-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

ESPERANÇA - 1003 - Ainda mesmo quando sitiados, em todas as direções, por dificuldade e desarmonia, débito e sofrimento, haverá sempre um caminho de refazimento e libertação que a esperança nos descerra, ante a misericórdia de Deus. EMMANUEL em CRG Prefácio - CRG 6 - ABS 2 e 8 - AMG 15 - BVS 13 - EPL Prefácio - NOS 17 - NRF 24 - NSC 26 - vtb 3247

ESPERANÇA - 1004 - Esperança legítima não é repouso e, sim, confiança no trabalho incessante. EMMANUEL em CVV 123 - ACO 60 - ACT 29 - ADV 6 - AEC 11 - ALM 16 - ANT 6 - BDA 2 - CRF 49 - CVD 18 - DSM 2 - EVD 29 - FVV 103 - ILS 9 - ITP 1 - MMC 9 - MTS 17 - NOS 15 - PCC 2 - PVE 68 - QTO 28 - SDE 32 - SDF 8 - SDR 8 - SJT 31 - STL 5 - vtb 507, 1253, 2363 e 2850

ESPERANÇA - 1005 - Filha dileta da Fé, a esperança é como a luz reflexa dos planetas em relação à luz do sol, como o luar que se constitui dos bálsamos da crença, enquanto a Fé é a divina claridade da certeza. EMMANUEL em CSL 257 - AES 12 - ATA 25 - DTE 6 - EES 15 - vtb 591 e 1255

ESPERANÇA - 1006 - O que lavra deve lavrar com esperança, e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante. PCR 9:10 - STM 2:6 - LZV 11 - MUN 32 - RLZ 117 - VLZ 120

ESPERANÇA 1007 - Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança, porque fiel é o que prometeu. HEB 10:23 - PCR 1:9 - PTS 5:24 -STS 3:3 - AES 5 - ALM 4 - ALZ 14 - ANT 12 - ATE 1 - ATT 6 e 22 - CDE 35 - CFZ 63 - COI 2 - CPN 12 e 18 - CRF 38 - EPV 29 - ETS 58 - IRU 12 - MDL 37 - MUN 4 - PJS 37 - RLZ 16, 22 e 74 - VIC 19

ESPERANÇA - 1008 - Tudo que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança. ROM 15:4 - STM 3:16 e 17 - CVV 162 - EPZ 39 - RES 15 - RLZ 17 - VLZ 75

ESPERANÇA - vtb AUTOCONFIANÇA - CONFIANÇA - CRENÇA - FÉ - OTIMISMO, 114, 673, 2106, 2359, 3087, 3228 e 3250

ESPERANTO - 1009 - O século de Allan Kardec também viu nascer Zamenhof, que deveria contribuir para a derrubada das fronteiras lingüísticas, facultando mais seguro intercâmbio de pensamento e de valores ideológicos. ISMAEL GOMES BRAGA em LAV 31

ESPETÁCULO - v. 961

ESPINHO 1010 - A coroa de espinhos. MAT 27:29 - MAR 15:17 - JOO 19:2 - CVV 96 - FDL 18 - SDE 23 - vtb 621

ESPINHO - 1011 - E para que não me exaltasse pelas excelências das revelações, foi-me dado um espinho na carne. SCR 12:7 - GAL 4:13 e 14 - EZQ 28:24 - ENC 23 - FDL 8 - PNS 126 - SDE 39 - SNL 3 - URV 2

ESPÍRITA - 1012 - A surpresa dos espíritas, depois do túmulo, chega a ser incomensurável. O título de servidor da Boa Nova pode ser entre os homens uma palma florida, mas aqui quase sempre se converte em coroa de fogo. CÍCERO PEREIRA em IPS 8 - IPS 31 e 57 - LEP 165 - AQMPG 14 - ATR 32 - COI 5 - CSL 150 - ETR 30 - IPS 15, 23 e 39 - JVN 49 - MMC 8 - MSG 7 - PMG 39 - QTE 10 - STL 12 e 15 - TOB 1 - TVM 16 - VZG 37, 49, 51, 56 e 58 - vtb 308, 1030, 1345, 2134 e 2852

ESPÍRITA - 1012m - Compreendendo que ser espírita é traçar na própria conduta o comportamento do Cristo, o aprendiz da lição espírita é alguém em combate permanente pela própria transformação moral, elevação espiritual e renovação mental, com vistas à perfeição que a todos nos acena e espera. MANOEL P. DE MIRANDA em NBO 11 - vtb 1029, 1622 e 2838

ESPÍRITA - 1013 - espíritas imperfeitos acreditam nos fatos das manifestações mas não lhes apreendem as conseqüências, nem o alcance moral, ou, se os apreendem, não os aplicam a si mesmos. Têm a crença nos Espíritos como um simples fato, mas que nada ou bem pouco lhes modifica seus hábitos, recuando ante a obrigação de se reformarem. Atêm-se mais aos fenômenos do que à moral, que se lhes afigura cediça e monótona. Contudo, a aceitação do princípio da doutrina é um primeiro passo que lhes tornará mais fácil o segundo, noutra existência. ALLAN KARDEC em EVG 17/4 - EVG 17/6 e 18/12 - MAT 13:20 a 22 - MAR 4:16 a 19 - LUC 8:13 e 14 - MTS 14 - NRF 22 - vtb 591, 952, 1001, 1023, 1129, 1255, 1287, 2743, 2795, 2811, 2949 e 3375

ESPÍRITA - 1014 - O espírita deve trabalhar e servir, mas sem deixar de raciocinar e esclarecer, assegurando a limpidez dos ensinos que abraça e garantindo-lhes a difusão clara nos alicerces do discernimento e da lógica. ANDRÉ LUIZ em SOL 29 - SOL 4 - ATA 53 - ATR 12, 23 e 25 - ATT 38 - CLB 45 - CSL 366 - DDL 3 - DLG 1.8 e 2.7 - ETR 11 e 12 - IPS 55 - JVN 56 - LAV 6 - LES 77 e 86 - MFR 18 - OES Prefácio 1, OES 9, 25 e 34 - PLP 6 - PND 3 e 5 - PNS 87 - RES 80 - SMD Prefácio e 73 - TMG 8 - vtb 255, 377, 1034, 1179, 1297, 1977 e 2652

ESPÍRITA - 1015 - O espírita é alguém que assegura a si mesmo ser tão realista que não alimenta qualquer ilusão a seu próprio respeito, aceitando-se hoje imperfeito ou desajustado, como talvez seja, mas sempre envidando esforço máximo para ser amanhã como deve ser. ALBINO TEIXEIRA em CRG 46 - LES 66 e 70 - PRN 14, 16, 18 e 22 - vtb 231

ESPÍRITA - vtb 1212, 2534, 2838 e 3361

ESPIRITISMO - 1016 - A Ciência, a Filosofia e a Religião constituem o triângulo sobre o qual a Doutrina Espírita assenta as próprias bases, preparando a Humanidade do presente para a vitória suprema do Amor e da Sabedoria no grande futuro. A Ciência indaga, a Filosofia conclui e o Evangelho ilumina. A Ciência e a Filosofia são meios, o Evangelho é o fim. Se a Ciência e a Filosofia são fundamentos indiscutíveis de nossa Doutrina Consoladora, em torno delas o espírito costuma vaguear longos séculos ao redor de concepções puramente humanas, enquanto que no Evangelho encontra nossa alma a companhia do Amigo Celestial, com quem é possível alcançar o monte da iluminação para a Vida Infinita, sem escalas através das estações de prova desnecessária, com ruinosa perda de tempo e de energia na Obra do Senhor. EMMANUEL em FPZ 15 e DAP 2 - LMD 328 e Cap. 31/17 - CFZ 38 - CSL Prefácio, 201, 236 e 260 - DCS 13 - DLG 1.15 - ETR 26 - FVV Prefácio - IPS 59 - MFR 12 - MSG Prefácio - NMM 7 -NTE Prefácio - PBSPG 367 a 369 - PPHPG 10 e 11 - QTE 6 - RTL 37 - RVCPG 28 - SGU 16 - STL 9 - TDN Prefácio I - THP 31 - TRL 14 - TVM Prefácio - VZG 58 - vtb 444, 1031, 1032, 1237, 1277, 1310, 1564, 1722, 2790, 2797 e 2927

ESPIRITISMO - 1017 - A divulgação da Doutrina Espírita terá de efetuar-se de pessoa a pessoa, de consciência a consciência. A verdade a ninguém atinge através da compulsão. A verdade para a alma é semelhante à alfabetização para o cérebro. Um sábio por mais sábio não consegue aprender a ler por nós. GABRIEL DELANNE (Espírito) citado por André Luiz em ETR 31 - DLG 2.10 - LNC 15 - LRD 37 - TMG 42 - vtb 968

ESPIRITISMO - 1018 - A Igreja foi espírita durante os três primeiros séculos. As Epístolas de Paulo e os livros dos Atos dos Apóstolos são manuais clássicos de mediunidade. Os conselhos de Paulo aos Coríntios são recomendações de um diretor de grupo aos seus iniciados. LEON DENIS em NINPG 413 e 414 - vtb 864, 1917 e 2571

ESPIRITISMO - 1019 - A lei do Antigo Testamento teve em Moisés a sua personificação; a do Novo Testamento tem-na no Cristo. O Espiritismo é a terceira revelação da lei de Deus, mas não tem a personificá-la nenhuma individualidade, porque é fruto do ensino dado, não por um homem, sim pelos Espíritos, que são as vozes do Céu, em todos os pontos da Terra, com o concurso de uma multidão inumerável de intermediários. É , de certa maneira, um ser coletivo, formado pelo conjunto dos seres do mundo espiritual, cada um dos quais traz o tributo de suas luzes aos homens, para lhes tornar conhecido esse mundo e a sorte que os espera. EVG 1/6 - EVG 1/9 - GNS Introdução e 1 todo - CSL 271 - FDI 15 - HNV 16, 19 e 22 - NINPG 394 - NLA 10 - NLI 1 - NSC 1 - vtb 1054, 1056, 2082 e 3327

ESPIRITISMO - 1020 - A marcha do Espiritismo será mais célere que a do Cristianismo, porque o próprio Cristianismo é que lhe abre caminho e serve de apoio. O Cristianismo tinha que destruir; o Espiritismo só tem que edificar. ALLAN KARDEC em LEP 798 - CTA 13 - vtb 2802

ESPIRITISMO - 1021 - A moderna ciência espírita reúne em corpo de doutrina o que estava disperso; explica, com os termos próprios, o que só era dito em linguagem alegórica; poda o que a superstição e a ignorância engendraram, para só deixar o que é real e positivo. Esse o seu papel. O de fundadora não lhe pertence. Mostra o que existe, coordena, porém não cria, pois que suas bases são de todos os tempos e de todos os lugares. ALLAN KARDEC em LEP Conclusão VI - LEP 222 - EVG Introdução I - LMD Cap. 31/3 - GNS 1/56 e 13/4 - DDL 11 - DKA 3 - DPMPG 107 - EPM 2 - MFR 12 - MRTPG 160 - NFA 1 - NINPG 127 a 130 - PBSPG 54 - PTC 15 - SPT 6 - SGU 12 - vtb 1047, 1699, 1917, 3101 e 3322

ESPIRITISMO - 1022 - A necessidade imediata dos arraiais espiritistas é a do conhecimento e aplicação legítima do Evangelho, da parte de todos quantos militam nas suas fileiras, desejosos de luz e evolução. Aliás, o Espiritismo em seus valores cristãos não possui finalidade maior que a de restaurar a verdade evangélica para os corações desesperados e descrentes do mundo. EMMANUEL em CSL 218 e 219 - CSL 236 - LEP 627 e Conclusão VIII - EVG Introdução II, 18/12 e 20/4 - GNS 1/30 e 41 -ABR 1 - ATP 2 - ATR 4 - ATT 31 - AVE 77 - CES 37 - CFZ 35 - CLA 50 e 66 - CMM 7 - CPL 28 - CRI 11 - CTA 4 - CTNPG 11 - DAP 1 e 17 - DDL 3, 8 e 15 - DTE 3 - EDL 11 - ELZ 2 e 22 - EMN 6 - EPV 48 - ETD/Introdução - ETS 71 - EVD 1 - FDL Prefácio - FPZ 4 - IPS 64 - IRU 18 - LES Prefácio - LNC 6 - MMD 34 - MSA 24 - MTS 11 e 19 - NPL 16 - NPM 86 - OES 2, 26 e 60 - RES 67 e 76 - RTL 37 - RTR Prefácio e 30 - SDE 5 - SGU 52 - SMD 1 e 69 - SVA 14 - TMG 4 - TRI 18 - URV 20 - VZG 53 - vtb 1620, 1706, 1886 e 2802

ESPIRITISMO - 1023 - A parte por assim dizer “material” da Ciência Espírita somente requer olhos que observem, enquanto a parte “essencial” exige um certo grau de sensibilidade, a que se pode chamar maturidade do senso moral, maturidade que independe da idade e do grau de instrução, porque é peculiar ao desenvolvimento, em sentido especial, do Espírito encarnado. ALLAN KARDEC em EVG 17/4 - EVG 19/7 - TOB 8 - vtb 1013, 1028, 1129 e 2739

ESPIRITISMO - 1024 - As ciências ordinárias assentam nas propriedades da matéria, que se pode experimentar e manipular livremente; os fenômenos espíritas repousam na ação de inteligências dotadas de vontade própria e que nos provam a cada instante não se acharem subordinadas aos nossos caprichos. As observações não podem, portanto, ser feitas da mesma forma. A Ciência, propriamente dita, é, pois, como ciência, incompetente para se pronunciar na questão do Espiritismo. ALLAN KARDEC em LEP Introdução VII - LMD 31, 203 e 269 a 285 - GNS 14/2 - CLB 44 - CVV 144 - DPMPG 189 - FDI 36 - GRNPG 88 e 89 - LNC 18 - LRD 39 - NINPG 10, 25 a 46, 91 e 92 - OFR 12 - PBSPG 63 e 147 - RAT 14 - RIM 25 - RTL 23 - vtb 442, 1175 e 1924

ESPIRITISMO - Ciência e Religião. v. 444, 793, 1016, 1024, 1025, 1031, 1037, 1039, 1898, 2739, 2790, 2791, 2792, 2797, 2802 e 2927

ESPIRITISMO - 1025 - Cumpre não ver no Espiritualismo moderno uma religião, no sentido restrito dessa palavra. As religiões do nosso tempo querem dogmas e sacerdotes e a doutrina nova não os comporta, pois o espírito de livre crítica, exame e verificação preside as suas investigações. Ele se dirige principalmente às almas desenvolvidas, aos espíritos livres e emancipados, que querem por si mesmos achar a solução dos grandes problemas e a fórmula do seu "Credo". LÉON DENIS em PBSPG 28 - EVG 28/51 - ATR 25 - CLA 42 - DDL 19 - ENC 15 - HNV 3 - NSC 31 - RTL 31 - SDE 24 - STC 1 - THP 32 - vtb 862 e 2802

ESPIRITISMO - 1026 - Divulguemos o Espiritismo Libertador sem o fanatismo dissolvente, mas, sem a covardia conivente, que teme desvelar a verdade para não ficar mal colocada no grupo social da ilusão. BEZERRA DE MENEZES em COI 34 - CHG 19 - CRI 51 - EVV 40 - LES 68 - NFP 6 - OES Prefácio 2 e OES 37 - PND 16 - RES 80 - SOL 56 - SPT 10 - vtb 028, 065, 1179, 1212, 1505, 1791 e 2706

ESPIRITISMO - 1027 - Espiritismo é, acima de tudo, o processo libertador das consciências, a fim de que a visão do homem alcance horizontes mais altos e, indiscutivelmente, será a força do Cristianismo em ação para reerguer a alma humana e sublimar a vida. EMMANUEL em RTR 38 - LMD 350 - AIM 3 - ANT 11 e 26 - CTA 9 - DLG 2.7 - LNC 5 e 9 - LVV Prefácio - MLZ Prefácio - MSG 40 - OES 6 e 12 - POB 24 - RTL 17 - RTR 31 - SOL 46 - VDR 1, 2 e 5 - VZG 54 - vtb 314m, 724, 1092, 1237, 1274, 1477, 1741, 2808 e 3324

ESPIRITISMO - 1028 - Espiritismo é doutrina fácil de ser assimilada, simples na sua estrutura para ser compreendida, mas não vulgar para ser interpretada. É fácil, porque se encontra nas leis naturais; é simples porque vivência a lei do amor; mas é profunda, ao mesmo tempo, na sua complexidade, porque tem origem divina. Nem uma tarefa programada para um grupo de acadêmicos, nem um programa trabalhado pela ingenuidade, senão, linhas mestras direcionadas num compromisso que, à semelhança de um leque, abrirão perspectivas para todos os recursos da inteligência e do sentimento. BEZERRA DE MENEZES em COI 29 - vtb 1023

ESPIRITISMO - 1029 - Espiritismo expressa, antes de tudo, obra de educação, integrando a alma humana nos padrões do Divino Mestre. ANDRÉ LUIZ em CES 42 - ABS 6 - ANT 8 e 10 - CRI 8, 21, 27 e 42 - DLG 1.1 e 1.24 - DMD 78 - DSM 13 - DTE 13 - EDP 31 - EDV 6 - ETS 31 - IES 17 - IPS 57 - MDC 10 e 17 - NLI 20 - OES 10 - PND 22 - TDL 6 e 8 - vtb 314m, 818, 940, 943, 950, 952, 1012m, 1041, 2934, 2950 e 3114

ESPIRITISMO - 1030 - Espiritismo não é simples convicção de imortalidade: é clima de serviço e edificação. Não adianta guardar a certeza na sobrevivência da alma, além da morte, sem o preparo terrestre na direção da vida espiritual. EMMANUEL em PNS Prefácio - PNS 13 e 144 - EVG 17/6 - ADR 18 - ATR 24 e 32 - ATT 3 - BPZ 41, 42 e 55 - CAP 7 e 32 - CES 46 - CLA 4 e 62 - CME 24 e 50 - CMM 15 - CRF 44 - CRG 41 - CVCPG 147 - CVV 116 - DAP Prefácio - DCS 50 e 61 - DDL 10 e 17 - DMV 28 e 29 - EDL 6 - ELZ 19 - ENC 16 e 24 - EPV 45 e 49 - EPZ 16 - ETR Prefácio II - EVD 22 - FVV 36 - LEK 58 - LES 68, 70 e 73 - LPE 1 - LZA 10 e 39 - LZE 33 -LZV 16 - MSA 54 - MSG 6 - NLR Prefácio 1 - OBV 8 - PMG 8, 14 e 39 - QTM 6 - RTR Prefácio e 23 - SDE 11 - SMD 3, 7 e 68 - SOL 1, 38 e 58 - STL 1 - USF 16 - VLZ 60 e 173 - VZG 1 e 58 - vtb 1012, 1057, 1253, 1978, 2534 e 2838

ESPIRITISMO - 1031 - Evoluir sob os aspectos intelectual e moral, avançando através das infinitas moradas da casa do pai - eis o roteiro espírita. Por isso o Espiritismo deve ser estudado e assimilado debaixo de sua tríplice estrutura: ciência, filosofia e religião, sendo esta última modalidade a mais importante, porque constitui o amálgama que consolida as outras duas, formando um todo harmônico e indissolúvel, que corresponde às necessidades inalienáveis do Espírito. A doutrina dos Espíritos se dirige à razão e ao coração, apelando para nossa inteligência e sentimentos, e não para os nossos sentidos. O seu objetivo não é fascinar para dominar; é esclarecer para redimir. VINÍCIUS em NSC 31 - NSS 7 - vtb 1016, 1237, 1310, 2790 e 2927

ESPIRITISMO - 1032 - Falsíssima ideia formaria do Espiritismo quem julgasse que a sua força lhe vem da prática das manifestações materiais. Sua força está na sua filosofia, no apelo que dirige à razão, ao bom senso. ALLAN KARDEC em LEP Conclusão VI - MST 2 - vtb 961, 1016, 1034m, 1277, 1281, 1722, 1947, 2736, 2790, 2812 e 2927

ESPIRITISMO - 1033 - Foram precisos quatrocentos anos para que o pensamento do Cristo penetrasse através da crosta espessa do materialismo e do paganismo romanos. Talvez sejam também necessários alguns séculos para que o Espiritismo possa espalhar-se, desabrochar e produzir todos os seus frutos. LEON DENIS, citado em LDVPG 157 - LEP 798 - EVG 23/17 - LMD 36 - CTNPG 256 - PJS 53 - vtb 478, 1452, 2179, 2873 e 2896

ESPIRITISMO - 1034 - Grupos fechados, dominados por dirigentes auto-suficientes, acabam por fazer um Espiritismo “à moda da casa”, recusando-se ao intercâmbio das ideias e à participação no movimento de unificação promovido por órgãos federativos. Destaque-se que unificação não é uniformização de procedimentos, mas defesa da pureza doutrinária, sustentando o arejamento e a integridade do movimento espírita. RICHARD SIMONETTI em QTO 16 - JOO 17:22 - GNS 1/53 - COI 27 e 32 - CRI 50 - DLG 1.8, 1.22, 2.9 e 2.17 - EPH Prefácio - LNC 7 e 8 - PND 3 e 5 - SCE 16 - SDE 1, 4 e 7 - SOL 4 e 29 - vtb 255, 882, 1014, 1179, 1297 e 2884

ESPIRITISMO - Não é esporte da inteligência. v. 1569m

ESPIRITISMO - 1034m - Não são poucas as pessoas que se acercam do movimento espírita, desinformadas, e pretendem submeter a Doutrina ao talante das suas opiniões, teimando por fazê-la parecer equacionador mágico de problemas secundários, que a cada um cumpre solucionar, ou à cata de prodígios, ou sustentado por superstições e quejandos... Negam-se ao estudo sistemático do Espiritismo, preferindo leituras rápidas, nas quais não se aprofundam. MANOEL P. DE MIRANDA em NFL 8 - vtb 952, 968, 1001m, 1032, 1277, 2728m e 2812

ESPIRITISMO - 1035 - O conhecimento espírita não muda o programa dos resgates espirituais. Entretanto, faz que o homem mude o conceito sobre a dor, veja de maneira otimista as provações e arme-se dos expressivos recursos da oração, da paciência, da coragem com que enfrenta as vicissitudes e as suporta. O próprio conhecimento das causas das dores funciona como lenitivo delas. VICTOR HUGO em CVRPG 280 - CVRPG 346 e 347 - LEP 165, 982 e Conclusão VII - EVG 5/16 e 17, 6/4 e 14/9 - CFN1P 1/14 e 2/10 - AMG 20 - ATA 44 - ATP 22 - ATR 38 - ATT 28 - AVE 21 - CLA 2 - CLB 4 - CME 52 - CVD 19 - DDL 6 - DMV 33, 38 e 52 - DPMPG 195 e 261 - EDL 9 - ELZ 9 - EMC 15 - EMN 1 - EPV 12, 14 e 46 - EVD 52, 82 e 92 - FEV 7 e 51 - JVN 62 - LDA 7 - LES 79 - LPE 41 - MDD 16 - MSA 31 - NFL Prefácio I - NPL 22 - OTM 36 - PBSPG 139 e 391 a 397 - PDA 19 - POB 1 - PRR 23 - QTM 1 - RDL 22 - RES 33 - TDN 10 e 18 - TMG 1 - VZG 40 - vtb 295, 1220, 1439, 1558, 2095, 2231, 2315, 2850, 3238, 3259, 3265 e 3374

ESPIRITISMO - 1036 O culto espírita possui um templo vivo em cada consciência na esfera de todos aqueles que lhe esposam as instruções, de conformidade com o ensino de Jesus: “O reino de Deus está dentro de vós” e toda a sua teologia se resume na definição do Evangelho: “a cada um por suas obras”. EMMANUEL em LES 1 - vtb 2198, 2785, 3114 e 3153

ESPIRITISMO - 1037 - O Espiritismo assimilará todas as doutrinas progressivas, de qualquer ordem que sejam, desde que hajam assumido o estado de verdades práticas e abandonado o domínio da utopia, sem o que ele se suicidaria. Caminhando de par com o progresso, o Espiritismo jamais será ultrapassado, porque, se novas descobertas lhe demonstrassem estar em erro acerca de um ponto qualquer, ele se modificará nesse ponto. Se uma verdade nova se revelar, ele a aceitará. A revelação espírita tem que ser, e não pode deixar de ser, essencialmente progressiva, como todas as ciências de observação. ALLAN KARDEC em GNS 1/55 - GNS 1/13 e 13/8 - LEP Conclusão IX - LMD 301/9 e 343 - CFN1P 1/14 - ANT 47 - CEDPG 149 - CES Prefácio 2 - CLA 22 - CRI 3 e 18 - CSL 360 - CTNPG 213 - CVCPG 70 e 146 - DDL 1 - DPMPG 171 - EPH Prefácio, 7 e 10 - EPL 3 - FEV Prefácio - JVN 5 - NFA 1 - PBSPG 17 e 51 - PND 10 e 11 - SDE 40 - SOL 6 - STN 15 - TOB Prefácio - VDR 17 - vtb 1048, 1054, 1151, 2791 e 2806

ESPIRITISMO - 1038 - O Espiritismo, de acordo com o Evangelho, admitindo a salvação para todos, independente de qualquer crença, contanto que a lei de Deus seja observada, não diz: "Fora do Espiritismo não há salvação" e, como não pretende ensinar ainda toda a verdade, também não diz: "Fora da verdade não há salvação". ALLAN KARDEC em EVG 15/9 - EVG 15/8 e 10 - MFR 19 - vtb 139, 615 e 2804

ESPIRITISMO - 1039 - O Espiritismo e a Ciência se completam reciprocamente; a Ciência, sem o Espiritismo, se acha na impossibilidade de explicar certos fenômenos só pelas leis da matéria; ao Espiritismo, sem a Ciência, faltariam apoio e comprovação. O estudo das leis da matéria tinha que preceder o da espiritualidade, porque a matéria é que primeiro fere os sentidos. Se o Espiritismo tivesse vindo antes das descobertas científicas, teria abortado, como tudo quanto surge antes do tempo. GNS 1/16 - GNS Introdução e 1/13 a 19 - LEP 801 - EVG 1/4 e 24/6 - CFN1P 3/18 - ANT 4 - AVE 72 - CLA 60 - COI 14 - CPL 16 - DLG 1.5 e 2.12 - DPMPG 100, 185 a 189 e 196 - DSG 1 - EMN 13 e 26 - MFR 12 - NSS 28 - PBSPG 53 - PTC 27 - SMD 1 - vtb 2792 e 2797

ESPIRITISMO - 1040 - O Espiritismo é um corpo doutrinário cuja cabeça não está na Terra, onde não tem nem reconhece um chefe. Sua estrutura doutrinária, que é a do vero Cristianismo, não autoriza, antes condena, todo o constrangimento ou artifício, que pode engendrar, como engendra, simulação ou hipocrisias. Enganam-se os que querem vê-lo oficializado, fruindo favores terrenos, desfrutando vantagens e privilégios mundanos. Nada tem que ver com as obras de fachada, por isso que o seu templo é o Universo; seu altar, o coração humano; sua lei, o amor ao próximo; seu objeto, a liberdade do homem por meio de sua espiritualização. VINÍCIUS em NSC 31 - LES 77 - vtb 804, 961, 1032, 1210, 1813, 2055, 2739 e 3114

ESPIRITISMO - 1041 - O Espiritismo é um templo aberto à fé, uma oficina que se oferece ao trabalho salvador e uma escola que se institui à abençoada preparação das almas. Sob qualquer prisma, faz-se necessário o esforço próprio em vossa matrícula espiritual. Como crentes, devereis cultivar a fé viva; como operário, necessitais de testemunho e movimentação; como aprendizes, não podeis dispensar a observação, o estudo e as provas necessárias. No limiar do templo, da oficina, da escola, encontrareis Jesus Cristo. EMMANUEL em MTS 16 - vtb 030, 818, 952, 1000, 1029 e 3114

ESPIRITISMO - 1042 - O Espiritismo possui a sua maior força nas realizações e no exemplo dos seus seguidores. ANDRÉ LUIZ em OES 37 - MST 2 - MTS 12 - vtb 1046, 1164, 1281 e 1568

ESPIRITISMO - 1043 - O Espiritismo, sem Evangelho, pode alcançar as melhores expressões de nobreza, mas não passará de atividade destinada a modificar-se ou desaparecer, como todos os elementos transitórios do mundo. E o espírita, que não cogitou da sua iluminação com Jesus-Cristo, pode ser um cientista e um filósofo, com as mais elevadas aquisições intelectuais, mas estará sem leme e sem roteiro no instante da tempestade inevitável da provação e da experiência. EMMANUEL em CSL 236 - ABS 13 - DMD 54 - LAV 19 - vtb 1947 e 2836

ESPIRITISMO - 1044 - O Espiritismo será o que dele o fizerem os homens. Similia similibus! Ao contato da Humanidade as mais altas verdades às vezes se desnaturam e obscurecem. A gota de chuva, conforme o lugar onde cai, continua sendo pérola ou se transforma em lodo. LÉON DENIS em NINPG 9 - DPMPG 25 - ETD 45 - MDC 25 - vtb 347, 812, 979 e 3323

ESPIRITISMO - 1045 - O estudo de uma doutrina, qual a Doutrina Espírita, que nos lança de súbito numa ordem de coisas tão nova quão grande, só pode ser feito com utilidade por pessoas sérias, perseverantes, livres de prevenções e animadas de firme e sincera vontade de chegar a um resultado. Pessoas ponderadas, que duvidam do que não viram, mas que não crêem haja o homem chegado ao apogeu do conhecimento, nem que a Natureza lhe tenha facultado ler a última página do seu livro. ALLAN KARDEC em LEP Introdução VII e VIII - LEP Conclusão II - LMD 13

ESPIRITISMO - 1046 - O êxito dos esforços do plano espiritual, em favor do Cristianismo redivivo, não depende da quantidade de homens que o busquem, mas da qualidade dos trabalhadores que militam em suas fileiras. EMMANUEL em CSL 377 - CMQPG 177 - RIM 9 - vtb 1042 e 2894

ESPIRITISMO - 1047 - O preconceito anti-espírita assemelha-se muito à prevenção contra o Cristianismo, no mundo antigo. As pessoas que temem o Espiritismo não conhecem a doutrina, dão ao termo aplicações indevidas e se perdem num cipoal de lendas e suposições a respeito das sessões espíritas. O Espiritismo não estabelece relações com o mundo invisível, que existem na vida de todas as criaturas, mas apenas as explica e orienta, dando-lhes o verdadeiro sentido no processo da existência. Temer o Espiritismo é temer a verdade que os seus princípios nos revelam, apesar de todos os que lutam para deturpá-los. J. HERCULANO PIRES em HNV 8 - LEP 221a - GNS 15/25 e 17/2 - COI 4 - CRT 6 - EED 8 - EMN 27 - ETS 76 - GPT 8 - MDD 3 - MFR 1 e 18 - MSG 5 - NBO 10 - OTM 50 - PND 16 - PRR 7 - QTO 25 - RDL 24 - RES 60 - RIM 2, 8 e 22 - TMG 36 - vtb 420, 432, 862, 1021, 1917, 2113, 2665, 3101 e 3322

ESPIRITISMO - 1048 - O que hoje caracteriza o Espiritismo é a manutenção dos princípios fixados por Allan Kardec e o seu constante desenvolvimento mediante a utilização de métodos experimentais. Contudo, para nós, o Espiritismo não está todo em Kardec; o Espiritismo é uma doutrina universal e eterna que foi proclamada por todas as grandes vozes do passado em todos os pontos da Terra e que continuará a ser anunciada por todas as grandes vozes do futuro. LEON DENIS, citado em LDVPG 115 - LMD 110 - DPMPG 171 - NFA 1 - PBSPG 32 e 33 - vtb 1037 e 2896

ESPIRITISMO - 1049 - Os maiores embaraços para o Espiritismo procedem da atuação daqueles que, não negando suas verdades, ridicularizam-nas através de escritos sarcásticos ou da arte histriônica, junto dos quais encontramos as demonstrações fenomênicas improdutivas, as histórias fantásticas, o anedotário deprimente e os filmes de terror. GABRIEL DELANNE (Espírito) citado por André Luiz em ETR 31 - CRT 7 - DKA 6 - ETS 25 - vtb 995

ESPIRITISMO - 1050 - Os monumentais diálogos da Codificação resultam da sabedoria de quem responde, quanto da percuciente cultura de quem pergunta, assim como do estudo dos maravilhosos ensinamentos, que formam uma estrutura de ideologia perfeita, sob qualquer aspecto considerada, na ciência, na filosofia e na religião. IVON COSTA em TMG 35 - CRI 2 - EPH Prefácio - MDD 2 - NFA 1 - vtb 1699 e 1765

ESPIRITISMO - 1051 - Refletindo a palavra de Jesus, a Doutrina Espírita não se constitui em mera reforma dos conceitos superficiais do movimento religioso, à maneira de quem desmontasse antigo prédio para dar disposição diferente aos materiais que o integram, em novo edifício destinado a simples efeitos exteriores. Nos princípios espíritas-cristãos, os ensinamentos do Mestre constituem sistema renovador, indicação de caminho, roteiro de ação, diretriz no aperfeiçoamento de cada ser. EMMANUEL em PVE 118 - GNS 17/39, 40, e 18/15 - ANT 21 e 29 - BDA 6 - COI 21 - CRI 44 - DLG 1.1 - EVV 40 - ILS 14 - NDB 29 - NLR 43 - NPM 41 - PRR 15 - RTR 22 - RVCPG 96 - TCL 49 - VMO 38 - vtb 471, 1620, 1706 e 2728m

ESPIRITISMO - Se esta obra é de homem se desfará, mas se é de Deus, não podereis desfazê-la. v. 2213

ESPIRITISMO - 1052 - Tenho-vos dito que a unidade se fará na crença espírita; ficai certos de que assim será; que as dissidências, já menos profundas, se apagarão pouco a pouco, à medida que os homens se esclarecerem e que acabarão por desaparecer completamente. Essa é a vontade de Deus, contra a qual não pode prevalecer o erro. O ESPÍRITO DE VERDADE em LMD 301/9 - vtb 2352, 2806 e 2807

ESPIRITISMO - Terceira Revelação. v. 1019 e 3327

ESPIRITISMO - 1053 - Todas as manifestações espirituais produzem-se igualmente em todos os pontos da Terra; apresentam, porém, caracteres distintos, de conformidade com o povo em cujo seio se verificam. LMD 100/17 - RTL Prefácio e 22 - vtb 583, 1714, 2162 e 3140

ESPIRITISMO - 1054 - Todo princípio que ainda não haja recebido a consagração do controle da generalidade não pode ser considerado parte integrante da doutrina. Será uma simples opinião isolada, da qual não pode o Espiritismo assumir a responsabilidade. ALLAN KARDEC em GNS Introdução - TOB Prefácio - vtb 1019, 1037 e 1056

ESPIRITISMO - 1055 - Três períodos distintos apresenta o desenvolvimento das ideias espíritas: primeiro, o da curiosidade; segundo, o do raciocínio e da filosofia; terceiro, o da aplicação e das conseqüências. O período de curiosidade dura pouco e uma vez satisfeito, muda de objeto. O mesmo não acontece com o que desafia a meditação e o raciocínio. Começou o segundo período, o terceiro virá inevitavelmente. ALLAN KARDEC em LEP Conclusão V e VII - CME 47 - EDL 32 - EED 21 - EMC 39 - EPV 7 - MDS 18 - MMD 2 - NLA 31 - NPL 2 - NRF 22 - PLP 14 - PND 24 - PTC 19 - RML 41 - SMD 29 - vtb 734, 976 e 2909

ESPIRITISMO - 1056 - Uma só garantia séria existe para o ensino dos Espíritos: a concordância que haja entre as revelações que eles façam espontaneamente, servindo-se de grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em vários lugares. Dessa universalidade do ensino dos Espíritos resulta sua força, sua autoridade, seu caráter essencial. ALLAN KARDEC em EVG Introdução II - EVG 21/10 - LMD Cap 31/28 - GNS Introdução, e 1/45 a 62 - CFN1P 7 Introdução - CTNPG 210 - vtb 1019, 1054 e 2896

ESPIRITISMO - 1057 - Visto, pode ser somente fenômeno; ouvido, pode ser apenas consolação; vitorioso, pode ser somente festividade; estudado, pode ser apenas escola; discutido, pode ser somente sectarismo; interpretado, pode ser apenas teoria; propagado, pode ser somente movimentação; sistematizado, pode ser apenas filosofia; observado, pode ser somente ciência; meditado, pode ser apenas doutrina; sentido, pode ser somente crença. Não nos esqueçamos, porém, de que o Espiritismo aplicado é vida eterna, com Eterna Libertação. EMMANUEL em DAP 7 - ILS 1 - vtb 018, 1030, 1253 e 2890

ESPIRITISMO - vtb CATOLICISMO - CONSOLADOR - CRENÇA - DOUTRINA - FÉ - PROSELITISMO - PROTESTANTISMO, 345, 532, 1288, 1697, 1791, 2071, 2708, 3054 e 3114

ESPÍRITO - 1058 - A alma não se acha encerrada no corpo, qual pássaro numa gaiola. Irradia e se manifesta exteriormente, como a luz através de um globo de vidro, ou como o som em torno de um centro de sonoridade. ... A alma não tem, no corpo, sede determinada e circunscrita. Todavia pode-se dizer que a sede da alma se encontra especialmente nos órgãos que servem para as manifestações intelectuais e morais. LEP 141 e 146 - ATT 4 - CSL 249 - MDS 21 - VZG 16 - vtb 1573, 2568, 3084, 3206, 3288 e 3349

ESPÍRITO - 1059 - A blasfêmia contra o espírito não será perdoada. MAT 12:31 e 32 - MAR 3:29 - LUC 12:10 - CSL 303 - EGTPG 197 - NPM 11 - NSS 12 - PCT 45 - RVCPG 99

ESPÍRITO - 1060 - À medida que os Espíritos se purificam e elevam na hierarquia, os caracteres distintivos de suas personalidades se apagam, de certo modo, na uniformidade da perfeição, conservando, entretanto, suas individualidades. Nessa culminância, o nome que tiveram na Terra é coisa absolutamente insignificante. Porém, como precisamos de nomes para fixarmos nossas ideias, podem eles tomar o de uma personagem conhecida, cuja natureza mais identificada seja com a deles. Podem, assim, substituir-se mutuamente, sem maiores conseqüências. Não é a pessoa deles o que nos interessa, mas o ensino que nos proporcionam. Não duvidamos de que Espíritos verdadeiramente superiores possam manifestar-se, no entanto, quanto mais elevados, com tanto mais desconfiança devem seus ditados serem acolhidos. LMD 256 e Cap 31/9 - LMD Introdução, 100/28, 255 a 268 e Cap 31/28 a 34 - LEP Introdução XII, 504, 505 e 917 - CSL 379 - LAV 17 - LRD 29 - NINPG 243 e 314 a 338 - VZG 46 - vtb 1456, 1524, 1932, 1933, 2379 e 2434

ESPÍRITO - 1061 - A natureza íntima do Espírito propriamente dito, isto é, do ser pensante, desconhecemo-la por completo. Apenas pelos seus atos ele se nos revela e seus atos não nos podem impressionar os sentidos, a não ser por um intermediário material. O Espírito precisa, pois, de matéria, para atuar sobre a matéria. Tem por instrumento direto de sua ação o perispírito, como o homem tem o corpo. LMD 58 - vtb 2258, 2560, 2579, 2603 e 2985

ESPÍRITO - 1062 - A vida morre ou se desestrutura nas moléculas que a expressam para logo depois renascer. Tudo se decompõe e volta a reconstituir-se. O incessante fenômeno da transformação molecular é inerente à condição de transitoriedade de todas as formas e coisas. Morre uma expressão e surge outra. O movimento vida-morte-vida obedece ao fluxo ininterrupto da imortalidade. Somente eterno é o Espírito, que transita entre uma e outra aparência orgânica para atingir a excelsa destinação que lhe está reservada. JOANNA DE ÂNGELIS em NDB 21 - NDB 27 - vtb 1076, 1144, 2178 e 2752

ESPÍRITO - 1063 - Alma é um espírito encarnado. Antes de se unir ao corpo, a alma é um dos seres inteligentes que povoam o mundo invisível. Tomada neste sentido, alma e espírito são a mesma coisa. Indicando, porém, o princípio da vida material, poder-se-ia chamá-la alma vital, e o princípio da inteligência de alma intelectual. LEP 134 e Introdução II - LEP Introdução XIII e 135 a 146 - EVG Prefácio IV/I - ALZ Prefácio - AQMPG 15, 92, 109 e 299 a 308 - CTNPG 219 - DPMPG 128 - vtb 1066, 1081, 3292, 3293 e 3349

ESPÍRITO - 1064 - Andai em espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. GAL 5:16 - GAL 5:19 e 25 e 6:8 - ROM 6:12, 8:1, 4 e 5 - PPD 2:11 - CVV 13 - LPE 39 - TRI 14 - vtb 372, 2660 e 3011

ESPÍRITO - Centelha destacada do divino Foco. v. 581, 789, 794, 798, 1079, 2737 e 3340

ESPÍRITO - 1065 - “Chispa divina” em forma de psiquismo inicial, possui todas as potencialidades imagináveis, que o tempo e as experiências fazem desabrochar através de sucessivas existências na forma orgânica desde as mais simples, nas quais exterioriza sensibilidade, sistema nervoso embrionário, para adquirir instintos, inteligência e razão, seguindo no rumo da auto-superação, quando a vitória sobre o ego facultar-lhe atingir a aspiração angélica. JOANNA DE ÂNGELIS em DPE 5 - DPE 9 - vtb 807, 1072, 1079, 1157, 2597 e 2737

ESPÍRITO Criado simples e ignorante. v. 1480

ESPÍRITO - Espírito Verdade. v. 532, 533, 534, 535 e 3332

ESPÍRITO - 1066 - Há no homem três componentes: 1) a alma, ou Espírito, princípio inteligente, onde tem sua sede o senso moral; 2) o corpo, invólucro grosseiro, material, de que ele se revestiu temporariamente; 3) o perispírito, envoltório fluídico, semimaterial, que serve de ligação entre a alma e o corpo. A alma é assim um ser simples, o Espírito um ser duplo e o homem um ser triplo. Seria mais exato reservar a palavra ALMA para designar o princípio inteligente, e o termo ESPÍRITO para o ser semimaterial formado desse princípio e do corpo fluídico; mas, como não se pode conceber o princípio inteligente isolado da matéria, nem o perispírito sem ser animado pelo princípio inteligente, as palavras ALMA e ESPÍRITO são, no uso, indiferentemente empregadas uma pela outra; é a figura que consiste em tomar a parte pelo todo. LMD 54 (a observação final é do livro "O que é o Espiritismo", Cap. II, item 14) - LEP Introdução VI - PTS 5:23 - CFN1P 3/5 - ATD 1 - DPMPG 199 - EGTPG 99 - PBSPG 56, 57 e 119 - RIM 13 - vtb 1063, 1079, 1081, 3292 e 3293

ESPÍRITO - Inteligência, atributo do Espírito. v. 782, 1563 e 1573

ESPÍRITO - 1067 - Mais de vinte bilhões de almas conscientes cercam o domicílio terrestre, demorando-se noutras faixas de evolução. Isto sem incluir os cerca de dois bilhões de encarnados (1952) e ainda bilhões de inteligências sub-humanas que são aproveitadas nos múltiplos serviços do progresso planetário. EMMANUEL em RTR 9 - LEP 687 - MTA 1 - QTE 1 e 15 - SDE Prefácio - TMG 37 - vtb 189, 907, 1072 e 3157

ESPÍRITO - 1068 - Matéria e Espírito são distintos uma do outro; mas a sua união é necessária para intelectualizar a matéria. Embora se possa, pelo pensamento, concebê-los uma sem o outro, sua união é igualmente necessária para nós, porque nossos sentidos não são apropriados para perceber o Espírito sem a matéria. LEP 25 e 26 - LEP 60 a 63 e 71 - GNS Introdução - AQMPG 15, 42 a 47 e 299 a 308 - MRTPG 44 e 45 - PRD 7 e 16 - vtb 428

ESPÍRITO - Não nasceram do sangue ou da carne, mas de Deus. v. 1200, 2171, 2214 e 2753; Não retroage em sua evolução. v. 1139

ESPÍRITO - 1069 - Não se deve atribuir aos Espíritos todo o saber. Como na terra, há entre eles superiores e vulgares, muitos que sabem menos que certos homens. Pedir conselhos aos Espíritos não é entrar em entendimento com potências sobrenaturais. GNS 1/60 - GNS 1/61, 6/6 e 14/3 - LEP 100, 143, 238 a 257, 430 e 1014 - EVG Introdução II - LMD 46/9, 49/5, 267/7, 288/6 e 299 - ATR 15 - CSL Prefácio e 87 - DSG 25 - EMN 28 - FDI 10 - GRNPG 90 - MLZ 11 - NDM 16 - NINPG 98 e 244 - NOS Prefácio - PRR 18 - RTR Prefácio - OES 43 - vtb 535, 540, 956, 1212, 1452, 1524, 1932, 1948, 2019, 2085, 2896 e 3319

ESPÍRITO - 1070 - O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida. JOO 6:63 - SCR 3:6 - TGO 2:26 - LEP 136, 196a, 309, 367 e 728a - AVV 5 - CRG 43 - NLI 20 - NPM 139 - NSC 10 - PJS 84 - PVE 118 - VZG 17 - vtb 366m, 372, 777, 786, 872, 1077 e 2214

ESPÍRITO - 1071 - O Espírito molda a matéria, comunica-lhe a vida e a beleza. É por isso que a evolução é, por excelência, uma lei de estética. As formas adquiridas são o ponto de partida de formas mais belas. Tudo se liga. A véspera prepara o dia seguinte; o passado gera o futuro. A obra humana, reflexo da obra divina, expande-se em formas cada vez mais perfeitas. LÉON DENIS em PBSPG 122 - PBSPG 154 - FVV 18 - GRNPG 201 e 206 - NPM 115 - RTR 5 - vtb 280, 281, 577, 2609 e 2977

ESPÍRITO - 1072 - O estado da alma na sua primeira encarnação é o da infância corporal. A inteligência então apenas desabrocha: a alma se ensaia para a vida. É nos seres inferiores da criação que o princípio inteligente se elabora, se individualiza pouco a pouco e se ensaia para a vida, evoluindo para a situação de Espírito. LEP 190 e 607 - LEP 191, 540 e 608 a 613 - LMD 236 - EVM1P 3 - PMG 36 - vtb 189, 603, 897, 906, 907, 1065, 1067, 1132, 1135, 1144, 1149, 1157, 1480, 1567, 2058, 2251 e 2975

ESPÍRITO - 1073 - O fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade. EFE 5:9 - GAL 5:22 - BPZ 21 - CVD 24

ESPÍRITO - 1074 - O homem não tem duas almas (a alma animal e a alma espírita). Há nele a natureza animal e a natureza espiritual. Participa, pelo seu corpo, da natureza dos animais e de seus instintos. Por sua alma, participa da dos Espíritos. Quanto mais inferior é o Espírito, tanto mais apertados são os laços que o ligam à matéria. Conquanto não tenha alma animal, o homem tem o corpo que, às vezes, o rebaixa até ao nível deles. LEP 605 - LEP Introdução VI, 592 e 611 - CSL 62 - CVO 15 -EGTPG 157 - ETS 117 - FVV 80 - LBT 2 - MDC 28 - NPM 126 - PAMPG 13, 36 e 37 - RTR 10 e 30 - vtb 189, 251, 899, 1563 e 2058

ESPÍRITO - 1075 O princípio espiritual é corolário da existência de Deus; sem esse princípio, Deus não teria razão de ser, visto que não se poderia conceber a soberana inteligência a reinar, pela eternidade em fora, unicamente sobre a matéria bruta. Não podendo admitir Deus sem os atributos de justiça e bondade, inúteis seriam essas qualidades se ele as houvesse de exercitar somente sobre a matéria. GNS 11/2 - GNS 11/1 a 32 - vtb 2263, 3293 e 3349

ESPÍRITO - 1076 - O que caracteriza a alma e absolutamente a diferencia da matéria é a sua unidade consciente. Sob a ação da análise, a matéria dispersa-se e dissipa-se. No Universo só o espírito representa o elemento uno, simples, indivisível e, por conseguinte, logicamente indestrutível, imortal! LEON DENIS em PBSPG 63 - FDL 34 - vtb 927, 1062, 1491, 1793, 1879, 3290 e 3293

ESPÍRITO - 1077 - Os Espíritos constituem um mundo à parte, o mundo dos Espíritos, ou das inteligências incorpóreas. Dos dois, o mundo espírita é o principal na ordem das coisas, pois preexiste e sobrevive a tudo. O mundo corporal poderia deixar de existir, ou nunca ter existido, sem que isso alterasse a essência do mundo espírita. Eles são independentes, contudo é incessante a correlação entre ambos, porquanto reagem incessantemente um sobre o outro. LEP 84 a 86 - LEP Introdução VI, 225 e 738a - EVG 23/8 - LMD 1 a 3 - GNS 11/8 e 13/4 - CFN1P 3/10 - CAT 4 - CME 43 - EES 3 - EMN 32 - FDL 3 - NFL 30 - NINPG 46 - NLI 3 e 12 - PBSPG 149 - QTE 1 - SPT 2 - TDL Prefácio, 11 e 27 - TDN 29 - TVM 30 - vtb 1070, 1526, 2721, 3084, 3163, 3165 e 3291

ESPÍRITO - 1078 - Os Espíritos têm ação sobre a matéria, mas para cumprimento das leis da Natureza, não para as derrogar, fazendo que, em dado momento, ocorra um sucesso inesperado e em contrário àquelas leis. LEP 526 - LEP 527, 528 e 536 a 540 - LMD 74/21 a 25 e 129 - vtb 1283

ESPÍRITO - 1079 - Os Espíritos têm forma determinada, limitada e constante. Contudo, para os encarnados, por falta de termos de comparação, ela só pode ser definida como "uma chama, um clarão, ou uma centelha etérea". Necessitando de matéria para atuar sobre a matéria, o Espírito tem o perispírito por instrumento direto de sua ação, como o homem tem o corpo. LEP 88 - LEP 25, 26 e 82 - LMD 50, 53, 55 a 59 e 100/28 - AQMPG 28 - DPE 5 - MFR 15 - QTE 3 - vtb 823 e 1066

ESPÍRITO - 1080 - Para os encarnados da minha esfera, o primeiro dia do Espírito é tão obscuro como o primeiro dia do homem o é para a Humanidade. EMMANUEL em EMN 5 - EMN 17 - LEP 48, 59, 78 a 81, 608 e 613 - GNS 6/19 e 11/7 - AQMPG 220 - CSL 265 e 325 - EVM1P 6 - QTE 2 - vtb 2258 e 2896

ESPÍRITO - Pensamento, atributo do Espírito. v. 2568

ESPÍRITO - 1081 - Princípio inteligente do universo ou seres inteligentes da criação. LEP 23 e 76 - ANT 4 - VDS Prefácio - vtb 1063, 1066, 1320 e 3293

ESPÍRITO - Puros. v. 2781

ESPÍRITO - 1082 - Qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem que nele está? PCR 2:11 - PVB 20:27 - JVN 34 - RUM 13 - SOL 50

ESPÍRITO - Realidade espiritual. v. 2743

ESPÍRITO - 1083 - Se alguém não tem o espírito do Cristo, esse tal não é dele. ROM 8:9 - PCR 3:16 - FVV 170 - PVE 160 - VLZ 168

ESPÍRITO - Sexo nos Espíritos. v. 192, 2602 e 3018; Sofrimento dos Espíritos. v. 2134, 2985 e 3229

ESPÍRITO - 1084 - Todo o poder da alma se resume em querer, saber e amar. Querer, fazendo convergir toda a energia para o alvo que se tem de atingir, desenvolvendo a vontade e aprendendo a dirigi-la. Saber, porque sem o estudo profundo das coisas e das leis, o pensamento e a vontade podem transviar-se. Acima de tudo, porém, é preciso amar, porque, sem o amor, a vontade e a ciência seriam incompletas e muitas vezes estéreis. O amor ilumina-as, fecunda-as, centuplica-lhes os recursos. LÉON DENIS em PBSPG 367 - GRNPG 42 - HIT 7 - LZE 14 - MDC 20 - OFR 21 - vtb 136, 951 e 2646

ESPÍRITO - Todos os Espíritos tendem para a perfeição. v. PERFEIÇÃO - Todos os

ESPÍRITO - Unidade do Espírito. v. 2527 e 3290; Visão nos Espíritos. v. 1781, 2579 e 3386

ESPÍRITO vtb DEUS - PANTEÍSMO, 033, 097, 133, 190, 373, 374, 603, 784, 805, 867, 886, 1487, 1740, 1817, 1902, 1930, 1948, 1950, 2122, 2168, 2415, 2603, 2647, 2847 e 3082

ESPÍRITO SANTO - 1085 - A expressão Espírito Santo resultou de um infeliz entendimento, provavelmente de origem lingüística, como assinala o Prof. Carlos Torres Pastorino (Sabedoria do Evangelho). Em vez de “um espírito santo ou santificado” a manifestar-se por meio do profeta (médium), passou a ser “o Espírito Santo” - manifestação do próprio Deus. HERMÍNIO C. MIRANDA em EGTPG 41

ESPIRITUALIDADE - 1086 - Se um chimpanzé, guindado a um palácio, encontrasse recursos para escrever aos seus irmãos de fase evolucionária, somente encontraria dificuldade para enumerar os problemas da edificação espiritual, relativa à conquista da razão. À maneira do macaco, o homem que, após a morte física, mereceu ingresso nos círculos elevados do Invisível, encontra uma vida humana sublimada, naturalmente ainda com grande número de problemas desafiando-lhe o conhecimento para a ascensão sublime aos domínios iluminados da vida, já que o progresso não sofre estacionamento e a alma caminha incessantemente atraída pela Luz Imortal. EMMANUEL em MSG Prefácio - vtb 497

ESPONTANEIDADE - 1087 - O gesto afetivo espontâneo consegue muito mais do que as artimanhas e elaborações do intelecto. Ademais, o sentimento puro irradia-se e conquista, enquanto a atitude estudada oferece gentileza mas não espontaneidade. O amor trabalhado mediante fórmulas é destituído de luz e calor, com duração efêmera, podendo saturar com rapidez. Naqueles que estão sempre representando existe um imenso vazio existencial. JOANNA DE ÂNGELIS em AIM 8 - NSS 3 - vtb 166, 194, 882m, 960, 1169, 1558, 1875, 2285, 2421, 2738, 3029, 3032 e 3033

ESPONTANEIDADE - vtb OBEDIÊNCIA, 817, 1212 e 1924

ESPORTE – 1088 Atende aos imperativos da saúde física porque o vaso de carne é concessão do senhor para a extensão do Infinito Bem, mas não te esqueças da saúde espiritual e consagra-te, sob a luz do Evangelho, aos esportes da própria sublimação, praticando a difícil ginástica dos bons exemplos, a corrida às boas obras do bem incessante, a regata do suor no cumprimento do dever. EMMANUEL em TCL 10 - AVL 9 - DSM 7 - EVV 13 - FVV 85 - MLZ 2 - NDB 29 - NPB 37 - URG 19 - vtb 205 e 856
____

*