-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

ESQUECIMENTO 1089 - Em ti mesmo, por tuas tendências e princípios, sabes quem foste. E em teu lar, pelos conflitos e necessidades que a experiência doméstica te apresenta, sabes o teu dever. EMMANUEL em MMC 16 - LEP 398 e 399 - LMD 290 - CFNPG 358 - AQMPG 115 - ARC 2 e 7 - ASV 2 - CLB 22 - CRG 30 - CRT 28 a 30 - CSL 116 - CVCPG 122 - CVV 129 - DAG 5 - DPMPG 148 - EDP 12 - ELZ 51 - EMN 32 - EPL 18 - ETC 39 - FML 17 - FPA 17 - IES 53 - IND 9 - JVN 23 - LDA 2 e 6 - LEK 47 - LMV 41 - LNL 49 - NFL 15 - NMM 4 - NPL 3 - NPM 40 - NRF 21 - PQVPG 35 - PVD 12 - RES 34 e 45 - SNL 20 - SOL 50 - VEV 15 - VIC 24 - VSX 22 - vtb 606, 810, 1190, 1201, 1305, 1457, 2037, 2745, 2750, 3136 e 3147

ESQUECIMENTO - 1090 - Nos estágios intermediários da evolução do ser, paradoxalmente ele depende mais da capacidade de esquecer do que da de lembrar-se. O esquecimento - ainda que temporário, e nunca total - abre caminho para novas experiências e novas abordagens a situações e problemas da vida. Não que o inconsciente se anule por completo, mas ele procura omitir-se tanto quanto possível, embora presente em cada experiência através dos modelos mentais que Jung classificou com uma palavra quase mágica - arquétipo. HERMÍNIO C. MIRANDA em MRTPG 152 - MRTPG 36 a 68, 152 a 154 e 208 - ATD 4 - ITP 25 - JOI 6 - MDL 1 - PDA 25 - VDS 2 - VIC 6 - vtb 211, 1497, 1497m, 1499, 2033 e 2046

ESQUECIMENTO -1091 O esquecimento das existências anteriores é providencial e revela a sabedoria divina. Sua lembrança, em certos casos, humilhar-nos-ia sobremaneira. Em outros, exaltaria o orgulho, cerceando-nos o livre-arbítrio. Para nos melhorarmos, Deus nos dá exatamente o que nos basta: a voz da consciência e os pendores instintivos, privando-nos do que nos prejudicaria. Acrescentemos que, se nos recordássemos dos nossos precedentes atos pessoais, igualmente lembraríamos os dos outros, o que seria desastroso para as relações sociais. ALLAN KARDEC em LEP 394 - LEP 386a, 392 a 399 e 608 - EVG 5/11 - CFN 11/21 - GNS 11/21 - API 15 - ATP 8 - CEDPG 187 a 190 e 203 - CES 40 - CLB 21 - CPL 30 - CSL 340 e 370 - CTNPG 222 e 223 - DED 77 - DKA 39 - DMV 11 - DPMPG 145 a 148 - DSF 19 - DSG 18 e 21 - EMN 14 - EPV 26 - ETC 8 - FDI 16 - FGP 5 - FML 29 - GPT 22 - GRNPG 170, 171, 193 e 196 - HNV 38 e 39 - IND 2 - IPS 23 - LPE 59 - LRD 41 - MRTPG 59 a 68 - MSG 10 e 38 - NFP 14, 15 e 20 - NLR 21 - OBV 2 - OTM 15 - PBSPG 182 a 236 - PJS 61 - PPHPG 89 - PQVPG 34 e 112 - QTE 15 - RIM 21 - RML 19 - RTL 10 - SNL 20 - TDN 7 - TVM 1 e 11 - URV 3 - VLZ 64 - VMO 1 - VSX 4 - VZG 40 - vtb 525, 601, 1559, 2036 e 2489

ESQUECIMENTO - vtb PASSADO e 2617

ESQUIZOFRENIA - v. 1767

ESSENCIAL - 1092 Atendamos acima de tudo ao essencial. Em sua imersão nos fluidos terrestres, Cristo não cogitou de qualquer problema inoportuno ou inadequado. Não se sentou na praça pública para explicar a natureza de Deus e, sim, chamou-lhe simplesmente “Nosso Pai”, indicando os deveres de amor e reverência com que nos cabe contribuir na extensão e no aperfeiçoamento da Obra Divina. O Espiritismo Evangélico objetiva, acima de tudo, a melhoria da vida na Terra, a fim de que os homens se façam, efetivamente, irmãos uns dos outros. EMMANUEL em RTR 23 - LAV 19 - NDB 3 - vtb 055, 687, 724, 788, 1027, 1340, 1569, 2040, 2182 e 2682

ESSÊNIOS - 1093 - Seita judia fundada cerca do ano 150 antes de Jesus-Cristo, cujos membros, habitando uma espécie de mosteiros, formavam entre si uma como associação moral e religiosa. Jesus deve tê-los conhecido, mas nada prova sua filiação a eles. ALLAN KARDEC em EVG Introdução III e IV - DPMPG 56, 66 e 67 - MRCPG 44 - RVCPG 3

ESTÊVÃO - 1094 - Apedrejamento de Estêvão. ATS 6:8 a 15 e 7:53 a 60 - MRCPG 63 - PETPG 150 a 163

ESTÊVÃO - 1095 - Cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. ATS 6:8 - ANT 42 - ATA 53 - ETD 34 - MRCPG 52 - PETPG 68 e 96 - vtb 1531

ESTÊVÃO - 1096 - O grande mártir do Cristianismo nascente alcançou influência muito mais vasta na experiência paulina, do que poderíamos imaginar tão-só pelos textos conhecidos nos estudos terrestres. EMMANUEL em PETPG 9 - PET todo - vtb 2504

ESTÍMULO - v. ELOGIO

ESTÔMAGO v. 324, 899, 2736 e 3085

ESTRESSE - 1097 - Jogado em um mundo exterior agressivo, no qual predominam a luta pela sobrevivência do corpo e a manutenção do “status”, o homem acumula conteúdos psíquicos não descartáveis nem digeríveis, avançando, apressado, para o “stress”, as neuroses, as alienações. JOANNA DE ÂNGELIS em HIT 5 - AIM 7 - CEDPG 24 - DPE 1 - vtb 047, 470, 515, 752, 1731, 2024, 2081, 2182, 2183, 3212, 3244 e 3257

ESTUDO - v. ENSINO

ETERNIDADE - 1098 - A palavra "eterno", que tão freqüentes vezes se encontra nas Escrituras, parece não dever ser tomada ao pé da letra, mas como uma dessas expressões enfáticas, hiperbólicas, familiares aos orientais. Não se pode esquecer que tudo são símbolos e imagens em seus escritos. Quantas promessas, pretensamente eternas, feitas ao povo hebreu ou a seus chefes, não tiveram realização! Onde está a descendência de Salomão, que devia reinar eternamente em Israel? Em todos esses casos a palavra eterno parece simplesmente significar: longa duração. O termo hebraico "olam", traduzido por eterno, tem como raiz o verbo "alam", ocultar. Exprime um período cujo fim se desconhece. LÉON DENIS em CTNPG 91 - LEP 125 e 1009 - CFN1P 7/14 e 15 - CSL 244 - PQVPG 116

ETERNIDADE - 1099 - Eternidade não é soma de tempo, esse tempo geofísico que marca as horas, e sim ausência de tempo. HENRIQUE RODRIGUES e HILDA FONTOURA NAMI em PPHPG 17 - GNS 6/13 - vtb 3131

ETERNIDADE - vtb 525, 785, 1264, 1681, 1704, 1715, 2167, 3294, 3322, 3341 e 3357

EUCARISTIA - v. 075, 424 e 2935

EUGENIA - 1100 - A eugenia verdadeira, a única portadora de meios para interferir nas moléculas do DNA, dando surgimento a corpos harmônicos e belos, é a que procede do Espírito eterno, o legítimo construtor do veículo pelo qual se manifesta na Terra, realizando um melhor processo para a reencarnação de forma legal e moral. JOANNA DE ÂNGELIS em DSG 13 - vtb 578, 1366, 2561, 2607, 2762, 2777 e 3015

EUNUCOS - v. 405

EUTANÁSIA - 1101 - Mesmo no caso em que a morte é inevitável e em que a vida não é abreviada senão por alguns instantes, a eutanásia é sempre uma falta de resignação e de submissão à vontade do Criador. LEP 953 - LEP 944 - EVG 5/27 e 28 - ATP 14 - AVV 9 - CSL 106 - DDV 20 - DSG 11 - FDI 29 - FPA 16 - LZE 11 - NDB 13 - NLR 30 - NMM 7 - OBV 18 - PRD 18 - PRR 29 - QTM 16 - RES 23 - SHA 15 - SPT 20 - STC 13 - TVM 18 - vtb 815, 843, 1876, 2118, 3098, 3209 e 3353

EVANGELHO - 1102 - A má fé e o embuste rodearam o Evangelho, enegrecendo-lhe as páginas, e a figura luminosa do Cristo foi adaptada por todas as filosofias, por todas as escolas e interesses particulares. O Evangelho serviu de instrumento para lutas e morticídios. Os homens, tocados de egoísmo e ambição, procuraram torcer- lhe os ensinos, como se estes se constituissem de textos de leis humanas e falíveis. EMMANUEL em CLA 52 - GNS 17/26 - ANT 31 - CSL 264 - CTA 1 - CVV 37 - EGTPG 135 - ELZ 16 - LES Prefácio e 84 - MST 2 - NDB 17 - NMM 2 - OES 14 - PJS 2 - RTR 36 - RVCPG 3 - vtb 476, 616 e 877

EVANGELHO - 1103 - Celso, desde o século II, no Discurso Verdadeiro, acusa os cristãos de retocarem constantemente os Evangelhos e eliminarem no dia seguinte o que havia sido inserido na véspera. Muitos fatos parecem imaginários e acrescentados posteriormente, por exemplo, a matança dos inocentes, que a História não registra. LÉON DENIS em CTNPG 271 (Nota Compl. n.1) - PETPG 327 - PNT 7 - RVCPG 1, 17 e 30 - SMD 18 - VEP 12 - vtb 2681

EVANGELHO - 1104 Chave de luz para os ensinamentos do Cristo, o espiritismo explica o Evangelho não como um tratado de regras disciplinares, nascidas do capricho humano, mas como a salvadora mensagem de fraternidade e alegria, comunhão e entendimento, abrangendo as leis mais simples da vida. EMMANUEL em RTR 38 - FDL Prefácio - vtb 085, 1947, 2784 e 2794

EVANGELHO - 1105 - Dever-se-á tomar ao pé da letra tudo o que o Evangelho contém? Não é sabido que a forma alegórica constitui um dos caracteares distintivos de sua linguagem? Não temos visto a Ciência contraditar a "forma do texto bíblico, no tocante à Criação e ao movimento da Terra? Não se dará o mesmo com algumas figuras de que se serviu o Cristo, que tinha de falar de acordo com os tempos e os lugares? Não é possível que ele haja dito conscientemente uma falsidade. Assim, pois, se nas suas palavras há coisas que parecem chocar a razão, é que não as compreendemos bem, ou as interpretamos mal. ALLAN KARDEC em LEP 131 - LEP 764 - EVG 23/3 - vtb 937, 1119 e 3133

EVANGELHO - 1106 - Enquanto o espírito do homem se engolfa apenas em cálculos e raciocínios, o Evangelho de Jesus não lhe parece mais que repositório de ensinamentos comuns; mas, quando se lhe despertam os sentimentos superiores, verifica que as lições do Mestre têm vida própria e revelam expressões desconhecidas da sua inteligência. Quando crescemos para o Senhor, seus ensinos crescem igualmente aos nossos olhos. ANDRÉ LUIZ em MSG 1 - MSG 11 - ADR 16 - PND 2 - TCB 28 - vtb 957, 1564, 1570, 2254, 2738, 2913 e 3320

EVANGELHO - 1107 - Há que indagar se as palavras de Jesus foram sempre reproduzidas fielmente. É de duvidar-se, desde que se considere que ele nada escreveu, que elas só foram registradas depois de sua morte, que o mesmo discurso cada evangelista o exarou em termos diferentes, o que constitui prova evidente de que as expressões de que eles se serviram não são textualmente as de que se serviu Jesus. Além disso, é provável que o sentido tenha sofrido alterações ao passar pelas traduções sucessivas. GNS 17/45 - PNT 1 - vtb 1121

EVANGELHO - 1108 - Neste século de emancipação intelectual e de liberdade de consciência, o direito de exame pertence a todos e as Escrituras não são mais a arca santa na qual ninguém se atreveria a tocar com a ponta do dedo, sem correr o risco de ser fulminado. ALLAN KARDEC em GNS 1/29

EVANGELHO - 1109 - Num colar de pérolas, cada qual tem valor específico e no imenso conjunto de ensinamentos da Boa Nova, cada conceito do Cristo ou de seus colaboradores diretos adapta-se a determinada situação do Espírito, nas estradas da vida. A lição do Mestre, além disso, não constitui tão-somente um impositivo para os misteres da adoração. O Evangelho não se reduz a breviário para o genuflexório. É roteiro imprescindível para a legislação e administração, para o serviço e para a obediência. EMMANUEL em CVV Prefácio - CSL 235 e 259 - FVV 59 - PNS 40

EVANGELHO - 1110 - O entendimento do Evangelho apresenta dificuldade para a maioria de seus leitores. A forma alegórica e o intencional misticismo da linguagem fazem com que a maioria o leia por desencargo de consciência e por dever, como lêem as preces, sem as entenderem, isto é, sem proveito. Passam-lhes despercebidos os preceitos morais, disseminados aqui e ali, intercalados na massa das narrativas. ALLAN KARDEC em EVG Introdução I - EVG 4/17, 14/6 e 7 e 23/15 - LEP 131 e 627 - DLG 1.8 - FVV 48 - HRM 7 - MCRPG 249 - NPM 64 - PNS 68 - PTC 12 - RNB 1 a 3 - VLZ 143 - vtb 1117, 2274 e 2805

EVANGELHO - 1111 - O Evangelho constitui uma fonte inexaurível de bênçãos. Cada dia se nos depara um diamante novo. Que soma infinita de nuances! Quanta preciosidade se vai encontrando através de filões bastas vezes explorados! Quanta maravilha oculta em suas jazidas inesgotáveis. Quanta riqueza ao alcance de todos os homens e para eles destinada. VINÍCIUS em ETS 132 - ETD 29

EVANGELHO - 1112 - O Evangelho do Cristo é o transunto de todas as filosofias que procuram aprimorar o espírito, norteando-lhe a vida e as aspirações. Raças e povos ainda existem que o desconhecem, porém, não ignoram a lei do amor da sua doutrina, porque todos os homens receberam, nas mais remotas plagas do orbe, as irradiações do seu espírito misericordioso, através das palavras inspiradas de seus mensageiros. EMMANUEL em EMN 2 - CDT 3 - NDB 1 - vtb 2068

EVANGELHO - 1113 O Evangelho é como um Sol de espiritualidade. Todas as obras notáveis dos missionários humanos, na sua tarefa de interpretação, funcionam como telescópios, aclarando-lhe a grandeza. EMMANUEL em CLA 66 - CVV 133 e 160 - EDL 11 - PVE 118 - SED 19 - vtb 495

EVANGELHO - 1114 - O Evangelho não é um florilégio de afirmativas filosóficas, a caminho dos museus literários e, sim, roteiro vivo que nos cabe observar. Cristianismo sem atividade regeneradora dos aprendizes que o esposam, é pregação morta no túmulo adornado das bibliotecas sem proveito ou no cárcere da inteligência sem amor. EMMANUEL em JOI 18 - ABS 6 - ACT 3 - BDA 1 - CSL 225 - CTA 4 - ELZ 17 - RTR 13 - SED 4 - SNL 21 - TCL 7 - vtb 1180 e 2232

EVANGELHO - 1115 - O Evangelho pode ser comparado a um vaso precioso em que, no meio da poeira e das cinzas, se encontram pérolas e diamantes. A reunião dessas gemas constitui a pura doutrina cristã. Quanto a sua verdadeira origem, admitindo que os Evangelhos canônicos sejam obra dos autores de que trazem os nomes, é preciso notar que dois dentre eles, Marcos e Lucas, se limitaram a transcrever o que lhes fora dito pelos discípulos. Os outros dois, Mateus e João, conviveram com Jesus e recolheram os seus ensinos. Os seus evangelhos, porém, não foram escritos senão 40 e 60 anos depois da morte do Mestre. A passagem de Mateus 23:35, a menos que se trate de uma interpolação bem verossímil, prova que essa obra é posterior à tomada de Jerusalém (ano 70), já que, segundo todos os historiadores e, em particular, segundo FLAVIUS JOSEFO em seu livro "Guerra dos judeus contra os romanos", o assassínio de Zacarias, filho de Baraquias, foi praticado no ano 67, ou seja, 34 anos depois da morte de Jesus. Se atribuem ao Cristo a menção de um fato que ele não pudera conhecer, ao que se não terão animado acerca de outros pontos? ... Os manuscritos originais dos Evangelhos desapareceram, sem deixar nenhum vestígio certo na História. Foram provavelmente destruídos por ocasião da proscrição geral dos livros cristãos, ordenada pelo imperador Deocleciano (edito imperial de 303). Os escritos sagrados que escaparam à destruição não são, por conseguinte, senão cópias. Apesar de todos os seus esforços, o que a crítica pode cientificamente estabelecer de mais antigo foram os textos dos séculos V e IV. Orígenes já se queixava amargamente do estado dos manuscritos no seu tempo. LÉON DENIS em CTNPG 269 a 271 (Nota Compl. n.2) - EVG 23/3 - GNS 15/34, 47 e 55 - CMQ todo - DDL Prefácio - EGTPG 145 - FDI 38 - FVV 23 - PETPG 284 - RVCPG 41 - vtb 421, 937, 1624, 1635, 1853 e 3415

EVANGELHO - 1116 - O problema dos Evangelhos, tornou-se uma fonte inexaurível de lendas absurdas. Até hoje a crença geral é a de que os chamados Evangelhos Apócrifos guardam segredos sobre a vida de Jesus que nunca serão revelados. Não obstante, eles nada mais são do que cópias posteriores, acrescidos de lendas ridículas e sem nenhum valor histórico. J. HERCULANO PIRES em RVCPG 98 - CMQPG 151 - CTNPG 26, 263 e 270 - vtb 1371

EVANGELHO - 1117 - O testamento espiritual de Jesus constitui-se de ensinos aos discípulos e não foram grafados por ele mesmo. Recursos humanos seriam insuficientes para revelar a riqueza eterna de sua Mensagem. As letras e raciocínios, propriamente humanos, na maioria das vezes costumam dar margens a controvérsias. Podem surgir muitas contendas em torno das páginas mais célebres e formosas; todavia, perante a alma que se converteu em carta viva do Senhor, quando não haja vibrações superiores da compreensão, haverá sempre o divino silêncio. EMMANUEL em CVV 114 - CTNPG 33 - ETS 60 - IES 64 - VLZ 1 - vtb 476, 1110, 2805 e 3024

EVANGELHO - 1118 - Os únicos documentos válidos do ensino de Jesus são os Evangelhos. O primeiro deles, que os alemães chamavam de Ur-Marcus, o arcaico Evangelho de Marcos, que serviu de modelo ao trabalho posterior de João Marcos romano e desapareceu totalmente, deve ter transferido o que de melhor possuía, segundo os pesquisadores, aos Evangelhos hoje conhecidos. J. HERCULANO PIRES em RVCPG 40 - RVCPG 72 e 81 - CMQPG 152 a 156 - CTNPG 26 - NLA 16

EVANGELHO - 1119 - Pesai bem os ensinamentos que os Evangelhos contêm; sabei distinguir o que ali está em sentido próprio, ou em sentido figurado, e os erros que vos hão cegado durante tanto tempo se apagarão pouco a pouco, cedendo lugar à brilhante luz da Verdade. JOÃO EVANGELISTA em GNS 15/53 - vtb 203, 937, 1105, 1615, 1635 e 3415

EVANGELHO - 1120 - Se anuncio o Evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim se não anunciar o Evangelho. PCR 9:16 - BPZ 16 - ETD 1 - TCL 46

EVANGELHO - 1121 Se o Espírito de Verdade tinha de vir mais tarde ensinar todas as coisas, é que o Cristo não dissera tudo; se ele vem relembrar o que o Cristo disse, é que o que este disse foi esquecido ou mal compreendido. ALLAN KARDEC em EVG 6/4 - JOO 14:15 a 17 e 26 - vtb 535, 937, 1107, 1615 e 3415

EVANGELHO - 1122 - Sois salvos se retiverdes o evangelho tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. PCR 15:2 - ROM 1:16 - MMD 55 - PNS 149 e 180

EVANGELHO - vtb DIVERGÊNCIAS BÍBLICAS - VULGATA, 277, 354, 1016, 1022, 1311, 1446, 2256 e 2780

EVANGELIZAÇÃO De Espíritos: v. 1961 e 2243; Infantil: v. 598

EVIDÊNCIA - v. DESTAQUE

EVOCAÇÃO - De Espíritos. v. 1024, 1189, 1527, 1806, 1924, 1944, 2002, 2278 e 3107

EVOLUÇÃO - 1123 - A mais singela conquista interior corresponde para a nossa alma a horizontes novos, tanto mais amplos e mais belos, quanto mais bela e mais ampla se faça a nossa visão espiritual. ANDRÉ LUIZ em VZG 12 - LEP Conclusão VII - IES 28 - NBO 12 - RCV 8 - vtb 1420, 3379 e 3398

EVOLUÇÃO - 1124 - À maneira do tronco frágil, é imperioso crescer, subir, por alcançar o oxigênio de cima, e, apesar de algemados ao que fomos à semelhança da árvore humilde presa aos resíduos do complicado envoltório que lhe encerrava a semente, reclamamos ascensão, ar puro e largueza de condições para produzirmos o bem que o Senhor espera de nós. ANDRÉ LUIZ em LBT 2 - LBT 6 - LVS 14 - MST 1 - RFG 2 - TDL 3 - vtb ÁRVORE

EVOLUÇÃO - 1125 - A modificação do plano mental das criaturas ninguém jamais a impõe: é fruto de tempo, de esforço, de evolução. ANDRÉ LUIZ em NMM 1 - CFN1P 3/7 - MRTPG 358 - vtb 256, 1154, 2768 e 2823

EVOLUÇÃO - 1126 - A reencarnação significa recomeço nos processos de evolução ou de retificação. Os organismos mais perfeitos da nossa Casa Planetária procedem inicialmente da ameba. Por isso mesmo, em seu desenvolvimento embrionário, o futuro corpo de um homem não pode ser diferente da formação do réptil ou do pássaro. O que opera a diferenciação da forma é o valor evolutivo, contido no molde perispirítico. Assim pois, ao regressar à esfera mais densa, é indispensável recapitular todas as experiências vividas no longo drama de nosso aperfeiçoamento, ainda que seja por dias e horas breves, repetindo em curso rápido as etapas vencidas ou lições adquiridas, estacionando na posição em que devemos prosseguir no aprendizado. Logo depois da forma microscópica da ameba, surgirão no processo fetal os sinais da era aquática de nossa evolução e, assim por diante, todos os períodos de transição ou estações de progresso que a criatura já transpôs na jornada incessante do aperfeiçoamento, dentro da qual nos encontramos, agora, na condição de humanidade. ANDRÉ LUIZ em MLZ 13 - MLZ 14 - ANT 3 - CSL 33 - ETC 29 - EVM1P 12 - MFR 15 - MRTPG 46, 201 e 202 - NMM 4 - NPM 49 - PAMPG 35 a 37 e 39 - PBSPG 123 - vtb 1365 e 2105

EVOLUÇÃO - 1127 - A terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, e por último o grão cheio na espiga. MAR 4:28 - PCR 15:37 - ALZ 15 - CVV 102 - DCS 3 - EMC 24 - EPZ 14 - ESV 4 - INS 5 - PSC 25 - PVE 130 - RUM 54 - vtb 478, 493 e 2456

EVOLUÇÃO - 1128 - A viagem evolutiva recorda-nos uma estrada com diversas vias secundárias que aumentam a distância em relação ao destino, podendo ser percorrida sem parada ou através de estágios. A meta será fatalmente alcançada, embora a cada viajante seja facultado fazê-lo com maior ou menor rapidez. BEZERRA DE MENEZES em LOB 10 - BVS 1 - DSF 28 - MMC 7 - vtb 1757, 2768, 2811 e 3338

EVOLUÇÃO - 1129 - As almas humanas estão mais ou menos desenvolvidas segundo suas idades e, principalmente, segundo o emprego que fizeram do tempo que têm vivido; não fomos todos lançados no mesmo instante ao turbilhão da vida. A alma faz-se a si mesma, se constrói através dos tempos. Pela reencarnação cada qual vem prosseguir a tarefa de aperfeiçoamento que a morte interrompeu. Daí a superioridade de certas almas, superioridade que vem somente da experiência e labores acumulados. LÉON DENIS em PBSPG 251 - LEP 804 e 805 - CFN1P 9/21 - CTNPG 224 a 227 - CVRPG 100 a 105 - EES 8 - GRNPG 102 - IES 32 - IRU 4 - NMM Prefácio - NOS 4 - PVD 12 - RTR 9 - vtb 465, 607, 1013, 1023, 1479, 1509, 1562, 1578, 1811, 2052 e 2198

EVOLUÇÃO - 1130 - Cada ser retrata hoje o comportamento anterior e delineia, ainda, na atualidade, o que será no futuro. Esta regra básica é chave e modelo para o entendimento da reencarnação e da sua finalidade ético-moral no processo da evolução. MANOEL P. DE MIRANDA em TDL 23 - TDL 24 - ADR 2 e 6 - TOB 1 - vtb 470, 1498, 1511, 2764 e 3136

EVOLUÇÃO - Clímax do processo evolutivo. v. 180

EVOLUÇÃO - 1131 - Criado feliz e perfeito, o homem teria ficado confundido na perfeição divina; não teria podido individualizar o princípio espiritual nele existente. Não teria havido no Universo nem trabalho, nem esforços, nem progresso; nada a não ser a imobilidade, a inércia. A evolução dos seres seria substituída por triste e monótona perfeição. Sob o látego da necessidade, sob o aguilhão da dor, o homem caminha, avança, eleva-se e, de existência em existência, de progresso em progresso, chega a imprimir ao mundo o cunho do seu domínio e inteligência. LÉON DENIS em CTNPG 94 - LEP 119, 501, 634 e 871 - GNS 3/9 - CFN1P 7/32 - ACO 4 - ATA 13 - CFZ 23 - CSL 131 - DPMPG 126 - ELZ 23 - FVV 61 - GRNPG 112 - JOI 2 - LES 6 - LPE 42 - MDC 5 - NPL 4 - NPM 129 - NSS 33 - PBSPG 125 e 288 - RUM 14 - VEV 6 - vtb 986, 1174, 1264, 1480, 2260, 2434, 2593, 2597, 2752, 2781 e 3271

EVOLUÇÃO - 1132 - Da sensação à irritabilidade, da irritabilidade ao instinto, do instinto à inteligência e da inteligência ao discernimento, séculos e séculos correram incessantes. A evolução é fruto do tempo infinito. EMMANUEL em RTR 4 - RTR 10, 30 e 23 - LEP 849 - ABR 1 - ATD 1 - CAV 20 - CSL 79 - DPMPG 133 - EMN 24 e 36 - EVD 18 - EVM1P 3 e 6 - GRNPG 77 - LBT 1 - MLZ 3 - NMM 3 e 4 - PBSPG 21 e 119 - PQVPG 39 a 41 - PRD 17 - PVD 1 e 2 - RLZ 34 - SCS 1 - SDE 2 - STL Prefácio - VDS 2 - vtb 1072, 1144, 1149, 1157 e 1575

EVOLUÇÃO - 1133 - Deus deu ao homem o desejo incessante do melhor, e é esse desejo que o impele à pesquisa dos meios de melhorar a sua posição, que o leva às descobertas, às invenções, ao aperfeiçoamento da Ciência. ALLAN KARDEC em EVG 25/2 - BVS 6 - NRF 14 - PCC 17 - vtb 2593 e 3200

EVOLUÇÃO - 1134 - Deus não criou seres destinados perpetuamente ao mal. Todos devem progredir em tempo mais ou menos longo, conforme a vontade de cada um. Essa vontade pode tardar, mas cedo ou tarde ela aparece, por efeito da irresistível necessidade que o Espírito sente de sair da inferioridade e de se tornar feliz. Eminentemente sábia e magnânima é, pois, a lei que rege a duração das penas, porquanto subordina essa duração aos esforços do Espírito. Jamais o priva do seu livre-arbítrio: se deste faz ele mau uso, sofre as conseqüências. SÃO LUIS em LEP 1006 - LEP 114 a 127 e 993 - EVG 5/5 - CFN1P 7/13 e 32 - DPMPG 137 e 229 - JVN 18, 37 e 81 - LEK 33 - PBSPG 254 - PQVPG 31 - URV 9 - vtb 022, 741, 742, 1516, 1704, 1727, 1761, 1820, 2809, 3245, 3273 e 3410

EVOLUÇÃO - Do amor. v. 143, 2373 e 3009; Do Espiritismo. v. 1037 e 1048; Do ideal. v. 1450; Do instinto. v. 1135 e 1560; Do pensamento. v. 1454

EVOLUÇÃO - 1135 - Em sua origem, o homem só tem instintos; quando mais avançado e corrompido, só tem sensações; quando instruído e depurado, tem sentimentos. Mais próximo, portanto, ainda se acha do ponto de partida do que da meta aquele em quem predominam os instintos. Os instintos são, no entanto, os germens do sentimento. LÁZARO em EVG 11/8 - ADR 16 - AIM Prefácio - ATA 55 - CRI 27 - DPMPG 183 e 268 - ETS 7 - FDL 8 - LES 2 - LOB 19 - LPE 43 - PBSPG 364 - PQVPG 111 - PVE 120 - RTL 30 - VDS 4 - vtb 899, 906, 1072, 1534, 1561, 1757, 2087, 2251 e 2985

EVOLUÇÃO - 1136 - Há espíritos que, por muitas vezes, partem da terra através da morte e à carne voltam através do berço, quais estátuas inermes que, depois de enterradas durante séculos, volvem ao exame de outrem, sem qualquer aspecto novo que lhes altere os esgares fixos. ANDRÉ LUIZ em IES 50 - LEP 191 (Obs) - EVD 12 - LBT 2 e 18 - OBD2P 5 - RTR 7 - SCS 7 - vtb 1468, 1729 e 2115

EVOLUÇÃO - Nada se opera bruscamente na Natureza. v. 2179

EVOLUÇÃO - 1136m - Não diga que isso é óbvio ou que você já sabe tudo isso, porque os planos do bem devem ser infinitamente repetidos e a construção mais simples é sempre a mais difícil de se fazer. ANDRÉ LUIZ em SDR 35

EVOLUÇÃO - 1137 - Nascer, viver, morrer e renascer de novo, progredindo sempre, tal é a lei. Inscrição no túmulo de Allan Kardec. - ETD 21 - ETS 49 - FPZ 15 - HNV 28 - NPM 81 - NRN 1 - PBSPG 279 - PPHPG 22 - SOL 11 - STL 19 - vtb 768

EVOLUÇÃO - 1138 - Nem tudo o que tínhamos ontem por certo, nos quadros exteriores da experiência, continua como sendo certo nas horas de hoje. Os ideais e objetivos prosseguem os mesmos, a nos definirem aspiração e trabalho, entretanto, modificaram-se instrumento e condições, estruturas e circunstâncias. EMMANUEL em MPT 2, PRN 31 e RUM 40 - PAZ 19 - vtb 1450

EVOLUÇÃO - 1139 - O espírito não retroage em hipótese alguma; todavia, as formas de manifestação podem sofrer degenerescência, de modo a facilitar os processos regenerativos. ANDRÉ LUIZ em NMM 7 - LEP Introdução VI, 118, 178a, 193, 194, 273, 398a, 612, 778 e 805 - GNS 11/48 - CDV 35 - CVO 14 e 23 - EES 3 - GRNPG 101 - NFA 11 - NSC 17 - POB 17 e 18 - PQVPG 101 - PTC 23 - QTE 4 - RAT 22 - SCE 8 - TVM 1 - vtb 1457, 1460, 1753, 2353, 2602 e 2772

EVOLUÇÃO - 1140 - O Espírito progride numa marcha ascendente insensível, mas o progresso não se realiza simultaneamente em todos os sentidos; num período, ele pode avançar em ciência, num outro, em moralidade. LEP 365 - LEP 192, 220, 560, 566, 779, 780 e 784 - LMD 223/23 - CFN1P 3/7 - CMA 1 - CPN 19 - CSL 283 - CTD 18 - EPV 9 - ETS 2 - FEV 46 - LEK 34 - OBV 4 - SOL 42 - vtb 134

EVOLUÇÃO - 1141 - O homem não pode transpor todos os graus da escala do aperfeiçoamento e tornar Espírito puro, sem passar por outros graus intermediários. Dá-se com o Espírito o que se verifica com a criança que, por mais precoce que seja, tem de passar pela juventude, antes de chegar à idade da madureza. LEP 192 - LEP 114, 127 a 130, 133, 261, 271 (Obs) e 561 - CFN1P 8/15 - CSL 228, 243 e 277 - EPV 5 - IRM 8 - JVN 36 - NLI 7 - OFR 43 - PAMPG 82 e 83 - PNT 1 - QTE 5 - RTR 34 - VLZ 96 - vtb 840, 1614, 1696, 2198 e 2680

EVOLUÇÃO - 1142 - O homem não tem o poder de paralisar a marcha do progresso, mas pode, às vezes, embaraçá-lo. LEP 781 - LEP 782 - ASV 26 - VEV 23

EVOLUÇÃO - 1143 - O maior obstáculo ao progresso são o orgulho e o egoísmo. Refiro-me ao progresso moral, porque o intelectual avança sempre; este parece, aliás, à primeira vista, duplicar a intensidade daqueles vícios, desenvolvendo a ambição e o amor das riquezas, que por sua vez, entretanto, incitam o homem às pesquisas que lhe esclarecem o Espírito. É assim que tudo se relaciona, no mundo moral como no físico, e que do próprio mal pode sair o bem. Mas esse estado de coisas não durará mais que certo tempo; modificar-se-á, à medida que o homem compreender melhor que existe, além do gozo dos bens terrenos, uma felicidade infinitamente maior e infinitamente mais durável. LEP 785 - EVG 16/8 - GNS 3/7 - CFN1P 9/4 - CVV 162 - ITP 40 - LVV 10 - TMG 9 - vtb 676, 902, 1333, 2332, 2781 e 3249

EVOLUÇÃO - 1144 - O progresso é lei da Natureza. A essa lei todos os seres da Criação, animados e inanimados, foram submetidos pela bondade de Deus, que quer que tudo se engrandeça e prospere. Tudo morre para renascer e nada sofre o aniquilamento. Marcham paralelamente o progresso do homem, o dos animais, seus auxiliares, o dos vegetais e o da habitação, porquanto nada em a Natureza permanece estacionário. Quão grandiosa é essa ideia e digna da majestade do Criador! SANTO AGOSTINHO em EVG 3/19 - GNS 11/23 - ADR 15 - AVE 6 - CDT 23 - EES 9 - MDC 29 - NDB 21 - SPT 29 - vtb 147, 189, 1062, 1072, 1132, 1157, 1575, 2177, 2178, 2791 e 3305

EVOLUÇÃO - 1145 - O progresso moral decorre do progresso intelectual, mas nem sempre o segue imediatamente. O progresso intelectual engendra o progresso moral, fazendo compreensíveis o bem e o mal e dando-lhe a possibilidade de escolher. O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos. LEP 780 - LEP 791 - CPN 13 - CRI 27 - MRTPG 337 - RCV 3 - vtb 134, 636, 1393, 1564, 1757, 1829 e 2852

EVOLUÇÃO - 1146 - O tropismo da Divina Luz atrai a criatura, que às vezes se esconde nas sombras da inconsciência - ignorância de si - permanecendo nas faixas inferiores da evolução. No entanto, a força do progresso é lei da Vida, e assim, pelo desgaste que produz sofrimento surge o despertar, então a atração poderosa da Plenitude arrasta o ser humano na direção da sua destinação fatal - a perfeição. JOANNA DE ÂNGELIS em ATD 1 - ATD 3 - LAV 20 - SNL Prefácio - vtb 140, 147, 180, 290, 1556, 3219 e 3342

EVOLUÇÃO - 1147 - Os negadores do processo evolutivo do homem espiritual, depois do sepulcro, definem-se contra o próprio Evangelho. O Mestre dos Mestres ressuscitou em trabalho edificante. Quem, desse modo, atravessará o portal da morte para cair em ociosidade incompreensível? EMMANUEL em CVV 68 - vtb 2115, 2137, 2251, 2260 e 2845

EVOLUÇÃO - 1148 - Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, mas logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. PCR 13:11 - BPZ 48 - PRD 17 - vtb 1890

EVOLUÇÃO - 1149 - Se se observa a série dos seres, descobre-se que eles formam uma cadeia sem solução de continuidade, desde a matéria bruta até o homem mais inteligente. Porém, entre o homem e Deus, que imensa lacuna! O Espiritismo nos mostra ser esta lacuna preenchida pelos seres de todas as ordens do mundo invisível e estes seres não são mais que os Espíritos dos homens, nos diferentes graus que levam à perfeição. ALLAN KARDEC em LEP Introdução XVII - vtb 1072, 1132 e 1157

EVOLUÇÃO - 1150 - Sem noção de responsabilidade, sem devoção à prática do bem, sem amor ao estudo e sem esforço perseverante em nosso próprio burilamento moral, é impraticável a peregrinação libertadora para os Cimos da Vida. EMMANUEL em NDM Prefácio - ADR 5 - vtb 2852

EVOLUÇÃO - 1151 - Sendo incontestável o movimento progressivo, não há que duvidar do progresso vindouro. O homem quer ser feliz e é natural esse desejo. Ora, buscando progredir, o que ele procura é aumentar a soma da sua felicidade, sem o que o progresso careceria de objeto. Quando, porém, conseguir a soma de gozos que o progresso intelectual lhe pode proporcionar, verificará ser a felicidade impossível sem a segurança nas relações sociais, segurança que somente no progresso moral lhe será dado achar. Logo, pela força mesma das coisas, ele próprio dirigirá o progresso para essa senda e o Espiritismo lhe oferecerá a mais poderosa alavanca para alcançar tal objetivo. ALLAN KARDEC em LEP Conclusão IV - ATP Prefácio - EED 17 - EES 10 e 12 - EPH Prefácio - HCT 14 - LRE 32 - PBSPG 19 - RML 55 - vtb 1564, 2518, 2649 e 3053

EVOLUÇÃO - 1152 - Sendo perfectível e trazendo em si o gérmen do seu aperfeiçoamento, o homem não foi destinado a viver perpetuamente no estado de natureza, como não o foi a viver eternamente na infância. ALLAN KARDEC em LEP 776 - LEP 564, 777 e 778 - EVG 25/3 - vtb 2251 e 2670

EVOLUÇÃO - 1153 - Só é fácil descer. Subir exige trabalho, paciência, perseverança, condições essenciais para o encontro do amor e da sabedoria. EMMANUEL em CVV 99 - DDRPG 213 - FVV 29 e 52 - OFR 47 - PPHPG 22 e 109 - RDV 28 - vtb 2658

EVOLUÇÃO - 1154 - Só evoluímos mudando, substituindo noções superadas, inúteis, errôneas, por outras mais avançadas e sustentadas pelos fatos observados, ou racionalmente inferidos. A única coisa permanente no universo, além de Deus, é a mudança. HERMÍNIO C. MIRANDA em MRTPG 92 - MRTPG 153 - EVG 22/2 - ABS 3 - ATD 6 - CPN 7 - ESV 13 - ITP 4 - MMS 3 - PRN 28 - RDL 10 - TPL 6 - VSX 9 - vtb 256, 298, 1125, 1397, 2135, 2616, 3195 e 3336

EVOLUÇÃO - 1155 - Tanto a regeneração quanto a evolução não se verificam sem preço. O progresso pode ser comparado a montanha que nos cabe transpor, sofrendo-se naturalmente os problemas e as fadigas da marcha, enquanto que a recuperação ou a expiação podem ser consideradas como essa mesma subida, devidamente recapitulada, através de embaraços e armadilhas, miragens e espinheiros que nós mesmos criamos. Se soubermos, porém, suar no trabalho honesto, não precisaremos suar e chorar no resgate justo. ANDRÉ LUIZ em EVM1P 19 - APV 18 - BPZ 57 - FML 17 - RES 24 - vtb 009, 2828, 3188, 3220 e 3239

EVOLUÇÃO - 1156 - Toda alma reencarnada, ainda aquela que se encontre em condições desesperadoras, tem recursos para melhorar sempre. ANDRÉ LUIZ em MLZ 13 - vtb 3259

EVOLUÇÃO - Todos os Espíritos tendem para a perfeição. v. PERFEIÇÃO - Todos os

EVOLUÇÃO - 1157 - Tudo se encadeia na natureza e tende à unidade. É nos seres inferiores da criação, que estais longe de conhecer inteiramente, que o princípio inteligente se elabora, se individualiza pouco a pouco, e se ensaia para a vida. É , de certa maneira, um trabalho preparatório, como o da germinação, em seguida ao qual o princípio inteligente sofre uma transformação e se torna Espírito. É então que começa para ele o período de humanidade, e com este a consciência do seu futuro, a distinção do bem e do mal, e a responsabilidade dos seus atos. Nada há nessa origem que deva humilhar o homem. Os grandes gênios sentem-se humilhados por terem sido fetos informes no ventre materno? Reconhecei a grandeza de Deus nessa admirável harmonia, que faz a solidariedade de todas as coisas da natureza. Crer que Deus pudesse ter feito qualquer coisa sem objetivo, e criar seres inteligentes sem futuro, seria blasfemar contra a sua bondade, que se estende sobre todas as suas criaturas. LEP 607 - LEP 189 a 191, 540, 601 a 613 - EVG 3/19 - LMD 236 - GNS 6/19, 10/26 a 30 e 11/15, 16 e 23 - ADR 15 - ALC 39 - AQMPG 257 - CPL 18 e 34 - CSL 7, 41, 78 e 79 - CVRPG 102 - DPE 5 - DPMPG 38, 115, 132, 136 e 183 - EES 6 - EMN 17 - EPM 14 e 18 - ETC 29 - ETS 17, 21, 75 e 88 - EVM1P 3 - FEV 26 - GRNPG 137 - ITP 11 - JVN 30 - MFR 8 - MUN 2 - NDB 12 - NPM 130 - NSS 34 - PBSPG 122 a 126 - PCT 12 - PMG 36 - RLZ 34 - RTL 1 - RTR 10 - STN 20 - TDL 23 - vtb 189, 907, 1065, 1072, 1132, 1144, 1149, 1567, 1575, 2058, 2177, 3304 e 3341

EVOLUÇÃO vtb CIVILIZAÇÃO - RENOVAÇÃO, 030, 245, 454, 479, 547, 742, 769, 900, 976, 1055, 1071, 1390, 1560, 1931, 1949, 2121, 2166, 2755, 2767, 2831, 2923 e 3133

EXAGERO v. EXTREMOS e 1212

EXCEPCIONAL - Indivíduo excepcional. v. 609, 1139, 1460 e 1562

EXCOMUNGAR - v. 1837

EXEMPLO - 1158 - Apascentai o rebanho de Deus, não como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. PPD 5:2 e 3 - ADR 17 - EDA 5 - EVV 34 - MDS 58 - MSG 12 - VLZ 69 - vtb 1179

EXEMPLO - 1159 - Clareia-te por dentro, purificando-te sempre mais, a fim de que a tua presença irradie, em favor do próximo, a mensagem persuasiva do amor, na convicção de que a sementeira do exemplo é a mais duradoura plantação no solo da alma. EMMANUEL em PVE 31 - ADR 16 - ALM 11 - BPZ 47 - CNA 12 - CSL 231 - CVV 113 - DCS 19 e 44 - ETS 90 - LES 86 - LVV 6 - NDM 13 - NPB 11 - OBD3P todo - OTM 14 e 38 - PLB 11 - SHA 41 - TOB 10 - vtb 551, 960, 1984 e 2978

EXEMPLO - 1160 - Cristo padeceu por nós, dando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. Quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente. PPD 2:21 a 23 - MAT 26:63 e 27:12 - MAR 15:5 - ISS 53:7 - ALM 26 - CSL 196 - DMV 2 - FVV 171 - IND 3 - MPT 17 - MSA 8 - PVE 16 - VLZ 117 - vtb 1218, 2333, 3022 e 3169

EXEMPLO - 1161 - Eu vos dei o exemplo para que, como eu vos fiz, façais vós também. JOO 13:15 - MAT 11:29 - PJO 2:6 - ABR 16 - ETD 38 - IES 5 - PVE 144 - SGU 40

EXEMPLO - 1162 - Não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado. SCR 6:3 - PCR 10:32 - vtb 1179

EXEMPLO - 1163 - Nossa atitude é uma corrente de indução magnética. Em torno de nós, quem simpatiza conosco geralmente faz aquilo que nos vê fazer. Nosso exemplo, em razão disso, é um fulcro de atração. ANDRÉ LUIZ em ETC 22 - CVD 53 - CVO 15 - MST 2 - PVD 9 - VEP 6 - VLZ 178 - vtb 1281, 1543 e 3040

EXEMPLO - 1164 - Se muito podes realizar, a benefício do próximo, por aquilo que sabes, somente conseguirás renovar os semelhantes por aquilo que és. EMMANUEL em LES 70 - LEP 905 - EVG 10/13 - LMD 30 - ACT 40 - ADV 5 - AGT 6 - ATT 19 - CSL 237 - CVV 38 - DDL 3 e 20 - ENC 10 - EPZ 20 - FDL 16 - FML 9 - FVV 81 - HDV 15 - JVN 73 - LPE 29 - MLZ 18 - MSG 9 - NBO 12 - PNS 138 - PVE 13 - RES 16 e 17 - RFG 13 - RTR 17 - SGU 42 - SOL 12 - TDL 7 - vtb 289, 882m, 1042, 1438, 1450, 1568 e 1656

EXEMPLO - 1165 - Subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado. PCR 9:27 - ROM 8:13 - SCR 13:5 - CLS 3:5 - PBSPG 316 - PNS 158 - vtb 247, 817, 1183 e 1430

EXEMPLO - 1166 - Torturada entre os preconceitos da forma gramatical, a palavra escrita revela poderes de repercussão menos vivos que o exemplo, de vez que a voz e a ação prática jazem impregnadas do magnetismo indutivo que se desprende da reflexão imediata. EMMANUEL em PVD 13 - IES 49 - TPL 20 - VZG 31 - vtb 482, 941, 2340, 2421 e 2991

EXEMPLO - 1167 - Trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. STS 3:8 e 9 - PCR 4:16 - FLP 3:17 - BAC 21 - vtb 2507, 3203 e 3233

EXEMPLO - 1168 - Uma advertência, quando se constitua somente de palavras, deixa invariável vazio após sua passagem. Convites e conselhos transparecem, com mais força, do exemplo de cada um. Todo aquele que vive na prática real dos princípios nobres a que se devotou no mundo, que cumpre zelosamente os deveres contraídos e que demonstre o bem sinceramente, está exortando os irmãos em humanidade ao caminho da elevação. EMMANUEL em PNS 69 - PNS 180 - ADV 1 - ALC 28 - APV 11 - CES 13 - CVD 16 - CVV 127 - DLG 1.10 - ETC 22 - EVV 2 - FVV 116 - HDV 16 - IES 39 e 77 - LVV 13 - LZV 8 - MMD 11 - NPL 5 - OES 23 - RAT 35 - RES 68 - SJT 24 - SMD 6 e 30 - TDN 25 - vtb 1526

EXEMPLO - vtb AÇÃO - TESTEMUNHO, 185, 608, 948, 974 e 2500

EXIBICIONISMO 1169 - A vida nos ensina que somente nos elevamos nas bênçãos da compreensão e do amor ao próximo na medida em que descemos das passarelas da exibição de nós mesmos. EMMANUEL em ESV 24 - FDL 18 - TOB 18 - vtb 196, 378, 518, 1087, 1389, 1424, 1513, 2330, 2335, 3032, 3033 e 3373

EXIGÊNCIA - v. 173, 366 e 2873

ÊXITO - v. TRIUNFO

EXORCISMO - 1170 - As fórmulas de exorcismo não têm qualquer eficácia sobre os maus espíritos. Estes riem e se obstinam, quando vêem alguém tomar isso a sério. LEP 477 - EVG 12/6 e 28/84 - LMD 90 e 132/14 - ATP 21 - CTNPG 246 - CVO 6 - NLA 24 - PND 7 - PRR 5 - RES 80 - SCE 18 - vtb 1538, 1922 e 2230m

EXPANSÃO - Do perispírito. v. 285 e 2610

EXPECTATIVA - 1171 - Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores. HEB 6:9 - CVV 59 - DCS 39 - FVV 17 - NMM 2 - VLZ 43

EXPECTATIVA - 1172 - Não és tu quem espera pela Divina Luz. É a Divina Luz, força do céu ao teu lado, que permanece esperando por ti. EMMANUEL em FVV 87 - FVV 45 - ABS 9 - AEC 6 - AGT 8 e 37 - ALZ 5 - AMG 14 - BAC 25 e 46 - CAI 4 - DAG 2 - EMC 1 e 16 - LES 4 - MST 16 - PVE 124 - RDV 13 - SDF 21 - SDR 16 - vtb 803

EXPECTATIVA - 1173 - Torna-se preciso não esperar dos outros o que não podem oferecer, compreendendo as falhas e as limitações do próximo, conforme as próprias condições. AMÉLIA RODRIGUES em RTL 11 - vtb 027, 408, 545 e 3183

EXPECTATIVA - vtb AÇÃO, ESPERANÇA, 366, 507, 2193 e 2359

EXPERIÊNCIA - 1174 - Cada ser é uma realidade especial, que necessita vivenciar suas próprias aspirações, muitas vezes equivocando-se para melhor compreender o caminho por onde deve seguir. JOANNA DE ÂNGELIS em ADV 5 - LEP 501 e 634 - EVG 25/4 - ATA 39 e 41 - CVV 49 - DED 9 - EMN 5 - IPS 6 - LES 20 - NDB 5 - PRN 36 - vtb 986, 1131, 1480, 1831, 3250, 3271 e 3398

EXPERIÊNCIA - vtb 018, 2755, 3018 e 3239

EXPERIMENTAÇÃO - 1175 - A experimentação nos domínios do psiquismo exige noção de responsabilidade perante a vida, para que o êxito seja a resposta justa às indagações sinceras. Não se colhe a verdade como quem engaiola uma ave na floresta. A verdade é luz. Somente o coração alimentado de amor e o cérebro enriquecido de sabedoria podem refletir-lhe a grandeza. EMMANUEL em RTR 37 - LMD 162 e 326 - CMQPG 121 - CSL 202, 406 e 407 - DKA 52 - DTE 13 - EGTPG 28 - FDI 12 - NINPG 11 a 13, 89 a 109 e 259 - NMM 2 - PND 11 e 21 - RTL 23 e 36 - vtb 134, 442, 734, 957, 1024, 2889 e 3334

EXPERIMENTAÇÃO - 1176 - Se procuras a luz espiritual, se a animalidade já te cansou o coração, lembra-te de que, em Espiritualismo, a investigação conduzirá sempre ao Infinito, tanto no macro como no microcosmo, e que só a transformação de ti mesmo, à luz da Espiritualidade Superior, te facultará acesso às fontes da Vida Divina. EMMANUEL em MSG Prefácio - MSG 16 - vtb 178 e 2836

EXPIAÇÃO - 1177 - A expiação se cumpre durante a existência corporal, mediante as provas a que o Espírito se acha submetido e, na vida espiritual, pelos sofrimentos morais, inerentes ao estado de inferioridade do Espírito. LEP 998 - LEP 770a - CFN1P 7/11 e 17 e PG 363 e 378 a 425 - AVV 1 - JVN 77 - SPT 9 - vtb 217, 576, 982 e 2769

EXPIAÇÃO - 1178 - Pode-se considerar como expiações as aflições que provocam queixas e impelem à revolta contra Deus. ALLAN KARDEC em EVG 5/9 - NRN 6 - RDL 3 - vtb 2711, 2735 e 3220

EXPIAÇÃO - vtb TRIBULAÇÕES, 572, 1155, 1270, 2711, 2750, 2767, 3161, 3200, 3239 e 3263

EXPLICADOR - 1179 - Conjuro-te que pregues a palavra, repreendas, exortes, com toda paciência e doutrina. Pois virá um tempo em que alguns não suportarão a sã doutrina, se rodearão de mestres e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em tudo, suporta o sofrimento, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério. STM 4:1 a 5 - STM 2:15 - EVG 20/4 - LMD 331 - ACO 18 - BPZ 14, 20, 21, 24, 37 e 41 - CDA 31 - CES 13 a 17 e 42 - CFZ 8 - CPN 15 - CRG 31 - CSL 237 - DDL 5 - DSM 12 e 13 - EED 15 - EMC 37 - EMN 30 - EPV 10 - ETR 1 - EVV 37 - FDL 16 - FVV 53 - JAT 13 - LEK 22 - MDL 26 - MLZ 9 e 18 - MSG 11 e 12 - MTS 11 - NDM 4 - NOS 18 e 20 - OES 14 - OTM 50 - PNS 138 e 143 - PVE 123 e 126 - RIM 25 - SGU 27 - SMD 27 - VSX 25 - vtb EXEMPLO, PALAVRA, 166, 255, 481, 802, 878, 882, 944, 960, 967, 969, 970, 1014, 1026, 1034, 1087, 1162, 1297, 1429, 1456, 1529, 1569, 1697, 2055, 3321, 3326 e 3337

EXPLICADOR - 1180 - Expõe o Evangelho, mas não faças dele instrumento de hipnose destrutiva das energias espirituais daqueles que te escutem. Mostra que Jesus não lhe plasmou a grandeza, operando sem amor e sem dor, e nem distraias a atenção dos semelhantes, encobrindo-lhes a responsabilidade de pensar e servir, que a Boa Nova nos traça a todos, de maneira indistinta. EMMANUEL em ELZ 16 e OES 14 - vtb 1114, 1747 e 2414

EXPLICADOR - 1181 - Há muita facilidade em dizer coisas simples de maneira interpolada, mas é muito difícil exprimir temas complexos de forma fácil, o que resulta em possuir mais do que o conhecimento, mas sim, a sabedoria. MANOEL P. DE MIRANDA em TOB 8 - vtb 494, 995, 2686 e 2916

EXPLICADOR - 1182 - Nem sempre disporás de assembléias atenciosas ou de palavra experiente a fim de veicular os princípios que abraças, no entanto, sempre possuis no recinto doméstico ou no grupo de trabalho alguns corações para os quais a tua compreensão estimulante e consoladora se te fará uma bênção. EMMANUEL em MTS 17 - AES 4 - CAI 9 - vtb 380 e 1208

EXPLICADOR - 1183 - O expositor, o escritor, o médium espírita, melhor do que qualquer outro adepto da Doutrina do Consolador, são portadores de altas responsabilidades, devendo insculpir na conduta os conteúdos que oferecem aos demais. MANOEL P. DE MIRANDA em TOB 10 - NBO 12 - VZG 1 - vtb 882m, 974, 997, 1165, 1984, 2006, 2852 e 3361

EXPULSÃO - v. 922 e 929

ÊXTASE 1184 - É um sonambulismo mais apurado. A alma do extático é ainda mais independente. LEP 439 - LEP 440 a 446 e 455 - LMD 100/19 e 190 - CFN1P 4/15 - DDCPG 303 a 308 - DPMPG 38 - MDS 67 - NINPG 161 - PBSPG 331 - vtb 756 e 3077

ÊXTASE - vtb 529 e 3266

EXTERIORIDADES v. APARÊNCIA

EXTRAORDINÁRIO - 1185 - Não fazem os publicanos também o mesmo? MAT 5:46 - LUC 6:32 - EDP 2 - FVV 96 - VLZ 60 - vtb 1289 e 2966

EXTRAVAGÂNCIA - Extravagâncias doutrinárias. v. 1034

EXTREMOS - 1186 - Não transforme a calma em indiferença, a compreensão em ausência de raciocínio, a tolerância em indisciplina, a paciência em inércia, a sinceridade em agressão, a simpatia em ridículo, a benevolência em cumplicidade, as boas maneiras em hipocrisia, a solidariedade em exigência, a autenticidade em egoísmo. Aja sempre com bom senso e não transforme o remédio em veneno. ANDRÉ LUIZ em DCS 47 - GNS 14/27 - ACO 19 - ACT 34 - ANT 21 - BPZ 29 - CTL 1 - IES 68 - LES 32 - NPM 28 - OES 7 - OTM 9 - vtb 2592

EXTREMOS - 1187 - Se é um erro desprezar o espírito e concentrar todos os ideais do homem no estado presente, também é um erro dos mais inconseqüentes menosprezar o mundo para ficar na pura contemplação do espírito, fugindo às leis da natureza. Nem a solução materialista, nem a providencialista, que transfere os deveres pessoais para a onipotência divina. DEOLINDO AMORIM em EPH Prefácio - vtb 958, 1212, 1593, 1884 e 3055

*