Prosperidade
página acima: Homem
-

Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.[1]

____Tem sido muito comum nos meios de divulgação evangélica, principalmente entre aqueles ligados a núcleos mais tradicionais do cristianismo, e mesmo entre outros de conotação espiritualista, a veiculação da ideia de que a vivência evangélica e a adesão à proposta de Jesus nos leva à prosperidade.
____Com isto têm-se feito cultos e reuniões voltadas para este objetivo sendo ensinado que aquele que manifestar sua fé no Senhor e aderir à proposta da instituição divulgadora da mensagem, terá como prêmio o amplo sucesso em sua vida.

  • Terá base evangélica esta afirmativa?
  • Será que podemos dizer que o Evangelho tem por objetivo a prosperidade de seu seguidor?

____Para que possamos melhor dissertar sobre o assunto necessário se faz trabalharmos os conceitos adequados.

  • Prosperidade é segundo anotações do dicionarista estado do que é ou se torna próspero; grande produção de alimentos e bens de consumo; abundância, fartura, acúmulo de bens materiais; fortuna, riqueza.[2]
  • Próspero é por sua vez, aquele que tem êxito, que é bem-sucedido, afortunado, que acumulou riquezas, rico, abastado, ditoso, feliz, venturoso. [3]
  • Seriam estas as qualidades do ser evangelizado?
  • Seriam estes os fins da prática cristã?

____Avaliemos. No sentido aqui colocado, ...

  • Jesus o personagem central do Evangelho, foi próspero?
  • Seus discípulos da primeira hora, entre eles Pedro, João, Tiago, Paulo de Tarso, Estevão, entre outros, também foram acumuladores de riquezas?
  • E outros discípulos que também lhe foram fiéis em outros tempos, como Francisco de Assis, Madre Teresa de Calcutá, Irmã Dulce, Chico Xavier, foram estes também venturosos no que diz respeito às conquistas materiais?

____Pensamos que não.
____Mas e aí, ...

  • seria o Evangelho contra a riqueza?
  • Seria a mensagem de Jesus de caráter pessimista?

____A questão não é essa, o Evangelho não é nem contra nem a favor da riqueza, pois a sua proposta é para o Espírito imortal, e não para o ser biológico que nasce, cresce e morre um dia. A mensagem do Evangelho é essencialmente otimista porque serve para que todos se redimam e tornem-se plenos em " Vida Abundante".
____Para que compreendamos esta questão é preciso entender que Jesus dividiu o tempo em duas eras. Não estamos dizendo do calendário oficial que nos fala em antes e depois de Cristo, mas de algo muito mais profundo.

  • Antes do Cristo temos a era do homem biológico, o homem que tem por objetivos maiores suprir todas as suas necessidades mais materiais. Assim, nesta fase ele luta por dinheiro, por poder, por conforto, prima pela estética, pela satisfação pessoal, pela educação intelectual, etc..
  • A mensagem do Cristo não é para este que vive de acordo com estes interesses. Jesus veio estabelecer entre nós a Era do Espírito. O homem espiritual candidata-se ao Reino, sua luta é para deixar de ser um ser humano para tornar-se um ser eminentemente espiritual. (Ver: Iluminação do íntimo)

____A partir daí o que tem valor são as virtudes morais, as conquistas que não podem ser tomadas ou roubadas por ninguém. Neste plano têm-se não é do que se junta, mas do que se dá. É feliz não o que busca a sua própria felicidade ou o seu interesse pessoal, mas aquele que se sacrifica pelo interesse do outro.

  • A partir destas colocações, podemos pensar em vivenciar o Evangelho buscando satisfação pessoal?

____é preciso que se compreenda que aqui não há meio termo, o cristão fiel aos ensinamentos de Jesus é aquele que primeiro se preocupa com o outro, e não com si próprio.
____Expressões como "amar a si mesmo", "auto-estima", "auto-valorização", entre outras da moderna psicologia, quando fomentadoras do egoísmo, são em verdade más interpretações das lições evangélicas, e pedra de tropeço para os cristãos desavisados.
____Portanto é preciso avaliar que tipo de prosperidade buscamos, pois a verdadeira satisfação íntima da criatura está, na maioria das vezes, em proporção inversa às suas conquistas nos eventos do mundo.
____EMMANUEL com a sabedoria que lhe é peculiar, nos lembra:

  • Há muita gente acreditando, ainda, na Terra, que o Cristianismo seja uma panacéia como tantas para a salvação das almas.
  • Para essa casta de crentes, a vida humana é um processo de gozar o possível no corpo de carne, reservando-se a luz da para as ocasiões de sofrimento irremediável.
  • Há decadência na carne? Procura-se o aconchego dos templos.
  • Veio a morte de pessoas amadas? Ouve-se uma ou outra pregação que auxilie a descida de lágrimas momentâneas.
  • Há desastres? Dobram-se os joelhos, por alguns minutos, e aguarda-se a intervenção celeste.
  • Usa-se a oração, em momentos excepcionais, à maneira de pomada miraculosa, somente aconselhável à pele, em ocasiões de ferimento grave.
  • A maioria dos estudantes do Evangelho parecem esquecer que o Senhor se nos revelou como sendo o caminho...[4]

____Sendo Jesus o Caminho, é preciso seguir pelo caminho traçado por Ele; e não foi Ele quem mais obedeceu entre nós? Não foi Ele quem mais serviu? Quem mais sacrificou-se?
____Lembremos ainda EMMANUEL na mesma lição: Cristãos que não aproveitam o caminho do Senhor para alcançarem a legítima prosperidade espiritual são criaturas voluntariamente condenadas à estagnação.
____Aqui o grande mentor espiritual nos fala em prosperidade espiritual, esta sim a verdadeira prosperidade, pois baseada em conquistas morais superiores, patrimônio este que não pode ser tomado daquele que conquistou.
____Portanto, entendamos que a abundância, a fartura, a fortuna que o Evangelho nos leva a possuir é a das efetivas conquistas do Espírito.
____Até aí não há controvérsias, pois todo o seguidor dos ensinamentos de Jesus diz que quer mesmo é a promoção espiritual, porém é preciso que estejamos atentos para vermos como isto se dá.
____Em texto trazido a nós pela mediunidade de nosso querido Chico Xavier, o Espírito Irmão X [5] relata que Jesus sabe que há dois tipos de seguidores do seu Evangelho,...

  • um ele denomina de "seguidor de longe"
  • e o outro de "discípulo de perto".

____Segundo o Mestre, ...

  • O aprendiz de longe pode ora crer, ora descrer, abordando a verdade e esquecendo-a periodicamente
  • enquanto que o discípulo de perto empenha a própria vida permanecendo dia e noite na elevação dos testemunhos cristãos.
  • O de longe, continua o Sábio dos sábios, usa a liberdade para buscar honrarias e prazeres, misturando-os com as suas vagas esperanças do Reino de Deus, enquanto que o de perto sofre as angústias do serviço sacrificial e incessante.
  • O de longe encoleriza-se, o de perto compreende e ajuda.
  • O de longe alega, muitas vezes, dificuldades até mesmo para se concentrar numa oração, experimentando sono e fadiga, quando o de perto caminha sem cansaço, em constante vigília.
  • Entre outras diferenças o Excelso Pastor ainda diz: O de longe anseia possuir, enquanto o de perto tem prazer em dar sem recompensa, o de longe só encontra alegria na prosperidade material enquanto o de perto descobre a divina lição do sofrimento.

____Assim é fácil compreender; há mesmo entre os profitentes da mais Bela Mensagem Espiritual de todas as eras, os que de longe anseiam somente pela satisfação imediatista caracterizada pela prosperidade do mundo, e os de perto que pacientemente mostram ter compreendido que o Reino da Felicidade não é deste mundo, sabendo da necessidade do sacrificar-se em favor do outro, e assim atingir a verdadeira prosperidade, que segundo EMMANUEL, é a do Espírito imortal .
____Para aqueles que ainda discordem de nossas considerações sugerimos a leitura da página Assim Como, do Espírito EMMANUEL , contida no capítulo 165 do Livro Vinha de Luz, trazidas a nós pelo mesmo médium Chico Xavier.
____No mais, muita prosperidade do Espírito para todos.

ASSIM COMO

"Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós." - Jesus. (JOÃO, 20: 21.)

Todo cristão sincero sabe como o Senhor Supremo enviou à Terra o Embaixador Divino.

Fê-lo nascer na manjedoura singela.

Deu-lhe trabalho construtivo na infância.

Conferiu-lhe deveres pesados, na preparação, com prece e jejum no deserto.

Inspirou-lhe vida frugal e simples.

Não lhe permitiu o estacionamento em alegrias artificiais.

Conduziu-o ao serviço ativo no bem de todos. Inclinou-lhe o coração para os

doentes e necessitados.

Enviou-o ao círculo de pecadores contumazes. Induziu-o a banquetear-se com pessoas consideradas de má vida, para que o seu amor não fosse uma jóia de luxo e sim o clima abençoado para a salvação de muitos.

Fê-lo ensinar o bem e pratica-lo entre os paralíticos e cegos, leprosos e loucos, de modo a beneficiá-los.

E, ao término de sua missão sublime, deu-lhe a morte na cruz, entre ladrões, com o abandono dos amigos, sob perseguição e desprezo, para que as criaturas aprendessem o processo de sacrifício pessoal, como garantia de felicidade, a caminho da ressurreição do homem interior na vida eterna.

Foi assim que o Supremo Pai enviou à Terra o Filho Divino e, nesse padrão, podemos entender o que Jesus desejava dizer quando asseverou que expediria mensageiros ao mundo nas mesmas normas.

Assim, pois, o cristão que aspira a movimentar-se entre facilidades terrestres, certamente ainda não acordou para a verdade.

Cláudio Fajardo
fajardo1960@gmail.com
[1] - Mateus, 6: 33
[2] - Dicionário Houaiss
[3] - Idem
[4] - Vinha de Luz cap. 176
[5] - Livro Pontos e Contos cap. 1
Ver também:
*