Espíritos enganadores
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*
  • Os Espíritos que nos induzem em erro procedem sempre cientes do que fazem?
    R -Não; há Espíritos bons, mas ignorantes e que podem enganar-se de boa-fé. Desde que tenham consciência da sua ignorância, convém nisso e só dizem o que sabem.
  • O Espírito que dá uma comunicação falsa sempre o faz com intenção maléfica?
    R -Não; se é um Espírito_leviano, diverte-se em mistificar, sem outro intuito.
  • Podendo alguns Espíritos enganar pela linguagem de que usam, segue-se que também podem, aos olhos de um médium vidente, tomar uma falsa aparência?
    R -Isso se dá, porém, mais dificilmente. Todavia, só se verifica com um fim que os próprios Espíritos maus desconhecem. Eles então servem de instrumentos para uma lição ... O médium vidente pode ver Espíritos levianos e mentirosos, como outros os ouvem, ou escrevem sob a influência deles. Podem os Espíritos levianos aproveitar-se dessa disposição, para o enganar, por meio de falsas aparências; isso depende das qualidades do Espírito do próprio médium.
  • Para não ser enganado, basta que alguém esteja animado de boas intenções? E os homens sérios, que não mesclam de vã curiosidade seus estudos, também se acham sujeitos a ser enganados?
    R - evidentemente, menos do que os outros; mas, o homem tem sempre alguns pontos fracos que atraem os Espíritos zombeteiros. Ele se julga forte e muitas vezes não o é. Deve, pois, desconfiar sempre da fraqueza que nasce do orgulho e dos preconceitos. Ninguém leva bastante em conta estas duas causas de queda, de que se aproveitam os Espíritos que, lisonjeando as manias, têm a certeza do bom êxito.
  • Não podem também os Espíritos enganadores contrafazer o pensamento?
    R -Contrafazem o pensamento, como os cenógrafos contrafazem a Natureza.
  • Parece assim fácil sempre descobrir-se a fraude por meio de um estudo atento?
    R -Não o duvides. Os Espíritos só enganam os que se deixam enganar.
    Mas, é preciso ter olhos de mercador de diamantes, para distinguir a pedra verdadeira da falsa. Aquele que não sabe distinguir a pedra fina da falsa deve se dirigir ao lapidário.
  • Há pessoas que se deixam seduzir por uma linguagem enfática, que apreciam mais as palavras do que as ideias, que mesmo tomam ideias falsas e vulgares por sublimes. Como podem essas pessoas, que não estão aptas a julgar as obras dos homens, julgar as dos Espíritos?
    R -Quando essas pessoas são bastante modestas para reconhecer a sua incapacidade, não se fiam de si mesmas; quando por orgulho se julgam mais capazes do que o são, trazem consigo a pena da vaidade tola que alimentam. Os Espíritos enganadores sabem perfeitamente a quem se dirigem. Há pessoas simples e pouco instruídas mais difíceis de enganar do que outras, que têm finura e saber. Lisonjeando-lhes as paixões, fazem eles do homem o que querem.
  • Haverá fórmulas eficazes para expulsar os Espíritos enganadores?
    R -Fórmula é matéria; muito mais vale um bom pensamento dirigido a Deus.

[17b - página 338 item 268]

Ver também:
*