Abibe Isfer
página acima: Biografias
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

Nasceu em 10 de fevereiro de 1896, na antiga capital federal – Rio de Janeiro. Desencarnou em nove de abril de 1986.

____Seus pais Jorge Antonio Isfer e Rosa Shaid transferiram-se para a terra dos pinheirais. Mandando o filho para casa de parente, em Rio Negro (PR), onde fez seus estudos.
____Mais tarde, seus pais instalaram-se com casa de comércio em geral, no bairro do Portão (em Curitiba), quando então servindo o exército, com 20 anos, consorciou-se, com Dona Ana Elvira Moletta, de cuja união tiveram sete filhos. Guarda-livros formado dedicou-se, profissionalmente ao comércio, trabalhando, como guarda-livros de uma Cerâmica. Foi representante de nove seguradoras.
____No campo espírita, pode-se afirmar que a curiosidade pelas chamadas, na época, “experiências do corpo”, produzidas por sua esposa e amigas, aproximaram-no do Espiritismo.
____Sua amantíssima esposa faleceu em três de dezembro de 1936, quando a primogênita completava 18 anos e a caçula contava com três anos apenas. Esposo dedicado (40 anos apenas, somava de idade) manteria a fidelidade assumida até o fim da existência terrena, dedicando-se, com extremado carinho e amor, aos filhos queridos, responsabilidades profissionais e à doutrina.
____Ligou-se a Casa Máter do Espiritismo em terras paranaenses, à qual durante mais de quatro decênios dedicou expressiva parcela de sua laboriosa vida, tendo sido um dos mais entusiastas e assíduos integrantes de seus órgãos diretivos. Companheiro de João Ghignone, Arthur Lins de Vasconcellos, Honório Melo e tantos outros, esteve presente com os mesmos à frente de todas as iniciativas no campo doutrinário, ligado estreitamente a todas as obras sociais de natureza variada, como albergues noturnos, hospital psiquiátrico, colégio, creches-lares, etc. Foi, praticamente, membro permanente do Conselho Federativo da F.E.P.
____Como vice-presidente, companheiro inseparável de João Ghignone em seus 45 anos de presidência assumiu o primeiro posto em razão do desencarne do velho companheiro, em oito de junho de 1978, sendo eleito em seguida para o período de fevereiro de 1979 a janeiro de 1981 para a presidência. Findo o mandato passa a integrar o quadro de Presidentes Honorários, ao lado de Arthur Lins de Vasconcellos.
____Entretanto, a sua atividade pontificava no campo da mediunidade, mercê do coração totalmente voltado à caridade. Durante mais de 40 anos compareceu, diariamente, a sessões de receituário, passes e curas no velho casarão da F.E.P., hoje tombado como patrimônio histórico. Paralelamente, dava assistência mediúnico aos internos do Hospital Psiquiátrico “Bom Retiro”, que a solicitavam; pessoalmente, dirigia e dava assistência paternal com carinho e dedicação inexcedível às meninas do Lar Icléia (aos domingos levava as órfã mesma forma, acompanhava atentamente as creches-lares, orientando as responsáveis pelos mesmos e doando-se às criancinhas). Sua residência estava sempre de portas abertas aos necessitados, não regateava às solicitações de atendimento. Assim como Minas Gerais teve o querido Eurípedes Barsanulfo, o Paraná, o inesquecível Abibe Isfer.

Colaboração de Marinei Ferreira de Rezende - marineif2001@yahoo.com.br - marineif2001@gmail.com

*