Arianos e Judeus
página acima

-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

Ariano - adj. e s. m. ou ária adj. e s. m. f. E l .Nome que se dá desde a Antiguidade às populações da bacia oriental do Mediterrâneo que invadiram o norte da Índia. (O têrmo foi modernamente retomado pelos teóricos do racismo, para designar os europeus de origem indo-européia.) --- Ling. Por vêzes designa o ramo indo-irânico da família indo-européia.

[49]

____

A Conexão Vinda da Capela - Estudo Analítico(Final)

KLEBER HALFELD

____Estabelecida a conexão entre arianos e judeus, vejamos no presente trabalho de pesquisa o elo entre a civilização_egípcia e a organização_hindu. Semelhante estudo continua tendo como base principal a obra de EMMANUEL, A Caminho da Luz, (28. ed. FEB), repositório extraordinário de revelações a respeito da história da Humanidade, ou melhor, da própria história do nosso planeta desde seus primeiros dias. Revelações não somente identificadas com compêndios terrenos, mas, outrossim, analisadas pela visão de uma Entidade Espiritual – EMMANUEL – que através da fiel mediunidade de Francisco Cândido Xavier nos entrega páginas repletas de inestimável ensinamento quanto de abençoado conforto!

____Como no trabalho anterior, enumeremos os itens para melhor análise.

  • Em sua apreciação sobre os egípcios escreve EMMANUEL: "Dentre os Espíritos degredados na Terra, os que constituíram a civilização egípcia foram os que mais se destacavam na prática do Bem e no culto da Verdade." (P. 41.)
    Que eles reproduzissem os ritos que presidiram à paixão e à ressurreição do deus e que conformassem suas vidas às exigências de justiça e de verdade" (vol. 9, p. 2029).
    No capítulo V de A_Caminho_da_Luz – As Castas –, percebemos que o povo hindu igualmente compreendia a exigência de um culto à Verdade, malgrado por uma questão de "doloroso atavismo psíquico (...) deixou crescer no coração o espinho do orgulho (...)". É o que deduzimos de uma apreciação da Entidade Espiritual, quando faz considerações a respeito do povo da Índia: "
    ____Crisna, Buda e outros grandes enviados de Jesus ao plano material, para exposição de suas verdades salvadoras, foram compreendidos pelo grande povo sobre cuja fronte derramou o Senhor, em todos os tempos, as claridades divinas do seu amor desvelado e compassivo." (P. 53.)
    Observação: – O mesmo interesse a respeito dos dois povos, quanto à Justiça (Bem) e à Verdade!
  • O estudo sobre os egípcios e indianos do passado revela-nos curiosa característica: a confinação de seus conhecimentos a um restrito grupo de pessoas, restrição essa que – no caso particular dos primeiros –, foi observada mesmo quando da chegada ao Egito da civilização grega. Disto tomamos ciência ao lermos a informação de EMMANUEL: "
    A própria Grécia, que aí (no Egito) buscou a alma de suas concepções cheias de poesia e de beleza, através da iniciativa dos seus filhos mais eminentes, no passado longínquo, não recebeu toda a verdade das ciências misteriosas." (P. 42.)
    Quanto à Índia as palavras do autor deixam-nos divisar "que também as suas escolas de pensamento guardavam os mistérios iniciáticos, com as mais sagradas tradições de respeito". (P. 50.)
    Observação: Nas duas civilizações este denominador comum: a tendência de restringir a alguns setores as grandes revelações, considerando que o povo ainda não estava devidamente amadurecido para receber todas as informações.
  • Atentos a alguns princípios fundamentais da Doutrina Espírita, consideremos o que segue. Egípcio sentia dentro de si, explica EMMANUEL que "(...) tanto lhe doía semelhante humilhação, que a alma de um homem podia regressar ao corpo de um irracional, por determinação
    a) acreditavam os egípcios na existência da alma;
    b) na sua imortalidade;
    c) na possibilidade de seu retorno_ao_corpo_de_um_animal. (Com esta tese os espíritas não concordamos.)
    Quanto ao povo hindu, diz EMMANUEL: "E o que é de admirar-se é que nenhum povo da Terra tem mais conhecimentos, acerca da reencarnação, do que o hindu, ciente dessa verdade sagrada desde os primórdios da sua organização neste mundo". (P. 55)
    Observação: Se o povo hindu aceita a tese reencarnacionista, é óbvio que aceite igualmente a existência da alma e sua imortalidade, do que observamos mais uma ligação com o povo egípcio!
  • A Enciclopédia Conhecer, publicação da Abril Cultural, referência feita ao Egito, faz uma descrição longa, por sinal, informando: "Poucos povos têm uma civilização tão antiga como a do Egito. Três mil anos a.C. este pedaço do Norte da África já constituía um Estado organizado socialmente. A maioria do povo vivia da agricultura (...). (Vol. XII, p. 2938.)
    Francisco Valdomiro Lorenz, em sua obra A Voz do Antigo Egito escreve: "Já nos tempos pré-históricos os egípcios cultivavam a terra, embora de maneira muito primitiva. Quando, nos tempos das primeiras dinastias, chegaram a usar o arado, tornou-se a plantação mais rápida e mais perfeita, e a colheita mais abundante. O Egito foi o maior produtor de trigo na antigüidade."
    Decorridos tantos séculos, renovadas tantas civilizações, observamos que esta tendência para o setor agrícola persiste, merecendo a atenção de cada governo. De acordo com a Grande Enciclopédia Larousse Cultural – da qual temos lançado mão na elaboração de nossa pesquisa –, "o rápido crescimento da população levou ao aumento das áreas cultiváveis, através da construção de uma série de barragens, que permitem a cultura ao longo de todo o ano, muitas vezes com várias colheitas". (Vol. 9, p. 2028.)
    Observação: O mesmo acentuado pendor para a agricultura entre as duas nações!
  • Voltemos agora nossas vistas para o que registra a Enciclopédia Conhecer. À página 2938 do volume XII, lemos sobre o Egito: "(...) seguia uma religião que exaltava as forças da natureza" (...).
    "As terras férteis foram ocupadas desde os tempos pré-históricos por pequenas tribos que formavam comunidades rurais e adoravam elementos da natureza" (...).
    Observação: Nova ligação!

____Com a elaboração do presente estudo, acreditamos de nossa parte finda a pesquisa em torno dos quatro povos degredados da Capela.

____Duas conexões:

  • Civilização egípcia e hindu.
  • Civilização dos arianos e judeus.

____Cada uma com suas peculiaridades:

  • negativas e
  • positivas.

____Terá esta valiosa obra de EMMANUEL impressionado nossos historiadores?

____Difícil uma resposta. Não importa!

____O que esperamos diz respeito às sucessivas e cada vez mais ampliadas revelações de fatos e circunstâncias por parte do Plano Espiritual, tendo como mensageiros Entidades Superiores, em intelecto e moral. Mas, que possamos todos ter olhos de ver e ouvidos de escutar. Para amplitude de nosso saber. Para melhoria de nossos sentimentos.

Revista REFORMADOR - Junho de 2002

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

[1] REFORMADOR de dezembro de 2001, p. 24- -25.

[2] Lorenz, Francisco Valdomiro. A Voz do Antigo Egito, 2. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1946, cap. IX, p. 42. l

Ver também:
*