Epilepsia
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

Epilepsia - s. f. Med. Doença nervosa caracterizada por ataques convulsivos, perda da consciência e outras perturbações psíquicas.

Epilepsia - O mesmo que disritmia cerebral paroxística.[31]

____Epilepsia, distúrbio crônico do cérebro caracterizado por convulsões ou ataques repetidos. A origem dos ataques pode ser:

  • uma lesão cerebral subjacente,
  • uma lesão estrutural do cérebro,
  • uma doença sistêmica,
  • ou até ser idiopática (sem causa orgânica).

____Os ataques epilépticos consistem em perda de consciência, espasmos convulsivos de partes do corpo, explosões emocionais ou períodos de confusão mental.

____Nos indivíduos epilépticos, as ondas cerebrais, que são uma manifestação da atividade elétrica do córtex cerebral, têm um ritmo característico anômalo. Os registros das ondas cerebrais são obtidos com um aparelho denominado eletroencefalógrafo.http://togyn.tripod.com.br/dem_cretin_epilepsia.htmhttp://www.psiqweb.med.br/gloss/dicd1.htmhttp://www.psiqweb.med.br/forense/violen2.html#epileptiforme

____
____O fenômeno epileptóide mui raramente ocorre por meras alterações no encéfalo, como sejam as que procedem de golpes na cabeça, e, geralmente, é enfermidade_da_alma, independente do corpo_físico, que apenas registra, nesse caso, as ações_reflexas. Longe vai o tempo em que a razão admitia o paraíso ou o purgatório como simples regiões exteriores: céu e inferno, em essência, são estados conscienciais; e, se alguém agiu contra a Lei ver-se-á dentro de si mesmo em processo retificador, tanto tempo quanto seja necessário. Ante a realidade, portanto, somos compelidos a concluir que,

[25 - página 112] - André Luiz

UM CASO DE CONVULSÃO EPILÉTICA

____..."Observa o campo orgânico, examinando particularmente o cérebro.

____Notei que a luz habitual dos centros_endócrinos empalidecera, persistindo somente a epífise a emitir raios anormais. No encéfalo o desequilíbrio era completo. Das zonas mais altas do cérebro partiam raios de luz mental, que, por assim dizer, bombardeavam a colmeia de células do córtex. Os vários centros motores, inclusive os da memória e da fala, jaziam desorganizados, inânimes. Esses raios anormais penetravam as camadas mais profundas do cerebelo, perturbando as vias do equilíbrio e destrambelhando a tensão muscular; determinavam estranhas transformações nos neurônios e imergiam no sistema_nervoso cinzento, anulando a atividade das fibras. Via-se totalmente inibido o delicado aparelho encefálico. As zonas motoras, açoitadas pelas faíscas mentais, perdiam a ordem, a disciplina, o autodomínio, por fim cedendo, baldas de energia. Enquanto isso, Marcelo-espírito contorcia-se de angústia, justaposto ao Marcelo-forma, encarcerado na inconsciência orgânica, presa de convulsões que me confrangiam a alma.

____Após detido exame, indaguei do orientador Calderaro:

  • Como explicar essa ocorrência? Afinal de contas, nosso amigo não se encontra aqui sob o guante dos perseguidores desencarnados, mas em nossa exclusiva companhia.

____O orientador, agora em ação de socorro_magnético, interferia, restaurando o equilíbrio, recomendando-me aguardar alguns minutos. Em breve, dominou a desarmonia. Envolvendo-lhe o campo mental em emissões fluídico-balsâmicas, o desastre não chegou a termo. Marcelo aquietou-se. Refez-se a atividade cerebral, qual praça em tumulto logo descongestionada. As células nervosas retomaram sua tarefa, normalizaram-se as vias do tráfego, o sistema endocrínico regressou à regularidade, as redes de estímulos restabeleceram os serviços costumeiros.

____Marcelo, desapontado e abatido, caiu em profundo_sono, pois Calderaro entendeu conveniente proporcionar-lhe maior repouso, não lhe permitindo a retirada_em_corpo_perispiritual nos primeiros minutos de paz que se sucederam à forte crise.

____Observando o rapas, no conchego do leito, o instrutor fitou-me, benévolo, e perguntou:

  • Lembras-te dos reflexos condicionados de Pavlov? Como não? recordava-me, sim, da famosa experiência com cães, aplicada a fenômenos outros.
  • Pois bem — prosseguiu Calderaro, bondoso —, o caso de Marcelo verifica-se em consonância com os mesmos princípios. Em existências passadas, errou em múltiplos modos, e o remorso, imperiosa força a serviço da Divina Lei, guardou-lhe a consciência, qual sentinela vigilante, entregando-o aos seus inimigos nos planos inferiores e conduzindo-o à colheita_de_espinhos_que_semeara, logo após a perda do vaso_físico, num dos seus períodos mais intensos de queda espiritual. Em conseqüência de tais desvios, perambulou desequilibrado, de alma doente, exposto à dominação das antigas vítimas. Desarranjou os centros_perispirituais, enfermando-os para muito tempo. Sustentado pelo socorro de um grande instrutor que intercedeu por ele, renasceu mais calmo, agora, para importante serviço de resgate. Todavia, a cooperação valiosa recebida do exterior não poderia transformar-lhe de modo visceral a situação íntima. Conservava-se desafogado dos impiedosos adversários, aos quais deveria ajudar doravante; contudo, o organismo_perispirítico arquivava a lembrança fiel dos atritos experimentados fora do veículo_denso. As zonas motoras de Marcelo, em razão disso — salientou o atencioso orientador —, simbolizando a moradia das « forças conscientes», em sua atualidade de trabalho, constituem uma « região perispiritual em convalescença», quais as sensíveis cicatrizes do corpo físico. Ao se reaproximar de velhos desafetos, o rapaz, que ainda não consolidou o equilíbrio integral, sujeita-se aos violentos choques psíquicos, com o que as emoções se lhe desvairam, afastando-se da necessária harmonia. A mente desorientada abandona o leme da organização perispirítica e dos elementos fisiológicos, assume condições excêntricas, dispersa as energias, que lhe são peculiares, em movimentos desordenados; passam, então, essas energias a atritarem-se e a emitir radiações de baixa frequência, aproximadamente igual à da que lhe incidia do pensamento alucinado de suas vítimas. Essas emissões destruidoras invadem a matéria delicada do córtex_encefálico, assenhoreiam-se dos centros corticais, perturbam as sedes da memória, da fala, da audição, da sensibilidade, da visão, e inúmeras outras sedes do governo de vários estímulos; temos, destarte, o «grande mal», de sintomatologia aparatosa, determinando as convulsões, nas quais o corpo físico, prostrado, vencido, mais se assemelha a embarcação repentinamente à matroca.

____As elucidações de Calderaro enchiam-me de respeito pelos fundamentos morais da vida. Compreendia agora a impossibilidade de uma psiquiatria sem as noções do espírito. Lembrou-me a lutasecular entre fisiologistas e psicologistas, disputando a norma de socorro aos alienados mentais. Mesmer e Charcot, Pinel e Broca desfilaram ante minha imaginação, enriquecida de novos conhecimentos.

[25 - página 116] - André Luiz

____
____... "Os hipnóticos são úteis só na áspera fase de absoluta ignorância mental, quando é preciso neutralizar as células_nervosas ante os prováveis atritos da organização_perispirítica. Em teu caso, Marcelo, para a tua consciência que já acordou na espiritualidade superior, o remédio mais eficaz consiste:

  • na fé positiva,
  • na autoconfiança,
  • no trabalho digno,
  • em pensamentos enobrecedores. Permanecendo na zona mais alta da personalidade, vencerás os desequilíbrios dos departamentos mais baixos, competindo-te, por isto mesmo, atacar a missão renovadora e sublime que te foi confiada no setor da própria iluminação e no bem do próximo.

____Os elementos medicamentosos podem exercer tutela despótica sobre o cosmo orgânico, sempre que a mente não se disponha a controlá-la, recorrendo aos fatores educativos ...

[25 - página 121] - André Luiz

____... Depois de se extinguirem os acessos de possessão, o obsediado sofrerá os reflexos do desequilíbrio em que se envolveu, a se exprimirem nos fenômenos mais leves da epilepsia secundária, que emergirão, por algum tempo, ante as simples recordações mais fortes da luta que vem atravessando, até o integral reajuste do corpo perispirítico.

[28a - página 84] André Luiz

____Tratamento cirúrgico das epilepsias

  • INVESTIGAÇÃO:
    Deve ser realizados vários exames para a localização exata da área epileptógena, como eletroencefalografia com eletrodos especiais (nasofaringeos, esfenoidais, zigomáticos); ou em série (strips), colocados através de trepanação; em placas (grids), colocados por craniotomia; eletrodos de profundidade, colocados por extereotaxia; monitorização prolongada com estes eletrodos, com Video/EEG ; Holter cerebral; SPET cerebral, que é obtido através de emisssão de photon único e admistração de tecnesium 99 endovenoso, sendo avaliado o fluxo cerebral por imagem, e nos pacientes epilépticos pode ser observado uma hipoconcentração focal no período interictal e um hiperconcentração no momento ictal; no PET cerebral a imagem é obtida por emissão de pósitron, sendo avaliado o metabolismo cerebral através da injeção de glicose endovenosa, no momento ictal a imagem interpretada é de aumento do metabolismo cerebral localizado, e interictal observamos uma diminuição deste metabolismo no local; tomografia computadorizada craniana; ressonância magnética encefálica, que poderá mostrar pequenas lesões expansivas epileptógenas ou áreas de escleroses mesiais temporais ou displasias corticais, que geralmente não são vistas pela tomografia computadorizada craniana, deverão ser realizados e discutidos individualmente com o médico que realizou o exame e após em reunião com a equipe médica (neurologista, neurologista infantil, neurocirurgião, psiquiatra, neurofisiologista, psicólogo, enfermeira, assistente social) que investiga estes pacientes.
  • CIRURGIAS:
    O tratamento cirúrgico destes pacientes poderá ser realizado por diferentes técnicas, como:

    • lobectomia temporal,
    • lobectomia frontal,
    • ressecções corticais localizadas,
    • calosotomia,
    • hemisferectomia,
    • etc., dependendo do tipo de crise e do resultado dos exames em relação a localização da área epileptógena e dos testes neuropsicológicos. Usamos a eletrocorticografia no intraoperatório, antes das ressecções corticais para determinarmos com maior precisão a área irritativa.
http://www.sonesp.com.br/noticias50.asp

http://www.lpce.pt/doenca/cirurgia_epilepsia.htm

____Sob o ponto de vista da Medicina, as epilepsias formam um grupo de distúrbios na função neurológica que se caracterizam por alterações que provocam acessos intensivos (paroxísticos) recorrentes (que aparecem e retornam após intermissões), tendo por causa anormalidades na atividade elétrica do cérebro.

____Uma definição genérica, dicionarística e explicativa do que é Epilepsia:

  • Afecção de que há alguns tipos, que incide no homem (e em vários animais, especialmente quadrúpedes e algumas aves) e consiste em acessos recidivantes de distúrbios de consciência ou de outras funções psíquicas, movimentos musculares involuntários e perturbações do sistema_nervoso autônomo. Estes sintomas de repetição são concomitantes a descargas_disrítmicas de neurônios_encefálicos registráveis por eletroencefalograma.
  • Em síntese: distúrbio funcional que provoca uma disritmia cerebral.

____Pode não parecer, mas é alarmante: acomete, nas suas mais variadas formas e nos mais simples ou complexos sintomas, até 2% da população de todas a idades.

____Pode ser resultado de uma lesão neurológica ou de uma alteração estrutural do cérebro, havendo diversidade de agentes: tumores, drogas, infecção e traumatismos. Tais origens são detectadas pela análise clínica e nos exames eletroencefalográficos.http://www.feal.com.br/colunistas.php?art_id=2&col_id=6

Informações sobre o colunista


____EPILEPSIA ESSENCIAL - IDIOPATIA

____Quando a origem da epilepsia não é conhecida (ou seja, inexistem lesões ou disfunções neurológicas), é conhecida como epilepsia essencial. “ESSENCIAL” (em Medicina) é ocorrência cuja origem é desconhecida. É , mais precisamente, a IDIOPATIA doença de causa desconhecida. Essa expressão médica deriva do ESSENCIALISMo: doutrina médica antiga que considerava as doenças como independentes da vida animal. A expressão deriva do verbo latino: SUM, ES, ESSE, FUI (=verbo designativo de existência: SER, EXISTIR.).

____Tal tipo de ocorrência passa a ser um verdadeiro enigma para os estudiosos da ciência convencional, resolvido,entretanto, no âmbito da ciência espírita.

____A EPILEPSIA ESSENCIAL é especificamente caracterizada como afecção da alma .

(Ver: Fluidos deletérios )

____Para arrematar, identificando grande parte da doença (tirando causas imediatas, tais como traumas) com origens de processos de influenciação espiritual, como verdadeira afecção da alma, ouçamos André Luiz (Evolução Em Dois Mundos, cap. XIV, valendo a pena ler o caso concreto ali narrado!) quando deixa claro que as interferências_obsessivas “se expressam igualmente nas moléstias nervosas complexas, como a hístero-epilepsia, em que o paciente sofre o espasmo tônico em opistótono, acompanhado de convulsões crônicas de feição múltipla, às vezes sem qualquer perda, equivalendo a transe_mediúnico autêntico, no qual a personalidade invisível se aproveita dos estados emotivos mais intensos para acentuar a própria influenciação.”

____Daí porque o Espiritismo - que cuida eficazmente das doenças da alma, identificando os processos obsessivos - tem tanto êxito no tratamento desse mal.

____“Ninguém pode avançar livremente para o amanhã sem solver os compromissos de ontem”... (Aulus, pg. 82 da obra citada).

http://www.feal.com.br/colunistas.php?art_id=2&col_id=6

Informações sobre o colunista

____Na Bíblia encontramos duas descrições de pessoas com epilepsia.

  • Uma está em Marcos 9:14-29 que nos conta o tratamento de um menino que foi trazido por seu pai a Jesus.
  • A outra em Atos 22, 6-16, que descreve a conversão do apóstolo Paulo.

Elza Márcia Targas Yacubian

A epilepsia retratada ao longo da históriahttp://www.comciencia.br/reportagens/epilepsia/ep19.htm

Links:

Ver também:S

*