertinentes à predestinação das uniões conjugais na Terra (3), ensinando-nos que não há união particular e fatal de duas almas. Deus determina a união de todos os Espíritos, segundo a perfeição que hajam adquirido. Quanto mais evoluídos, mais se aproximam pelo amor. A inferioridade é que gera a discórdia e a desunião. A expressão "encontrar a outra metade", popularmente utilizada deve ser entendida apenas como uma figura simbólica do sentimento de plenitude gerado pela união das almas afins, porque Deus não criou seres pela metade. A simpatia que atrai os Espíritos um para o outro, na vida terrena, origina-se da perfeita concordância de seus pendores e instintos, mas um não é complemento do outro, porque, se um tivesse que completar o outro, ambos perderiam sua individualidade.
____Entendendo bem esse ensino, podemos analisar com mais adequação a proposição das " almas_gêmeas" (4). Focalizando um momento na evolução_do_Espírito, EMMANUEL nos fala de uma identidade que o Criador determina entre duas criaturas, a fim de impulsioná-las para as aquisições afetivas necessárias dentro do plano geral de progresso que rege a vida. Assim, experimentando as sensações mais sutis e transcendentes do afeto, nos tempos rudes dos primeiros ensaios amorosos, os seres evoluem das sensações puramente sexuais, para manifestações afetivas mais elaboradas. Aproximando e afastando essas almas, ao longo de muitas vidas, cria-se o estado psicológico necessário ao burilamento da carga erótica e de suas manifestações, sempre com a meta do desenvolvimento do amor. Entendemos portanto esse processo como um procedimento didático de Deus, para o direcionamento da aprendizagem do afeto, vigorando nos primeiros tempos do Espírito no reino hominal, para cessar nas fases mais elevadas do crescimento individual nos rumos da angelitude.
____Nos caminhos do mundo, a maior parte das uniões conjugais constitui aproximações ditadas pela lei de ação_e_reação, a fim de reajustar individualidades desequilibradas em suas manifestações afetivas. É ainda a literatura mediúnica que nos informa que "existem na esfera carnal, raríssimas uniões de almas gêmeas, reduzidos matrimônios de almas irmãs ou afins, e esmagadora percentagem de ligações de resgate" (5). As causas disso estão na falta de conscientização quanto às verdadeiras finalidades da vida. Quando se planeja uma união, não se leva em conta a lei do amor, predominando entre as criaturas os interesses mais imediatistas. Vai, assim, o homem tecendo uma rede de compromissos que acaba aprisionando-o em inúmeras encarnações_expiatórias, a fim de quitar seus débitos com a própria consciência. Para quebrar esse círculo vicioso, é preciso que a criatura se disponha a exercitar o amor no dia a dia, pela renúncia, abnegação e tolerância, até que se torne apta a amar sem cogitar de ser amada.
____ O amor é fonte da vida, porque suas manifestações geram não só vida material, mas também realizações espirituais sublimes. Um exemplo digno de ser imitado nos tempos atuais é Chico_Xavier - um homem chamado amor. Sem uma família sua, sem filhos consangüíneos, dedicou-se integralmente à humanidade. Produziu centenas de livros - seus filhos espirituais - que geram vida para todos nós. E o grande modelo que os Espíritos apresentaram aos homens é Jesus. Sua pregação não se perpetuou entre nós pela eloqüência oratória, nem pela experimentação científica, mas pelo exemplo de amor que deixou.

____Relatando um atendimento que fazia junto com seu instrutor espiritual, André Luiz narra a história de Pedro, obsidiado por Camilo. A ligação obsessiva se iniciara, quando Pedro assassinou Camilo, seu tutor, pela recusa dele em efetuar pagamento de uma quantia a que Pedro se julgava com direito. Embora tivesse conseguido burlar a justiça dos homens, casar-se e constituir família e uma vida respeitável com o dinheiro subtraído de sua vítima, Pedro não pode ludibriar a própria consciência e, assediado por Camilo que desejava vingança, vivia perturbado e infeliz. Retirado, durante o sono, do corpo físico pelos Espíritos que tentavam auxiliá-lo, permanecia Pedro hipnotizado pelo verdugo desencarnado. André Luiz indaga de seu instrutor, Calderaro, por que não os socorriam com palavras de esclarecimento e o instrutor esclareceu: "Falaríamos em vão, André, porque ainda não sabemos amá-los como se fossem nossos irmãos ou nossos filhos. Para nós ambos, espíritos de raciocínio algo avançado, mas de sentimentos menos sublimes, são eles dois infortunados, e nada mais ... O CONHECIMENTO AUXILIA POR FORA, MAS SÓ O AMOR SOCORRE POR DENTRO. Com a nossa cultura retificamos os efeitos, quanto possível, e só os que amam conseguem atingir as causas profundas"(destaques meus). Esperaram então a chegada de Cipriana que, utilizando a força do amor fraternal, conseguiu aconchegar ao coração os dois infortunados, modificando as disposições psíquicas de ambos, permitindo a Pedro permanecer no lar que formara, reajustando-se perante a própria consciência, pelo trabalho em prol do núcleo familiar que constituíra e conduzindo Camilo às atividades regeneradoras do Mundo Espiritual (6).

____Há um relato também extraordinário de Hermínio C. Miranda acerca da experiência de um Espírito que se manifestou em um grupo mediúnico, revelando-se unicamente preocupado com o campo do saber, com a filosofia. Havia vivido entre os gregos antigos e conhecera Sócrates, cujo saber respeitava a ponto de ajoelhar-se-lhe aos pés. Narrou esse Espírito que, no mundo espiritual, participava de uma comunidade fechada, dedicada ao estudo e ao desenvolvimento da inteligência. Um dia teve um encontro com Sócrates e surpreendeu-se por vê-lo atendendo uma criança anônima em extremo sofrimento. Sócrates levantou a mão da qual saíram chispas de luz que curaram o enfermo. Ele sentiu-se pequeno, por não conseguir atender igualmente aos outros que ali estavam, manifestando também sofrimento. Levado à presença de um Espírito recém-chegado da carne, reconheceu nele um ser muito amado. Desejou auxiliá-lo, mas não conseguiu. Sócrates disse-lhe: "Cura-o com o seu amor". E ele viu então que não sabia amar. Em vão usou sua força mental. Exigiu que o outro se curasse, que se levantasse, entretanto sentia que as irradiações da sua mente mais feriam o enfermo. Fechando seu relato, afirmou esse Espírito para o grupo mediúnico: "Aprendi uma coisa! Que a mente pode saber, pode conhecer, mas a mente não sabe amar! A mente não sabe curar! A inteligência não cura!" E arremata Hermínio: "Por isso ensinava o Cristo que a sabedoria e o amor são as asas dos anjos mas, em toda parte, quem ama segue à frente daquele que simplesmente sabe; quem ama chega primeiro!"

João Batista Bragança
Engenheiro Agrônomo e Diretor do Departamento de Doutrina
da Comunidade Espírita Esperança - Vitória ES

----------------------------------------------------------

(1) XAVIER, Francisco Cândido & EMMANUEL. Vida e Sexo, 6ª ed. Rio de Janeiro: FEB.
(2) XAVIER, Francisco Cândido & EMMANUEL. O Consolador, 5ª ed. Rio de Janeiro: FEB - q. 184.
(3) ALLAN KARDEC. O Livros dos Espíritos, 58ª ed. Rio de Janeiro: FEB - q. 298 a 301.
(4) XAVIER, Francisco Cândido & EMMANUEL. O Consolador, 5ª ed. Rio de Janeiro: FEB - q. 323 a 329.
(5) XAVIER, Francisco Cândido & André Luiz. Nosso Lar. 17ª ed. Rio de Janeiro: FEB. Cap. 20.
(6) XAVIER, Francisco Cândido & André Luiz. No Mundo Maior. 6ª ed. Rio de Janeiro: FEB. Cap. 20.

Ver também:
*