página acima: Evolução e Cérebro
Fator de fixação
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Os neurônios nascem e se renovam, milhões de vezes, no plano físico e no plano_extrafísico, na estruturação de cérebros experimentais, com mais vivos e mais amplos ingredientes do corpo_espiritual, quando em função nos tecidos físicos, até que se ergam em unidades morfológicas definitivas do sistema nervoso.

____Demonstrando formação especialíssima, porquanto reproduz mais profundamente a tessitura das células psicossomáticas, o neurônio é toda uma usina microscópica, constituindo-se de um corpo celular com prolongamentos, apresentando o núcleo escassa cromatina e um nucléolo.

____Acha-se o núcleo cercado de protoplasma em que há...

(Ver: Células e Perispírito ; Processo da Psicografia ; Força psíquica ; Perispírito de enfermo ; Pensamento ; Existe mesmo um Deus? e Alimentação)

____O pigmento ocre que a ciência_humana observa, sem maiores definições, é conhecido no Mundo Espiritual como fator de fixação, como que a encerrar a mente em si mesma, quando esta se distancia do movimento renovador em que a vida se exprime e avança, adensando-se ou rarefazendo-se ele, nos círculos humanos, conforme a atitude mental do Espírito na quota de tempo em que se lhe perdure a existência carnal.

[56 - página 68] - André Luiz - Uberaba-MG, Brasil, 12/2/1958

  • O que já havia sido ditado pelo espírito André Luiz em 1958, de acordo com o texto acima: " que os neurônios nascem e se renovam",
  • agora, em 2003, a ciência confirma, conforme texto abaixo:

____DURANTE A MAIOR PARTE DE SEUS 100 anos de história, a neurologia adotou um dogma central: o cérebro de um adulto maduro é uma máquina semelhante a um computador, que permanece estável e imutável, com memória e capacidade de processamento fixas. É possível perder células cerebrais, afirmava-se, mas é certamente impossível ganhar outras, novas.

  • Como poderia ser diferente?
  • Se o cérebro passasse por alterações estruturais, como nos lembraríamos do que quer que fosse?
  • Na verdade, como poderíamos manter uma identidade constante?

____Embora a pele, o fígado. o coração, os rins, os pulmões e o cérebro sejam capazes de gerar novas células para substituir, até certo ponto, as danificadas, até recentemente os cientistas acreditavam que essa capacidade regeneradora não se estendia ao sistema nervoso central, formado pelo cérebro e medula. Assim, os neurologistas tinham apenas um conselho para seus pacientes: “Tente não danificar seu cérebro, porque não há como consertá-lo”.

____Mas, nos últimos cinco anos, neurocientistas descobriram que o cérebro realmente muda no decorrer da vida — e que essa mudança é positiva. As novas células que documentamos podem fornecer a capacidade extra de que o cérebro precisa para lidar com a variedade de desafios que as pessoas enfrentam ao longo da vida. Essa plasticidade oferece um mecanismo pelo qual o cérebro pode ser induzido a se auto-reparar após sofrer lesões ou contrair doenças. Isso poderia abrir perspectivas de ampliação da capacidade de pensar e sentir de um cérebro saudável.

____Hádécadas os neurocientistas tentam descobrir curas para lesões ou distúrbios cerebrais. A maior parte dessas estratégias de tratamento tem envolvido a compensação da perda de neurotransmissores — substâncias químicas que conduzem mensagens entre as células nervosas (neurônios). No mal de Parkinson, por exemplo, o cérebro do paciente perde a capacidade de produzir o neurotransmissor dopamina, porque as células que o produzem morrem. Células Nervosas Recém-Nascidas

____Atualmente, muitos pesquisadores estão trabalhando nessa perspectiva. A esperança de que os reparos talvez sejam possíveis vem de uma série de descobertas realizadas nos últimos 40 anos. Nas décadas de 60 e 70, demonstrou-se pela primeira vez que os sistemas nervosos centrais dos mamíferos contêm algumas propriedades regenerativas inatas, quando diversos grupos comprovaram que os axônios, ou ramos principais, dos neurônios_no_cérebro e na medula de adultos podem crescer, até certo ponto, após sofrerem lesões. Outros logo revelaram o nascimento de novos neurônios, um fenômeno denominado neurogênese, nos cérebros de pássaros adultos, primatas não-humanos e humanos. A neurogênese é um processo, não um evento, rigorosamente controlado.

Revista SCIENTIFIC AMERICAN - Brasil - ANO 2 - Nº17 - Outubro de 2003

____(www.sciam.com.br )

Ver também:
*