Cristianismo e Gnosticismo
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Os textos de Nag-Hammadi e outros similares, que circularam no início da era cristã, foram denunciados como hereges por cristãos ortodoxos em meados do século II. Sabemos que muitos dos primeiros seguidores de Cristo foram condenados por outros cristãos como hereges, porém quase tudo que conhecíamos sobre eles provinha do que fora escrito por seus adversários para atacá-los. O bispo Irineu, que dirigia a igreja em Lyon por volta do ano 180, escreveu cinco volumes intitulados The Destruction and Overthrow of Falsely So-called Knowledge (A Destruição e o Fim ao Falsamente Pretenso Conhecimento), que começam com sua promessa de apresentar os pontos de vista daqueles que estão ensinando heresias (...) mostrar quão absurdas e inconsistentes são suas declarações em relação à verdade (...) Faço isso para que (...) possam demandar a todos os seus conhecidos que evitem tal abismo de loucura e blasfêmia contra Cristo. 15

15 - Iruneu, AH Praefatio.

[84 - Introdução XIX]

____Segundo um terceiro texto valentiniano, a Interpretação d o Conhecimento, o Salvador ensina: “Vosso Pai, que está no céu, é um só.“ 12

____O próprio Irineu nos conta que o credo que selecionava de modo eficaz os marcionistasda igreja provava-se inútil contra os valentinianos, que recitavam o credo ortodoxo junto com outros cristãos. No entanto, Irineu explica que, embora “confessassem verbalmente um Deus”, faziam isso com reservas, em suas mentes, dizendo uma coisa e pensando outra". 13 Enquanto os marcionistas blasfemavam, de forma clara, contra o criador, os valentinianos, insiste, o faziam de modo velado: Essas pessoas são, na aparência, cordeiros, pois parecem ser como nós pelo que dizem em público, ao repetirem nossas palavras [da confissão]; mas no íntimo sãolobos. 14

____O que mais afligia Irineu era que a maioria dos cristãos não considerava os seguidores de Valentino hereges. Grande parte não saberia diferenciar o ensinamento valentiniano do ortodoxo; afinal, dizia, a maioria das pessoas também não sabe distinguir entre pedaços de vidro e esmeraldas! Contudo, declara, “embora sua linguagem seja semelhante à nossa”, os pontos de vista “não apenas são bastante diferentes, como estão cheios de blasfêmias”. 15A aparente semelhança com o ensinamento ortodoxo tornou essa heresia mais perigosa como veneno disfarçado em leite. Então, escreveu os cinco volumes de sua densa Refutation and Overthrow of Falsely So-called Gnosis (Refutação e Fim da Falsa Pretensa Gnose) para ensinar os incautos a discernir entre a verdade, que salva os fiéis, e o_ensinamento_gnóstico, que os destrói em um “abismo de loucura e blasfêmia”. 16

____Enquanto os valentinianos confessavam, em público, sua fé em um Deus, 17 nas reuniões privadas insistiam em diferenciar a imagem popular de Deus como mestre, rei, senhor, criador e juiz do que essa imagem representava - Deus entendido como a derradeira origem de todos os seres. 18 Valentino denominava essa origem “a profundeza”; 19 seus seguidores a descreviam como o princípio fundamental invisível e incompreensível. 20Grande parte dos cristãos, diziam eles, confundia imagens de Deus apenas com a realidade. 21 Salientava que, algumas vezes, as escrituras descreviam Deus como simples artesão, ou juiz vingador, ou rei que governava no céu, e até um mestre ciumento. Essas imagens, porém, diziam, não podiam ser comparadas ao ensinamento de Jesus de que “ Deus é espírito” ou “Pai da verdade”. 22 O autor do Evangelho_de_Filipe, outro valentiniano, mostra que nomes podem ser muito decepcionantes, pois desviam nossos pensamentos do correto para o incorreto. Assim, aquele que ouve a palavra “Deus" não percebe o correto, mas sim o incorreto. Desse modo“o Pai”, “o Filho, “ o Espírito_Santo”, e “vida”, “luz, “ ressurreição, “a Igreja" e todo o resto - as pessoas não percebem o que é correto, mas percebem o incorreto... 23

____Paul Tillich, teólogo protestante, fez, há pouco, uma distinção semelhante entre o Deus que imaginamos ao ouvir essa palavra e o “Deus além de Deus”, ou seja, o “fundamento do ser” que subjaz a todos os conceitos e imagens.

  • O que tornou sua posição herética?
  • Por que Irineu considera essa modificação do monoteísmo tão crucial na verdade, tão repreensível que exigiu de seus seguidores a expulsão dos adeptos de Valentino das igrejas por serem hereges?

____Ele admitiu que essa questão intrigava os próprios gnósticos: Perguntam, quando confessam as mesmas coisas e participam da mesma adoração (...) como nós, sem nenhuma razão, permanecemos longe deles; e como confessam as mesmas coisas e têm as mesmas doutrinas, são chamados de hereges! 24

____
____
Sugiro, mais uma vez, não ser possível responder de forma completa a essa questão se considerarmos esse debate, exclusivamente, em termos religiosos e filosóficos. Mas quando investigamos como a doutrina de Deus funciona de fato nos escritos gnósticos e ortodoxos, podemos ver como essa polêmica religiosa também envolve questões políticas e sociais.

  • De forma mais específica, no fim do século II, quando os ortodoxos insistiam em “ um Deus”,
  • validaram, ao mesmo tempo, o sistema de governo no qual a igreja era governada por “ um bispo”.

____A mudança gnóstica do monoteísmo foi considerada e talvez pretendesse ser um ataque ao seu sistema. Quando os cristãos ortodoxos e os gnósticos discutiam a natureza de Deus, estavam ao mesmo tempo discutindo a questão da autoridade espiritual.

____Essa questão dominava um dos primeiros escritos da igreja em Roma uma carta atribuída a Clemente, chamado Bispo de Roma (ca. 90-100). Clemente, como porta-voz da igreja_romana, escreveu à comunidade cristã em Corinto, em tempos de crise: certos líderes da igreja de Corinto haviam sido destituídos do poder. Clemente diz que “alguns indivíduos ousados e obstinados” os tiraram do ofício: “pessoas sem reputação [levantaram-se] contra outras com reputação, os tolos contra os sábios, os jovens contra os velhos.” 25 Usando linguagem política, chama isso “rebelião” 26e insiste em que os líderes depostos sejam reinvestidos de poder: adverte que devem ser temidos, respeitados e obedecidos.

____Com que fundamentos? Clemente argumenta que Deus, o Deus de Israel, governa sozinho todas as coisas: 27ele é o senhor e o mestre a que devemos obedecer; o único juiz que estabelece a lei, punindo os rebeldes e gratificando aqueles que obedecem à lei. Contudo, como são, de fato, administradas as normas de Deus? Neste ponto a teologia de Clemente torna-se prática: Deus, diz ele, delega sua “autoridade de reinar” aos “governantes e líderes na terra”. 28 Quem são os governantes indicados? Clemente responde que são os bispos, os padres e os diáconos. Quem se recusa a “curvar-se” 29 e a obedecer aos líderes da igreja é culpado de insubordinação contra o próprio mestre divino. Arrebatado por seu argumento, Clemente adverte que quem desobedece às autoridades divinas ordenadas “recebe a pena de morte!”. 30

____Essa carta marca um momento dramático na história do cristianismo. Pela primeira vez, encontramos aqui um argumento para a divisão da comunidade cristã entre “ o clero” e o laicismo”. A igreja será organizada em termos de uma ordem estrita de superiores e subordinados. Mesmo fazendo parte do clero, Clemente insiste em hierarquizar cada membro, bispo, padre ou diácono, “em sua própria ordem”: 31 cada um deve observar “as regras e mandamentos” de sua posição o tempo todo.

[84 - página 34]

Irineu (130 dC - 200 dC)

Bispo de Lyon e Polemista Anti-Gnóstico

A sua obra é composta de cinco volumes é são assim caracterizadas:

  • Livro I: Esboço histórico da seita gnóstica, apresentada em conjunto com uma declaração da fé cristã. Este volume é a melhor fonte de informação sobre os ensinos dos gnósticos. Era uma polêmica filosófica contra Valentino, o líder da corrente romana do gnosticismo.
  • Livro II: Crítica filosófica sobre o Gnosticismo. Nele, Irineu insiste na unidade de Deus em oposição a ideia herética da existência de um demiurgo distinto de Deus.
  • Livro III: Crítica bíblica sobre o Gnosticismo. Ele mostra como o Gnosticismo é rejeitado pela Bíblia e pela tradição mais significativa. Neste livro, Irineu dá ênfase à unidade da Igreja através da sucessão apostólica de líderes desde Cristo e de uma regra de fé.
  • Livro IV: Respostas ao Gnosticismo através das palavras de Cristo. Neste, Marcion, outro líder gnóstico, é condenado pela citação das palavras de Cristo que se opõem às suas propostas.
  • Livro V: Vindicação da ressurreição contra os argumentos gnósticos, os quais, segundo as ideias deles, reunia o corpo material mau com o espírito.
  • http://www.sepoangol.org/irineu.htm
Ver também:
*