página acima: Células
Célula-tronco
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____É um tipo de célula que pode se diferenciar e constituir diferentes tecidos no organismo. Esta é uma capacidade especial, porque as demais células geralmente só podem fazer parte de um tecido específico (por exemplo: células da pele só podem constituir a pele).

____Outra capacidade especial das células-tronco é a auto-replicação, ou seja, elas podem gerar cópias idênticas de si mesmas.

____Por causa destas duas capacidades, as células-tronco são objeto de intensas pesquisas hoje, pois poderiam no futuro funcionar como células substitutas em tecidos lesionados ou doentes, como nos casos de Alzheimer, Parkinson e doenças neuromusculares em geral, ou ainda no lugar de células que o organismo deixa de produzir por alguma deficiência, como no caso de diabetes.

http://www.estadao.com.br/educando/noticias/2004/mai/10/69.htm

____De forma bem simplificada, células-tronco são células primitivas, produzidas durante o desenvolvimento do organismo e que dão origem a outros tipos de células. Existem vários tipos de células-tronco:

  • 1. Totipotentes - podem produzir todas as células embrionárias e extra embrionárias;
  • 2. Pluripotentes - podem produzir todos os tipos celulares do embrião;
  • 3. Multipotentes - podem produzir células de várias linhagens;
  • 4. Oligopotentes - podem produzir células dentro de uma única linhagem e
  • 5. Unipotentes - produzem somente um único tipo celular maduro.

____As células embrionárias são consideradas pluripotentes porque uma célula pode contribuir para formação de todas as células e tecidos no organismo.

http://noticias.terra.com.br/ciencia/biotecnologia/interna/0,,OI472268-EI1434,00.html

____Células-tronco constituem, num primeiro passo, a bênção até aqui alcançada pelas pesquisas com a clonagem. Bênção incalculável, sublime. Seu emprego acena com a eliminação de praticamente quase todas as doenças. De forma alguma o Espiritismo concorda com a utilização de células-tronco embrionárias. Isso porque após a extração das células necessárias, o que restar de cada embrião será descartado, configurando-se o nefando crime do aborto, inadmissível para nós, espíritas. Contudo, Deus, na Sua bondade infinita, bem depressa já permitiu à ciência descobrir que todos os indivíduos, mesmo e principalmente os adultos, têm células-tronco em si mesmos, propiciando auto-emprego com rejeição “zero”, o que dispensa as alienígenas, vindas de embriões. Ampla reportagem no jornal Folha de S. Paulo (21/06/2002) dá conta que cientistas da Universidade de Minnesota, EUA, descobriram que células-tronco adultas da medula óssea podem se transformar em qualquer tipo de tecido, assim como suas equivalentes embrionárias.

http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/002/clonagem.html

____Pode estar no nariz a solução para a polêmica a respeito do uso de células-tronco de embriões. Em um estudo sobre o funcionamento do olfato humano, cientistas australianos descobriram células que se comportam da mesma maneira que as células de embriões, com poder regenerativo que se prolonga até a vida adulta. Se confirmadas as suspeitas, essas células do nariz poderão ser tão eficientes quanto as células-tronco embrionárias. Com a vantagem de permanecerem ativas por toda a vida.

Revista ISTOÉ/1850 - 30/3/2005, página 90

O que é o sangue de cordão umbilical e placentário (SCUP)?

____Devido às dificuldades de se encontrar doadores de medula óssea, busca-se fontes alternativas de células-tronco. Pesquisas demonstraram que, durante a gestação, o sangue de cordão umbilical se torna uma rica fonte de células-tronco da medula óssea do próprio bebê. Após o parto, o sangue que permanece no cordão umbilical e na placenta, contendo células-tronco, é geralmente descartado. A partir dessas descobertas, as células-tronco obtidas do sangue de cordão umbilical vêm sendo utilizadas em modelos terapêuticos onde é indicado o transplante de medula óssea.

http://www.abrale.org.br/doencas/celulas/index.php

Obstáculos no caminho que leva da promessa terapêutica aos tratamentos reais em seres humanos

____...Os pacientes se enchem de esperança com os relatos das propriedades quase miraculosas dessas células, mas muitos dos estudos científicos mais comemorados foram refutados posteriormente, e outros dados foram distorcidos em debates não sobre a técnica, mas sobre a moralidade de retirar essas células de embriões humanos.
____...Muitos obstáculos técnicos precisam ser superados e muitas questões sem resposta precisam ser solucionadas antes de podermos utilizar as células-tronco com segurança.

____...Por exemplo, a simples identificação de uma célula-tronco verdadeira pode ser complicada. Mesmo com exames minuciosos e exaustivos, não é possível distingui-las por sua aparência. É seu comportamento que as define.

____...Com produtos químicos, freqüentemente conseguimos levá-las a se transformar em um tipo específico de célula. Mas elas parecem preferir certos tecidos - viram facilmente aglomerados de células cardíacas que batem, por exemplo -, enquanto outros são muito mais difíceis de produzir.
____...Como ainda não entendemos os sinais que instruem as células a escolher determinado caminho durante o desenvolvimento embrionário, os pesquisadores vêm estudando seu "nicho" natural, a fim de entender possíveis indícios ambientais.

____...Mas derivar células é apenas metade da batalha. Células TE podem produzir com facilidade placas cheias de neurônios, por exemplo, mas eles só terão utilidade se puderem ser inseridos em um cérebro vivo, criando conexões e "conversando" com os neurônios a seu redor. Em 2001, os pesquisadores acreditaram ter conseguido um grande avanço quando Ronald McKay, dos Institutos Nacionais de Saúde, relatou ter gerado células produtoras de insulina (importante objetivo na pesquisa de células-tronco) a partir de células TE de camundongos. No ano passado, no entanto, Douglas A. Melton, da Universidade Harvard, reproduziu o experimento de McKay e descobriu que as células haviam absorvido insulina do meio de cultura, em vez de produzi-la.
____...O ideal seria injetar células TE na parte do organismo que necessita de regeneração, deixando que elas obtenham as informações necessárias do ambiente. A pluripotência das células TE, no entanto, torna essa alternativa perigosa demais para terapias em seres humanos. As células poderiam formar um teratoma, ou se diferenciar em um tipo de tecido indesejável, ou ambos. Em experimentos com animais, existem diversos relatos de teratomas com dentes totalmente formados.
____Em vez de se arriscar a criar um tumor ou um dente no cérebro ou no coração de um paciente com injeções diretas de células TE, ou de tentar produzir tecidos funcionais específicos, muitos pesquisadores vêm buscando um meio-termo.

____...Os cientistas ainda não sabem se a reprogramação ou algum outro aspecto da manipulação desses embriões poderiam introduzir mutações genéticas que predisponham as células TE ao envelhecimento ou ao câncer. Mutações genéticas hereditárias, como as que causam hemofilia ou distrofia muscular, também teriam de ser corrigidas antes de as células do próprio paciente serem empregadas para a criação de células TE.

____...A saúde das células TE derivadas de embriões clonados também é questionada, uma vez que experiências desse tipo esbarram em uma taxa muito elevada de deformidades e mortalidade.

Por Robert Lanza e Nadia Rosenthal

Ver texto completo em:
http://www2.uol.com.br/sciam/conteudo/materia/materia_50.html

(Importante! ... Ver: Células e Perispírito )

FENÔMENOS EXPLICÁVEIS

____Dentro do mesmo princípio de submissão das células ao estímulo nervoso, é que a experiência de transplante dos tecidos de embriões entre si, com alguns_dias_de_formação, pode oferecer resultados surpreendentes, de vez que as células orientadas em determinado sentido, quando enxertadas sobre tecidos outros “in vivo”, conseguem gerar órgãos-extras, em regime de monstruosidade, obedecendo a determinações especializadas resultantes_das_ordens_magnéticas de origem que saturavam essas mesmas células.

André Luiz(Uberaba - MG, 29 de Janeiro de 1958)

[56 - pág ina 46]

Ver também:
*