Degradação voluntária
página acima: Homem e Espírto
-

____Já vos fizemos entrever como as almas, que se degradam voluntariamente, chegam de queda em queda a tornar a renovação difícil. Preferir sempre o mal ao bem produz o ódio ao que é puro e bom. Os Espíritos desse caráter têm sido usualmente encarnados em corpos nos quais as paixões_animais predominavam, ...

  • sendo a estes submetidos primeiramente
  • e por fim tornando-se seus escravos. (Ver: Auto-obsessão)

____Aspirações nobres, desejos de santidade e de pureza, divina energia, tudo é aniquilado, e em vez do Espírito, o corpo reina como soberano, ditando as suas próprias leis, apagando todo o vislumbre moral e intelectual e rodeando a alma de influências e associações de impurezas. O caso é perigoso. Os guias retiram-se assustados, não podem respirar essa atmosfera, mas outros_Espíritos_os_substituem e, possuídos dos mesmos vícios, fazem reviver as suas existências sensuais e comprazem-se em aviltar o desgraçado_de_quem_se_apoderaram. Essa tendência do pecado corporal, persistindo, é uma das mais terríveis conseqüências da voluntária e grosseira transgressão às leis da Natureza...
____... Sabemos que há linhas de demarcação entre as gradações e as diferentes espécies de vício. Aqueles que desconhecem e recusam aceitar o menor vislumbre vivificante, que se revolvem na impureza e no vício, caem cada vez mais baixo, a tal ponto que perdem a consciência de sua identidade e são praticamente extintos, no que diz respeito à existência pessoal; é pelo menos o que acreditamos. (Ver: Ovóides)
____Ah! quão opressivo é esse pensamento. Tais casos são raros, atingindo somente a alma que, de propósito deliberado, rejeitou tudo o que é bom e nobre. É isso o pecado até na morte, de que falou Jesus aos seus discípulos. É o pecado de exaltar o animal até à extinção do espiritual, de degradar mesmo o corporal, de reduzir o homem ao nível do mais baixo dos brutos, e assim como o doente é corrompido e esmagado sob indômitas dores, o Espírito é reprimido e perde-se em insondável escuridão.
____É isso o pecado imperdoável; não porque o Supremo não queira perdoar, mas porque o pecador quer que isso seja assim. Imperdoável porque o perdão é impossível ali onde o pecado é congenial e inacessível à penitência.
____O castigo é sempre a conseqüência mediata ao pecado; não é uma medida arbitrária, mas o resultado inevitável da violação da lei. As conseqüências da transgressão não podem ser evitadas, ainda que pudessem ser disfarçadas pelo remorso, que sugere o desgosto da falta e o desejo de repará-la. Isso é o primeiro passo, depois uma melhor aspiração surge no Espírito, a atmosfera espiritual muda e os bons guias se apresentam prontamente para ajudar a alma que quer lutar. Ela é afastada dos inimigos; remorsos e aflições são consolados. O Espírito torna-se ameno e terno, sensível às influências do bem, e progride. Assim o pecado é expiado, a duração e a amargura do castigo são aliviados. Isso sucede em todos os tempos.
____é de acordo com esse princípio que assinalamos a loucura da vossa conduta em face daqueles que transgridem as vossas leis. Se agíssemos do mesmo modo com os culpados não haveria redenção, e as esferas dos depravados estariam repletas de almas perdidas e arruinadas. Porém Deus é mais sábio e nós somos os seus ministros.

[108 - página 48 / 51] - Médium: William Stainton Moses - (1839 - 1892)

Ver também:
*