Da automagnetização - Magnetismo curador
-
Crianças e Adolescentes DESAPARECIDOS
*

____203. Na magnetização isolada ou na magnetização_em_comum, mostramos a influência curadora que um indivíduo pode exercer por suas radiações sobre um ou muitos de seus semelhantes.
____Esta ação de um homem sobre outro ou sobre vários outros, depois de ter sido por muito tempo contestada, está hoje correntemente admitida, senão em todo o seu alcance curador, ao menos quanto a certos fenômenos fisiológicos que a própria ciência oficial decidiu-se a admitir.
____Pode-se, portanto, encarar como certa a ação magnética do homem sobre seus semelhantes. Resta saber se ele a tem sobre si mesmo.
____Neste ponto a incerteza não pode durar muito, porque, com exclusão de qualquer teoria, é muito fácil formar uma opinião sobre este ponto.
____Experimentando sobre si mesmo não tardará a verificar pela experiência se existe ou não uma ação.
____Nosso primeiro ato, no sofrimento, é levar instintivamente a mão ao ponto em que sofremos e muitas vezes encontramos certo alívio com uma leve pressão na parte afetada. Se, em vez de agir instintivamente, soubermos estudar as nossas sensações e dirigir convenientemente a nossa ação, adquiriremos bem depressa a certeza de que a ação magnética do homem sobre si mesmo é incontestável.
____Mesmer não falou da ação do homem sobre si mesmo. Os Srs. de Puységur, d'Eslom, de Bruno, etc., também não falam a esse respeito. O Sr. Deleuze, em sua Instrução Prática, fala dela muito por alto, como de um fato que pode existir, porém que ele não verificou. Os Srs. Birot e Dr. Rouilier são os primeiros que tratam a fundo do assunto em seu livro: Recherches sur la faculté de se magnètiser soi-même. E Aubin Gauthier, no seu trabalho __ Introduction au magnetisme, tratando explanadamente deste assunto sob o título L'Action de l'homme sur lui-même, conclui deste modo:

    • Devo à ação magnética exercida sobre mim mesmo, a conservação de minha saúde muitas vezes comprometida por longos e penosos trabalhos.

____204. Os casos em que se pode empregar a automagnetização são forçosamente restritos, porque, para agir sobre si mesmo, não é necessário ficar em estado de prostração, nem num estado de exacerbação e desordem geral. Se o indivíduo for profundamente anêmico ou estiver atacado de febre ardente, não poderá pensar em dar aos outros uma saúde que ele não tem. Com mais forte razão, nada se pode fazer sobre si mesmo.
____Neste caso, deveria recorrer ao seu semelhante e pedir-lhe auxílio e assistência.
____Porém, fora dessas circunstâncias excepcionais, quantas oportunidades de sustar em seu começo as indisposições ligeiras, e deste modo evitar as complicações que lhes são conseqüentes!
____As mudanças de estações, as variações de temperatura, a fadiga, as emoções morais, as decepções conspiram a todo o momento contra a nossa tensão vital; as nossas funções periclitam; sobrevêm obstruções, congestões, perda de apetite, constipações, dores de cabeça; uma transição brusca do calor para o frio, ou do frio para o calor, um golpe de ar, uma cólera violenta, congestionam subitamente o cérebro, irritam a garganta, embaraçam os brônquios ou o estômago, revolucionam os intestinos; um acidente se dá, uma queimadura, uma queda ou um corte, que fazer? A medicina, para preencher essas eventualidades, prescreve purgantes, vomitórios, vesicatórios, sanguessugas, tapsias[*], pedilúvios, cataplasmas, compressas, antipyrina, etc. Pode evitar-se tudo isso concentrando-nos cinco minutos e colocando a mão sobre a parte doente ou sobre a sede da função e, enquanto uma afecção local não absorver as nossas faculdades físicas e morais, enquanto o mal ficar circunscrito a uma região ou a um órgão, poderemos magnetizar-nos a nós mesmos, e arrancar (é o caso de dizer-se) a dor e o mal com a mão.
____Tem-se dado comigo mais de cem vezes, e diariamente ainda me acontece, restabelecer em poucos momentos as minhas funções perturbadas por qualquer circunstância fortuita, e é graças à auto-magnetização, não hesito em acreditar, que me tem sido possível prosseguir, sem um só momento de parada, durante mais de vinte anos, trabalhos bastante penosos e difíceis; tenho evitado muitos defluxos, fazendo-os abortar em seu começo e tenho atenuado consideravelmente as conseqüências de acidentes tais como quedas, ou queimaduras. (136)
____205. Para se magnetizar a si mesmo empregam-se os processos comuns, imposições, passes, massagens e insuflações, isto é, toca-se fazendo imposições das mãos, ou apresentando-as à distância, ou fazendo-se fricções ou passes, ou soprando-se frio ou quente.
____Atua-se sobre o conjunto do organismo impondo-se sucessivamente as mãos sobre a cabeça, o estômago, os rins e o ventre, fazendo-se seguir estas imposições de longos passes lentos do alto do tronco até aos pés.
____Atua-se localmente, por meio de ações parciais sobre todas as regiões ao alcance da mão ou do sopro. No primeiro caso restabelece-se o equilíbrio geral perturbado dando mais tensão ao circuito vital, no segundo atraem-se as forças vitais e duplica-se a atividade das correntes por toda a parte em que se impuser a mão.
____Cumpre partir-se deste princípio __ que o equilíbrio vital depende essencialmente da harmonia que existe entre as correntes centrífugas e as correntes centrípetas. O ser organizado, em perpétua troca com o meio em que é chamado a viver, não chega a manter a integridade da sua tonalidade vital se não pela preciosa faculdade que possui de reagir, de maneira permanente, contra as correntes externas que o cercam e de equilibrar-se com elas; a sua vitalidade é o resultado de duas forças contrárias, uma interna, a outra externa; a sua saúde é o ponto de equilíbrio deste antagonismo; ele recebe do meio ambiente, restitui a este meio o que recebeu, em outros termos, condensa e dispersa alternativamente; e o movimento de dispersão que ativa e de condensação, é a despesa ou o estrago que prepara a receita ou a reparação, e é assim que a morte entretém o fogo da vida.
____Pode pois dizer-se, "quem dá, recebe" e eis de que modo, longe de esgotar as suas forças no ato de magnetizar, como era natural acreditar-se, retira, pelo contrário, desse ato um grande benefício para si mesmo ativando em si a dupla corrente da vida.
____É sobre este princípio de perpétua troca, que constitui o equilíbrio oscilatório da vida, que repousam as vantagens do emprego da cadeia no tratamento comum; existe entre os doentes que formam a cadeia uma dupla transmissão: ao receber, cada um dá, e dando, cada um recebe.
____Na magnetização direta acontece o mesmo: o magnetizador, dispersando os seus eflúvios magnéticos sobre o seu doente, ativa por este fato a corrente contrária ou a condensação e recupera assim na proporção do que dá.
____Esta maneira de considerar a vida do homem; como sendo o resultado de um jogo regular das correntes, se acha expressa numa obra chinesa, que data do século XVII:

    • o Thang-Seng ou a Arte de proporcionar para si uma vida sã e longa.

____O autor deste livro distingue no homem três espécies de forças a que chama os espíritos vitais:

  • o Tsing, que corresponde às forças vegetativas,
  • o Ki às forças animais,
  • e o Chin, às forças espirituais.

____É importante, diz ele, não se dissiparem estes três princípios da vida humana, quer pelo uso imoderado dos prazeres dos sentidos, quer por esforços violentos, quer por emoções muito vivas ou grande contenção de espírito.
____Ele dá, para conservar o justo equilíbrio dos espíritos vitais, certas prescrições higiênicas, que devem por o homem em boa relação constante com as correntes externas. São as seguintes:

  • Sede sóbrio; qualquer excesso esgota os espíritos vitais.
  • Não caminheis ininterruptamente durante muito tempo.
  • Não vos conserveis horas inteiras de pé e imóvel.
  • Não vos demoreis sentado por muito tempo.
  • Não dormi além do necessário.
  • Quando estiverdes despido e prestes a recolher-vos ao leito tomai, com uma das mãos, um de vossos pés, e com a outra, atritai-lhe a planta com força, de maneira a convergir para ali um grande calor. É um meio eficaz de ativar os espíritos vitais durante o sono.
  • Uma vez no leito, adormecei o coração, para repelir qualquer pensamento que pudesse desviar o sono.
  • Deitai-vos do lado direito, dobrai um pouco os joelhos e adormecei nesta posição; ela impede os espíritos vitais de se dissiparem durante o sono.
  • Ao dormirdes, não tomeis a atitude dum morto, isto é, não vos deiteis de costas nem conserveis os braços cruzados sobre o peito.
  • Cada vez que despertardes, estendei-vos no leito para tornar mais livre o curso dos espíritos vitais ou melhor, levantai-vos por um momento e fazei duas ou três fricções ao longo do corpo do alto do peito até aos pés e sobre os rins e deitai-vos de novo.
  • Levantando-vos, quando tiverdes despertado, fazei com a mão várias fricções sobre o peito na região do coração.
  • Evitai cuidadosamente o ar encanado, como se fora uma flechada.
  • No inverno, evitai o calor excessivo, e no estio não procureis a extrema frescura.
  • Na primavera, quando a natureza trabalha e fermenta, regulai-vos por ela, e entregaivos a um exercício moderado, porém freqüente.

_________________________
[*] Emplastro vesicante feito com a folha da thapisia, planta da família das umbeliferas. (Nota do Tradutor)

Ver também:
*