página acima: Biografias
Wera Ivanovna Krijanowskaia
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____Wera foi uma criança doente. A mãe preocupada não cansava de contactar os mais conhecidos médicos em busca de tratamentos mais eficazes para a forte tosse que assolava Wera Ivanovna. As fortes crises davam a impressão que seu peito iria explodir a qualquer momento. Ela foi diagnosticada com tísica, doença que carregava o estigma da morte. Wera passou toda a infância perseguida pela idéia de proximidade com a morte. Nas noites em claro via ao lado de sua cama uma velha e magra senhora, que para ela representava a morte que a esperava.
____A menina Wera contava a sua babá que a presença dessa aparição fazia sua situação menos entediante. Uma noite, Wera acostumada sempre com a mesma aparição se surpreendeu por não encontrá-la ao lado de seu leito. Em seu lugar havia uma jovem de extraordinária beleza, seu sorriso emitia espantosa luminosidade, que fazia Wera pensar no calor do sol. Todo o quarto se iluminou como se o sol estivesse em seu ponto mais alto, entretanto ainda era noite.
____Wera surpresa, indagou:
____- Mas onde se encontra a senhora que me visitava todas as noites?
____A jovem sorrindo respondeu:
____- Ela não existe. Era sua imaginação. Como você concebia a idéia da morte. A morte é apenas uma nova vida, que você não deve temer.
____Depois desse evento, Wera melhorou. E todos ficaram surpresos com sua rápida e surpreendente melhora. Ela não tinha mais as crises de tosse, que foram substituídas por crises mediúnicas. Onde a menina Wera via eventos do passado e do futuro, guerras e eventos históricos. Seus relatos sobre os primeiros cristãos, os sacrifícios nas arenas romanas, carregavam uma complexidade de detalhes que chocavam seus ouvintes. Como uma criança poderia ter tamanho conhecimento?
____Ao buscar a veracidade das informações, detalhes e datas eram sempre confirmadas. Com sete anos Wera mal sabia ler em russo, nem em francês. O conselheiro da rica família de Wera aconselhou de encaminhá-la a um pensionato para meninas.
____As ricas famílias russas eram educadas em francês, Wera fora mandada ao pensionato, pois sua saúde assim permitia. Sua educação deveria seguir o padrão da meninas nascidas em famílias ricas da sociedade russa da época. Entretanto, a vida no pensionato para ela fora um período triste. Apresentava imensa difilcudade de aprendizado, mal conseguia escrever em francês.
____Finalmente, com muita paicência e sabedoria, Wera começou a se relacionar melhor com suas companheiras de escola. Acabou por deixar de ter crises mediúnicas. Amada por todos devido ao seu carater doce continuava apresentando extremas dificuldades escolares. A punição mais grave para uma menina de treze anos era uma nota ruim, por causa dessa nota ruim ela foi proibida de passar o Ano Novo com sua família, devendo ficar no pensionato estudando.
____Ela chorou muito e acabou adormecendo. Ao acordar, ao seu lado, um texto escrito com sua própria letra estava sobre a escrevaninha. Wera mostrou esse texto aos seus professores sem nada comentar sobre a sua produção. Foi elogiada e seu texto recebeu uma condecoração escolar pela originalidade do estilo. A jovem Krijanovskaia não se lembrava de modo algum de quando produzira aquele texto, mas estava contente, pois poderia passar as festas de Ano Novo com sua família.
____A partir desse evento, ela passou a ser observada com mais atenção. Percebeu-se que Wera, de tempos em tempos, empalidecia, tomada de uma brancura súbita, e, se papel e lápis estivessem ao seu alcance suas mãos produziam romances com velocidade espantosa. Quando não tinha um lápis ao alcance de sua mão, fazia movimentos estranhos, como se escrevesse com lápis e papel invisíveis. Na família ninguém estranhou isso, pois já estavam acostumados, entretanto, as crises mediúnicas eram consideradas uma enfermidade.
____Com a morte de seu pai a vida de Wera mudou bruscamente, a família empobreceu e ela se viu obrigada a deixar a escola. Na esperança de sair dessa situação penosa ela casou-se com V. Semenov, um funcionário do alto escalão do governo, ligado ao Imperador Russo.
____Semenov era um homem de muito mais idade do que Wera, então com dezoito anos. Ele era tido por uma pessoa de boa índole, muito agradável e considerado bonito pelas mulheres. Wera não tivera problemas com ele, entretanto, tivera que dividí-lo com amantes. Wera, agora pobre, que abandonara os estudos e conhecia mal o francês (idioma utilizado na corte russa) não seria a esposa ideal para um homem rico de grande influência. Entretanto, ele era declaradamente espírita e Wera já havia obtido alguma notoriedade através de seus textos mediúnicos. Porém, não sabemos que influência isso teve, nem as razões que levaram a essa aproximação e posterior casamento entre Wera e Semenov.
____Wera tinha bastante tempo livre. Semenov se ausentava seguidamente, seja por compromissos profissionais ou afetivos. Com isso ela passou a escrever com maior frequência, e aos poucos foi compreendendo o que acontecia com ela. Certa noite, em preces, pediu a Deus que enviasse até ela um professor, que pudesse auxiliá-la a escrever e desenvolver suas habilidades mediúnicas.
____Uma noite ela recebeu uma mensagem diferente:
____“Mística! Como um nadador que enfrenta as ondas em uma tempestade você mergulhou num oceano de enigmas sagrados e incompreensíveis que amedrontam. Entre as sombras que te rodeiam nas lutas que o futuro te reservará tua vontade será sua única companheira. Sua esperança estará assentada sobre a dedicação que empreender, esse será o farol a te guiar. E para chegar a esse farol precisará reunir todas as suas forças. Uma forte luz que vem de mais alto irá iluminar teu caminho”.
____Wera não se impressionou com um vulto que caminhava em sua direção saindo de um canto pouco iluminado do quarto.
____“Chamo-me Rochester!” – disse ele.
____John Wilmot , Segundo Conde de Rochester (1647 – 1680), fora um escritor famoso envolvido em diversos escandâlos durante sua breve vida. Rochester era a resposta a requisição de Wera. Ele utilizou todas as suas possibilidade para se tornar visível a senhora Krijanowskaia em seu primeiro contato. A afinidade entre ambos permitiu que rapidamente Rochester não precisasse mais desse procedimento, pois Wera sentia e reconhecia com falicidade sua presença. O espírito do Conde de Rochester descortinou o mundo astral a sua pupila. Ela aprendeu a se comunicar sem total perda da consciência como acontecia antes.
____Ele ensinou a Wera Ivanovna os mistérios do ocultismo, ela escreveu com ele romances históricos em um francês apurado e clássico. Esses romances eram posteriormente traduzidos para o russo.
____No momento de escrever Wera apresentava forte perda de coloração, completa palidez a tomava, e apressada solicitada que lhe trouxessem papel e lápis. Escrevia com vertiginosa velocidade, em trinta minutos era capaz de escrever trinta páginas em letras pequenas e bem desenhadas.
____Os romances de Wera Krijanowskaia, produzidos a partir dos dezoito anos, começaram a ser publicados. Um após o outro o sucesso era quase que instantâneo, os livros se esgotavam rapidamente. A elite dos escritores afirmava que Wera não era uma escritora, entretanto, os leitores tinham opinião diferente.

  • A academia francesa ofereceu a Wera Krijanowskaia o título de Honra por seu romance “O Chanceler de Ferro”, devido ao seu contexto histórico e sua descrição precisa quanto aos costumes e organização da sociedade egípcia.
  • A Academia Imperial de Ciências da Russia lhe ofertou uma menção de honra pela descrição perfeita da sociedade Tcheca na época em que viveu Jan Huss (Luminares Tchecos).
  • A descrição do enterro da Rainha Hatasu não recebeu a mesma menção honrosa porque Wera morreu antes da descoberta de sua tumba no Egito cinquenta anos mais tarde.

____Os diálogos com o espírito de Ambroise Paré (1510-1592), famoso cirurgião francês, deram a Wera uma surpreendente habilidade para diagnosticar doenças. Sob o patrocínio desse espírito ela começou a fazer emprego dessas habilidades no tratamento de doenças.
____Wera ganhou notoriedade com os livros, muitos repórteres desejavam lhe entrevistar. Entretanto, sua timidez e modestia a faziam recusar tais encontros. Ela sempre afirmara que as honras pelo trabalho pertenciam a Rocheste r, o verdadeiro autor.
____Com a Revolução de 1917 Wera perdeu todos os seus bens, viu seus livros serem queimados e novamente cair na miséria. Mudou-se para Tallin (atual capital da Estônia), entretanto, ninguém queria saber de uma velha e pobre senhora que falava de espíritos e coisas atribuídas a magia. O reconhecimento público desaparecera, e ela que sempre apresentou saúde frágil, somando-se a miséria e a falta de comida, envelhecera precocemente. Cortava lenha para sobreviver. Afirmava que se não fosse cristã e crente em Deus teria cometido suicídio devido aos sofrimentos que passara. Sua filha e alguns fieis amigos a auxiliavam com o que podiam. Wera morrera em completa miséria, em um pequeno quarto, vestindo trapos e quase em completa solidão, salvo a presença de alguns dedicados amigos espirituais. A previsão de Rochester se cumprira. Wera Ivanovna Krijanowskaia soubera desempenhar seu papel com maestria, podendo ser apontada como a médium que produziu os mais fidedignos romances históricos da Hsitória do Espiritismo. Seu legado ainda nos toca através das obras de Rochester e a cada prece que a ela elevamos afirma se sentir recompensada por tudo que passou. Sendo grata a Deus.
____Obs: Esse material inédito foi traduzido por Oxana Kurbanova a partir de diversas biografia escritas em russo e por mim redigidas com o auxílio de um amigo espiritual que fez questão de não querer se identificar.


Rafael de Figueiredo

http://nasbrumasdamente.blogspot.com/2010/12/wera-krijanowskaia-uma-mulher.html
http://www.facebook.com/pages/Wera-Krijanowskaya/184839248220115?v=info#!/pages/Wera-Krijanowskaya/184839248220115?v=info&sk=info

____ Sobre a vida de Wera Ivanova Krijanowskaia (ou Krijanowski, como ficou conhecida no idioma francês), têm-se escassas informações.
____O tradutor de "A Vingança do Judeu" para o idioma português relata, no prefácio da obra, que o espírito de Rochester escolheu e preparou a médium desde a infância, afim de cumprir a tarefa de propagação das verdades espirituais que o Espiritismo divulga e esclarece.
____Ambos estiveram juntos em várias encarnações:

  • como Asnath e José, em "O Chanceler de Ferro";
  • Smaragda e Mernephtah, em "O Faraó Mernephtah";
  • Lélia e Astartos, em "Episódio da Vida de Tibério";
  • Virgília e Cáius Lucílius em "Herculânum";
  • Rosalinda e Lotário de Rabenau, em "A Abadia dos Beneditinos".

____Relata também que Wera era jovem, filha de família russa muito distinta e que não obstante ter recebido uma sólida instrução no Instituto Imperial de São Petesburgo, não se aprofundou em nenhum ramo de conhecimentos.
____Segundo revistas européias, sua mediunidade "consistia, principalmente, da escrita_mecânica, cujo automatismo lhe era tão peculiar que sua mão traçava as palavras com uma rapidez vertiginosa e uma inconsciência completa das idéias, narrando acontecimentos históricos desde épocas bastante remotas, com rara minúcia, beleza e autenticidade.
____Um senhor polonês que conheceu pessoalmente a médium relatou, há muitos anos, que ela foi rica e tinha até secretária. Encontrou-a, certa manhã, a recolher imensa quantidade de folhas de papel, ajudada pela secretária, inclusive caindo pelas escadas, repletas de palavras em péssima caligrafia, que ela havia escrito durante a noite toda em completo estado de inconsciência ou sono profundo. Wera não se lembrava de nada e colocava as folhas em ordem, decifrando o que estava escrito.

  • Ocorriam, também, fenômenos_físicos em sua casa e que muito impressionavam os amigos. Havia um espírito_que_se_materializava na presença dela e prometia destruir sua vida, caso não parasse de publicar seus romances.
  • Às vezes ocorriam explosões e objetos despencavam ao solo sem causa aparente.

____Esse mesmo senhor viu Wera na miséria percorrendo as ruas e perguntando às pessoas se conheciam seus livros, tentando reeditá-los. Seu intento fracassou e sua filha faleceu de tuberculose, sob o rigoroso inverno eslavo, em tempos de fome e revolução.

http://www.espiritismogi.com.br/biografias/wera_krijanowskaia.htm

Livros da autora (47)

http://www.skoob.com.br/autor/livros/1202

Ver também:
*