página acima: Células
Biogenética
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____O genoma humano é o conjunto das informações contidas no DNA das células_humanas e que, em última análise, controla o funcionamento de todas as células, e, indiretamente, controla o funcionamento de todo o corpo. Ele contém informações_hereditárias , ou seja, na reprodução, material genético é transmitido de uma geração para a outra, e cada novo ser é formado por um novo genoma - resultado da combinação de uma parte do genoma materno com uma parte do genoma paterno.
____Na medida em que se conhece o genoma humano, pode-se colher informações – como já se faz atualmente com muitas doenças – sobre qual é exatamente o ponto, a localização do que apresenta uma informação inadequada, uma informação truncada – que possui ali um gene, uma unidade informacional que está errada.
____Portanto, se nós conseguimos identificar, dentro do genoma humano, onde se estão localizadas as falhas genéticas (os genes ou conjunto de genes "errados", que provocam alguma anomalia), teremos, muito em breve (pois tais processos ainda não são totalmente praticáveis) a perspectiva ou a possibilidade de alterarmos as características, como, por exemplo: substituir genes defeituosos por genes funcionalmente normais, para que determinado indivíduo doente apresente uma vida normal, sadia. As possibilidades de intervenção em nível_genético serão muito grandes e, naturalmente, todos estes novos conhecimentos poderão ser utilizados tanto positivamente quanto negativamente.
____Todas as células de um mesmo organismo (de uma mesma pessoa) são geneticamente iguais, todas carregam exatamente as mesmas informações. Uma pergunta muito comum que se faz é a que se segue: “como é possível células que possuem a mesma informação desenvolverem características diferentes?” – porque o genoma é um conjunto de informação contida em todas as células de um determinado organismo e, assim, uma célula do olho carrega as mesmas informações que uma célula do pâncreas ou do fígado. Desta forma, como elas podem diferir entre si, tanto funcionalmente quanto morfologicamente? O que acontece é a existência de mecanismos, ainda não totalmente elucidados, mas já identificados, em que o indivíduo “ativa” e “inativa” partes do seu genoma.
____Então, uma comparação que gosto de fazer é que o genoma é um “manual de instruções” dividido em vários capítulos – que são os vários genes que o indivíduo tem. Portanto, todas as diferentes células de um mesmo organismo possuirão, cada uma, uma cópia completa deste manual de instruções, que é único. Porém, as células, de acordo com a sua natureza específica, na hora de seguir tais instruções, considerarão alguns capítulos e ignoram outros. Isto é capaz de explicar este dilema, onde existe diferenciação celular, apesar de todas as células do corpo serem geneticamente idênticas.
____é a partir deste conhecimento que se pode fazer a “clonagem”, como foi o caso clássico da “ovelha Dolly” – o primeiro mamífero clonado que se tem notícia. O que se fez foi pegar uma célula da glândula mamária de uma ovelha, utilizando-se do núcleo – onde está todo o material genético -, transplantá-lo para um óvulo, em substituição de seu núcleo e, finalmente, ativar este óvulo, induzindo-o à dividir-se – como aconteceria se o mesmo tivesse sido naturalmente fecundado. Desta forma, a partir da célula de uma glândula mamária foi produzido um corpo completo, com todos os órgãos e todas as funções. Dentro desta célula mamária inicial encontravam-se íntegras todas as instruções e informações_genéticas - embora a mesma só desempenhasse as funções relativas à da célula mamária, pois qualquer outra função estaria inativa. As células estavam ali, íntegras, tanto que foram reaproveitadas neste processo de clonagem.
____Sabemos o motivo pelo qual existe esta diferenciação do neurônio de uma célula do pâncreas. Porém, o mecanismo preciso que faz com que a célula do fígado, a célula dos rins, um neurônio siga este ou aquele "capítulo", ative este ou aquele conjunto de gene e deixe de ativar outro, este mecanismo ainda é muito pouco conhecido. Já existem algumas informações que nos trazem algumas luzes dentro destas trevas, deste campo ainda obscuro do conhecimento humano, porém, tudo isso ainda é muito pouco. (Ver: Fecundação)
____Naturalmente, a medida em que tal conhecimento vá sendo desvendado, quando os cientistas começarem a entender tal mecanismo a ponto de interferir diretamente em seus processos, certamente poderemos fazer com que uma célula que possui certa característica assuma outra característica, tanto no sentido estrutural quanto funcional. Para isto, basta que sejamos capazes de interferir no mecanismo natural de ativação e inativação gênica. Porém, ainda não temos este tipo de informação em mãos, ainda não dispomos deste conhecimento devidamente registrado e disponível. Eu acredito, todavia, que não levará muito tempo para que tenhamos este conhecimento disponibilizado.

O texto acima faz parte da entrevista com o Professor Luiz Leal Ferraz, professor de Biologia e Coordenador do 2º grau do Colégio São Bento.
____Entrevistador: professor Elias Celso Galvêas. Entrevista feita para a PUC-RJ.

Rio de Janeiro, 5 de Maio de 2001.

Ver entrevista completa em: http://maxpages.com/elias/Avancos_da_Biogenetica

____Agora que o DNA havia atingido o status de super-estrela da ciência, o desafio seguinte era criar um catálogo de todas as estrelas genéticas no firmamento humano. Inidou-se, então, em 1980, o projeto Genoma Humano, um esforço científico global para classificar todos os genes de nossa composição orgânica.

____Tratava-se de um projeto ambicioso e de grandes proporções. Convencionou-se que o corpo precisava de um gene-modelo para cada uma das 100 mil proteínas que compõem nosso corpo e também de mais 20 mil genesreguladores para orquestrar a atividade de codificação das proteínas. Os cientistas concluíram que o genoma humano deveria conter um mínimo de 120 mil genes entre nossos 23 pares de cromossomos.

____Os geneticistas também tiveram um grande choque ao descobrir que, ao contrário de sua estimativa de 120 mil genes, o genoma humano tem apenas 25 mil. Mais de 80 por cento do que se presumia ser DNA simplesmente não existe! A falta desses genes causou mais impacto do que se poderia supor. O conceito de gene e proteína únicos era o princípio básico do determinismo genético. Com isso, o projeto Genoma Humano veio abaixo e todos os nossos conceitos sobre o funcionamento básico da vida tiveram de ser revistos. Não era mais possível continuar acreditando que a engenharia genética iria resolver todos os dilemas biológicos. Não há genes suficientes para compor um quadro tão complexo quanto a vida ou as doenças humanas.

[98 - página 76] - Bruce Lipton

____A partir de 1990, o projeto Genoma Humano constituí-se em um esforço de 13 anos coordenado pelo departamento americano de energia e o instituto nacional de saúde. O projeto originalmente, foi planejado para ter uma duração de 15 anos, mas os rápidos progressos tecnológicos aceleraram as previsões para o ano de 2003. Os principais objetivos do projeto são:

  • Identificar todos os 100.000 genes humanos presentes no DNA;
  • Determinar as seqüências de 3 bilhões de pares de bases químicas, que constituem a base do DNA;
  • Armazenar estas informações em Banco de Dados;
  • Desenvolver ferramentas para analise do material obtido;
  • Discutir e normatizar questões legais advindas do processo de pesquisa;

____Essas informações trazem o potencial de solucionar os mistérios dos seres vivos possibilitando ao homem controlar a intimidade dos mecanismos da vida. Assim em futuro próximo a Genômica viabilizará o combate ao câncer e à muitas outras doenças bem como o bloqueio do tão temido processo do envelhecimento. E segundo alguns cientista, como Dr. Andrew Simpson, coordenador do sequenciamento do genoma da Xylella fastidosa e do Genoma Câncer, em um futuro mais distante mesmo a imortalidade ou a criação de vida seria factível. Isso porque quando se tem acesso as seqüências dos genes que compõem o genoma de um organismo na realidade tem-se as portas abertas para o conhecimento de todas as proteínas necessárias e suficientes para a existência desse organismo. De posse desse conhecimento resta, é claro, o desafio maior de esclarecer como essas proteínas se inter-relacionam para executar as mais diferentes funções de um ser vivo desde a formação, diferenciação e manutenção de uma célula viva, até funções mais complicadas que levam ao conceito sobre...

http://primeirobhp.vilabol.uol.com.br/genoma.htm

____ É assim que o genoma humano, que com quase 60 mil genes, é capaz de especificar a criação do corpo_humano contendo trilhões de células, bilhões de neurônios cuidadosamente conectados e centenas de tipos diferentes de células, todas incrivelmente esculpidas em órgãos tão diferentes como coração e olhos. O livro "Molecular Biology of the Cell" diz o seguinte:

____Os humanos, como um gênero distinto dos grandes macacos, existem há apenas alguns milhões de anos. Assim, cada gene humano teve a chance de acumular relativamente poucas alterações nos nucleotídeos desde nossa criação, e a maior parte dessas foi eliminada pela seleção natural. Uma comparação entre humanos e macacos, por exemplo, mostra que:

  • suas moléculas de citocroma-c diferem em cerca de 1%
  • e suas hemoglobinas diferem em cerca de 4 % de suas posições de aminoácidos.

____Está claro que muito de nossa herança genética deve ter sido formada bem antes do aparecimento do homo_sapiens, durante a evolução dos mamíferos (que começou cerca de 300 milhões de anos atrás) e até mesmo antes. Uma vez que as proteínas de mamíferos tão diferentes quanto baleias e humanos são muito similares, as alterações evolutivas que produziram essas diferenças morfológicas notáveis devem envolver relativamente poucas mudanças nas moléculas das quais somos feitos. Em vez disso, existe a suposição de que as diferenças morfológicas surgem de diferenças no padrão temporal e espacial da expressão do gene durante o desenvolvimento embrionário que, então, determina o tamanho, forma e outras características do adulto.

____Em outras palavras, simplesmente não existem tantas diferenças no DNA de um humano e de uma baleia, mas os humanos e baleias têm aparência totalmente distinta. Pequenas coleções de mutações no DNA podem ter um efeito muito grande no resultado final.

____Atualmente, os mecanismos sinalizadores que conectam os 100 bilhões de células no cérebro humano são um mistério.

  • Como meros 60 mil genes no genoma humano podem dizer a 100 bilhões de neurônios como se conectar precisamente no cérebro humano?
  • Ninguém sabe ainda como tão poucos genes podem conectar meticulosamente tantos neurônios.
  • Em um feto em desenvolvimento no útero, o DNA cria e conecta corretamente milhões de células por minuto.
  • Uma vez que o DNA realmente conecta um cérebro humano sempre que um bebê nasce, pode ser que o DNA tenha propriedades especiais que tornam o funcionamento da evolução mais eficiente.
  • À medida que os mecanismos se tornam mais claros, os efeitos das mutações no DNA durante o desenvolvimento também são melhor compreendidos.
http://www.hsw.com.br/evolucao10.htm

____David Baltimore, um dos maiores geneticistas mundiais e ganhador do prêmio Nobel, fez comentários sobre os resultados surpreendentes do projeto Genoma Humano e de sua complexidade: “A menos que o genoma humano contenha alguns genes invisíveis aos nossos computadores, fica claro que não somos superiores a nenhum verme ou planta em termos de complexidade orgânica ou número de genes. Entender este conceito nos mostra que...

  • temos uma imensa complexidade,
  • um grande repertório comportamental,
  • habilidade de produzir ação consciente,
  • incrível coordenação fisica,
  • reações precisas às variações externas do ambiente,
  • capacidade infinita de aprendizado,
  • memória..,
  • preciso dizer mais?

____é um desafio para o futuro

____Segundo Baltimore, os resultados do projeto Genoma Humano nos forçam a considerar outras ideias sobre o funcionamento da vida. “Compreender o que nos torna tão complexos... É um desafio para o futuro”. O céu está mesmo desmoronando.

____Além disso, esses resultados mostram que precisamos rever nosso relacionamento genético com outros organismos na biosfera. Não podemos continuar usando os genes para explicar por que os seres humanos estão no topo da escala evolucionária. Parece não haver muita diferença entre o número de genes encontrados em nossa espécie e em outras a que chamamos primitivas. Vejamos três dos modelos animais mais utilizados nas pesquisas genéticas:

  • um microscópico nematódeo chamado Caenorhabditis elegans,
  • a mosca­das-frutas
  • e o rato de laboratório.
    • O verme primitivo Caenorhabditis serve de modelo perfeito para o estudo do papel dos genes no desenvolvimento e no comportamento dos seres. É um organismo que cresce e se desenvolve com muita rapidez, tem um corpo de padrão preciso composto de exatamente 969 células e um cérebro muito simples de 302 células. No entanto, apresenta um repertório único de comportamento e é bastante dócil para o trabalho em laboratório. Tem aproximadamente 24 mil genes.
    • O corpo_humano, composto de mais de 50 trilhões de células, contém apenas 1500 genes a mais que este microscópico e humilde ser.
    • A mosca-das-frutas, outro espécime preferido dos cientistas para este tipo de estudo, possui 15 mil genes. Portanto, esta pequena mosca, de organismo muito mais complexo, tem 9 mil genes a menos que o primitivo verme Caenorhabclitis.
    • E quando se trata de comparar homens e ratos de laboratório a situação é ainda mais crítica. Teremos de passar a tratá-los com mais dignidade, pois os resultados dos projetos genoma paralelos revelam que humanos e roedores têm aproximadamente o mesmo número de genes!

[98 - página 78] - Bruce Lipton

Projeto Genoma Humano

LINKs

Ver também:
*