página acima: Manifestação
Comunicação dos Espíritos com o mundo material
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

DO “MODUS OPERANDI” DOS ESPÍRITOS

O “modus operandi” das entidades que se comunicam, nos ambientes terrestres, tem a sua base no magnetismo_universal, dentro do qual todos os seres e mundos gravitam para a perfeição suprema; e incalculável é a extensão do papel que a sugestão e a telepatia representam nos fenômenos mediúnicos.

[71 - página 153] - EMMANUEL - 1938

(Ver: Energia escura) O contacto com o reino espiritual, enquanto nos demoramos no envoltório terrestre, não pode ser dilatado em toda a extensão, para que nossa alma não afrouxe o interesse de lutar dignamente até o fim do corpo.

[4 - página 97] - André Luiz

"Está próxima a época em que se demonstrará que a alma humana pode viver desde esta existência terrestre, em comunicação estreita e indissolúvel com as Entidades imateriais do mundo dos espíritos. Então será compreendido que esse mundo age sobre o nosso e lhe comunica influências profundas de que o homem de hoje não tem conhecimento".

Kant - EMMANUEL Kant Filósofo alemão (1724 - 1804)

Consciência espírita:www.consciesp.org.br

O Espírito encontra dificuldade em expressar seu pensamento, por falta de termos apropriados.

[1 - página 28]

____A perda_dos_entes que nos são caros constitui para nós legítima causa de dor, tanto mais legítima quanto é irreparável e independente da nossa vontade. Essa causa de dor atinge assim o rico, como o pobre:

____Tendes, porém, uma consolação em poderdes comunicar-vos com os vossos amigos pelos meios que vos estão ao alcance, enquanto não dispondes de outros mais diretos e mais acessíveis aos vossos sentidos.

[9a - página 433 questão 934]

____Não pode haver profanação na comunicações com o além-túmulo, quando haja recolhimento e quando a evocação seja praticada respeitosa e convenientemente. A prova de que assim é tendes no fato de que os Espíritos que vos consagram afeição acodem com prazer ao vosso chamado. Sentem-se felizes por vos lembrardes deles e por se comunicarem convosco. Haveria profanação, se isso fosse feito levianamente. A possibilidade de nos pormos em comunicação com os Espíritos é uma dulcíssima consolação, pois que nos proporciona meio de conversarmos com os nossos_parentes_e_amigos, que deixaram antes de nós a Terra. Pela evocação, aproximamo-los de nós, eles vêm colocar-se ao nosso lado, nos ouvem e respondem. Cessa assim, por bem dizer, toda separação entre eles e nós. Auxiliam-nos com seus conselhos, testemunham-nos o afeto que nos guardam e a alegria que experimentam por nos lembrarmos deles. Para nós, grande satisfação é sabê-los ditosos, informar-nos, por seu intermédio, dos pormenores da nova existência a que passaram e adquirir a certeza de que um dia nos iremos a eles juntar.

[9a - página 433 questão 935]

De modo algum duvidamos de que Jesus possa manifestar-se; mas, se os Espíritos verdadeiramente superiores não o fazem, senão em circunstâncias excepcionais, a razão nos inibe de acreditar que o Espírito porexcelência puro responda ao chamado do primeiro que apareça. Em todo caso, haveria profanação, no se lhe atribuir uma linguagem indigna dele.

Allan Kardec

[17b - Capítulo XXXI parágrafo IX]

____Abstraiamos, por instante, dos fatos que, ao nosso ver, tornam incontestável a realidade dessa comunicação; admitamo-la apenas como hipótese. Pedimos aos incrédulos que nos provem, não por simples negativas, visto que suas opiniões pessoais não podem constituir lei, mas expendendo razões peremptórias, que tal coisa não pode dar-se. Colocando-nos no terreno em que eles se colocam, uma vez que entendem de apreciar os fatos espíritas com o auxílio das leis da matéria, que tirem desse arsenal qualquer demonstração matemática, física, química, mecânica, fisiológica e provem por a mais b, partindo sempre do principio da existência e da sobrevivência da alma:

  • 1º que o ser pensante, que existe em nós durante a vida, não mais pensa depois da morte;
  • 2º que, se continua a pensar, está inibido de pensar naqueles a quem amou;
  • 3º que, se pensa nestes, não cogita de se comunicar com eles;
  • 4º que, podendo estar em toda parte, não pode estar ao nosso lado;
  • 5º que, podendo estar ao nosso lado, não pode comunicar-se conosco;
  • 6º que não pode, por meio do seu envoltório fluídico, atuar sobre a matéria inerte;
  • 7º que, sendo-lhe possível atuar sobre a matéria inerte, não pode atuar sobre um ser animado;
  • 8º que, tendo a possibilidade de atuar sobre um ser animado, não lhe pode dirigir a mão para fazê-lo escrever;
  • 9º que, podendo fazê-lo escrever, não lhe pode responder às perguntas, nem lhe transmitir seus pensamentos.

____Quando os adversários do Espiritismo nos provarem que isto é impossível, aduzindo razões tão patentes quais as com que Galileu demonstrou que o Sol não é que gira em torno da Terra, então poderemos considerar-lhes fundadas as dúvidas. Infelizmente, até hoje, toda a argumentação a que recorrem se resume nestas palavras: Não creio, logo isto é impossível. Dir-nos-ão, com certeza, que nos cabe a nós provar a realidade das manifestações. Ora, nós lhes damos, pelos fatos e pelo raciocínio, a prova de que elas são reais. Mas, se não admitem nem uma, nem outra coisa, se chegam mesmo a negar o que vêem, toca-lhes a eles provar que o nosso raciocínio é falso e que os fatos são impossíveis.

[17b - página 25]

____Só podemos dizer-vos que é muito difícil para nós, Espíritos_elevados, achar um médium pelo qual nos possamos comunicar. Muitos Espíritos conversariam com prazer se encontrassem um médium conveniente. É daí que provém a variedade das comunicações; aquelas que se verificam ser falsas não o são sempre voluntariamente. Para o futuro conheceremos melhor as condições que influem sobre as comunicações.

[108 - página 33] - Médium: William Stainton Moses- (1839-1892)

____Com efeito, os mortos comunicantes, além de se exprimirem correntemente, quando o fazem em línguas ou patoás que o médium desconhece, dão à voz o timbre característico, a construção peculiar, a expressão familiar que em vida tinham, bem como patenteiam as tendências e a intelectualidade que lhe eram próprias. Não lhes escapa também a recordação de qualquer detalhe, por mais insignificante, da existência terrestre sua e de amigos seus, e destes esquecido, relatando, não raro, pormenores ignorados de todos os assistentes e cuja exatidão se acaba, afinal, por averiguar.
____A favor da hipótese espírita dizem ainda os casos de Xenoglossia, em que os Espíritos comunicantes falam e escrevem em língua desconhecida de todos os assistentes.

[105 - página 117] - Ernesto Bozzano

*