página acima: Comportamento
Conflitos
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Na raiz de muitos conflitos e desequilíbrios juvenis, adultos, e até mesmo ressumando na velhice, as distonias tiveram origem no período de gestação, posteriormente na infância, quando a figura da “mãe dominadora e castradora”, com quem mais convive no período infantil, assim como do pai negligente, indiferente ou violento, frustrou os anseios de liberdade do ser. Pessoas emocionalmente enfermas, ante o próprio fracasso, transferem para os filhos aquilo que gostariam de conseguir, suas culpas e incapacidades.

JOANNA DE ÂNGELIS - Psicografado por Divaldo Pereira Franco
Trabalho de João Gonçalves Filho - (CONFLITO - 514)

____Os conflitos psicológicos estão presentes no homem, que, invariavelmente, não lhes dá valor, evitando deter-se neles, analisar a própria fragilidade, de modo a encontrar os recursos que lhe facultem diluí-los. O ser consciente deve trabalhar-se sempre, partindo do ponto inicial da sua realidade psicológica, aceitando-se como é e aprimorando-se_sem_cessar. Somente consegue essa lucidez aquele que se auto-analise, disposto a encontrar-se sem máscara, sem deteriorização. Para isso, não se julga, nem se justifica, não se acusa nem se culpa. Apenas descobre-se.

JOANNA DE ÂNGELIS - Psicografado por Divaldo Pereira Franco
Trabalho de João Gonçalves Filho - (CONFLITO - 515)

Quando estiver envolvido em uma discussão, que se conceda plena justiça a ambas as partes. Escute — absorva — preste atenção — faça as pazes tanto quanto possível. Assegure-se de que as suas exigências não comprometam o bem estar do outro — seja no campo pessoal, dos prazeres, dos negócios ou indústrias.

Lembre-se de que como você se comporta com os outros eventualmente eles se comportarão com você. Recorde que os seus pensamentos, palavras e ações de hoje tomarão forma em suas experiências nos próximos dias, meses ou anos. Às vezes a semente leva anos para crescer e transformar-se em colheita e até lá você terá esquecido o que semeou. Mesmo assim, esteja certo de que aquilo que fizer hoje voltará para você de uma forma semelhante, ainda que você não reconheça ou perceba a conexão. (Ver: Causa e Efeito - Ação e Reação)

O que você gostaria que as pessoas dissessem a respeito de seus erros - diga-o, pense-o - a respeito dos erros que os outros possam cometer - sejam eles amigos ou desconhecidos.

Ofereça a aceitação e o perdão que você gostaria de receber.

  • O que é o verdadeiro perdão?

    • É um estado de compreensão tão clara do outro e das razões do seu comportamento que você pode dizer com toda a honestidade - não há nada para perdoar.

A lealdade, bondade e generosidade que você gostaria de receber quando está em dificuldades - ofereça aos outros quando estiverem lutando com pesados fardos. Nunca vire as costas para eles.

Aprenda a olhar para as pessoas ou para as situações com um olhar de amável discernimento. Veja-os como estão naquele momento e depois lembre que Eu os vejo com amor compassivo.

Se você enxerga neles uma verdadeira necessidade de melhora - para o bem deles e para o aprimoramento futuro do seu bem estar - olhe para eles apenas com os olhos do coração e do amor e veja como eles poderão estar no futuro. Leve-os em pensamento até a FONTE_do_seu_SER e saiba, com certeza, que a sua oração os abençoou e abriu as portas do seu desenvolvimento. Peça orientação para a Consciência_Divina para saber se você pode abordar o assunto da "melhoria" deles e pergunte como isso pode ser feito para assegurar a feliz aceitação de seu conselho e do sucesso final no desenvolvimento pessoal.

Se alguém quiser dizer o quanto você o feriu em algum momento - permaneça em pé ou sentado silenciosamente e saiba que isso é um verdadeiro desafio aos seus impulsos egocêntricos. Esse é o seu grande momento - o seu maior teste.

  • Como você vai lidar com isso?
  • Você encontrará desculpas, se defenderá, pensando e mesmo dizendo que as suas atitudes não deveriam ter ferido a outra pessoa - e que elas eram plenamente justificáveis devido às circunstâncias?

Se você responder dessa maneira, então os impulsos do seu ego ainda dominam completamente a sua consciência.

Mas se você consegue perceber que o grande momento da verdade chegou, — e que por causa dessa consciência — você consegue permanecer quieto e tranquilo, escutando as queixas do outro sobre a dor que você provocou, estará conseguindo o primeiro êxito na superação do ego.

O próximo passo urgente é firmemente deixar de lado a sua própria necessidade de defender-se e sinceramente compreender o que o outro está dizendo. Você só poderá fazer isso sinceramente se puder recolher-se o suficiente para entrar em uma zona de silêncio interior onde você pode sentir plenamente a dor do outro, ouvir o que ele está dizendo e receber a sua dor em seu próprio coração. Se puder fazer isso, terá se colocado na pele do outro. E quando você estiver na pele do outro e sentir a sua dor, desejará pedir desculpas do fundo do seu coração pelo mal que causou. A dor que causou sem saber e de forma inconsciente será a sua dor e você não descansará até que tenha conseguido, através de palavras amorosas, eliminar o último resíduo de dor da consciência do outro. Você então terá curado a ferida e essa também será eliminada do seu sistema eletromagnético de consciência. Você terá alcançado uma grande vitória sobre si mesmo. Você terá atingido aquele ponto de força e tolerância interior em que poderá perceber verdadeiramente que a realidade das outras pessoas tem o mesmo valor que a sua própria realidade. Você terá aceitado e reconhecido que os outros também podem ser feridos pelas suas ações, da mesma forma que você tem sido ferido por outras pessoas.

Uma vez atingido esse grande momento de verdade em sua vida, perceberá que é capaz de mover-se entre você mesmo e os outros confortavelmente, capaz de ver os acontecimentos da perspectiva deles tão facilmente quanto vê de sua própria perspectiva. Um grande equilíbrio entre as suas necessidades e as dos outros se estabelecerá e você entrará em um estado de paz, uma vez que estará seguro de tratar os demais com justiça e generosidade de espírito. Assim você começa a remover as barreiras entre você e as outras pessoas e a recebê-las em seu coração.

Você também começa a remover as suas próprias defesas e por causa disso descobrirá que — finalmente — está alcançando a verdadeira autoestima e paz de espírito.

Esta nova compreensão do sentimento dos outros inspirará em você um grande respeito para com eles. Você desejará tratá-los sempre com justiça acatando os seus direitos, nunca querendo tirar vantagem de seu bom caráter, nunca querendo humilhá-los nem reduzir a sua autoestima e estará sempre pronto a encorajá-los e erguê-los quando estiverem em sofrimento - físico ou emocional.

Você vai se descobrir fazendo essas coisas também por si mesmo. Vai se tornar seu próprio conselheiro, suporte e curador.

Você olhará para cada pessoa, seja qual for a sua posição social, como pertencente a uma realidade básica igual à sua própria. Verá que você é igual a todas as pessoas, seja um Rei, Papa ou Presidente, pois debaixo da aparência externa, todos são originários da GRANDE UNIDADE do SER.

Portanto você já não se sentirá inadequado em nenhuma situação, pois terá avançado na força e na sabedoria extraídas da Consciência Divina e reconhecerá que você tem direitos iguais a todos os demais.

Tranquila e serenamente, não permitirá que outros tirem vantagem de você. Você será capaz de expressar-se com clareza e honestidade, com a devida consideração pelos sentimentos da outra pessoa. Você não terá mais vontade de denegrir o outro nem reduzir a sua autoestima. Ao contrário, você fará todo o possível para salvaguardar o autorrespeito deles, expondo a sua verdade de maneira clara, mas amorosamente.

Lembre-se, quando exprimir a sua verdade para outro não é de sua incumbência dizer a ele como deveria agir em qualquer circunstância, nem como deveria reagir às suas palavras.

Contudo, respeitando os VALORES UNIVERSAIS de perfeita honestidade, de trabalho consciencioso, de boa vontade para com os demais e de cuidado para com os menos favorecidos, uma pessoa tem o direito de pleitear que estes valores prevaleçam sobre todas as outras considerações de CONVENIÊNCIA dentro de um grupo, empresa da comunidade ou empreendimento nacional.

Você tem o legítimo direito de dizer como se sente diante do comportamento de menosprezo de uma pessoa com relação a você - você deve estar ciente da necessidade de fazê-lo. É provável que a sua cuidadosa honestidade seja necessária para resolver ou esclarecer uma determinada situação para o bem de todos.

Expresse a sua opinião com gentileza - diga suavemente ao outro como se sente nas atuais circunstâncias desagradáveis e explique o que o fez sentir-se assim. Não diga "Você fez tal e tal coisa" porque o outro sentirá que você o está culpando e isso despertará nele o mecanismo de defesa do ego. A partir daí o confronto será difícil e desagradável para ambos. Para aproximar-se de pessoas impulsionadas pelo ego, é preciso continuamente falar de maneira tal que elas nunca se sintam ameaçadas. Essa é a arte da comunicação amorosa e você só pode aprendê-la por erros e acertos e prática constante!

[ CARTAS DE CRISTO > Carta 9]

Ver também:
*