-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

MAÇONARIA - 1799 - Lutando contra a opressão, a Maçonaria sempre esteve à frente dos movimentos de libertação, fiel à sua tríade: “Crença em Deus, na imortalidade da alma e na solidariedade humana”, reunindo homens de valor num lugar comum do ideal de justiça. ANTÔNIO J. FREIRE em SDE 40 - vtb 2255

MADALENA - 1800 - Chega bem cedo ao sepulcro. MAT 28:1 - MAR 16:1 - LUC 24:1 a 10 - JOO 20:1 - BNV 22 - LRD 12 - PNS 168

MADALENA - 1801 - Jesus andava de cidade em cidade pregando o evangelho. Com ele iam os doze e algumas mulheres que haviam sido curadas; Maria Madalena, da qual saíram sete demônios, e outras que o serviam. LUC 8:1 e 2 - MAT 27:55 e 56 - BNV 20 - CAP 18 - EGTPG 55, 175, 178 e 180 - NPM 82 - PAMPG 41 - PCT 46 - PJS 72 - RES 52 - RVCPG 53 - RVM 3 - vtb 426 e 2625

MADALENA - 1802 - Presenciou a crucificação. MAT 27:56 - MAR 15:40 - LUC 23:49 e 24:10 - JOO 19:25

MADALENA - 1803 - Presenciou o sepultamento de Jesus. MAT 27:61 - MAR 15:47 - LUC 23:55 e 24:10

MADALENA - 1804 - Tendo ressuscitado, Jesus lhe aparece. MAT 28:1 a 9 - MAR 16:9 - JOO 20:11 a 18 - CMQPG 110 - CVV 92 - EGTPG 53 e 54 - NPM 34 - PQVPG 73 - vtb 200 e 201

MADALENA - vtb LÁZARO - MARIA (irmã de Marta) e 624

MAGIA - 1805 - O que distingue a religião da magia é precisamente a posição do homem em relação aos poderes divinos. O religioso suplica humildemente a proteção divina, o mágico entrega-se a práticas de evocação e imantação para submeter a divindade aos seus caprichos. O religioso adora a Deus, o mágico o utiliza como fonte de poder ao seu alcance. J. HERCULANO PIRES em RVCPG 15 - RVCPG 13 a 20 CFN1P 10/9 - CFN1P 10/9 a 11 - GNS 1/19 - LOB 9 - MRTPG 69 - PVD 9 - VZG 23 - vtb 762, 1259, 1296, 1412, 1806, 2812 e 3101

MAGNETISMO - 1806 - A força magnética reside no homem, mas é aumentada pela ação dos Espíritos que ele chama em seu auxílio. Mesmo não crendo nos Espíritos, todo aquele que nutre o desejo do bem os chama, sem dar por isso, do mesmo modo que, pelo desejo do mal e pelas más intenções, chama os maus. LMD 176 - LEP 427 e 549 - EVG 19/5 e 12 e 28/77 - GNS 14/31 a 34 - AVV 19 - CME 12 - CSL 26 - EDV 7 e 15 - IPS 33 - LBT 11 e 15 - NDM 2 - TOB 17 - vtb 924, 1527, 1805, 1891, 2227, 2278, 2493, 2812 e 3091

MAGNETISMO - 1807 - Colocavam os enfermos em leitos nas ruas, para que ao menos a sombra de Pedro, quando passasse, cobrisse alguns deles. ATS 5:15 - MAT 9:21 - PNS 172

MAGNETISMO - 1808 - Os enfermos rogavam a Jesus que ao menos pudessem tocar a orla do seu vestido; e todos os que a tocavam ficavam sãos. MAT 14:36 - MAR 3:10 e 6:56 - CVV 70

MAGNETISMO - 1809 - Toda a multidão procurava tocar-lhe, porque saía dele (Jesus) virtude, e curava a todos. LUC 6:19 - LUC 8:46 - MAT 9:20 - MAR 5:30 - GNS 15/2 - OFR 32 - PNS 110 - RES 59 - VEP 16 - vtb 704 e 1231

MAGNETISMO - vtb CURA, PASSE, 429, 575, 925, 1259, 1412, 1994, 2506, 2984, 3003, 3017, 3101 e 3206

MÁGOA - v. MELINDRE - RESSENTIMENTO

MAIOR - 1810 Aqueles cuja passagem pela Terra se assinalou por obras de real valor são mais apreciados depois de mortos do que quando vivos. A posteridade é juiz desinteressado no apreciar a obra do espírito; aceita-a sem entusiasmo cego, se é boa, e a rejeita sem rancor, se é má, abstraindo da individualidade que a produziu. GNS 17/2

MAIOR - 1811 - Cada qual sente bem a sua força ou a sua fraqueza e saberá ter sempre uma espécie de deferência para aquele que o merecer, por sua virtude e seu saber. É importante assinalar isto, a fim de que os que se julgam superiores conheçam os seus deveres e possam merecer essas deferências. A subordinação não estará comprometida, quando a autoridade for conferida à sabedoria. LEP 878a - LEP 277 - EVG 3/10, 12/4 e 17/9 - GPT 7 - HRM 3 - PBSPG 348 - SNV 16 - VDR 11 - vtb 1129 e 3048

MAIOR - 1812 - É da Lei que o superior venha ao inferior quando queira, contudo, por nossa vez, não nos é facultado segui-los. O pensamento nos condiciona ao círculo em que devemos ou merecemos viver e, só ao preço de esforço próprio ou de segura evolução, logramos aperfeiçoá-lo, superando limitações para fazê-lo vibrar em esferas superiores. ANDRÉ LUIZ em NDM 26 - vtb 765, 1780, 1933 e 3045

MAIOR - 1813 - Liderança real, no caminho da vida, não tem alicerces em notoriedade de qualquer natureza. Ela pertence aos que se ausentam de si mesmos, buscando os semelhantes para servi-los. EMMANUEL em EVD 64 - LEP 194 (Obs) e 918 - EVG 17/3 - API 8 - DNH 17 - ESV 9 - MSA 3 - NINPG 114 - PCC 1 - PVD 3 - RES 36 - RML 47 - RTL 38 - VLZ 56 - vtb 2644

MAIOR - 1814 - Muitos derradeiros serão os primeiros. MAT 19:30 e 20:16 e 27 - MAR 9:35 e 10:31 - LUC 13:30 - LEP Introdução XI e 275 - EVG 18/5 e 20/2, 3 e 5 - ALZ 7 - COI 34 - EGTPG 155 - HRM 1 - INS 20 - JEV 27 - MFR 14 - NPM 48 - PLE 7 - RFG 20 - RML 2 - vtb 2480

MAIOR - 1815 - O que quiser fazer-se grande, seja aquele que serve. O maior dentre vós será aquele que vos serve. MAT 20:26 e 23:11 - MAT 5:19 - MAR 9:35 e 10:43 - LUC 22:26 - EVG 7/4 e 6 - ALC 7 e 15 - ATT 17 - AVEPG 83 - AVL 3 - CAP 22 - CHG 13 - CPL 27 - CPN 13 - DNH 3 - EGTPG 224 - EMC 21 - ETV 31 e 36 - EVD 78 - FEV 31 - HRM 2 - IDL 11 - IND 13 - LNL 38 - MMC 4 - MMD 15 e 29 - MST 2 - MTA 17 - MTS 9 - MUN 29 - NDB 2 - NSC 31 - OES 22 - PETPG 381 - PNS 43 - RTR 15 - SGU 50 - SOL 33 - TCL 28 - TRL 2 e 5 - VDR 6 - VIC 10 - vtb 1445, 1618 e 3369

MAIOR - 1816 - Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição que tenham alcançado. Essas ordens são ilimitadas em número e podem ser multiplicadas ou restringidas livremente. Considerando-se os caracteres gerais dos Espíritos, elas podem reduzir-se a Espíritos puros, bons e imperfeitos. LEP 96 a 111 - LEP Introdução VI, 128, 275a e 278 - CTNPG 56 - OBD3P 12 - QTE 1

MAIOR - 1817 - Os Espíritos têm uns sobre os outros a autoridade correspondente ao grau de superioridade que hajam alcançado, autoridade que eles exercem por um ascendente moral irresistível, não podendo os Espíritos inferiores subtrair-se à autoridade dos que lhe são superiores. LEP 274 - LMD 74/12, 251, 279, 282/10 e 284/50 - GNS 14/11 - CFN1P 10/10 - GPT 5 - NBO 9 - NFL 10 - OBD3P 5 - TDL 29 - VZG 36 - vtb 1832, 1984, 2136, 2576 e 2611

MAIOR - 1818 - Qualquer que seja seu grau de adiantamento, sua situação como reencarnado ou na erraticidade, o Espírito está sempre colocado entre um superior, que o guia e aperfeiçoa, e um inferior, para o qual tem que cumprir esses mesmos deveres. S. VICENTE DE PAULO em LEP 888a - LEP Introdução VI, 495, 509, 779, 805 (Obs) e 831 - HEB 7:7 - EVG 4/19 e 7/13 - AMG 2 - CVD 53 - EDA 2 - ETD 12 - EVV 34 e 39 - FVV 21 - GRNPG 46 - IES 41 - NDB 25 - NINPG 416 - OES 48 - PCC 16 - PPHPG 22 - PVD 3 - TOB 22 - vtb 263, 547, 1339, 1566, 1577, 2278, 2924, 3044 e 3283

MAIOR - vtb GOVERNANTES - PODER - POLÍTICA - REINO DE DEUS - TRIUNFO, 196, 666, 832, 1427, 1435, 1460, 1568, 2261 e 2330

MAIORIA - 1819 - Não seguirás a multidão para fazeres o mal; nem numa demanda falarás, tomando parte com o maior número para torcer o direito. EXD 23:2 - MAT 27:24 - MAR 15:15 - LUC 23:23 a 25 - ATS 24:27 - MDS 63 - NPM 16 - RES 51 - vtb 2335

MAL - 1820 - A nenhum Espírito é dada a missão de praticar o mal. Aquele que o faz, fá-lo por conta própria, sujeitando-se portanto às conseqüências. Pode Deus permitir-lhe que assim proceda, para vos experimentar; nunca, porém, lhe determina tal procedimento. LEP 470 - LEP 120, 511 e 993 - EVG 8/13 e 28/3-VI - LMD 252 - ATP 7 - EGTPG 105 a 119 - PNS 4 - vtb 741, 1134, 1727 e 2853

MAL - 1821 - A origem do mal reside no egoísmo e no orgulho; os abusos de toda espécie cessarão quando os homens se regerem pela lei da caridade. ALLAN KARDEC em EVG 16/8 - EVG 17/2 - vtb 360, 902 e 2332

MAL - 1822 - A prática do mal é uma agressão que cometemos contra nós mesmos, precipitando-nos em longos períodos de inquietação e desajuste, que se iniciam na Terra, como decorrência imediata e se completam no plano espiritual, onde colhemos as conseqüências de nossos desatinos, internados compulsoriamente em regiões escuras e tristes. RICHARD SIMONETTI em VMO 18 - VMO 36 - ELF 25 - vtb 022, 291, 414, 861, 1834, 3236 e 3257

MAL - 1823 - Abster-se do mal não é suficiente: é preciso fazer o bem, no limite de suas forças, pois cada um responderá por todo mal causado pelo bem que se deixou de fazer. LEP 642 - LEP 639, 657, 770, 896, 975 e 987 - CFN1P 7/6 - ATA 38 - CDV 22 - CMQPG 114 - EPV 44 - ETS 32 - EVD 84 - EVV 18 - FDL 31 - HOJ 16 - ILS 25 - JVN 19 - LEK 12, 15 e 58 - LES 37 - LVS 18 - LZA 2 - MMC 5 - MTS 1 - NPM 114 e 119 - PDA 11 - PNS 28 - RES 47 - SMD 36 - SOL 59 - vtb INDIFERENÇA, 018, 292, 551, 636, 1504, 1593, 1883, 2534, 2827, 3132 e 3367

MAL - 1824 - Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, isto é, tendo tanta aptidão para o bem quanto para o mal. Os que são maus, assim se tornaram por vontade própria. LEP 121 - LEP 122, 131 e 1006 - CFN1P 8/12 e 9/21 - GNS 3/1 a 10 - BAC 4 - CSL 135 - CTD 22 - EPZ 18 - ETS 19 e 31 - EVM2P 18 - FML 22 - LNC 1 - MDC 8 e 13 - MTA 19 - NFL 3 - PDA 1 - RES 34 - SMT 2 - VMO 8 - vtb 742, 1480, 1761 e 2752

MAL - Do mal pode sair o bem. v. 1143

MAL - Males pequeninos. v. 3244

MAL - 1825 - Não comentes o mal para que o mal não se estenda; não te refiras à sombra para que a sombra te não envolva o caminho. EMMANUEL em IRM 13 - ABS 1 - AVE PG 35 - CPN 15 - CRG 1 - EMC 13 - ESV 30 - FVV 151 - IRU 7 - LES 26 - MMD 44 - MST 12 e 15 - MTS 13 - MUN 26 - NLR 6 - RCF 11 - RES 9 - SOL 43 - URG 16 - vtb 1672, 1677, 2337, 2381, 2414 e 2631

MAL - 1826 - Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. JOO 17:15 - LEP 657 e 767 a 771 - ALC 45 - ANT 28 - ASV 25 - ATA 52 - BAC 17 - BPZ 45 - CRG 29 - CVV 30 - DKA 25 - DMV 8 - DSF 22 - ELZ 34 - ETD 5 - FVV 69 e 162 - IRM 16 - LES 12 - LMV 31 - PMG 14 - PRN 15 - RDV 30 - RTR 19 e 20 - TMG 25 - VLZ 117 - vtb 1581, 1593, 2063 e 3055

MAL - 1827 - O bem é a onda permanente da vida a irradiar-se como o Sol e o mal pode ser considerado como sendo essa mesma onda, a enovelar-se sobre si mesma, gerando a treva enquistada. Ambos personalizam o amor que é libertação e o egoísmo, que é cárcere. F.M. DIAS DA CRUZ em IPS 60 - APV 10 - BAC 22 - ETC 1 - INS 21 - PBSPG 384 - vtb 154, 902, 1741 e 3139

MAL - 1828 - O mal, como a sombra, não tem existência real; é, antes, um efeito de contraste. As trevas se dissipam diante da luz; assim também o mal se evapora logo que o bem aparece. Em uma palavra, o mal é a ausência do bem. LÉON DENIS em DPMPG 126 - DPMPG 124 a 127 - GNS 3/8 - ACO 56 - ANT 27 - CRI 28 - CTNPG 93 a 95 e 227 - DSG 24 - DSM 6 - ETS 103 - GRNPG 44, 83 e 112 - NPM 80 - OFR 43 - PBSPG 292 e 293 - RDL 16 - TDL 22

MAL - 1829 - O mal é sempre o mal e não há sofisma que faça se torne boa uma ação má. A responsabilidade, porém, do mal é relativa aos meios de que o homem disponha para compreendê-lo. LEP 830 - LEP 636 a 638, 950 e 952a - GNS 12/22 - CPL 37 - OTM 42 - vtb 412, 642, 989, 1145, 1579, 1717 e 2852

MAL - 1830 - O mal, muitas vezes, transforma-se em paz e luz naqueles que o recebem e, invariavelmente, é sempre treva e dor naqueles que o praticam. EMMANUEL em IRM 14 - ASV 23 - ATT 41 - LEK 57 - MDS 33 - OES 50 - PBSPG 303 - PRN 35 - RES 38 - STN 9 - TMG 46 - vtb 472, 2581 e 2902

MAL - 1831 - O Senhor, decerto, não estabelece o erro como sendo condição para o acerto, entretanto nos permite a liberdade de palmilhar caminhos de sombra e luz, a fim de que através das experiências felizes e menos felizes, venhamos a adquirir mais alto nível de compreensão, de uns para com os outros. EMMANUEL em PRN 36 - vtb 478, 986, 990, 1174, 1757 e 2667

MAL - 1832 - Os maus exercem geralmente maior influência sobre os bons, pela fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos; os bons são tímidos. Estes, quando quiserem, assumirão a preponderância. LEP 932 - LEP 915 - API 19 - CRA 14 - CVD 54 - DSM 4 - FDI 27 - LEK 51 - LVV 27 - NBO 9 - RTL 27 - SNL 4 - SOL 2 - USF 3 - vtb 940, 1505, 1817 e 2338m

MAL - 1833 - Por vezes, para preservar convenientemente a saúde, é preciso conhecer as enfermidades; para cultivar o bem, é necessário não ignorar a existência do mal. ANDRÉ LUIZ em MLZ 15 - LEP 634 - EVG 3/11 - ADV 25 - DPMPG 141 - GRNPG 179 - NLI 6 - PBSPG 289 - RML 10 - vtb 856, 1695 e 3271

MAL - 1834 - Quando se teve a coragem de praticar o mal, é preciso ter-se a de lhe sofrer as conseqüências. LEP 948 - LEP 949 - vtb 025, 861, 985, 1351, 1822 e 2729

MAL - 1835 - Só por meio do bem se rapara o mal e a reparação nenhum mérito apresenta, se não atinge o homem nem no seu orgulho, nem nos seus interesses materiais. De que serve humilhar-se diante de Deus, se perante os homens conserva o seu orgulho? - LEP 1000 - vtb 217, 1433, 2332 e 2828

MAL - 1836 - Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem. PTS 5:15 - MAT 5:39 a 44 - ROM 12:17 - PCR 6:7 -GAL 6:10 - PPD 3:9 - LVT 19:18 - PVB 20:22 e 24:29 - EVG 12/9 - AES 9 - ALM 26 - ATP 16 - ATR 22 - BNV 7 - CES 39 - CLA 11 - CMA 19 - CPL 39 - DCS 1 - DMV 53 - IND 17 - JVN 54 - LEK 55 - PCT 60 - PNS 118 - VMO 21

MAL - vtb BEM, 516, 676, 762, 902, 919, 1134, 1333, 1527, 2278, 2519, 2902, 3150, 3242, 3249, 3271 e 3365

MALDIÇÃO - 1837 - Jamais a bênção e a maldição podem desviar da senda da justiça a Providência, que nunca fere o maldito, senão quando mau, e cuja proteção não acoberta senão aquele que a merece. LEP 557 - HRM 5 - NDM 4 - STC 2 - VEP 17 - VLZ 55 - vtb 1546 e 2394

MALEDICÊNCIA - v. 053, 065, 100, 527, 1293, 1532, 1547, 1677, 2159, 2376 a 2378, 2386, 2393, 2397, 2398, 2406, 2412, 2414, 2430 a 2432 e 2902

MALTRATAR - v. 625 e 1547

MANDAMENTO - 1838 - Citados por Jesus. MAT 19:19 e 22:37 a 40 - MAR 10:19 e 12:29 a 31 - LUC 10:27 - JOO 13:34 e 15:12

MANDAMENTO - 1839 - Mestre, qual é o grande mandamento na Lei? E Jesus disse-lhe. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda lei e os profetas. MAT 22:36 a 40 - MAR 12:28 a 31 - LUC 10:27 - ROM 13:9 - GAL 5:14 - TGO 2:8 - LVT 19:18 - DTR 6:5, 10:12, 11:13 e 30:6 - LEP 647 - EVG 11/8 a 10, 13/9 e 15/5 - GNS 1/25 - ALZ 5 - ASV 13 - ATD 5 - AVE 20 - CMQPG 289 a 294 - ELF 4 - EPM 11 e 12 - ETS 99 - FEV 39 - FVV 67 e 77 - HNV 11 - JEV 13 - LRE 50 - MDS 25 - MMS 6 - NDB 17 - PJS 45 e 68 - PNS 105 - POB 12 - PRR 9 - vtb 122, 123, 361, 364, 952, 1709, 2713 e 2938

MANDAMENTO - 1840 - Os dez mandamentos. EXD 20:1 a 17 - DTR 5:6 a 21 - LEP 648 - EVG 1/2 e 9 - GNS 1/10 - CSL 268 e 269 - CTD 28 - EVM1P 20 - JEV 1 - NFA 2 - PTC 33 - RNB 11 - VDR 18 - VMO 13

MANDAMENTO - 1841 - Os mandamentos de Deus não são pesados. PJO 5:3 - MAT 23:4 - LUC 11:46 - ATS 15:10

MANDAMENTO - 1842 - Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. JOO 14:15, 21 e 23 e 15:10 - PJO 5:2 - LES 71 e 77 - PVE 175 -SGU 76 - vtb 128 e 129

MANDAMENTO - 1843 - Se queres entrar na vida, guarda os mandamentos. MAT 19:17 - vtb 2467

MANDAMENTO - 1844 - Um novo mandamento vos dou, que vos ameis uns aos outros, como vos amei. JOO 13:34 e 15:12 e 17 - PTS 4:9 - PPD 1:22 - PJO 2:7 e 3:11 - LVT 19:18 - CVD 2 - CVV 179 - ETS 38 - vtb 169

MANDAMENTO - vtb LEI, 559, 877 e 1539

MANJEDOURA - v. 2174

MANSIDÃO/MANSO - v. BRANDURA

MANUEL DA NÓBREGA - E EMMANUEL. v. 914

MÃO - 1845 - Estende a tua mão. E ele a estendeu, e foi-lhe restituída a sua mão, sã como a outra. MAR 3:5 - MAT 12:13 - LUC 6:10 - FVV 174 - vtb 715

MÃO - 1846 - Jesus mostrou aos discípulos as suas mãos. JOO 20:20 - CMM 13 - DDV 5 - FVV 179 - MMC Prefácio e 41 - URV 20

MÃO - 1847 - Mãos não lavadas. MAT 15:2 e 20 - MAR 7:2 a 5 - LUC 11:38 - CLS 2:8 - EVG 8/10 - PJS 57 - vtb 591

MÃO - 1848 - Para mostrar-nos o supremo valor das mãos consagradas ao bem constante, Jesus preferiu morrer na cruz, de mãos estendidas, como que descerrando o coração pleno de amor à Humanidade inteira. EMMANUEL em PVE 37 - PVE 147 - ATT 42 - EVD 103 - RAL 11 - SDE 44 - SGU 11 - vtb 618

MÃO - 1849 - Pedro, dando a mão a Tabita, a levantou. ATS 9:41 - CRF 51 - FVV 33 - vtb 2865

MÃO - vtb 050, 321, 716, 866, 992, 2301, 2495, 2497, 2506, 2623, 2637, 2894 e 3204

MAR - 1850 - Jesus caminhando sobre o mar. MAT 14:25 - MAR 6:48 - JOO 6:19 - GNS 15/42 - PJS 56

MAR - 1851 - O oceano é miraculoso reservatório de forças. Qual acontece na montanha arborizada, a atmosfera marinha permanece impregnada por infinitos recursos de vitalidade da Natureza. ANDRÉ LUIZ em ETC 5 - CES 32 - GRNPG 140 a 147 - vtb 2181

MAR - 1852 - Pedro caminha sobre o mar. MAT 14:29 a 31 - GNS 15/42 - PJS 56

MARCAS - v. CICATRIZ

MARCOS - 1853 - Como Lucas, se limitou a transcrever o que lhe fora dito pelos discípulos, não tendo convivido com Jesus. LÉON DENIS em CTNPG 269 (Nota Compl. n. 2) - CMQPG 36 e 154 - DMV 57 - RVCPG 40 e 72 - vtb 1115

MARCOS - 1854 - Seu nome completo era João Marcos e o de sua mãe, Maria (ATS 12:12 e 25, e 15:37). Era sobrinho de Barnabé (CLS 4:10). Companheiro de Pedro (PPD 5:13). - EGTPG 145 - PETPG 322

MARCOS - 1855 - Sua atuação junto de Paulo. ATS 12:12 e 25, 13:5 e 13 e 15:37 a 39 - CLS 4:10 - STM 4:11 - FLM 24 - MRCPG 95, 114, 173 e 182 - vtb 269

MARGINALIDADE - v. DELINQUÊNCIA

MARIA - 1856 - Desposada com José, antes de se ajuntarem achou-se concebido do Espírito Santo. MAT 1:18 - LUC 1:35 - GNS 15/65 (Obs) - AQMPG 276 - CMQPG 50 a 53, 137 e 138 - CTNPG 99 - EGTPG 71 - PNT 3 - RVCPG 73 - vtb 421

MARIA - 1857 - Recebe o anúncio do nascimento de Jesus. LUC 1:26 a 38 - CMQPG 53 - THP 10 - VZG 47

MARIA - 1858 - Visita a Isabel. LUC 1:39 a 45 - PNT 4

MARIA - 1859 - O "magnificat" (cântico em que cita diversos trechos do velho testamento). LUC 1:46 a 54 - CMQPG 65

MARIA - 1860 - Vai a Belém alistar-se. LUC 2:4 e 5 - CMQPG 45 a 47 e 61 - RVCPG 6, 45 e 47

MARIA - 1861 - Dá à luz o seu primogênito (Jesus). MAT 2:1 - LUC 2:7 - GNS 15/67 - RVCPG 1, 72, 73 e 86 - vtb 1614

MARIA - 1862 - Guardava todas essas coisas, conferindo-as em seu coração. LUC 2:19 e 51 - PNT 8 - vtb 1778

MARIA - 1863 - Encontra Jesus no templo. LUC 2:41 a 51 - CMQPG 54 - DTE 11 - PNT 8 - RVCPG 46

MARIA - 1864 - Presente às bodas de Caná. JOO 2:1 a 5 - CVV 171 - vtb 340

MARIA - 1865 - Presente à crucificação. MAT 27:56 - MAR 15:40 - JOO 19:25 a 27 - Lucas (23:49) só fala em "mulheres". BNV 30 - LRD 2 - vtb 624

MARIA - 1866 - Presenciou o sepultamento de Jesus. MAT 27:61 - MAR 15:47 - Lucas (23:55) só fala em "mulheres".

MARIA - 1867 - Chega bem cedo ao sepulcro. MAT 28:1 - MAR 16:1 - LUC 23:55 a 24:1 - João (20:1) só fala em Madalena.

MARIA - 1868 - Tendo ressuscitado, Jesus lhe aparece. MAT 28:1 a 9

MARIA - 1869 - Em companhia dos discípulos. ATS 1:14 - PETPG 433

MARIA - 1870 O Espiritismo respeita Maria como Espírito da mais alta evolução, "vaso escolhido" para servir de veículo à encarnação do Senhor. Não admite no entanto que se chame a Divina Mãe de Jesus de Mãe de Deus, já que, como criatura, não poderia ser mãe do Criador. J. HERCULANO PIRES em HNV 21 - EVG 14/7 - CDA 25 - CLA 43 - MOR 3 - LNL 43 - RES 52 - RLZ 12 - RVCPG 37 - SVA 17 - VZG 47 - vtb 1196 e 1641

MARIA (de Cleofas) - 1871 - Presente à crucificação. JOO 19:25

MARIA (irmã de Marta) - 1872 - E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços, e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe, pois, que me ajude. E, respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas: Mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. LUC 10:38 a 42 - CES 1 - CLB 52 - ELZ 18 - ETD 55 a 57 - ETS 9 - FVV 32 - MMD Prefácio e 34 - NFL 15 - NPM 112 - NSS 25 - PJS 72 - PRD 16 - SGU 69 - VLZ 3 - vtb 426

MARIA (irmã de Marta) - 1873 - Onde quer que este evangelho for pregado, em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua. MAT 26:13 - MAR 14:9 - vtb 426

MARIA MADALENA - v. MADALENA

MARIA, mãe de Marcos - v. 1854

MARTA v. 426 e 1872

MÁSCARA - Social. v. 196

MASOQUISMO - 1874 - Normalmente, nos casos de angústia cultivada, estão em jogo os mecanismos masoquistas que, facultando o prazer pela dor, intentam inverter a ordem dos fenômenos psicológicos, mantendo o estado perturbador que, no paciente, assume característica de “normalidade”. JOANNA DE ÂNGELIS em SCS 2 - EPM 16 - FDL 17 - HIT 8 - NRF Prefácio - VDS 4 - vtb 850, 1558, 2183 e 2733

MASOQUISMO - vtb 1919, 2794 e 2850

MASSIFICAÇÃO - 1875 - A massa absorve, devora as expressões individuais e consolida as paixões perversas. Vivendo-se uma atualidade globalizadora, pode-se no entanto evitar a massificação preservando-se a individualidade, sendo-se autêntico consigo mesmo. JOANNA DE ÂNGELIS em AIM 7 - AIM 12 - AVV Prefácio - DPE 1 e 3 - LZE 28 - RTR 15 - SPT 13 - vtb 150, 233, 1087, 1362, 1392, 1490, 1513, 1731, 2081, 3032, 3040, 3056 e 3069

MATAR 1876 - Não matarás. EXD 20:13 - MAT 5:21 - MAR 10:19 - ROM 13:9 - DTR 5:17 - LEP 638, 709, 746 a 751, 757 a 765 e 880 - EVG 12/11 a 15 - CFN1P 7/24 - ADR 11 - ATP 15 - CAT 17 - CFZ 25 - CSL 62 - CTD 12 - CVCPG 25 a 41 - EED 17 - ELZ 45 - ESV 25 - ETC 7 - FPZ 5 - IPS 18, 52 e 61 - ITP 13 - JVN 47 - LOB 26 - LVV 18 - MLZ 11 - MOR 19 - MSG 23 - NDB 29 - NMM 4 - NPB 24 - PAMPG 81 e 82 - PRD 18 - QTE 8 - RES 50 - SDE 37 - SHA 15 - TOB 3 - VMO 4 - VZG 60 - vtb 012, 581, 789, 815, 1101, 2102, 2118, 2937, 3098 e 3353

MATÉRIA - Ação dos Espíritos sobre a matéria. v. 1078

MATÉRIA - 1877 - É preciso entender a matéria como energia concentrada, ou, no dizer de André Luiz, “luz coagulada”. HERMINIO C. MIRANDA em AQMPG 43 - AQMPG 48 e 66 - GNS 6/3 a 10 - IPS 36 - NDM Prefácio - NFA 11 - PVD 5 - RTR 5 - SPT 2 - vtb 1322 e 3291

MATÉRIA - Influência da matéria. v. CORPO FÍSICO - Obnubila as

MATÉRIA - 1878 - Em todos os planos existe a matéria, como expressão para a vida espiritual. A sua vibração fluídica é que determina o seu estado de rarefação ou de condensação compatível com as finalidades do meio. EMMANUEL em AVL 19 - LEP 21 a 34 - AQM 42 - EVM1P 1 - PRD 6 - VZG 40 - vtb 1320

MATÉRIA - Nenhum obstáculo opõe à movimentação do Espírito. v. 3314

MATÉRIA - 1879 - O átomo não é mais o tijolo indivisível da matéria. Antes dele, encontram-se as linhas de força, aglutinando os princípios subatômicos, e antes desses princípios, surge a vida mental determinante... Tudo é espírito no santuário da Natureza. ANDRÉ LUIZ em NDM 17 - vtb 927, 1076, 1793, 2042 e 3293

MATÉRIA - 1880 - Os átomos que integram a hóstia dum templo, são, no fundo, iguais àqueles que formam o pão pobre de uma penitenciária. Assim, toda a matéria em si mesma. Passiva e plástica, é análoga nas mãos das entidades sábias ou ignorantes, amorosas ou brutalizadas, no estado de condensação conhecido na Crosta Planetária, e além dele. ANDRÉ LUIZ em LBT 2 - vtb 839

MATÉRIA - Preocupações de ordem material. v. 055, 661, 687, 1273, 2335 e 2698

MATÉRIA - vtb 896, 897, 927, 1071, 1320, 1322, 1962, 2558 e 2605

MATERIALISMO - 1881 - Com o estudo atento e minucioso da matéria, as escolas positivistas contribuíram para enriquecer certos ramos do conhecimento humano, mas perderam de vista o conjunto das coisas e as leis superiores do Universo. O Positivismo não é senão uma das formas temporárias da evolução filosófica, não podendo assim ser considerado como a última fase da ciência, porque esta é essencialmente progressiva e sabe completar-se avançando. LÉON DENIS em DPMPG 96 e 97 - DPGPG 86 a 95 - LMD 10 - ANT 4 e 47 - AQMPG 38 e 143 - CTNPG 129 a 146 - DKA 34 - DLG 2.18 - EMN 35 - EPH 7 - EPM 3 - LNC 3 - LPE 10 - LZA 43 - PBSPG 15 - PND 19

MATERIALISMO - 1882 - Durante doze séculos a Igreja (romana) dominou, formou a seu talante a alma humana e toda a sociedade, mas seu ensino, não conseguindo satisfazer as inteligências e as consciências nem dominar os costumes, lançou por toda parte a incerteza. Foi a impossibilidade de crer nos seus dogmas que impeliu grande parte da Humanidade para a dúvida e a negação. LÉON DENIS em CTNPG 108 e 109 - CTNPG 11 - LEP 1009 - LMD 2 - CFN1P 1/13 e 10/3 - SOL 12 - TVM 11 - vtb 419, 862, 2000, 2809 e 3152

MATERIALISMO - 1883 - Grandemente culpados são os que se esforçam por acreditar, com sofismas científicos e a pretexto de uma falsa razão, nessa ideia desesperadora, fonte de tantos crimes e males, de que tudo acaba com a vida. Esses serão responsáveis não só pelos próprios erros, como igualmente por todos os males a que os mesmos derem causa. ALLAN KARDEC em CFNPG 313 - CFNPG 312 a 319 - ADR 4 - API 9 - CVO 14 - HNV 36 - LAV 4 - vtb 1823

MATERIALISMO - 1884 - Não é verdade que o materialismo seja uma conseqüência dos estudos que devem, ao contrário, mostrar ao homem a superioridade da inteligência que governa o mundo. É a conseqüência do orgulho daqueles que crêem saber tudo, não admitindo que alguma coisa possa ultrapassar o seu entendimento. LEP 147 e 148 - LEP 9 - EVG 7/9 e 10 - ALV 7 - ATP 2 - BPZ 23 - CEDPG 67 e 68 - CLA 12 - CPL 28 - CVV 36 - DDV 4 - ETV 21 - HNV 1 e 2 - LRD 38 - MFR 14 - NDM Prefácio - NPB 29 - PAMPG 14 - PBSPG 14 - PRD 2 - RAT 15 - RES 64 e 68 - RIM 8, 10 e 12 - RVCPG 34 e 35 - TMG 29 - USF 10 - vtb 793, 1570, 2330 e 2793

MATERIALISMO - 1885 - O conceito materialista de que a morte arrebata a existência torna-se um suplício para o idoso, como para outra pessoa qualquer, por constituir-se condenação da vida ao aniquilamento. A juventude está próxima da morte tanto quanto a velhice, e até mais, face aos acidentes e imprudência que se permite. JOANNA DE ÂNGELIS em DPE 9 - DSG 8 - vtb 2078, 2113 e 3308

MATERIALISMO - 1886 - O Espiritismo pode contribuir para o progresso destruindo o materialismo, que é uma das chagas da humanidade, fazendo com que os homens compreendam onde se encontram seus verdadeiros interesses. LEP 799 - LEP Conclusão II e III - LMD 19 a 25 - CFN1P 1/4 - GNS 18/16 - BPZ 36 - CFZ 35 - COI 30 - DKA 49 e 76 - DPMPG 196 - EMN 13 - ETR 6 - MOR 13 - NFA 9 - NFP 23 - NLI 13 - POB Prefácio - PPHPG 42 - RES 67 - SGU 52 - SOL 11 - TCL 45 - TMG 4 e 9 - vtb 1022, 1250 e 3093

MATERIALISMO - 1887 - O inimigo único daqueles que amam sinceramente Jesus é o materialismo, que deve ser enfrentado com decisão, movimentando-se unidos todos os homens de fé. O caráter seitista dos religiosos deve ceder lugar ao objetivo da fraternidade, a fim de que todos se sustentem no ideal comum dirigido ao bem geral, que é a grande meta. LINS DE VASCONCELOS em TMG 37 - ETS 66 - vtb SECTARISMO

MATERIALISMO - vtb INCREDULIDADE - NIILISMO e 2434

MATERIALIZAÇÃO - 1888 - As sessões de materialização são de elevada responsabilidade, exigindo todas as possibilidades do aparelho mediúnico e requisitando número dilatado de cooperadores encarnados e desencarnados. Na incerteza de colaboração eficiente, efetuam-se com grandes riscos para a organização mediúnica. ANDRÉ LUIZ em MLZ 10 - MLZ 14 - APV 13 - AQMPG 155 e 156 - ARC 6 - ATT 17 - CTNPG 166 a 169 - DKA 5 e 47 - EVM1P 5 - IPS 50 - LBT 18 e 20 - MDS 105 - NDM 28 - NINPG 106 e 280 a 314 - VDR 16 - VZG 56 - vtb 198, 1280 e 1786

MATERNIDADE - v. FILHO - MULHER - PATERNIDADE

MATEUS - 1889 - Seu chamamento: MAT 9:9 e 10:3 - MAR 3:18 - LUC 6:15 - GNS 15/9 - BPZ 2 - vtb 822 e 1115

MATIAS - v. 1646

MATURIDADE - 1890 - A maturidade psicológica do homem leva-o a uma atitude dinâmica, em que ele busca desenvolver-se cada vez mais, oferecendo-lhe possibilidades de realizar uma situação harmônica entre ele, a sociedade e o ambiente no qual se encontra colocado. MANOEL P. DE MIRANDA em POB 10 - ADV 10 - AQMPG 249 - ATD 12 - AVD 11 - AVE 16 - BPZ 48 - DPE 5 - MMS 20 - MRTPG 153, 212 e 220 - NDB 7 - SCS 1 e 9 - SNL 29 - TRL 2 - VDS todo - vtb 256, 1148, 1514, 1558 e 3306

MATURIDADE - vtb 483, 484, 1023, 1148, 1648, 1757 e 2166

MAU-OLHADO - 1891 - Não há mau-olhado no sentido de que um simples olhar possa fazer murchar uma planta ou adoecer uma pessoa; há, contudo, sentimentos desarmonizados que, potenciados pela vontade consciente ou inconsciente, acarretam distúrbios consideráveis em pessoas, animais e plantas. HERMINIO C. MIRANDA em DDCPG 320 - DDCPG 309 a 320 - CEDPG 99 - vtb 1806 e 3378

MEDIADOR - 1892 - Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. PTM 2:5 - GNS 15/2 - ATT 44 - CTNPG 83 - GPT 17 - MDS 86 - RVCPG 23, 30, 49 e 50 - vtb 355, 1616, 1904 e 2747

MEDICINA - 1893 - Na área da saúde, são muitos os fatores que respondem pelo equilíbrio ou desarmonia do indivíduo, não devendo ele ser examinado apenas por um dos seus ângulos, seja físico, psíquico, emocional ou social. MANOEL P. DE MIRANDA em TDL 8 - AIM 10 - DSG 7 - TDL 1, 16, 31 e 33 - MRTPG 73 a 76 - vtb 727 e 855

MEDICINA - 1894 - O homem terá de voltar os olhos para a terapêutica natural, que reside em si mesmo, na sua personalidade e no seu meio ambiente. A medicina precisa criar os processos naturais de equilíbrio psíquico, em cujo organismo, se bem que remoto para as suas atividades anatômicas, se localizam todas as causas dos fenômenos orgânicos tangíveis. A medicina do futuro terá de ser eminentemente espiritual. EMMANUEL em EMN 23 - EVG Introdução IV/XIX - LMD 128/12 - ANH 12 - ARC 19 - AVD 12 - CDMPG 107 - CEDPG 23 a 28 - CRA 18 - CSL 97 e 107 - CTNPG 217 - CVRPG 331 - DKA 62 e 80 - EED 5 - ETC 13 - ETR 17 - EVM2P 19 - FDI 20 - GPT 20 - HDV 44 - MDS 20 - MLZ 6 - MRTPG 161 - MSG 40 - NLR 13 - PETPG 406 - PPHPG 47 a 54 - TDL 2 e 3 - TMG 10 - vtb 1496, 1771, 2217, 2679 e 3155

MÉDICO - 1895 - Sendo o médico o zelador da saúde, encontra-se investido de elevado ministério. Desejando ser fiel ao “juramento de Hipócrates”, sua conduta moral sadia atrai os Benfeitores da Humanidade, que dele se utilizam para promoverem o progresso dos homens e da sociedade. Naqueles menos vigilantes, entretanto, é comum notar-se influenciação negativa, gerando antipatia pelo paciente, levando ao equívoco no diagnóstico ou a não dar a devida atenção ao problema. MANOEL P. DE MIRANDA em POB 27 - LMD 293/27 - CES 43 - CHG 6 - CSL 94 - ELZ 46 - IPS 22 e 28 - LBT 10 - LOB 17 - MSG 13 - MST 13 e 18 - NDM 15 - NLR 14 - NSC 30 - PMG 38 - PRR 17 - QTO 9 - RLZ 42 - vtb 215 e 3198
____

*