Experiências iniciais com Raps (Pancadas)
página acima: Raps
-
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

Continuação das experiências: Teoria da "Alavanca encaixada"

CAPÍTULO X, do livro "MECÂNICA PSÍQUICA", 2ª Edição - 1975, de W. J. Crawford
LAKE - Livraria Allan Kardec Editora

Proponho-me a relatar aqui as experiências feitas a esse respeíto e apresentar uma teoria que os explica.

Exp. 71. — Variação do peso do médium durante os raps.

____Achando-se o médium sobre a báscula e estabelecida a tara exatamente em 59 quilos, pedi aos operadores que batessem no chão. Uma ou duas pancadas se fizeram ouvir apenas perceptíveis. Sucederam-se depois, a intervalos de alguns segundos. À medida que se tornavam mais fortes, eu notava uma coisa estranha: no momento do raps, o fiel as vezes erguia-se até o buttoir ou, ao contrário, caia totalmente. A princípio não compreendi nada do que se passava, depois notei que o peso do médium diminuía mormente quando os golpes eram mais fortes. Às “ marteladas”, o peso do médium permaneceu igual a 55 quilos 400 até o fim da experiência que durou um minuto. A diminuição de peso era de 3 quilos 600. Uma segunda experiência produziu o mesmo resultado.
____Portanto, concluiremos que:

  • 1º os golpes não podem ser produzidos a não ser que o peso do médium diminua;
  • 2º sua força depende da diminuição de peso e parece proporcional a essa diminuição
  • 3º a perda de peso é temporária, porquanto a tara do médium é regularmente recuparada após a experiência
  • 4º a perda de peso não se dá subitamente, mas gradualmente
  • 5º a perda de peso alcanca um máximo e não mais se altera.

____Parece-me que essa perda representa a matéria temporariamente emprestada ao médium e que de alguma forma serve a produção dos golpes.

Exp. 72. — Efeito dos golpes aplicados no chão sobre o peso do médium.

____A tara inicial do médium era de 59 quilos. Quando a diminuição de peso atingiu seu máximo e o fiel equilibrado em 55 quilos 400, pedi aos operadores que aplicassem golpes de intensidade variada sobre o assoalho. Constatamos então um acréscimo de peso sincrônico no médium, o fiel erguendo-se um segundo até o buttoir, a pressão mais ou menos proporcionada à força do golpe, alcançando, ao tocar, várias libras. O ruído da bala que ressalta, etc. (cf. capítulo I) produz um acréscimo de peso passageiro, equilibrando-se o fiel novamente após cada golpe.
____Como conciliar os resultados da exp. 71 com aqueles da levitação, o médium perdendo peso no primeiro caso, ganhando, ao contrário no segundo? A única conclusão razoável, é de que o processo da levitação é diverso daquele que produz os raps. No primeiro caso, os golpes são raros e fracos.

Exp. 73. — Variação decontínua do peso do médium durante os raps.

____No início desta sessão, talvez devido à grande umidade, os fenômenos foram mais lentos ao se produzirem. Formada a corrente após certo tempo e obtidas as levitações, sentei o médium sobre a báscula. Em seguida alterei a ordem dos assistentes, pedindo-lhes colocar as mãos sobre os joelhos. Isto pareceu quebrar o equilíbrio psíquico, e a sessão teve que recomeçar. A tara inicial era de 62 quilos 100. Durante os primeiros cinco minutos, não houve alteração de peso e nenhuma resposta às perguntas por meio de golpes. Então o peso decresceu muito lentamente e fracos raps se fizeram ouvir. Insisto sobre este ponto: nenhuma espécie de golpe foi percebida antes dessa diminuição, que se precipitou então por fluxos sucessivos de 900 a 1.200 grs. Após cada subtração de peso, havia um ligeiro acréscimo e a tração operada sobre o médium tornava-se mais fácil. Encetado o fenômeno, pedi aos operadores baterem por intervalos: as diminuições de peso tornaram-se cada vez mais acentuadas. Observei que após um golpe forte no chão, o peso diminuía de 9 quilos para recuperar pouco mais ou menos seu valor, mas ao fim de 6 a 7 segundos. Em outras ocasiões, isso durava meio minuto e o peso primitivo não era recuperado. O gráfico do fenômeno assemelha-se a dentes de serra, de dimensão crescente. O valor final era de 38 quilos 150. Manteve-se mais ou menos estável durante alguns minutos. Depois, para surpresa minha, o médium começou a recuperar o peso perdido. A recuperação foi muito lenta e muito regular, em clara oposição com o processo de decrescimento. Ao fim de dois minutos, a balança marcou o peso primitivo: 62 quilos 100. Esses resultados explicam-nos, creio, os fluxos de tensão nervosa e muscular que tantas pessoas experimentam no começo de uma sessão.
____é possível que os operadores tenham agido diretamente sobre o fiel da balança. Mas essa hipótese é bastante arriscada. Eles estavam tão desejosos de que as experiências fossem bem sucedidas quanto eu, e se não lhes era possível fazer o que eu lhes pedia, nunca deixaram de me prevenir. Além disso, o fiel estava quase todo o tempo iluminado por uma luz bastante forte. Enfim, a correspondência entre o vigor dos golpes e as diminuições de peso, indica claramente que o registro das forças era devido unicamente à ação exercida sobre o médium.

Exp. 74. — Distinção entre os processos da levitação e dos raps.

____Quando eu dirigia uma pergunta aos operadores imediatamente após uma levitação, meio minuto decorria antes da resposta, a qual me era dada por meio de pequenas pancadas leves. Alguns segundos depois, os raps aumentavam de intensidade. Concluí que era necessário certo tempo para passar do fenômeno da levitação ao fenômeno dos raps. Outrossim, para evitar alteração em seus métodos, os operadores preferiam responder às perguntas, inclinando a extremidade da mesa.

Exp. 75. — Retorno do choque sobre o médium durante os raps.

____Essa experiência teve lugar em minha casa. A luz era boa e sentado em frente ao médium, eu o podia observar perfeitamente. Os operadores produziam pancadas surdas em frente ao médium a intervalos de alguns segundos. Este, à cada pancada, era arremessado para tras em sua cadeira, com muita violência mesmo. Parecia ter sido atingido no peito por um pequeno corpo animado de uma velocidade considerável. Era um verdadeiro bombardeio. Quando as pancadas eram produzidas em sua vizinhança imediata, Mlle_Goligher parecia ser tocada numa direção mais vertical, o que é conforme às leis da mecânica, se supusermos que uma haste semelhante a um corpo semi-rigido, projeta-se do médium ao lugar do assoalho onde os raps se devem produzir. Durante o bombardeio, senti todos os movimentos de reação causados pelas pancadas no corpo do médium. Mlle Goligher não foi importunada. Ela não sofre nenhuma tensão como na levitação.

Exp. 76. — Pesquisa sobre “a forma” do golpe.

____Para avaliar o que produziria um golpe sobre o papel, consegui um par de argolas de cobre tendo cerca de 15 cms. de diâmetro, coloquei um pedaço de papel pardo entre elas e apertei-as por meio de duas porcas de parafuso. O papel achava-se então, esticado como o couro de um tambor. O raps foi perfeitamente aplicado sobre e o papel sofreu um ligeiro rasgão curvo de 2 cms. 1/2 como se houvesse sido tocado obliquamente por um corpo oval de pouco mais ou menos 6 cms.2, movendo-se com certa lentidão.

*