página acima: Sistema solar
Asteróides
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*
http://astro.if.ufrgs.br/planetas/planetas.htm#

Comparação do diâmetro

____Asteróides são um grupo numeroso de pequenos corpos (planetas menores) com órbitas situadas na grande maioria entre as órbitas de Marte e Júpiter, a uma distância da ordem de 2,8 unidades astronômicas (UA) do Sol. São todos menores que a Lua.
____Quaoar, o maior deles, tem cerca de 1250 km de diâmetro, foi descoberto em 2002 por Michael E. Brown e Chadwick Trujillo, do Caltech, está cerca de 1,6 bilhões de km além de Plutão, no cinturão de Kuiper. Seu nome oficial é 2002 LM60, mas os descobridores o chamaram de Quaoar, ''força de criação'' na língua da tribo Tongva, os primeiros habitantes da bacia de Los Angeles.
____Meteoros são pequenos asteróides (meteoróides) que se chocam com a Terra. Ao penetrar na atmosfera da Terra geram calor por atrito com a atmosfera, deixando um rastro brilhante facilmente visível a olho nu, chamados de estrelas cadentes. O termo vem do grego meteoron, que significa fenômeno no céu. Existem aproximadamente 2000 asteróides com diâmetro maior de 1 km, que se aproximam da Terra, colidindo com uma taxa de aproximadamente 1 a cada 1 milhão de anos. 2 a 3 novos são descobertos por ano e suas órbitas são muitas vezes instáveis, devido a interações gravitacionais com os vários corpos (planetas e asteróides).
____Meteoritos são meteoróides que atravessam a atmosfera da Terra sem serem completamente vaporizados, caindo ao solo. Do estudo dos meteoritos se pode aprender muito sobre o tipo de material a partir do qual se formaram os planetas interiores, uma vez que são fragmentos primitivos do sistema solar.

Ver mais informações em: http://astro.if.ufrgs.br/comast/index.htm

http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/aprendendo-basico/sistema-solar/asteroides.html

Comparando os tamanhos dos asteróides, do cinturão de asteróides, situados entre Marte e Júpiter, com o planeta Marte.

O número a frente do nome do asteróide indica a ordem de descoberta

Nasa mapeia 25 mil asteróides, 95 estão próximos da Terra

Até o fim do ano, novo telescópio espacial deve concluir levantamento que ajudará a responder questões sobre formação de planetas.
____Preocupado com a ameaça de asteróides atingirem a Terra? Um dos mais novos telescópios espaciais da NASA detectou, em apenas seis meses, 25.000 asteróides até então nunca vistos. Do total, 95 foram considerados “próximos à Terra”, o que na linguagem astronômica quer dizer uma distância de 48 milhões de quilômetros. A boa notícia é que nenhum deles representa ameaça para o planeta a curto prazo.
____Chamado de WISE “Wide-field Infrared Survey Explorer”, o telescópio completa neste sábado (10/07) sua primeira varredura completa do céu e, em seguida, começa uma nova varredura. O que há de mais especial no WISE é a sua capacidade de ver através dos nuvens de pó e fumaça. “A maioria dos telescópios focaliza sobre os objetos mais quentes e mais brilhantes do universo”, disse Richard Binzel, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. “WISE é especialmente sensível para ver o que há de frio e escuro, os objetos mais furtivos do universo”.
____Os integrantes da missão estão orgulhosos com as descobertas do projeto, que envolveu 320 milhões de dólares e foi lançado em dezembro. Até o fim do ano, os pesquisadores esperam conseguir ter um censo cósmico com milhões de objetos recém descobertos. Isto pode ajudar a responder questões sobre a formação de planetas, estrelas e galáxias.
____Além dos asteróides, WISE também avistou 15 novos cometas. Ele tem espionado centenas de anãs marrons – objetos estrelares maiores que um planeta e muito menores que uma estrela – e confirmou a existência de 20 delas, incluindo algumas das mais frias que já foram conhecidas. O telescópio detectou ainda o que se acreditou ser uma galáxia ultraluminosa, com mais de 10 bilhões de anos luz de distância, que foi formada a partir da colisão de outras galáxias.

http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/nasa+mapeia+25+mil+asteroides+95+estao+proximos+da+terra/n1237720935354.html

Lavoisier, com relação aos aerólitos, sentenciou: “Não há pedras no céu; logo, do céu não podem cair pedras.”

[111 - página 129] - Ernesto Bozzano

Ver também:
*