página acima: Jesus
A Iluminação de Jesus
-
Crianças e Adolescentes
DESAPARECIDOS
*

Agora é o momento de levá-lo de volta às minhas_experiências_no_deserto, descritas na Carta_1.

Você deve lembrar que, quando fui ao rio Jordão para_que_João_Batista_me_batizasse, eu era um rebelde, totalmente contrário aos ensinamentos dos Judeus que afirmavam que Jeová castigava os homens por seus pecados. Intuitivamente, sentia que aquele era um conceito falso e cruel, e o rejeitava.

Depois que me foi mostrada a Verdade_sobre_a_criação, não podia compreender por que a Consciência Perfeita não criava seres perfeitos feitos à imagem de seu Criador Amor Inteligente.

Perguntei ao Criador - a “Consciência Universal” - por que a humanidade suportava tanto sofrimento e maldade. Então me foi mostrado com toda a clareza que todos os problemas que os humanos experimentavam surgiam do “ponto central” do eu (que a ciência agora chama de “ego”).

Este manifesta a si mesmo na “personalidade” como uma NECESSIDADE IMPULSIONANTE[9] para defender-se da crítica ou do ataque físico/emocional, e uma NECESSIDADE IMPULSIONANTE semelhante de se afastar dos demais para chegar primeiro na corrida da vida.

Também se manifesta na “personalidade” como uma NECESSIDADE IMPULSIONANTE de adquirir tudo de melhor para si mesmo, apesar da oposição dos demais, e uma NECESSIDADE IMPULSIONANTE semelhante de agarrar-se às suas posses pessoais, sejam elas parentes, amigos, bens materiais ou conquistas, a despeito de toda a oposição.

Também me foi dado compreender que sem estes DOIS “impulsos do ser criativo”, fundamentais, eternos e inalteráveis, não haveria nenhuma criação.

Este é o segredo da criação - o segredo da existência e do “ser individual”.

(Ver: Individualismo na evolução e Função individualizadora do perispirito)

Ao trabalharem juntos como equipe no mundo visível, separadamente porém inseparáveis, estes impulsos gêmeos foram os meios pelos quais a substância damatéria” em si foi criada desde a sublime “CONSCIÊNCIA UNIVERSAL”.

  • Um impulso de criatividade é:
    • o “Eu original” da ATIVIDADE.

      • Este impulso de atividade é universal e procede de uma só fonte:
        • “Atividade” é um movimento na CONSCIÊNCIA e CONSCIÊNCIA em movimento.

  • O outro impulso criativo possui, em sentido figurado, duas faces olhando em direções opostas. Elas são:

LIGAÇÃO - REJEIÇÃO

Trazer para >>>>>> o eu <<<<<< rejeitar desde

também conhecido como

ATRAÇÃO - REPULSÃO

Atrair >>>> para - O EU - do <<<<<<< Repelir
na CONSCIÊNCIA

Estes são os ÚNICOS meios pelos quais a existência terrena é realizada.
O universo inteiro é uma manifestação do “Poder Criativo” ativo nestes Impulsos Gêmeos do SER FÍSICO - criando “matéria” e forma individual.

Este é um dos “segredos” fundamentais do universo.

  • Eu vi que o “núcleo” da “Personalidade” ou “ego”, como agora é chamado, tinha sido criado como:

O GUARDIÃO da PERSONALIDADE” e estava irresistivelmente gravado com o impulso magnético para assegurar a INTIMIDADE e SOBREVIVÊNCIA, para proteger a condição do “Eu original” individual.

Isso foi conseguido usando as duas faces do segundo Impulso do Ser LIGAÇÃO - REJEIÇÃO para assegurar a individualidade.

  • A face da LIGAÇÃO arrasta, extrai, atrai, exige, puxa, compra, agarra, se prende às pessoas e às posses que busca. Esse IMPULSO cria uma ilusão de segurança nas relações e nas posses. É o “instrumento” da “CONSCIÊNCIA MÃE” que inspira a construção de famílias, comunidades e nações. Ele pode produzir beleza, alegria, harmonia e amor. Ele também pode destroçar vidas e destruir comunidades quando é “dirigida pelo Ego”.

  • A face da REJEIÇÃO repele, joga para o lado, afasta, evita todas as coisas - pessoas, animais, posses - que ela não queira. O IMPULSO de REJEIÇÃO cria a ilusão de intimidade e segurança. Esse é o IMPULSO que promove as rupturas nas famílias, nas relações, nas comunidades e nas nações. Ele é supostamente orientado para salvar vidas, assegurando proteção e intimidade, mas é uma força destrutiva quando seu direcionador é o “Ego”.

Sem esses dois IMPULSOS GÊMEOS do SER, todas as coisas permaneceríam sempre misturadas umas às outras na eternidade imutável do “PODER CRIATIVO UNIVERSAL” em equilíbrio.

Sem esses IMPULSOS GÊMEOS, não haveria nenhuma interação entre “dar e receber” e “puxar e empurrar”, necessários para a criação de milhões de experiências pessoais, a partir das quais avança e evoluciona a “personalidade”.

Portanto, o problema da “personalidade” e da “direção do ego”, que é suportado por todas as coisas vivas e pela humanidade, era/é um fato irrevogável e inevitável da criação. Qualquer outra explicação é puro mito.

  • Eu vi que, o que os homens chamam PECADO”, era o resultado direto da interação dos impulsos de Ligação - Rejeição na natureza humana.

Os Impulsos de Ligação - Rejeição constituem o disfarce emocional/mental utilizado por todas as entidades individuais criadas, incluindo as aves e os animais. Você vê esses impulsos funcionando em toda a natureza - inclusive na vida das plantas.

Os Impulsos de Ligação - Rejeição dirigiam/dirigem o comportamento em direção à sobrevivência de todas as entidades na criação.

Não houve nenhuma escapatória dos Impulsos de Ligação - Rejeição.

Esses Impulsos Gêmeos foram a fonte efêmera de todo o conforto “mundano”, prazer e “felicidade”- e também a fonte de toda enfermidade, miséria e privação no mundo.

Entretanto, além disso - subjacente, transcendendo e interpenetrando tudo, estava/está a VIDA - nascida da EXPLOSÃO da CONSCIÊNCIA UNIVERSAL, sendo o próprio fundamento e fonte da consciência terrena - assim como a Consciência “Pai - Mãe” é criativa, também o PENSAMENTO do homem é criativo, pois “o pensamento e o sentimento” são o exercício e a união dos instrumentos gêmeos da Consciência “Pai - Mãe”. (Ver: Faculdade criadora)

Desse modo, esses impulsos de “Ligação - Rejeição” na personalidade individual tornam-se também altamente criativos, na medida em que determinam - e tornam visíveis - as “formas de consciência” das coisas desejadas” e das “coisas rejeitadas”. (Ver: Ideoplastia)

Este é o segundo “segredo” fundamental do Universo.

  • Eu vi que o “PECADO” era um conceito artificial, convenientemente idealizado por homens para descrever qualquer atividade humana que causava dor a outros. Era inevitável que todos os seres humanos, em algum momento, causassem algum tipo de aflição ou dor a outros por causa de sua tendência natural de “arrebatar” as coisas dos demais e de repelir com rudeza aos demais, a fim de conseguir o que querem da vida. Essa propensão humana de ferir os outros em nada “ofende” a CONSCIÊNCIA UNIVERSAL (Deus) - como afirmaram as religiões Judaica e “Cristã”.

    Somente a humanidade poderia compreender o significado da palavra “pecado”, uma vez que somente a humanidade e “toda a criação que está submetida ao ser humano” conhecería a dor, a privação e a miséria causados pelos dois IMPULSOS fundamentais da INDIVIDUALIDADE - Ligação - Rejeição - que estão ativos na “personalidade” humana.

    O impulso inerente ao homem para proteger a sua própria individualidade o tinha feito estabelecer normas e leis para a sociedade humana. O “Poder Criativo Universal” - AMOR - não tinha absolutamente nada a ver com o estabelecimento de restrições, limitações, leis e juízos humanos.

  • Eu também vi que:

O “Poder Criativo Pai - Mãe” - VIDA - fluía continuamente através de todo o universo, e era a vida em minha mente, utilizando os impulsos gêmeos de pensamento e sentimento.

Assim, qualquer poderoso “pensamento ou sentimento imperfeito” podia alterar e mudar o “padrão de CONSCIÊNCIA” das coisas criadas.

Por outro lado:

Meu “pensamento”, quando estava completamente purificado dos impulsos gêmeos do “ego” - e totalmente receptivo ao “Poder Criativo Pai - Mãe” INTELIGÊNCIA/AMOR, reintroduzia a condição do “PERFEITO AMOR INTELIGENTE”.

Consequentemente, uma condição que previamente tinha sido construída de modo imperfeito, como resultado de um “pensamento imperfeito”, podia voltar a uma condição de “integridade”, mudando as atitudes e pensamentos egocêntricos para aqueles de AMOR INCONDICIONAL.

Minha mente era um “instrumento” do processo criativo total originário no UNIVERSAL.

Agora eu que sabia que isso era assim - sabia-o espiritual, intelectual e emocionalmente. Dei-me conta de que eu podia e devia dar passos para superar os IMPULSOS GÊMEOS do EGO que anteriormente governavam minha mente, com o fim de permitir que a REALIDADE DIVINA tivesse plena liberdade através de minha mente e meu cérebro.

Por isso houve uma luta entre o meu resistente Ego humano e minha “Consciência Pai - Mãe”, durante as agudas tentações que experimentaria ao final de minha iluminação no_deserto. Satanás não teve nada a ver com o cabo-de-guerra que ocorreu dentro de minha consciência.

A guerra foi travada entre os IMPULSOS GÊMEOS da INDIVIDUALIDADE - Ligação - Rejeição e a REALIDADE DIVINA que SE tinha feito conhecer, como AMOR - VIDA INTELIGENTE, transcendente mas ainda dentro de mim, que progressivamente absorveria minha individualidade cada vez mais, se eu meditasse continuamente e purificasse a minha consciência dos impulsos egoístas.

O que expus é uma descrição do conhecimento poderoso com o qual voltei a Nazaré.

Assim, o_meu_tempo_de_cura_física, passado com minha mãe até que eu me restabelecesse, também foi um tempo de oração e de meditação, do qual extraí a inspiração e a força para consciente e conscienciosamente viver a NATUREZA do DIVINO ou REALIDADE UNIVERSAL.

Como você sabe, a NATUREZA do DIVINO, ou REALIDADE UNIVERSAL, é VIDA.

Quando ELA está ativa na criação - ou também podemos dizer - na “individualidade” da criação, ELA cresce, nutre, alimenta, regenera, cura, protege, assegura a sobrevivência, satisfaz as necessidades de tudo que foi criado, - tudo dentro de um sistema de perfeita harmonia, cooperação, lei e ordem. Esta é a “natureza” da VIDA. Toda a sua obra na criação se realiza de acordo com a NATUREZA UNIVERSAL - e a promoção do bem mais elevado de todos os seres vivos.

Se você pode compreender estas palavras perceberá por que voltei do deserto como um homem cheio de alegria, com um novo entendimento da beleza do mundo, com um sentimento de absoluta confiança e SABENDO que era possível controlar a aparência da “matéria”. Você sentirá comigo a euforia que senti por poder oferecer aos Judeus a gloriosa notícia de que o “Reino_dos_Céus” estava dentro deles. Tudo o que eles tinham a fazer era “encontrar” isso com a minha assistência, e suas vidas mudariam para sempre.

Deixo você com o mesmo conhecimento, o qual usado em oração e plenamente compreendido, pode mudar o curso da sua vida.

À medida que você lê, a sua consciência será elevada e à medida que buscar inspiração - ela virá.

Desejo que você compreenda, aspire, cresça e alcance. Relaxe em minha LUZ, pois, enquanto você lê, reflete, medita e ora, é absorvido em minha CONSCIÊNCIA_CRÍSTICA, a qual se tornará cada vez mais clara para você à medida que evolua no Conhecimento Divino.

Que meu amor e minha fé em sua crescente sabedoria o envolvam.

__________________
N.T.: [9] Driving need

[ CARTAS DE CRISTO > Carta 5 ]

Cerinto (c 100) foi um dos primeiros líderes do antigo Gnosticismo que foi reconhecido como um "Heresiarca" pelos primeiros Cristãos devido aos seus ensinamentos sobre Jesus Cristo e suas interpretações sobre o Cristianismo. Ao contrário dos ensinamentos da Cristandade ortodoxa, a escola gnóstica de Cerinto seguia a lei Judaica, usava o Evangelho dos Hebreus, negava que o deus supremo tinha feito o mundo físico e negava a divindade de Jesus. Na interpretação de Cerinto, o espírito de "Cristo" veio a Jesus no momento do seu batismo, guiando-lhe em todo o seu ministério, mas abandonando-o momentos antes de sua crucificação.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Cerinto

Márcion (95 - 165)

Informações indicam que Márcion nasceu em Sinope, no Ponto, Ásia Menor. Foi proprietário de navios, portanto, muito próspero. Aplicou sua vida à fé religiosa, primeiramente como cristão e, finalmente, ao desenvolvimento de congregações marcionitas.

Influente líder cristão, suas idéias o conduziram à exclusão, em 144 d.C. Então, formou uma escola gnóstica. Tendo uma mente prolífera, desenvolveu muitas idéias, as quais foram lançadas em uma obra apologética alvo de combate de apologistas, especialmente Tertuliano e Epifânio.

Procurou ter uma perspectiva paulina, contudo, incluiu muitas idéias próprias e conjecturas sem respaldo bíblico. Era convicto de uma missão pessoal: restaurar o puro evangelho. Antes, rejeitou o Antigo_Testamento por achá-lo inútil e ultrapassado, além de afirmar que foi produzido por um deus inferior ao Deus do evangelho. Para Márcion, o cristianismo era totalmente independente do judaísmo; era uma nova revelação. Segundo ele, Cristo pegou o deus do Antigo Testamento de surpresa e este teve de entregar as chaves do inferno Àquele. Além disso, Cristo não era Deus, apenas uma emanação do filho de Deus. O único apóstolo fiel ao evangelho, segundo Márcion, fora Paulo, em detrimento dos demais apóstolos e evangelistas. Conseqüentemente, a Igreja primitiva havia desviado e, por isso, necessitava de uma restauração. Ainda segundo ele, o homem devia levar uma vida asceta, o casamento, embora legal, era aviltador.

Entre seus muitos ensinos, encontramos o batismo pelos mortos.

O cânon de Márcion restringia-se as dez epístolas de Paulo e a uma versão modificada do Evangelho de Lucas.

http://www.icp.com.br/51materia3.asp

EBIONISMO

Os ebionistas surgiram no começo do segundo século. Seu nome, derivado do grego “ebionaioi”, tem seu correspondente no idioma hebraico “ebionim”, que significa “os pobres”. Os ebionitas eram judeus crentes que não deixaram os preceitos judaicos e também aceitavam Jesus apenas como Homem.

  • Essa seita tinha um ensino exagerado sobre pobreza;
  • rejeitava os escritos do apostolo Paulo, porque nas epístolas ele reconhecia os gentios convertidos como cristãos.

Eles acreditavam que a lei mosaica era a maior expressão da vontade de Deus e continuava válida para o homem. O maior ataque ao cristianismo primitivo estava relacionado à interpretação que tinham a respeito da divindade de Jesus e de seu nascimento virginal. Para eles, ...

  • Jesus era o filho de José e Maria, que observou a Lei de forma especial, sendo assim escolhido por Deus para ser o Messias;
  • assim logicamente Jesus não era eterno, logo não era Deus.

Aprovavam os ensinos do evangelho de Mateus. Eles insistiam que os cristãos, tanto gentios como judeus, ainda continuavam sob o domínio da Lei de Moisés e que não havia salvação fora da circuncisão e do cumprimento da Lei.

http://www.santovivo.net/gpage160.aspx

O ADOCIONISMO

O adocionismo foi a teoria de que Cristo era um simples homem sobre o qual desceu o Espírito de Deus. Originou-a um mercador de couro bizantino chamado Teodoto, que a trouxe até Roma em torno do ano 190.

Teodoto sustentava que até o seu batismo Jesus viveu a vida de um homem ordinário, com a diferença, porém, que havia sido um homem supremamente virtuoso. O Espírito, ou Cristo, então desceu sobre Ele, e a partir daquele momento operou milagres sem, entretanto, tornar-se divino. Mais tarde, alguns dos seguidores de Teodoto admitiram que após sua ressurreição Jesus teria sido deificado.

Teodoto foi excomungado pelo Papa S. Vitor, mas a partir daí seus seguidores provavelmente passaram a suspeitar que a ortodoxia pregava a crença em dois Deuses, pois, segundo Novaciano, presbítero de Roma naquela época, afirmavam que "Se o Pai é um e o Filho é outro, e se o Pai é Deus e Cristo é Deus, então não há um só Deus, mas há dois Deuses simultaneamente colocados, o Pai e o Filho".

REFERÊNCIAS:
Hipólito: Refutatio 7,35;
Novaciano: De Trinitate 30.

http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/pais_da_igreja/
a_santissima_trindade_nos_escritos_dos_santos_padres_dos_primeiros_seculos.html

Monarquianismo dinâmico

Desenvolvida por Teodoto de Bizâncio, foi uma tentativa de resguardar unidade de Deus. Essa idéia tinha traços do ebionismo, que pregava ser Jesus apenas homem. Teodoto, homem culto que comerciava couro, pregava contra a divindade do Filho, negava a afirmação de que Jesus Cristo é Deus, achava mais seguro afirmar que Jesus era um mero homem. Não negava o nascimento virginal, mas esse nascimento não divinizava Jesus. Ele continuava sendo um mero homem, apesar de ser justo.

Teodoto separou a vida de Jesus em tempos, ou seja, ...

  • até o batismo Jesus viveu seu cotidiano como todo homem vive, com a diferença de ter sido extremamente virtuoso.
  • Em seu batismo, o Espírito Santo desceu sobre Ele, e a partir daquele momento Ele passou a operar milagres sem contudo tornar-se divino.

Essa idéia recebeu o nome de dinamismo. Jesus então, era um profeta e não Deus, e um profeta com unção divina (assim como Elias e Eliseu). Somente após a ressurreição Jesus Cristo uniu-se a Deus.

Ensinava uma Trindade de manifestação de formas e não de essência.

  • Deus se manifestou como Pai no Antigo Testamento,
  • depois como Filho para redimir o homem
  • e como Espírito Santo após a ressurreição de Cristo.

Portanto não havia três pessoas em Deus, mas três manifestações.

O papa Vítor excomungou Teodoto, mas sua idéia não teve como ser banida, tanto que Paulo de Samosata que foi bispo de Antioquia por volta de 260 d.C. defendeu essa forma de monarquianismo. Paulo de Samosata foi um pouco mais longe do que Teodoto e afirmou que o Filho, é identificado por sua sabedoria, mas um adjetivo que qualquer homem pode ter, ou seja, diminuiu ainda mais a deidade de Jesus Cristo. O que aconteceu foi que a sabedoria divina habitou no homem Jesus, e isso não significou que Ele seja uma pessoa divina.

Paulo de Samosata, no sínodo de Antioquia em 268, foi declarado herege, mas de alguma forma suas idéias surgiram mais tarde em alguns ramos da teologia liberal.

http://www.santovivo.net/gpage160.aspxARIANISMO

arianismo foi uma visão cristológica sustentada pelos seguidores de Ário, presbítero cristão de Alexandria nos primeiros tempos da Igreja primitiva, que negava a existência da consubstancialidade entre Jesus e Deus Pai, que os igualasse, concebendo Cristo como um ser pré-existente e criado, embora a primeira e mais excelsa de todas as criaturas, que encarnara em Jesus de Nazaré. Jesus então, seria subordinado a Deus Pai, sendo Ele (Jesus) não o próprio Deus em si e por si mesmo. Segundo Ário, só existe um Deus e Jesus é seu filho e não o próprio Deus. Ao mesmo tempo afirmava que Deus seria um grande eterno mistério, oculto em si mesmo, e que nenhuma criatura conseguiria revelá-lo, visto que Ele não pode revelar a si mesmo. Com esta linha de pensamento, o historiador H. M. Gwatkin afirmou, na obra "The Arian Controversy": "O Deus de Ário é um Deus desconhecido, cujo ser se acha oculto em eterno mistério"

doutrina_espírita também compreende em Jesus o ser humano mais iluminado, que serve de guia e modelo à humanidade, mas não o confunde com Deus. Na pergunta 17 do Livro_dos_Espíritos se afirma que "Deus não permite que tudo seja revelado ao homem neste mundo."

https://pt.wikipedia.org/wiki/Arianismo

Apolinarianismo 

Era o ponto de vista proposto por Apolinário de Laodiceia (310 - 390 d.C.), quem tentou criar um modo de explicar a natureza de Jesus, sua humanidade e divindade, segundo o qual Jesus Cristo teria um corpo humano, porém dotado de uma mente exclusivamente divina.

Foi qualificado como heresia, em 381, pelo Primeiro Concílio de Constantinopla, que definiu a posição ortodoxa de que Cristo seria totalmente homem e totalmente Deus.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Apolinarianismo

Nestorianismo

Nestório, monge de Antioquia que foi bispo de Constantinopla, pensador cristão do quinto século, afirmou a completa humanidade de Jesus, e que a presença do Logos na pessoa de Cristo era apenas moral e não fazia parte integrante de sua natureza. Desta forma ele era um mediador em quem existiam duas pessoas distintas. O nestorianismo foi condenado como herético no Concílio de Éfeso em 431 d.C.

http://www.vivendopelapalavra.com/cristologia/1480-heresias-contra-a-natureza-de-cristo-helio.html

  1. Alguns diziam que Cristo somente parecia ter corpo, e essa teoria era chamada de docetismo, do grego dokeo (parecer);
  2. Outros diziam que o Cristo divino uniu-se ao homem Jesus no batismo, abandonando-o antes da morte, teoria essa chamada cerintismo, segundo o nome do seu porta-voz mais destacado, Cerinto

http://www.santovivo.net/gpage160.aspx

LINKs:

Ver também:
*