página acima: Mediunidade
Evocação / Invocação
  • EVOCAÇÃO s.f. Ação de evocar, de recordar, de lembrar: a evocação do passado. / Ação de fazer aparecer, através de exorcismos, entidades sobrenaturais, espíritos, almas dos finados.
  • INVOCAÇÃO s.f. Ação de invocar, de chamar por alguém. / Chamamento; pedido de socorro; rogo. / Ato de aduzir como prova do que se diz. / Súplica do poeta a uma divindade, a uma musa, para pedir inspiração. / Liturgia Consagração, dedicação, proteção: igreja colocada sob a invocação da Virgem Maria.

http://win2nt239.digiweb.com.br/dicionariobemvindo.htm

Toda oração é uma "invocação"

[133 - Capítulo 23]

____Os Espíritos podem comunicar-se espontaneamente, ou acudir ao nosso chamado, isto é, vir por evocação. Pensam algumas pessoas que todos devem abster-se de evocar tal ou tal Espírito e ser preferível que se espere aquele que queira comunicar-se.

____Em nossa opinião, consideramos errado pensar que, chamando determinado Espírito, não podemos ter a certeza de ser ele quem se apresente, e que aquele que vem espontaneamente, melhor prova_a_sua_identidade, pois que manifesta assim o desejo que tem de se entreter conosco...

  • primeiramente, porque há sempre em torno de nós Espíritos, as mais das vezes de condição_inferior, que outra coisa não querem senão comunicar-se;
  • em segundo lugar e mesmo por esta última razão, não chamar a nenhum em particular é abrir a porta a todos os que queiram entrar.

____Numa assembléia, não dar a palavra a ninguém é deixá-la livre a toda a gente. A chamada direta de determinado Espírito constitui um laço entre ele e nós; chamamo-lo pelo nosso desejo e opomos assim uma espécie de barreira aos intrusos. Sem uma chamada direta, um Espírito nenhum motivo terá muitas vezes para vir confabular conosco, a menos que seja o nosso Espírito familiar.

____As comunicações espontâneas inconveniente nenhum apresentam, quando se está senhor dos Espíritos e certo de não deixar que os maus tomem a dianteira.

____É quase sempre bom aguardar a boa-vontade dos que se disponham a comunicar-se, porque nenhum constrangimento sofre o pensamento deles e dessa maneira se podem obter coisas admiráveis; entretanto, pode suceder que o Espírito por quem se chama não esteja disposto a falar, ou não seja capaz de fazê-lo no sentido desejado.

____O exame escrupuloso, que temos aconselhado, é, aliás, uma garantia contra as comunicações más. Nas reuniões regulares, naquelas, sobretudo, em que se faz um trabalho continuado, há sempre Espíritos habituais que a elas comparecem, sem que sejam chamados, por estarem prevenidos, em virtude mesmo da regularidade das sessões. Tomam, então, freqüentemente a palavra, de modo espontâneo, para tratar de um assunto qualquer, desenvolver uma proposição ou prescrever o que se deva fazer, caso em que são facilmente reconhecíveis, quer pela forma da linguagem, que é sempre idêntica, quer pela escrita, quer por certos hábitos que lhes são peculiares.

[17b - página 347 item 269]

____Quando se deseja comunicar com determinado Espírito, é de toda necessidade evocá-lo. Se ele pode vir, a resposta é geralmente: Sim, ou Estou aqui, ou, ainda: Que quereis de mim? As vezes, entra diretamente em matéria, respondendo de antemão às perguntas que se lhe queria dirigir.

____Quando um Espírito é evocado pela primeira vez, convém designá-lo com alguma precisão. Nas perguntas que se lhe façam, devem evitar-se as fórmulas secas e imperativas, que constituiriam para ele um motivo de afastamento. As fórmulas devem ser afetuosas, ou respeitosas, conforme o Espírito, e, em todos os casos, cumpre que o evocador lhe dê prova da sua benevolência.

[17b - página 349 item 270]

____Abstenhamo-nos de empregar a palavra « prece», quando se trate do desequilíbrio — aduziu Clarêncio, bondoso —, digamos « invocação»
____Quando alguém nutre o desejo de perpetrar uma falta está invocando forças_inferiores e mobilizando recursos pelos quais se responsabilizará. Através dos impulsos infelizes de nossa alma, muitas vezes descemos às desvairadas vibrações da cólera ou do vício e, de semelhante posição, é fácil cairmos no enredado poço do crime, em cujas furnas nos ligamos, de imediato, a certas mentes_estagnadas_na_ignorância, ...

  • que se fazem instrumentos de nossas baixas idealizações
  • Ou das quais nos tornamos deploráveis joguetes na sombra. (Ver: Obsidiado)

____Todas as nossas aspirações movimentam energias para_o_bem_ou_para_o_mal. Por isso mesmo, a direção delas permanece afeta à nossa responsabilidade. Analisemos com cuidado a nossa escolha, em qualquer problema ou situação do caminho que nos é dado percorrer, porqüanto o nosso pensamento voará, diante de nós, atraindo e formando a realização que nos propomos atingir e, em qualquer setor da existência, a vida responde, segundo a nossa solicitação. Seremos devedores dela pelo que houvermos recebido.

[4 página 12] - André Luiz

____Surpreende, não raro, a prontidão com que um Espírito evocado se apresenta, mesmo da primeira vez. Dir-se-ia que estava prevenido. É, com efeito, o que se dá, quando com a sua evocação se preocupa de antemão aquele que o evoca. Essa preocupação é uma espécie de evocação antecipada e, como temos sempre conosco os nossos Espíritos familiares, que se identificam com o nosso_pensamento, eles preparam o caminho de tal sorte que, se nenhum obstáculo surge, o Espírito que desejamos chamar já se acha presente ao ser evocado. Quando assim não acontece, é o Espírito familiar do médium, ou o do interrogante, ou ainda um dos que costumam freqüentar as reuniões que o vai buscar, para o que não precisa de muito tempo.

____Se o Espírito evocado não pode vir de pronto, o mensageiro marca um prazo, às vezes de cinco minutos, um quarto de hora e até muitos dias. Logo que ele chega, diz: Aqui estou. Podem então começar a ser feitas as perguntas que se lhe quer dirigir.

____O mensageiro nem sempre é um intermediário indispensável, porquanto o Espírito pode ouvir diretamente o chamado do evocador, sobre o modo de transmissão_do_ pensamento.

____Quando dizemos que se faça a evocação em nome de Deus, queremos que a nossa recomendação seja tomada a sério e não levianamente. Os que nisso vejam o emprego de uma fórmula sem conseqüências farão melhor abstendo-se.

[17b - página 349 item 271]

____Freqüentemente, as evocações oferecem mais dificuldades aos médiuns do que os ditados espontâneos, sobretudo quando se trata de obter respostas precisas a questões circunstanciadas. Para isto, são necessários médiuns_especiais, ao mesmo tempo flexíveis e positivos, estes últimos são bastante raros, por isso que, conforme dissemos, as relações fluídicas nem sempre se estabelecem instantaneamente com o primeiro Espírito que se apresente. Daí convir que os médiuns não se entreguem às evocações pormenorizadas, senão depois de estarem certos do desenvolvimento de suas faculdades e da natureza dos Espíritos que os assistem, visto que com os mal assistidos as evocações nenhum caráter podem ter de autenticidade.

[17b - página 350 item 272]

____Nas reuniões_doutrinárias, acima de todas as expressões fenomênicas, devem prevalecer a sinceridade e a aplicação individuais, no estudo das leis morais que regem o intercâmbio entre o planeta e as esferas do invisível.

____De modo algum se deverá provocar as manifestações_mediúnicas, cuja legitimidade reside nas suas características de espontaneidade, mesmo porque o programa espiritual das sessões está com os mentores que as orientam do plano invisível, exigindo-se de cada estudioso a mais elevada porcentagem de esforço próprio na aquisição do conhecimento, porquanto o plano espiritual distribuirá sempre, de acordo com as necessidades e os méritos de cada um. Forçar o fenômeno mediúnico é tisnar uma fonte de água pura com a vasa das paixões egoísticas da Terra, ou com as suas injustificáveis inquietações.

[41a - página 206] - EMMANUEL - 1940

____Não somos dos que aconselham a evocação direta e pessoal, em caso algum.

____Se essa evocação é passível de êxito, sua exeqüibilidade somente pode ser examinada no plano espiritual. Daí a necessidade de sermos espontâneos, porquanto, no complexo dos fenômenos espiríticos, a solução de muitas incógnitas espera o avanço moral dos aprendizes sinceros da Doutrina. O estudioso bem-intencionado, portanto, deve:

  • pedir sem exigir,
  • Orar sem reclamar,
  • Observar sem pressa, considerando que a esfera_espiritual lhe conhece os méritos e retribuirá os seus esforços de acordo com a necessidade de sua posição evolutiva e segundo o merecimento do seu coração.

____Podereis objetar que Allan_Kardec se interessou pela evocação direta, procedendo a realizações dessa natureza, mas precisamos ponderar, no seu esforço, a tarefa excepcional do Codificador, aliada a necessidades e méritos ainda distantes da esfera de atividade dos aprendizes comuns.

[41a - página 207] - EMMANUEL - 1940

Ver também:
*