Testemunhas da Escrita Direta
página acima: Pneumatografia
-
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

____O Sr. J. Edwin Hunt, empregado do Tesouro em Boston, que fora materialista confesso, ouvindo falar das experiências do Sr.Rev. Joseph W. Cook(1) na minha biblioteca, buscou certificar-se da sua realidade, e em 11 de julho de 1880 escreveu a respeito da sua visita ao Sr. Watkins, o seguinte:

  • “Vim, vi e fui vencido; isto é, testemunhei em sua presença o fato do movimento da matéria sem nenhum contato visível humano ou qualquer outro. Sei que não fui iludido. Não somente vi a escrita depois de feita, mas também ouvi o ruído do lápis movendo-se para produzi-la. Sei que nada estava escrito sobre as lousas, quando entre elas foi colocado o lápis, e que as lousas, nem pelo tempo de um segundo, saíram de sob as minhas vistas, enquanto estive assentado ao pé do Sr. W. A assinatura da comunicação era o nome de um meu amigo, cujo enterro eu havia acompanhado três semanas antes, e essa comunicação era uma resposta direta a certa pergunta que eu lhe dirigira e ocultara completamente, tendo sido a pergunta escrita uma semana antes da sessão. Eu nunca tinha visto o Sr. W., nem ele a mim, antes do dia da sessão, que era o último dia de março de 1880. Não tinha meios de pensar na resposta que viria, porque havia apresentado oito ou dez perguntas, cada uma em um pedaço de papel, e os rolinhos só foram abertos depois de produzir-se a escrita na lousa. (Ver: Pneumatografia)

____Em conclusão, cabe-me dizer que, como resultado da minha experiência, não tenho a menor dúvida da existência de uma força inteligente estranha ao médium ou a qualquer assistente, e creio que a consequência segura e quase irresistível disso é que essa força inteligente é a de um Espírito humano determinado, que já viveu incorporado à matéria.”

-----\\\|||///-----

____O Sr. John L. O’ Sullivan, outrora Ministro dos Estados Unidos em Portugal, cavalheiro há muito tempo por mim conhecido pessoalmente, publicou uma narração de suas experiências, em maio de 1880, com Alexandre Phillips, médium de 23 anos de idade, na sua residência em Nova Iorque, rua 36 ocidental, nº 133, às quais assistiu também o meu amigo, de 40 anos de idade, Dr. J. R. Buchanan.
____Em condições escolhidas e à plena luz do gás, eles repetidamente obtiveram a escrita_independente. Muitas citações latinas foram dadas, entre as quais a seguinte tradução de uma estância do instrutivo poemeto de Jane Taylor, que começa assim: “Brilha, brilha, estrelinha”. A escrita, miúda, cerrada e invertida, foi finalmente decifrada assim:

Mica, mica, parva stella,
Miror quonam sis tam bella,
Splendens eminens in illo
Alto velut gemma cœlo.

____À narrativa das repetidas experiências do Sr. O’ Sullivan, o Dr. Buchanan ajunta o seguinte testemunho:

  • “Às precedentes afirmativas do Sr. O’ Sullivan dou a minha garantia, por sua absoluta e minuciosa correção.”

____Tive a satisfação de entreter alguma correspondência com o Sr._Alfred_Russel_Wallace, eminente naturalista inglês, que, como o Sr. Charles Darwin, participa da honra de ter sido o criador da teoria da seleção natural. Ele atesta ter testemunhado (em 21 de setembro de 1877), numa casa particular, em Richmond, sobre Tames, o fenômeno_da_escrita_direta, em uma sala onde havia luz bastante para que fossem vistos os objetos que se achavam sobre a mesa.
____O Dr. Francis W. Monck era o médium. Depois de descrever a experiência em carta dirigida ao Spectator, de Londres, publicada em 6 de outubro de 1877, o Sr. Wallace observa:

  • “O que caracteriza essencialmente essa experiência é que eu mesmo limpava e examinava as lousas; que assentava sobre elas a mão durante todo o tempo; que elas nem um só momento foram afastadas das minhas vistas; e que eu indicava a palavra que devia ser escrita e como o devia ser, estando as lousas sempre seguras por mim. Pergunto: como podem esses fatos ser explicados, e qual a interpretação que se lhes deve dar?”

____O Sr. Edward J. Bennett garante o que afirma o Sr. Wallace na sua observação, dizendo:

  • “Estive presente nessa ocasião e certifico ser exata a narração do Sr. Wallace.”

____Referindo-se às suas experiências com Henry Slade, o Sr. Wallace atesta o seguinte:

  • “A escrita foi produzida na parte superior da lousa, quando eu a segurava e comprimia contra a face inferior da mesa, e as duas mãos do Dr. Slade, em contato com a que me restava livre, pousavam sobre a mesa. Durante a escrita, o ruído do lápis era percebido. Esse fenômeno é absolutamente concludente. A prestidigitação não pode explicá-lo nem imitá-lo.
    ____A escrita apareceu também na face inferior da lousa, quando esta descansava sobre a mesa e as mãos do Dr. Slade estavam expostas às minhas vistas.
    ____Enquanto o Dr. Slade segurava a lousa com uma das mãos e tinha a outra presa pela minha, outra mão distinta elevou-se rapidamente, descendo depois entre a mesa e o meu corpo; e finalmente, estando as mãos do Dr. Slade e as minhas descansando sobre o centro da mesa, a parte mais afastada desta ergueu-se até dar à superfície uma posição quase vertical; depois, toda a mesa se levantou e rodou no ar por cima de minha cabeça.
    ____Esses fenômenos se deram em pleno dia, estando a sala iluminada pela luz do sol, e só estando presentes o Dr. Slade e eu. Com ligeiras variantes, podem ser testemunhados pelos nossos homens de ciência, e é de esperar que os que não se dão ao trabalho de examiná-los cessem, em todo caso, de falar com desprezo das faculdades intelectuais e perceptivas dos que afirmam de visu a realidade desses fatos.”

-----\\\|||///-----

____EMMANUEL Herman Fichte (1797-1879), filho do famoso John Gottlieb Fichte, já era espírita muito antes de Slade visitar a Alemanha. Pouco antes de sua morte, publicou um folheto, em que afirma os fatos fundamentais, e com sinceridade recomenda o grande assunto à atenção do mundo científico e religioso. Responde habilmente a Hæckel, o materialista entusiasta que deplorava a “simplicidade” dos eminentes físicos alemães, que “se tinham deixado apanhar na armadilha de Slade”. Fichte atesta a importância dos resultados obtidos e afirma que as manifestações de Slade pertencem ao domínio da Física. O Prof. Ulrici, de Halle (nascido em 1806), não testemunhou os fenômenos de Slade, mas, apesar disso, aceitou-os em parte, à vista do atestado dos outros, como vindo confirmar as suas teorias filosóficas. A crítica de Wundt, contudo, parece tê-lo feito recuar um pouco. Evidentemente, faltava-lhe aquela força de convicção que só pode ser inspirada por um perfeito conhecimento do fenômeno, adquirido numa prática de muitos anos.

____(1) Rev. Joseph W. Cook Missionary, 1868-1870 - http://anglicanhistory.org/usa/thomas_cook1919.html

[97 - páginas 57/60] - Epes Sargent (1813-1880)

Ver também:
*